Associação de bugueiros pede campanha de orientação a motoristas que circulam por dunas


Associação de bugueiros pede campanha de orientação a motoristas que circulam por dunas

O acidente que resultou na morte de uma jovem de 19 anos, no último sábado (4), em Beberibe, aconteceu com bugue particular, numa rota desconhecida dos bugueiros

Por Roberta Tavares em Cotidiano

6 de abril de 2015 às 16:30

Há 4 anos
Bugueiros associados têm trilha demarcada para passeios turísticos (FOTO: TripAdvisor)

Bugueiros associados têm trilha demarcada para passeios turísticos (FOTO: TripAdvisor)

O acidente com bugue que resultou na morte de uma jovem de 19 anos aconteceu em uma duna desconhecida pela Associação dos Bugueiros de Beberibe, praia do litoral leste do Ceará. Daniela Luzia Albano passeava no veículo com a família, em uma duna entre as praias de Barra de Sucatinga e Uruaú, quando aconteceu o capotamento.

Segundo o presidente da associação, Hélio Gomes, o bugue era particular, e o motorista – identificado como Carlos Wenbley de Abreu – não possuía autorização para trafegar no local. “Ele veio do sentido leste, estava fora da trilha demarcada. Nos nossos passeios turísticos, utilizamos bandeiras para identificar a trilha”, explica.

Hélio informou ainda que o condutor não era da região de Beberibe e nem credenciado na associação. Os veículos associados possuem identificação da Secretaria de Turismo e placas vermelhas. Para evitar possíveis acidentes, é preciso pedir a credencial ao motorista. “Quem quer trafegar na praia e nas dunas tem que ter muito cuidado. Sempre alertamos os bugueiros associados a desviar de áreas de banhistas e evitar fazer passeios com muita emoção, em alta velocidade”, dá a dica.

A trilha tradicional foi demarcada pelos próprios bugueiros, com permissão da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) e do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). O passeio turístico visita a Praia das Fontes, Morro Branco, Fonte da Juventude, Praia do Diogo e a Lagoa do Uruaú. Ao todo, são cerca de 2 horas, no valor de R$ 50 por pessoa.

No acidente registrado no último sábado (4), a polícia trabalha com a possibilidade de superlotação e uso de veículo irregular. De acordo com o presidente da associação, a capacidade máxima permitida são cinco pessoas, incluindo o motorista. “Caso estejamos levando uma criança de até cinco anos no carro, aí podemos aumentar para seis pessoas”, acrescenta.

Jovem de 19 anos morreu após capotamento de veículo durante a Semana Santa (FOTO: Reprodução/Facebook)

Jovem de 19 anos morreu após capotamento de veículo durante a Semana Santa (FOTO: Reprodução/Facebook)

Atualmente, na região de Beberibe, há 340 bugueiros associados. Mesmo assim, não há fiscalização suficiente nas dunas. “O bugue do acidente não foi fiscalizado. Às vezes uma equipe do Comutran [Conselho Municipal de Trânsito] fiscaliza no meio do percurso turístico, próximo à praia do Diogo. Mas, como o veículo não estava na trilha, não teve como controlar”.

Para o presidente Associação dos Bugueiros de Morro Branco, Ricardo Cardoso, é preciso que haja uma campanha de orientação aos motoristas particulares no litoral do estado. “A gente não tem sinalização. Como a gente está aqui todo dia, a gente sabe por qual trilha ir e voltar. Agora, aquela pessoa que vem passar o fim de semana acha que é só pegar o carro 4×4 ou o bugue, chamar a turma e sair”.

Acidentes fatais

Desde 2010, já ocorreram cinco acidentes fatais envolvendo bugues no Ceará. Em 15 de janeiro de 2010, uma criança de cinco anos, Bianca Oliveira, natural do Espírito Santo, morreu após o veículo cair em um buraco em uma duna de Paracuru, no Litoral Oeste. Em 28 de outubro do mesmo ano, a turista portuguesa Dacota Sônia da Silva, de 24 anos, morreu em acidente na duna de Canoa Quebrada, no litoral leste.

Em junho de 2012, um homem morreu durante acidente de bugue na praia de Barra Nova, no município de Cascavel, a 62 quilômetros de Fortaleza. Em agosto, a cearense Maria Charlene do Nascimento, de 29 anos, morreu após capotamento de um bugue, também em Canoa Quebrada.

“O pessoal vem curtir o feriado, aproveitar os momentos de lazer, e acontece isso. Mas é sempre assim, a gente só quer fechar as portas depois que é assaltado… Aconteceu uma tragédia, tudo consequência da falta de prevenção e de fiscalização”, conclui Ricardo.

Capotamento em Beberibe

O acidente envolvendo sete pessoas, sendo cinco na mesma família, resultou na morte da jovem Daniela Luzia Albano, de 19 anos. A polícia trabalha com a possibilidade de superlotação e uso de veículo irregular, mas também investiga uma possível falha mecânica.

O motorista do buggy, Carlos Wenbley de Abreu, evadiu-se após o acidente. Entre os sobreviventes está uma criança de 11 anos. O casal dono do buggy que se envolveu no acidente deve se apresentar à polícia nesta segunda-feira (6).

