No Sertão Central, principal reservatório da região está com 19,9% da sua capacidade


No Sertão Central, principal reservatório da região está com 19,9% da sua capacidade

A preocupação com a falta de água nos municípios do Sertão Central a cada dia que se passa torna-se maior. O açude Fogareiro está com apenas 19.91% de sua capacidade

Por Tribuna do Ceará em Ceará

2 de novembro de 2013 às 11:23

Há 6 anos
O açude Fogareiro faz parte da bacia hidrográfica do Banabuiú (FOTO: Divulgação)

O açude Fogareiro faz parte da bacia hidrográfica do Banabuiú (FOTO: Divulgação)

A preocupação com a falta de água nos municípios do Sertão Central a cada dia que se passa torna-se maior. O açude Fogareiro, que é o principal reservatório do município e um dos maiores do estados, segundo a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) está com apenas 19.91% de sua capacidade.

No açude são liberados, por segundo, 380.00 litros de água, através de turbinas que perenizam os rios Pirabibú e Quixeramobim, este último, que deságua na Barragem de Quixeramobim, reservatório que abastece a sede do município e está com 71.68% de sua capacidade.

O açude Fogareiro faz parte da bacia hidrográfica do Banabuiú e sua capacidade total é de 118,8 milhões de metros cúbicos. Ainda em Quixeramobim, o açude Pirabibú, no Distrito de Damião Carneiro, apresenta o índice de acúmulo de água mais baixo do município: 2,99%.

Situação crítica

De acordo com o responsável pela coleta dos dados para monitoramento do açude, Eudes Bezerra, se não chover até o mês de janeiro é possível que o total da capacidade do reservatório alcance 12%. “A situação dos moradores da bacia do Açude Fogareiro vai ficar difícil, se o nível diminuir ainda mais”.

No início de outubro o volume de água do reservatório era de 22.42%, já no dia 31, ficou em 19,91%, tendo perdido 2,51% de água, só no mês de outubro. Em janeiro, o nível do Fogareiro era de 36,18%, ou seja, já perdeu 16,27%, quase a metade do volume registrado no início do ano. A queda no nível de água é preocupante. As autoridades continuam alertando a população para conter o desperdício de água.

Conforme o coordenador de Gestão e Planejamento da Secretaria de Desenvolvimento Agrário do Estado (SDA), Cristiano Goés, a situação é bastante séria. “Vamos torcer para que tenhamos um bom inverno, porque isso vai facilitar muito o trabalho da gente. Nós temos quase 500 projetos de abastecimento d’água em curso. 150 estão em processo de execução ou licitação e até dezembro estaremos recebendo os outros 350 e para alguns deles nós precisamos ter manancial de água e não temos. A SDA ainda está perfurando 395 poços, mas muitas vezes não encontramos água. Perfuram 50, 60, 100 metros e nada”, disse.

Mais prejuízo

O açude Banabuiú, no município homônimo, fechou o mês de janeiro com 46.94% de sua capacidade. Dez meses depois, em outubro, o açude acumula apenas 30.77%. O Patú, em Senador Pompeu, um dos principais reservatórios do Sertão Central e que também pereniza o Rio Quixeramobim, foi um dos que conseguiram uma considerável recarga este ano, contando atualmente com 42.36% de sua capacidade. O açude iniciou 2013 com pouco mais de 43%, índice que chegou a cair para 35, até acumular no mês de julho mais da metade de sua capacidade (53,6%).

Com informações do Sistema Maior de Comunicação

Publicidade

Dê sua opinião

No Sertão Central, principal reservatório da região está com 19,9% da sua capacidade

A preocupação com a falta de água nos municípios do Sertão Central a cada dia que se passa torna-se maior. O açude Fogareiro está com apenas 19.91% de sua capacidade

Por Tribuna do Ceará em Ceará

2 de novembro de 2013 às 11:23

Há 6 anos
O açude Fogareiro faz parte da bacia hidrográfica do Banabuiú (FOTO: Divulgação)

O açude Fogareiro faz parte da bacia hidrográfica do Banabuiú (FOTO: Divulgação)

A preocupação com a falta de água nos municípios do Sertão Central a cada dia que se passa torna-se maior. O açude Fogareiro, que é o principal reservatório do município e um dos maiores do estados, segundo a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) está com apenas 19.91% de sua capacidade.

No açude são liberados, por segundo, 380.00 litros de água, através de turbinas que perenizam os rios Pirabibú e Quixeramobim, este último, que deságua na Barragem de Quixeramobim, reservatório que abastece a sede do município e está com 71.68% de sua capacidade.

O açude Fogareiro faz parte da bacia hidrográfica do Banabuiú e sua capacidade total é de 118,8 milhões de metros cúbicos. Ainda em Quixeramobim, o açude Pirabibú, no Distrito de Damião Carneiro, apresenta o índice de acúmulo de água mais baixo do município: 2,99%.

Situação crítica

De acordo com o responsável pela coleta dos dados para monitoramento do açude, Eudes Bezerra, se não chover até o mês de janeiro é possível que o total da capacidade do reservatório alcance 12%. “A situação dos moradores da bacia do Açude Fogareiro vai ficar difícil, se o nível diminuir ainda mais”.

No início de outubro o volume de água do reservatório era de 22.42%, já no dia 31, ficou em 19,91%, tendo perdido 2,51% de água, só no mês de outubro. Em janeiro, o nível do Fogareiro era de 36,18%, ou seja, já perdeu 16,27%, quase a metade do volume registrado no início do ano. A queda no nível de água é preocupante. As autoridades continuam alertando a população para conter o desperdício de água.

Conforme o coordenador de Gestão e Planejamento da Secretaria de Desenvolvimento Agrário do Estado (SDA), Cristiano Goés, a situação é bastante séria. “Vamos torcer para que tenhamos um bom inverno, porque isso vai facilitar muito o trabalho da gente. Nós temos quase 500 projetos de abastecimento d’água em curso. 150 estão em processo de execução ou licitação e até dezembro estaremos recebendo os outros 350 e para alguns deles nós precisamos ter manancial de água e não temos. A SDA ainda está perfurando 395 poços, mas muitas vezes não encontramos água. Perfuram 50, 60, 100 metros e nada”, disse.

Mais prejuízo

O açude Banabuiú, no município homônimo, fechou o mês de janeiro com 46.94% de sua capacidade. Dez meses depois, em outubro, o açude acumula apenas 30.77%. O Patú, em Senador Pompeu, um dos principais reservatórios do Sertão Central e que também pereniza o Rio Quixeramobim, foi um dos que conseguiram uma considerável recarga este ano, contando atualmente com 42.36% de sua capacidade. O açude iniciou 2013 com pouco mais de 43%, índice que chegou a cair para 35, até acumular no mês de julho mais da metade de sua capacidade (53,6%).

Com informações do Sistema Maior de Comunicação