Mato-grossense pode ser cabeça chata?! No prêmio do Tribuna do Ceará, sim


Mato-grossense é cabeça chata?! No prêmio do Tribuna do Ceará, sim

O estagiário Renato Ferreira, vencedor no mês de abril do Cabeça Chata, prêmio interno da redação do Tribuna do Ceará, conta como foi o prazer do reconhecimento dos colegas

Por Renato Ferreira em Cotidiano

17 de maio de 2014 às 10:00

Há 5 anos

Quem diria que um mato-grossense seria um Cabeça Chata? Sou o primeiro homem a ganhar o prêmio de meritocracia do Tribuna do Ceará, em menos de um ano em Fortaleza. Comunicar ao público cearense por meio de vídeos e textos me rendeu uma surpresa: no último dia 8, como estagiário, ganhei uma premiação do portal do Sistema Jangadeiro.

Registro após divulgação do vencedor (FOTO: Tribuna do Ceará)

Registro após divulgação do vencedor (FOTO: Tribuna do Ceará)

Senti uma nostalgia no momento do anúncio do gerente de Mídia Digitais do Sistema Jangadeiro, Hélcio Brasileiro. Ele, como sempre, fez alguns discursos acerca do desempenho e situações hipotéticas jornalísticas do portal, quando me citou e disse que eu tinha ganho. Nem sei onde foquei na hora. Fiquei paralisado e pensei: “Caramba, ganhei“. Sorri, levantei, tirei fotos, fiz piada e agora sou cabeça chata.

O objetivo da premiação é promover uma cultura motivacional dentro da empresa para sempre realizar trabalhos melhores e focados na população cearense, o que, desde que entrei (em dezembro de 2013), tem acontecido. Escrevo com um orgulho enorme por estar aqui hoje, o primeiro veículo de comunicação que me acolheu no Ceará e que tenho vestido a camisa em diversas situações: de conversas de ônibus às citações da faculdade.

Multimidializando

Sou um eterno amante do jornalismo e tenho adicionado acessórios do meio dele, que se identificam como convergência. Nisso, diante da minha curta experiência com rádio e TV, que herdei de Cuiabá e tenho lapidado aqui em Fortaleza, os elementos foram essenciais para que isto se fizesse presente dentro do Tribuna por meio do Videocast.

Com uma Cannon nas mãos, às vezes um gravador externo e uma pauta produzida, vou às ruas de Fortaleza e conduzo conversas interessantes que edito e transcrevo para a plataforma digital. Além disso, em alguns especiais, eu contribuo com fotografias (tanto publicitária quanto jornalística). É uma troca: fico cada dia mais motivado e o Tribuna do Ceará reflete isso.

Convergir é o futuro e o futuro é agora

Durante as tardes, recebo algumas orientações e dicas para a execução de webvídeos. Uma sugestão de diversão seria cobrir um desafio de uma lanchonete cearense que oferece um sanduíche gigante de graça para quem comer em tempo recorde. Das imagens, música e arte, tudo se encaixou num processo que levou cerca de dois dias e me rendeu notoriedade nacional, visto que foi para o UOL, no qual há uma parceria com o Tribuna do Ceará.

Além disso, com a cultura webrighter, vídeos como o da ladeira que desafia a lei da gravidade, da família gaúcha que pedia ajuda no Ceará e do espetacular cearense que cria aviões experimentais, foram catalisadores para que eu recebesse o benefício deste mês.

> LEIA MAIS

Caneca e vale-compras da livraria Saraiva (FOTO: Tribuna do Ceará)

Caneca e vale-compras da livraria Saraiva (FOTO: Tribuna do Ceará)

O que ganhei? Uma caneca que eu já sonhava e um vale compras na livraria Saraiva.

Cabeça Chata

“Valha, vou nem mentir, arrmaria, arriégua, como é?”, ganhei! O prêmio ultra-cearense do Tribuna do Ceará é disputado pelos colaboradores do portal, que igualitariamente concorrem em uma disputa pelas matérias mais interessantes no mês. Em abril foi minha vez. Agora é apostar no melhor conteúdo pra maio.

