Presidiário na universidade: UFC diz ainda não ter sido notificada


Presidiário na universidade: UFC diz ainda não ter sido notificada

A UFC afirmou que ainda não foi notificada sobre a decisão da Justiça em aceitar que um detento frequente as aulas

Por Jackson Cruz em Ceará

25 de setembro de 2012 às 18:33

Há 7 anos

UFC afirma que ainda não foi informada sobre decisão da Justiça. Foto: Divulgação

A Universidade Federal do Ceará (UFC) afirmou que ainda não foi notificada sobre a decisão da Justiça em aceitar que um detento frequente as aulas. A UFC ainda disse ter tomado conhecimento do caso por meio da imprensa.

A decisão de que Luiz Miguel Militão Guerreiro tem o direito de cursar Geografia, de acordo com a universidade, não foi informada à instituição, mesmo com o Ministério Público afirmando que já recorreu. “Considera-se, dessa forma, que por enquanto inexistem motivos para preocupação e medo, uma vez que o direito concedido àquele presidiário poderá não se materializar”, constatou por meio de nota.

“Caso, porém, se ratifique a autorização para o detento frequentar a Universidade, a Administração Superior da UFC se posicionará no sentido de evitar que esse direito traga qualquer perturbação para o ambiente acadêmico. Por todos os meios legais, se buscará impedir que a escolta, formada por 10 policiais militares, ingresse no campus”, declarou.

TJ define situação de detento

O Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE) decidiu, no dia 20 de setembro, que Luiz Miguel Militão, condenado por ter mandado matar seis empresários portugueses no ano de 2001, poderia frequentar as aulas da UFC.

Publicidade

Dê sua opinião

Presidiário na universidade: UFC diz ainda não ter sido notificada

A UFC afirmou que ainda não foi notificada sobre a decisão da Justiça em aceitar que um detento frequente as aulas

Por Jackson Cruz em Ceará

25 de setembro de 2012 às 18:33

Há 7 anos

UFC afirma que ainda não foi informada sobre decisão da Justiça. Foto: Divulgação

A Universidade Federal do Ceará (UFC) afirmou que ainda não foi notificada sobre a decisão da Justiça em aceitar que um detento frequente as aulas. A UFC ainda disse ter tomado conhecimento do caso por meio da imprensa.

A decisão de que Luiz Miguel Militão Guerreiro tem o direito de cursar Geografia, de acordo com a universidade, não foi informada à instituição, mesmo com o Ministério Público afirmando que já recorreu. “Considera-se, dessa forma, que por enquanto inexistem motivos para preocupação e medo, uma vez que o direito concedido àquele presidiário poderá não se materializar”, constatou por meio de nota.

“Caso, porém, se ratifique a autorização para o detento frequentar a Universidade, a Administração Superior da UFC se posicionará no sentido de evitar que esse direito traga qualquer perturbação para o ambiente acadêmico. Por todos os meios legais, se buscará impedir que a escolta, formada por 10 policiais militares, ingresse no campus”, declarou.

TJ define situação de detento

O Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE) decidiu, no dia 20 de setembro, que Luiz Miguel Militão, condenado por ter mandado matar seis empresários portugueses no ano de 2001, poderia frequentar as aulas da UFC.