Nordeste conta com 27% dos usuários de cocaína no Brasil


Nordeste conta com 27% dos usuários de cocaína no Brasil

O Brasil é o maior mercado mundial do crack e o segundo de cocaína, segundo uma pesquisa realizada pelo Inpad

Por Jackson Cruz em Ceará

6 de setembro de 2012 às 16:28

Há 7 anos

O Brasil é o maior mercado mundial do crack e o segundo de cocaína, segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Nacional de Pesquisa de Políticas Públicas do Álcool e Outras Drogas (Inpad) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

No Nordeste, foram ouvidas 1.262 pessoas com mais de 14 anos. Somente no Ceará, foram 216 entrevistados. Ao todo, o estudo conhecido como Levantamento nacional de álcool e drogas (Lenad) ouviu 4.600 pessoas em 149 municípios do país.

De acordo com o Lenad, em 2011, a distribuição de usuários de cocaína, crack e oxi por região registraram que o Nordeste apresentou a taxa de 0,8 milhões de consumidores. O número é o segundo maior do país, perdendo somente para o Sudeste, com 1,4 milhões de usuários.

Dados

Os resultados do Lenad, apontam que a cocaína, o crack ou oxi já foram consumidos pelo menos uma vez por 2,6 milhões de brasileiros, representando 1,4% dos adultos. Os adolescentes que já experimentaram esse tipo de droga foram 150 mil, o equivalente a 1%.

A pesquisa também comparou o consumo de cocaína nas regiões brasileiras em 2011. O Nordeste apresenta a segunda maior taxa novamente, com 27% dos usuários do Brasil. Já o Sudeste está concentrado o maior número de usuários: 46%.

consumo de crack e cocaina no Brasil e no mundo

Brasil fica atrás somente dos EUA no consumo de crack (ARTE: Luana Araújo)

Apreensões de drogas

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS), somente no mês de julho, foram apreendidos 217,5 kg de cocaína no território cearense. Além de Fortaleza, que concentrou cerca de 22 kg, os municípios com maior quantidade apreendida foram: Acopiara, com 187 kg; Caucaia, com 5 kg; e Crato, com 2 kg.

Já a quantidade de crack apreendida no Ceará, somente no mês de julho, foi de 7 kg. Fortaleza apresentou um total de 2,8 kg de crack encontrados. Os outros municípios que aparecem no ranking com taxas mais altas foram: Crato, com 2 kg; Caucaia e Itaitinga, ambos com 0,5 kg.

Publicidade

Dê sua opinião

Nordeste conta com 27% dos usuários de cocaína no Brasil

O Brasil é o maior mercado mundial do crack e o segundo de cocaína, segundo uma pesquisa realizada pelo Inpad

Por Jackson Cruz em Ceará

6 de setembro de 2012 às 16:28

Há 7 anos

O Brasil é o maior mercado mundial do crack e o segundo de cocaína, segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Nacional de Pesquisa de Políticas Públicas do Álcool e Outras Drogas (Inpad) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

No Nordeste, foram ouvidas 1.262 pessoas com mais de 14 anos. Somente no Ceará, foram 216 entrevistados. Ao todo, o estudo conhecido como Levantamento nacional de álcool e drogas (Lenad) ouviu 4.600 pessoas em 149 municípios do país.

De acordo com o Lenad, em 2011, a distribuição de usuários de cocaína, crack e oxi por região registraram que o Nordeste apresentou a taxa de 0,8 milhões de consumidores. O número é o segundo maior do país, perdendo somente para o Sudeste, com 1,4 milhões de usuários.

Dados

Os resultados do Lenad, apontam que a cocaína, o crack ou oxi já foram consumidos pelo menos uma vez por 2,6 milhões de brasileiros, representando 1,4% dos adultos. Os adolescentes que já experimentaram esse tipo de droga foram 150 mil, o equivalente a 1%.

A pesquisa também comparou o consumo de cocaína nas regiões brasileiras em 2011. O Nordeste apresenta a segunda maior taxa novamente, com 27% dos usuários do Brasil. Já o Sudeste está concentrado o maior número de usuários: 46%.

consumo de crack e cocaina no Brasil e no mundo

Brasil fica atrás somente dos EUA no consumo de crack (ARTE: Luana Araújo)

Apreensões de drogas

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS), somente no mês de julho, foram apreendidos 217,5 kg de cocaína no território cearense. Além de Fortaleza, que concentrou cerca de 22 kg, os municípios com maior quantidade apreendida foram: Acopiara, com 187 kg; Caucaia, com 5 kg; e Crato, com 2 kg.

Já a quantidade de crack apreendida no Ceará, somente no mês de julho, foi de 7 kg. Fortaleza apresentou um total de 2,8 kg de crack encontrados. Os outros municípios que aparecem no ranking com taxas mais altas foram: Crato, com 2 kg; Caucaia e Itaitinga, ambos com 0,5 kg.