Mortes por afogamentos no interior do Ceará sobem 300% em 2019

RIOS E AÇUDES

Mortes por afogamentos no interior do Ceará sobem 300% em 2019

Uma das causas desse aumento é o período chuvoso em cidades do interior do Ceará, que faz com que as águas de rios e açudes aumentem

Por Tribuna do Ceará em Ceará

15 de abril de 2019 às 19:10

Há 1 mês
Em 2019, o Corpo de Bombeiros registrou 20 ocorrências de afogamentos fatais em rios e açudes (FOTO: Reprodução/ TV Jangadeiro)

Em 2019, o Corpo de Bombeiros registrou 20 ocorrências de afogamentos fatais em rios e açudes (FOTO: Reprodução / TV Jangadeiro)

Nos três primeiros meses de 2019, o Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (CBMCE) registrou 20 ocorrências de afogamentos fatais em rios e açudes em todo o estado. O número supera em 300% o registrado no mesmo período do ano passado.

A alta diferença nos valores evidência a importância de tomar precauções extras quando o assunto é tomar banho em água doce. Segundo o coronel Luís Eduardo Soares de Holanda, comandante-geral do CBMCE, o aumento das águas de rios e açudes passam a se tornar atrativos para a população.

“Temos tipo um período chuvoso com precipitações acima da média e isso tem causado um aumento expressivo no nível de rios e açudes, que passam a se tornar atrativos para o lazer como não acontecia há muitos anos”.

Os mananciais de água doce, porém, oferece riscos ainda mais altos do que mares e piscinas. Alguns fatores para diferença são a águas turvas, profundidade variável e correntezas. O primeiro-tenente Rodrigo Carneiro Monteiro, da 1º Companhia de Salvamento Marítimo do Batalhão de Busca e Salvamento, explica que três em cada quatro afogamentos fatais acontecem em rios e represas. “Aqui no Ceará nós ainda estamos acima da média nacional em número de afogamentos”.

Orientações

Jamais tente entrar na água se não tiver o hábito de nadar ou se tiver ingerido qualquer quantidade de bebida alcoólica.

Mesmo que você atenda as condições acima, o ideal é só entrar na água onde existam guarda-vidas por perto.

Nunca tente atravessar a nado rios nem açudes. A baixa flutuabilidade da água doce torna a tarefa exaustiva até para nadadores frequentes.

Crianças jamais devem tomar banho desacompanhadas de um adulto habilitado a nadar.

Publicidade

Dê sua opinião

RIOS E AÇUDES

Mortes por afogamentos no interior do Ceará sobem 300% em 2019

Uma das causas desse aumento é o período chuvoso em cidades do interior do Ceará, que faz com que as águas de rios e açudes aumentem

Por Tribuna do Ceará em Ceará

15 de abril de 2019 às 19:10

Há 1 mês
Em 2019, o Corpo de Bombeiros registrou 20 ocorrências de afogamentos fatais em rios e açudes (FOTO: Reprodução/ TV Jangadeiro)

Em 2019, o Corpo de Bombeiros registrou 20 ocorrências de afogamentos fatais em rios e açudes (FOTO: Reprodução / TV Jangadeiro)

Nos três primeiros meses de 2019, o Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (CBMCE) registrou 20 ocorrências de afogamentos fatais em rios e açudes em todo o estado. O número supera em 300% o registrado no mesmo período do ano passado.

A alta diferença nos valores evidência a importância de tomar precauções extras quando o assunto é tomar banho em água doce. Segundo o coronel Luís Eduardo Soares de Holanda, comandante-geral do CBMCE, o aumento das águas de rios e açudes passam a se tornar atrativos para a população.

“Temos tipo um período chuvoso com precipitações acima da média e isso tem causado um aumento expressivo no nível de rios e açudes, que passam a se tornar atrativos para o lazer como não acontecia há muitos anos”.

Os mananciais de água doce, porém, oferece riscos ainda mais altos do que mares e piscinas. Alguns fatores para diferença são a águas turvas, profundidade variável e correntezas. O primeiro-tenente Rodrigo Carneiro Monteiro, da 1º Companhia de Salvamento Marítimo do Batalhão de Busca e Salvamento, explica que três em cada quatro afogamentos fatais acontecem em rios e represas. “Aqui no Ceará nós ainda estamos acima da média nacional em número de afogamentos”.

Orientações

Jamais tente entrar na água se não tiver o hábito de nadar ou se tiver ingerido qualquer quantidade de bebida alcoólica.

Mesmo que você atenda as condições acima, o ideal é só entrar na água onde existam guarda-vidas por perto.

Nunca tente atravessar a nado rios nem açudes. A baixa flutuabilidade da água doce torna a tarefa exaustiva até para nadadores frequentes.

Crianças jamais devem tomar banho desacompanhadas de um adulto habilitado a nadar.