Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó passa por limpeza e se torna navegável


Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó passa por limpeza e se torna navegável

Em 30 dias de limpeza foram retiradas 60 toneladas de resíduos e vegetação do Rio Cocó, que se torna navegável pela 1ª vez neste século

Por Rosana Romão em Cotidiano

25 de junho de 2015 às 06:00

Há 4 anos
Depois de um mês do trabalho de limpeza, o Rio Cocó se tornou navegável. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Depois de um mês do trabalho de limpeza, o Rio Cocó se tornou navegável. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Devido à falta de limpeza, os cearenses são acostumados a ver o Rio Cocó apenas por fora. Ou seja, veem a vegetação, pois o rio fica coberto por ela. Em algumas áreas é possível ver um pouco do rio, mas a verdade é que a grande maioria desconhece como ele é por dentro. Já fazia 20 anos que não era possível navegá-lo por causa da poluição. Essa realidade começou a mudar após uma limpeza emergencial.

Realizado em 30 dias, no trabalho foram retiradas 60 toneladas de resíduos e vegetação. O Tribuna do Ceará fez um passeio de barco por dentro do rio para ver o resultado após a limpeza.

A operação começou no dia 14 de abril desde a Avenida Sebastião de Abreu até pouco depois do Parque Adahil Barreto. Isso corresponde apenas a três quilômetros dos 50 de extensão total do Rio Cocó. A retirada dos aguapés deixou o percurso livre para navegação, além de possibilitar uma apreciação de toda a riqueza natural que antes ficava escondida.

O Rio Cocó, que possui 50 quilômetros de extensão, nasce na Serra da Aratanha, na cidade de Pacatuba, e passa por Itaitinga, Maracanaú e Fortaleza, para desaguar no Oceano Atlântico, nos limites das praias do Caça e Pesca e Sabiaguaba. De acordo com o último levantamento da Superintendência Estadual do Meio Ambiente do Ceará (Semace), a água do Rio Cocó está totalmente poluída. Sem saneamento, a expectativa é que a regulamentação do parque possa resolver esse problema. Enquanto isso, a população tem papel fundamental na preservação do ambiente.

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
1/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

Depois de um mês do trabalho de limpeza, o Rio Cocó se tornou navegável. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
2/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

Durante a limpeza foram encontrados aparelhos sanitários e pneus. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
3/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

O Rio Cocó possui 50 quilômetros de extensão, nasce na Serra da Aratanha, na cidade de Pacatuba e passa por Itaitinga, Maracanaú e Fortaleza. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
4/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

O Rio Cocó possui 50 quilômetros de extensão, nasce na Serra da Aratanha, na cidade de Pacatuba e passa por Itaitinga, Maracanaú e Fortaleza. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
5/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

Durante a limpeza foram encontrados aparelhos sanitários e pneus. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
6/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

Durante a limpeza foram encontrados aparelhos sanitários e pneus. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
7/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

Durante a limpeza foram encontrados aparelhos sanitários e pneus. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
8/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

De dentro do rio é possível ver o contraste entre o verde da natureza e o cinza dos prédios. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
9/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

De dentro do rio é possível ver o contraste entre o verde da natureza e o cinza dos prédios. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
10/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

Durante a limpeza foram encontrados aparelhos sanitários e pneus. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Durante a limpeza, foram encontrados aparelhos sanitários, pneus, plásticos, entre outros. Aguapés e capim braqueados também foram retirados para facilitar a navegação. O trabalho foi feito com o auxílio de vários órgãos: Semace, Secretarias do Meio Ambiente Estadual e Municipal (Sema e Seuma), Companhia de Gestão e Recursos Hídricos (Cogerh), Batalhão Policial Ambiental e Defesa Civil Municipal.

“Nós temos uma meta de tornar o rio um local de educação ambiental, trazer a população para fazer isso. Assim, a população vai ter mais consciência”, detalha ao Assistente de Projetos Especiais Leonardo Borralho. Todavia, com a limpeza de 3 quilômetros do rio, foi recuperada apenas a navegabilidade. A balneabilidade será recuperada a longo prazo. E para dar continuidade ao trabalho, a Sema prossegue com o monitoramento, fiscalização e manutenção.