Publicidade

Dê sua opinião

Mato-grossense é cabeça chata?! No prêmio do Tribuna do Ceará, sim

O estagiário Renato Ferreira, vencedor no mês de abril do Cabeça Chata, prêmio interno da redação do Tribuna do Ceará, conta como foi o prazer do reconhecimento dos colegas

Por Renato Ferreira em Cotidiano

17 de maio de 2014 às 10:00

Há 5 anos

Quem diria que um mato-grossense seria um Cabeça Chata? Sou o primeiro homem a ganhar o prêmio de meritocracia do Tribuna do Ceará, em menos de um ano em Fortaleza. Comunicar ao público cearense por meio de vídeos e textos me rendeu uma surpresa: no último dia 8, como estagiário, ganhei uma premiação do portal do Sistema Jangadeiro.

Registro após divulgação do vencedor (FOTO: Tribuna do Ceará)

Registro após divulgação do vencedor (FOTO: Tribuna do Ceará)

Senti uma nostalgia no momento do anúncio do gerente de Mídia Digitais do Sistema Jangadeiro, Hélcio Brasileiro. Ele, como sempre, fez alguns discursos acerca do desempenho e situações hipotéticas jornalísticas do portal, quando me citou e disse que eu tinha ganho. Nem sei onde foquei na hora. Fiquei paralisado e pensei: “Caramba, ganhei“. Sorri, levantei, tirei fotos, fiz piada e agora sou cabeça chata.

O objetivo da premiação é promover uma cultura motivacional dentro da empresa para sempre realizar trabalhos melhores e focados na população cearense, o que, desde que entrei (em dezembro de 2013), tem acontecido. Escrevo com um orgulho enorme por estar aqui hoje, o primeiro veículo de comunicação que me acolheu no Ceará e que tenho vestido a camisa em diversas situações: de conversas de ônibus às citações da faculdade.

Multimidializando

Sou um eterno amante do jornalismo e tenho adicionado acessórios do meio dele, que se identificam como convergência. Nisso, diante da minha curta experiência com rádio e TV, que herdei de Cuiabá e tenho lapidado aqui em Fortaleza, os elementos foram essenciais para que isto se fizesse presente dentro do Tribuna por meio do Videocast.

Com uma Cannon nas mãos, às vezes um gravador externo e uma pauta produzida, vou às ruas de Fortaleza e conduzo conversas interessantes que edito e transcrevo para a plataforma digital. Além disso, em alguns especiais, eu contribuo com fotografias (tanto publicitária quanto jornalística). É uma troca: fico cada dia mais motivado e o Tribuna do Ceará reflete isso.

Convergir é o futuro e o futuro é agora

Durante as tardes, recebo algumas orientações e dicas para a execução de webvídeos. Uma sugestão de diversão seria cobrir um desafio de uma lanchonete cearense que oferece um sanduíche gigante de graça para quem comer em tempo recorde. Das imagens, música e arte, tudo se encaixou num processo que levou cerca de dois dias e me rendeu notoriedade nacional, visto que foi para o UOL, no qual há uma parceria com o Tribuna do Ceará.

Além disso, com a cultura webrighter, vídeos como o da ladeira que desafia a lei da gravidade, da família gaúcha que pedia ajuda no Ceará e do espetacular cearense que cria aviões experimentais, foram catalisadores para que eu recebesse o benefício deste mês.

> LEIA MAIS

Caneca e vale-compras da livraria Saraiva (FOTO: Tribuna do Ceará)

Caneca e vale-compras da livraria Saraiva (FOTO: Tribuna do Ceará)

O que ganhei? Uma caneca que eu já sonhava e um vale compras na livraria Saraiva.

Cabeça Chata

“Valha, vou nem mentir, arrmaria, arriégua, como é?”, ganhei! O prêmio ultra-cearense do Tribuna do Ceará é disputado pelos colaboradores do portal, que igualitariamente concorrem em uma disputa pelas matérias mais interessantes no mês. Em abril foi minha vez. Agora é apostar no melhor conteúdo pra maio.