Papoca, menino: banda de forró lança música inspirada em vídeo de atirador


Papoca, menino: banda de forró lança música inspirada em vídeo de atirador

Inspirada no caso do jovem que divulgou um vídeo no Facebook, a canção retrata falas do atirador

Por Hayanne Narlla em Ceará

6 de fevereiro de 2014 às 14:52

Há 5 anos
Solteirões do Forró lança música inspirada em polêmica de jovem que atirou em via pública (FOTO: Solteirões do Forró/ Divulgação0

Solteirões do Forró lança música inspirada em polêmica de jovem que atirou em via pública (FOTO: Solteirões do Forró/ Divulgação0

Tô doido, tô doido, tô doido, tô doido. Papoca, menino. Papoca, menino. Papoca! Tô doido, eu vou pra cima agora. Só num sei de quem, bora simbora! Pra onde?“. Com o título de “Papoca Menino”, essa é letra da nova música da banda Solteirões do Forró, que é uma aposta de sucesso.

De autoria do grupo Kbra da Peste, a música foi regravada por Solteirões do Forró e teve a procura de mais nove bandas, com interesse de produzi-la. Inspirada no caso do jovem que divulgou um vídeo no Facebook em que efetuava disparos em via pública e até chegou a ser preso em Fortaleza, a canção retrata apenas as falas do protagonista durante a gravação.

“Queria deixar bem claro, que a música que a gente está tocando, que nos compomos, não faz nenhuma apologia ao crime. Nem queremos julgar o que o rapaz fez. A nossa intenção como um bom cearense é de levar a felicidade e levar a alegria. Letra feita para o carnaval”, esclarece Jonathan, cantor e empresário do grupo.

Análise

“Se for uma referência ao fato do vídeo, é uma referência pobre, de mau gosto, sem nexo algum, mas cuja proposta de referência já se configura uma aberração”, opina Tadeu Feitosa, professor de cultura e mídia da Universidade Federal do Ceará (UFC). Para ele, a música é baseada em um refrão pobre e sem nexo.

“Diferentemente de outras expressões artísticas, como o cordel, que se vale de acontecimentos do cotidiano para, criativa e artisticamente se manifestarem em rimas, narrando, opinando, criticando, etc, o que se vê nesta música é uma aberração sonora, sem conteúdo e se apegando apenas à magia dos próprios sons e a nada mais. É uma batida boba, chata, repetida sem criatividade alguma e com refrão tolo, para não dizer coisa pior”, avalia.

> LEIA MAIS

Antibaixaria

Com a finalidade de punir de algum jeito músicas com letras que desvalorizem e discriminem mulheres, homossexuais, negros ou que incentivem a violência, a Câmara de Fortaleza aprovou a Lei Antibaixaria. Dessa forma, o Município é proibido de contratar, com recursos públicos, artistas com esse tipo de repertório. Caso algum cidadão sinta-se constrangido com o teor de alguma música em festas realizadas pelo poder público, deve denunciar o fato.

Confira o vídeo da TV Jangadeiro:
[uol video=”http://mais.uol.com.br/view/14852654″]

Publicidade

Dê sua opinião

Papoca, menino: banda de forró lança música inspirada em vídeo de atirador

Inspirada no caso do jovem que divulgou um vídeo no Facebook, a canção retrata falas do atirador

Por Hayanne Narlla em Ceará

6 de fevereiro de 2014 às 14:52

Há 5 anos
Solteirões do Forró lança música inspirada em polêmica de jovem que atirou em via pública (FOTO: Solteirões do Forró/ Divulgação0

Solteirões do Forró lança música inspirada em polêmica de jovem que atirou em via pública (FOTO: Solteirões do Forró/ Divulgação0

Tô doido, tô doido, tô doido, tô doido. Papoca, menino. Papoca, menino. Papoca! Tô doido, eu vou pra cima agora. Só num sei de quem, bora simbora! Pra onde?“. Com o título de “Papoca Menino”, essa é letra da nova música da banda Solteirões do Forró, que é uma aposta de sucesso.

De autoria do grupo Kbra da Peste, a música foi regravada por Solteirões do Forró e teve a procura de mais nove bandas, com interesse de produzi-la. Inspirada no caso do jovem que divulgou um vídeo no Facebook em que efetuava disparos em via pública e até chegou a ser preso em Fortaleza, a canção retrata apenas as falas do protagonista durante a gravação.

“Queria deixar bem claro, que a música que a gente está tocando, que nos compomos, não faz nenhuma apologia ao crime. Nem queremos julgar o que o rapaz fez. A nossa intenção como um bom cearense é de levar a felicidade e levar a alegria. Letra feita para o carnaval”, esclarece Jonathan, cantor e empresário do grupo.

Análise

“Se for uma referência ao fato do vídeo, é uma referência pobre, de mau gosto, sem nexo algum, mas cuja proposta de referência já se configura uma aberração”, opina Tadeu Feitosa, professor de cultura e mídia da Universidade Federal do Ceará (UFC). Para ele, a música é baseada em um refrão pobre e sem nexo.

“Diferentemente de outras expressões artísticas, como o cordel, que se vale de acontecimentos do cotidiano para, criativa e artisticamente se manifestarem em rimas, narrando, opinando, criticando, etc, o que se vê nesta música é uma aberração sonora, sem conteúdo e se apegando apenas à magia dos próprios sons e a nada mais. É uma batida boba, chata, repetida sem criatividade alguma e com refrão tolo, para não dizer coisa pior”, avalia.

> LEIA MAIS

Antibaixaria

Com a finalidade de punir de algum jeito músicas com letras que desvalorizem e discriminem mulheres, homossexuais, negros ou que incentivem a violência, a Câmara de Fortaleza aprovou a Lei Antibaixaria. Dessa forma, o Município é proibido de contratar, com recursos públicos, artistas com esse tipo de repertório. Caso algum cidadão sinta-se constrangido com o teor de alguma música em festas realizadas pelo poder público, deve denunciar o fato.

Confira o vídeo da TV Jangadeiro:
[uol video=”http://mais.uol.com.br/view/14852654″]