Publicidade

Dê sua opinião

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó passa por limpeza e se torna navegável

Em 30 dias de limpeza foram retiradas 60 toneladas de resíduos e vegetação do Rio Cocó, que se torna navegável pela 1ª vez neste século

Por Rosana Romão em Cotidiano

25 de junho de 2015 às 06:00

Há 4 anos
Depois de um mês do trabalho de limpeza, o Rio Cocó se tornou navegável. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Depois de um mês do trabalho de limpeza, o Rio Cocó se tornou navegável. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Devido à falta de limpeza, os cearenses são acostumados a ver o Rio Cocó apenas por fora. Ou seja, veem a vegetação, pois o rio fica coberto por ela. Em algumas áreas é possível ver um pouco do rio, mas a verdade é que a grande maioria desconhece como ele é por dentro. Já fazia 20 anos que não era possível navegá-lo por causa da poluição. Essa realidade começou a mudar após uma limpeza emergencial.

Realizado em 30 dias, no trabalho foram retiradas 60 toneladas de resíduos e vegetação. O Tribuna do Ceará fez um passeio de barco por dentro do rio para ver o resultado após a limpeza.

A operação começou no dia 14 de abril desde a Avenida Sebastião de Abreu até pouco depois do Parque Adahil Barreto. Isso corresponde apenas a três quilômetros dos 50 de extensão total do Rio Cocó. A retirada dos aguapés deixou o percurso livre para navegação, além de possibilitar uma apreciação de toda a riqueza natural que antes ficava escondida.

O Rio Cocó, que possui 50 quilômetros de extensão, nasce na Serra da Aratanha, na cidade de Pacatuba, e passa por Itaitinga, Maracanaú e Fortaleza, para desaguar no Oceano Atlântico, nos limites das praias do Caça e Pesca e Sabiaguaba. De acordo com o último levantamento da Superintendência Estadual do Meio Ambiente do Ceará (Semace), a água do Rio Cocó está totalmente poluída. Sem saneamento, a expectativa é que a regulamentação do parque possa resolver esse problema. Enquanto isso, a população tem papel fundamental na preservação do ambiente.

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
1/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

Depois de um mês do trabalho de limpeza, o Rio Cocó se tornou navegável. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
2/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

Durante a limpeza foram encontrados aparelhos sanitários e pneus. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
3/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

O Rio Cocó possui 50 quilômetros de extensão, nasce na Serra da Aratanha, na cidade de Pacatuba e passa por Itaitinga, Maracanaú e Fortaleza. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
4/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

O Rio Cocó possui 50 quilômetros de extensão, nasce na Serra da Aratanha, na cidade de Pacatuba e passa por Itaitinga, Maracanaú e Fortaleza. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
5/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

Durante a limpeza foram encontrados aparelhos sanitários e pneus. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
6/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

Durante a limpeza foram encontrados aparelhos sanitários e pneus. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
7/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

Durante a limpeza foram encontrados aparelhos sanitários e pneus. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
8/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

De dentro do rio é possível ver o contraste entre o verde da natureza e o cinza dos prédios. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
9/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

De dentro do rio é possível ver o contraste entre o verde da natureza e o cinza dos prédios. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável
10/10

Após 20 anos sem manutenção, Rio Cocó é limpo e se torna navegável

Durante a limpeza foram encontrados aparelhos sanitários e pneus. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Durante a limpeza, foram encontrados aparelhos sanitários, pneus, plásticos, entre outros. Aguapés e capim braqueados também foram retirados para facilitar a navegação. O trabalho foi feito com o auxílio de vários órgãos: Semace, Secretarias do Meio Ambiente Estadual e Municipal (Sema e Seuma), Companhia de Gestão e Recursos Hídricos (Cogerh), Batalhão Policial Ambiental e Defesa Civil Municipal.

“Nós temos uma meta de tornar o rio um local de educação ambiental, trazer a população para fazer isso. Assim, a população vai ter mais consciência”, detalha ao Assistente de Projetos Especiais Leonardo Borralho. Todavia, com a limpeza de 3 quilômetros do rio, foi recuperada apenas a navegabilidade. A balneabilidade será recuperada a longo prazo. E para dar continuidade ao trabalho, a Sema prossegue com o monitoramento, fiscalização e manutenção.