Saiba como evitar dívidas e também como sair delas


Saiba como evitar dívidas e também como sair delas

Contas, prestações atrasadas e pouco dinheiro. Um pesadelo constante dos endividados é justamente pensar na forma de suprir as despesas

Por Jackson Cruz em Ceará

4 de setembro de 2012 às 16:36

Há 7 anos

Contas, prestações atrasadas e pouco dinheiro. Um pesadelo constante dos endividados é justamente pensar na forma de suprir as despesas. O Jangadeiro Online entrevistou a professora de Economia Doméstica da Universidade Federal do Ceará (UFC) Helena Selma Azevedo com o objetivo de dar dicas para quem vive esse sonho ruim.

De acordo com a professora, o principal conselho é “não gastar o que não tem”. “Não gaste o que não pode, o que é mais do que você ganha”, alerta. Ele explica que a melhor forma de sair da má situação é planejando cada gasto e se prevenindo.

“Cortar gastos e gastar bem menos do que ganha são as primeiras dicas. Tem que contabilizar o quanto está devendo, elaborando um orçamento com o que pode realmente gastar. O orçamento deve ser de curto, médio e longo prazo”, recomenda.

Como se planejar?

Helena Selma considera que as pessoas se endividam porque compram sem planejar. “Tem que se educar a não comprar por impulso. Se uma pessoa tem renda pequena, ela não pode ter mais que um cartão de crédito. Comprar pode virar um enorme risco”, diz.

Dessa forma, a professora recomenda que seja elaborada uma lista com itens que devem ser comprados, além de ser feita uma pesquisa de preços. “Fazer lista antes de sair. Listar o que deve ser comprado é uma grande proteção”, esclarece. Além disso, evitar compras por impulso ou com muitas prestações. “Sempre se perguntar: ‘Eu preciso mesmo disso?’. A lista de compras e a pergunta são duas questões que protegem a pessoas”, conta.

Além disso, na hora de realizar cortes de gastos é preciso imaginar o que é necessário para sobreviver e o que se pode deixar de comprar. “Hoje, tem muita gente endividada, porque compra pela propaganda, não faz um previsão de gastos. As compras que devem ser feitas todo mês não podem ser compradas no crediário, porque é a partir daí que vira uma bola de neve. Todo mês você paga a prestação e uma outra se acumula”, explica. Segundo Helena, no cartão de crédito devem ser comprados objetos mais caros e incomuns.

Auxílio

De acordo com a professora, as pessoas que precisam de auxilio para educar o consumo podem contar com o apoio do Núcleo de Educação do Consumidor e Administração Familiar da UFC. “Lá pode fazer atendimento, dar cursos sobre orçamento, sobre como se proteger, sobre educação do consumidor”, dá a dica.

Helena também afirma que o orçamento e não é só contabilidade, mas um planejamento da vida financeira. “As pessoas precisam definir o que querem, quais os objetivos da vida. Se uma família vai tirar férias, ela tem que ter dinheiro. Compras fixas, orçamento no minimo manual e registro das despesas são necessários”, pontua.

Publicidade

Dê sua opinião

Saiba como evitar dívidas e também como sair delas

Contas, prestações atrasadas e pouco dinheiro. Um pesadelo constante dos endividados é justamente pensar na forma de suprir as despesas

Por Jackson Cruz em Ceará

4 de setembro de 2012 às 16:36

Há 7 anos

Contas, prestações atrasadas e pouco dinheiro. Um pesadelo constante dos endividados é justamente pensar na forma de suprir as despesas. O Jangadeiro Online entrevistou a professora de Economia Doméstica da Universidade Federal do Ceará (UFC) Helena Selma Azevedo com o objetivo de dar dicas para quem vive esse sonho ruim.

De acordo com a professora, o principal conselho é “não gastar o que não tem”. “Não gaste o que não pode, o que é mais do que você ganha”, alerta. Ele explica que a melhor forma de sair da má situação é planejando cada gasto e se prevenindo.

“Cortar gastos e gastar bem menos do que ganha são as primeiras dicas. Tem que contabilizar o quanto está devendo, elaborando um orçamento com o que pode realmente gastar. O orçamento deve ser de curto, médio e longo prazo”, recomenda.

Como se planejar?

Helena Selma considera que as pessoas se endividam porque compram sem planejar. “Tem que se educar a não comprar por impulso. Se uma pessoa tem renda pequena, ela não pode ter mais que um cartão de crédito. Comprar pode virar um enorme risco”, diz.

Dessa forma, a professora recomenda que seja elaborada uma lista com itens que devem ser comprados, além de ser feita uma pesquisa de preços. “Fazer lista antes de sair. Listar o que deve ser comprado é uma grande proteção”, esclarece. Além disso, evitar compras por impulso ou com muitas prestações. “Sempre se perguntar: ‘Eu preciso mesmo disso?’. A lista de compras e a pergunta são duas questões que protegem a pessoas”, conta.

Além disso, na hora de realizar cortes de gastos é preciso imaginar o que é necessário para sobreviver e o que se pode deixar de comprar. “Hoje, tem muita gente endividada, porque compra pela propaganda, não faz um previsão de gastos. As compras que devem ser feitas todo mês não podem ser compradas no crediário, porque é a partir daí que vira uma bola de neve. Todo mês você paga a prestação e uma outra se acumula”, explica. Segundo Helena, no cartão de crédito devem ser comprados objetos mais caros e incomuns.

Auxílio

De acordo com a professora, as pessoas que precisam de auxilio para educar o consumo podem contar com o apoio do Núcleo de Educação do Consumidor e Administração Familiar da UFC. “Lá pode fazer atendimento, dar cursos sobre orçamento, sobre como se proteger, sobre educação do consumidor”, dá a dica.

Helena também afirma que o orçamento e não é só contabilidade, mas um planejamento da vida financeira. “As pessoas precisam definir o que querem, quais os objetivos da vida. Se uma família vai tirar férias, ela tem que ter dinheiro. Compras fixas, orçamento no minimo manual e registro das despesas são necessários”, pontua.