Publicidade

Dê sua opinião

Associação de bugueiros pede campanha de orientação a motoristas que circulam por dunas

O acidente que resultou na morte de uma jovem de 19 anos, no último sábado (4), em Beberibe, aconteceu com bugue particular, numa rota desconhecida dos bugueiros

Por Roberta Tavares em Cotidiano

6 de abril de 2015 às 16:30

Há 4 anos
Bugueiros associados têm trilha demarcada para passeios turísticos (FOTO: TripAdvisor)

Bugueiros associados têm trilha demarcada para passeios turísticos (FOTO: TripAdvisor)

O acidente com bugue que resultou na morte de uma jovem de 19 anos aconteceu em uma duna desconhecida pela Associação dos Bugueiros de Beberibe, praia do litoral leste do Ceará. Daniela Luzia Albano passeava no veículo com a família, em uma duna entre as praias de Barra de Sucatinga e Uruaú, quando aconteceu o capotamento.

Segundo o presidente da associação, Hélio Gomes, o bugue era particular, e o motorista – identificado como Carlos Wenbley de Abreu – não possuía autorização para trafegar no local. “Ele veio do sentido leste, estava fora da trilha demarcada. Nos nossos passeios turísticos, utilizamos bandeiras para identificar a trilha”, explica.

Hélio informou ainda que o condutor não era da região de Beberibe e nem credenciado na associação. Os veículos associados possuem identificação da Secretaria de Turismo e placas vermelhas. Para evitar possíveis acidentes, é preciso pedir a credencial ao motorista. “Quem quer trafegar na praia e nas dunas tem que ter muito cuidado. Sempre alertamos os bugueiros associados a desviar de áreas de banhistas e evitar fazer passeios com muita emoção, em alta velocidade”, dá a dica.

A trilha tradicional foi demarcada pelos próprios bugueiros, com permissão da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) e do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). O passeio turístico visita a Praia das Fontes, Morro Branco, Fonte da Juventude, Praia do Diogo e a Lagoa do Uruaú. Ao todo, são cerca de 2 horas, no valor de R$ 50 por pessoa.

No acidente registrado no último sábado (4), a polícia trabalha com a possibilidade de superlotação e uso de veículo irregular. De acordo com o presidente da associação, a capacidade máxima permitida são cinco pessoas, incluindo o motorista. “Caso estejamos levando uma criança de até cinco anos no carro, aí podemos aumentar para seis pessoas”, acrescenta.

Jovem de 19 anos morreu após capotamento de veículo durante a Semana Santa (FOTO: Reprodução/Facebook)

Jovem de 19 anos morreu após capotamento de veículo durante a Semana Santa (FOTO: Reprodução/Facebook)

Atualmente, na região de Beberibe, há 340 bugueiros associados. Mesmo assim, não há fiscalização suficiente nas dunas. “O bugue do acidente não foi fiscalizado. Às vezes uma equipe do Comutran [Conselho Municipal de Trânsito] fiscaliza no meio do percurso turístico, próximo à praia do Diogo. Mas, como o veículo não estava na trilha, não teve como controlar”.

Para o presidente Associação dos Bugueiros de Morro Branco, Ricardo Cardoso, é preciso que haja uma campanha de orientação aos motoristas particulares no litoral do estado. “A gente não tem sinalização. Como a gente está aqui todo dia, a gente sabe por qual trilha ir e voltar. Agora, aquela pessoa que vem passar o fim de semana acha que é só pegar o carro 4×4 ou o bugue, chamar a turma e sair”.

Acidentes fatais

Desde 2010, já ocorreram cinco acidentes fatais envolvendo bugues no Ceará. Em 15 de janeiro de 2010, uma criança de cinco anos, Bianca Oliveira, natural do Espírito Santo, morreu após o veículo cair em um buraco em uma duna de Paracuru, no Litoral Oeste. Em 28 de outubro do mesmo ano, a turista portuguesa Dacota Sônia da Silva, de 24 anos, morreu em acidente na duna de Canoa Quebrada, no litoral leste.

Em junho de 2012, um homem morreu durante acidente de bugue na praia de Barra Nova, no município de Cascavel, a 62 quilômetros de Fortaleza. Em agosto, a cearense Maria Charlene do Nascimento, de 29 anos, morreu após capotamento de um bugue, também em Canoa Quebrada.

“O pessoal vem curtir o feriado, aproveitar os momentos de lazer, e acontece isso. Mas é sempre assim, a gente só quer fechar as portas depois que é assaltado… Aconteceu uma tragédia, tudo consequência da falta de prevenção e de fiscalização”, conclui Ricardo.

Capotamento em Beberibe

O acidente envolvendo sete pessoas, sendo cinco na mesma família, resultou na morte da jovem Daniela Luzia Albano, de 19 anos. A polícia trabalha com a possibilidade de superlotação e uso de veículo irregular, mas também investiga uma possível falha mecânica.

O motorista do buggy, Carlos Wenbley de Abreu, evadiu-se após o acidente. Entre os sobreviventes está uma criança de 11 anos. O casal dono do buggy que se envolveu no acidente deve se apresentar à polícia nesta segunda-feira (6).