Sertão Central é a região com menor quantidade de chuva em 2013


Sertão Central é a região com menor quantidade de chuva em 2013

“As chuvas se comportam irregularmente… essa é uma característica da Região Semiárida”, explica meteorologista da Funceme

Por Roberta Tavares em Ceará

27 de março de 2013 às 15:06

Há 6 anos
As gotas de esperança continuam escassas no Ceará. Apesar de todos os municípios terem registrado precipitações desde o início da quadra chuvosa, a situação segue complicada para os sertanejos.

“As chuvas se comportam irregularmente… essa é uma característica da Região Semiárida”, explica meteorologista da Funceme

As gotas de esperança continuam escassas no Ceará. Apesar de todos os municípios terem registrado precipitações desde o início da quadra chuvosa, a situação segue complicada para os sertanejos.

De acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), a região onde menos choveu foi o Sertão Central, com apenas 91,2 milímetros contabilizados do início de fevereiro até esta quarta-feira (27). “As chuvas se comportam irregularmente… essa é uma característica da Região Semiárida”, afirma a meteorologista da Funceme, Deysiane Quaresma.

O município com menos precipitações foi Varjota, na Região da Ibiapaba, com 33,6 milímetros. A meteorologista lembra que a previsão climática já apontava probabilidade de poucas chuvas. “Estava previsto ter menos chuvas mesmo, com 40% de probabilidade para precipitações abaixo do normal, 35% para chuvas em torno da média e 25% para chover acima da média”. A situação deve permanecer até junho deste ano.

Mesmo com chuvas, problema continua

O município que contabilizou maior precipitação foi Missão Velha, com 388,2 milímetros. Apesar de o Cariri ter registrado o maior nível de chuvas até o momento, com 196,3 milímetros, as lavouras da região já se perderam, segundo a Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará (Febraece).

O presidente da Febraece, Moésio Braz, calcula que, em 2013, foi plantado apenas 40% de grãos em relação à média estadual. “Pode ser que parte desse plantio se salve”, espera.

Semana Santa sem precipitações significativas

De acordo com a Funceme, a previsão do tempo para o feriado da Semana Santa é de chuvas isoladas em todas as regiões cearenses, principalmente na faixa litorânea, serras, região jaguaribana e sul do Estado.

Nas últimas 24 horas, 71 municípios cearenses foram beneficiados com chuvas. Ipueiras e Guaraciaba do Norte, ambos da Região da Ibiapaba, registraram maior nível de chuvas, com 49,8 milímetros e 38 milímetros, respectivamente.

O que está sendo feito?

Foram liberados 90 projetos de abastecimento de água para comunidades rurais do interior do Ceará, pelo governo estadual. A decisão foi divulgada no último dia 19 de março. O investimento é de R$ 41 milhões, recursos oriundos do Projeto São José III, parceria entre o Estado e o Banco Mundial, que nesta etapa vai beneficiar 11.297 famílias cearenses.

Ao todo, o Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável – PDRS/São José III conta com US$ 300 milhões financiados pelo Estado do Ceará junto ao Banco Mundial. A contrapartida do Estado é de US$ 100 milhões.

Segundo o governo, além de sistemas de abastecimento d’água haverá financiamento de projetos produtivos nas cadeias da ovinocaprinocultura, piscicultura, apicultura e agricultura irrigada.

Publicidade

Dê sua opinião

Sertão Central é a região com menor quantidade de chuva em 2013

“As chuvas se comportam irregularmente… essa é uma característica da Região Semiárida”, explica meteorologista da Funceme

Por Roberta Tavares em Ceará

27 de março de 2013 às 15:06

Há 6 anos
As gotas de esperança continuam escassas no Ceará. Apesar de todos os municípios terem registrado precipitações desde o início da quadra chuvosa, a situação segue complicada para os sertanejos.

“As chuvas se comportam irregularmente… essa é uma característica da Região Semiárida”, explica meteorologista da Funceme

As gotas de esperança continuam escassas no Ceará. Apesar de todos os municípios terem registrado precipitações desde o início da quadra chuvosa, a situação segue complicada para os sertanejos.

De acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), a região onde menos choveu foi o Sertão Central, com apenas 91,2 milímetros contabilizados do início de fevereiro até esta quarta-feira (27). “As chuvas se comportam irregularmente… essa é uma característica da Região Semiárida”, afirma a meteorologista da Funceme, Deysiane Quaresma.

O município com menos precipitações foi Varjota, na Região da Ibiapaba, com 33,6 milímetros. A meteorologista lembra que a previsão climática já apontava probabilidade de poucas chuvas. “Estava previsto ter menos chuvas mesmo, com 40% de probabilidade para precipitações abaixo do normal, 35% para chuvas em torno da média e 25% para chover acima da média”. A situação deve permanecer até junho deste ano.

Mesmo com chuvas, problema continua

O município que contabilizou maior precipitação foi Missão Velha, com 388,2 milímetros. Apesar de o Cariri ter registrado o maior nível de chuvas até o momento, com 196,3 milímetros, as lavouras da região já se perderam, segundo a Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará (Febraece).

O presidente da Febraece, Moésio Braz, calcula que, em 2013, foi plantado apenas 40% de grãos em relação à média estadual. “Pode ser que parte desse plantio se salve”, espera.

Semana Santa sem precipitações significativas

De acordo com a Funceme, a previsão do tempo para o feriado da Semana Santa é de chuvas isoladas em todas as regiões cearenses, principalmente na faixa litorânea, serras, região jaguaribana e sul do Estado.

Nas últimas 24 horas, 71 municípios cearenses foram beneficiados com chuvas. Ipueiras e Guaraciaba do Norte, ambos da Região da Ibiapaba, registraram maior nível de chuvas, com 49,8 milímetros e 38 milímetros, respectivamente.

O que está sendo feito?

Foram liberados 90 projetos de abastecimento de água para comunidades rurais do interior do Ceará, pelo governo estadual. A decisão foi divulgada no último dia 19 de março. O investimento é de R$ 41 milhões, recursos oriundos do Projeto São José III, parceria entre o Estado e o Banco Mundial, que nesta etapa vai beneficiar 11.297 famílias cearenses.

Ao todo, o Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável – PDRS/São José III conta com US$ 300 milhões financiados pelo Estado do Ceará junto ao Banco Mundial. A contrapartida do Estado é de US$ 100 milhões.

Segundo o governo, além de sistemas de abastecimento d’água haverá financiamento de projetos produtivos nas cadeias da ovinocaprinocultura, piscicultura, apicultura e agricultura irrigada.