Seca e abandono: 800 jumentos são recolhidos mensalmente pelo Detran


Seca e abandono: 800 jumentos são recolhidos mensalmente das estradas do Ceará

Em 2012, as Polícias Rodoviárias Estadual (PRE) e Federal (PRF) registraram cerca de 240 acidentes causados por animais na pista

Por Arimatéia Moura em Ceará

20 de maio de 2013 às 11:57

Há 6 anos
Jumentos são flagrados na Avenida Abolição, em Fortaleza (Foto: Arquivo/TV Jangadeiro)

Jumentos são flagrados na Avenida Abolição, em Fortaleza (Foto: Arquivo/TV Jangadeiro)

Dados do Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE), apontam que uma média mensal de 800 jumentos têm sido recolhidos pelo órgão, nas rodovias estuais, em situação de abandono.

Esses animais soltos às margens das estradas apresentam grande risco de acidentes, por isso são recolhidos a uma fazenda, no município de Santa Quitéria, um equipamento pertencente ao Estado e administrado pelo Detran. Segundo o órgão, atualmente, 4 mil jumentos estão recolhidos no local, gerando um custo de R$ 300 mil por mês pela sua manutenção.

O Detran informou que o aumento no índice de abandono de jumentos no estado está associado à seca prolongada e à falta de condição dos proprietários em manter os animais. Outro fator que justificaria isso, seria a cultura existente no interior de se criar esses bichos soltos, à procura de pasto.

Em 2012, as Polícias Rodoviárias Estadual (PRE) e Federal (PRF) registraram cerca de 240 acidentes causados por animais na pista. Nessas ocorrências, 12 pessoas morreram e 120 ficaram feridas. Os pontos considerados mais críticos no Ceará são: BR-116, BR-220, BR-020, BR-304 e CE-065.

Internacional

A representação da União Internacional de Proteção aos Animais (Uipa) no Ceará conseguiu ajuda de uma Ong francesa e mensalmente recebe valores para a compra de alimentos destinados aos jumentos recolhidos em Santa Quitéria. Lucas Moreira, colaborador da Uipa, informou que, também, que no ano passado, a organização mobilizou protestos contra a possibilidade de exportação desses animais para consumo humano na China.

Publicidade

Dê sua opinião

Seca e abandono: 800 jumentos são recolhidos mensalmente das estradas do Ceará

Em 2012, as Polícias Rodoviárias Estadual (PRE) e Federal (PRF) registraram cerca de 240 acidentes causados por animais na pista

Por Arimatéia Moura em Ceará

20 de maio de 2013 às 11:57

Há 6 anos
Jumentos são flagrados na Avenida Abolição, em Fortaleza (Foto: Arquivo/TV Jangadeiro)

Jumentos são flagrados na Avenida Abolição, em Fortaleza (Foto: Arquivo/TV Jangadeiro)

Dados do Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE), apontam que uma média mensal de 800 jumentos têm sido recolhidos pelo órgão, nas rodovias estuais, em situação de abandono.

Esses animais soltos às margens das estradas apresentam grande risco de acidentes, por isso são recolhidos a uma fazenda, no município de Santa Quitéria, um equipamento pertencente ao Estado e administrado pelo Detran. Segundo o órgão, atualmente, 4 mil jumentos estão recolhidos no local, gerando um custo de R$ 300 mil por mês pela sua manutenção.

O Detran informou que o aumento no índice de abandono de jumentos no estado está associado à seca prolongada e à falta de condição dos proprietários em manter os animais. Outro fator que justificaria isso, seria a cultura existente no interior de se criar esses bichos soltos, à procura de pasto.

Em 2012, as Polícias Rodoviárias Estadual (PRE) e Federal (PRF) registraram cerca de 240 acidentes causados por animais na pista. Nessas ocorrências, 12 pessoas morreram e 120 ficaram feridas. Os pontos considerados mais críticos no Ceará são: BR-116, BR-220, BR-020, BR-304 e CE-065.

Internacional

A representação da União Internacional de Proteção aos Animais (Uipa) no Ceará conseguiu ajuda de uma Ong francesa e mensalmente recebe valores para a compra de alimentos destinados aos jumentos recolhidos em Santa Quitéria. Lucas Moreira, colaborador da Uipa, informou que, também, que no ano passado, a organização mobilizou protestos contra a possibilidade de exportação desses animais para consumo humano na China.