Justiça do Ceará determina transferência 35 presos da Cadeia de Tauá


Justiça do Ceará determina transferência 35 presos da Cadeia de Tauá

A medida atende à determinação do CNJ que, após visita à unidade, constatou a superlotação do estabelecimento

Por Tribuna do Ceará em Ceará

18 de setembro de 2013 às 19:43

Há 6 anos

O juiz Luciano Nunes Maia Freira, respondendo pela 1ª Vara da Comarca de Tauá, determinou a transferência de 35 internos da Cadeia Pública do município para a Penitenciária Industrial Regional do Cariri (PIRC), em Juazeiro do Norte, distante 535 quilômetros de Fortaleza.

A medida atende à determinação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que, após visita à unidade, constatou a superlotação do estabelecimento prisional e requereu a imediata transferência de detentos para outra unidade prisional.

A Cadeia Pública de Tauá, distante 410 quilômetros da capital, abriga atualmente 121 presos. A capacidade máxima do local, no entanto, é para 60 internos. O magistrado levou em consideração ainda as condições de insalubridade, as precárias instalações, bem como a falta de efetivo policial.

A determinação também considera os relatos de indisciplina como os principais problemas do estabelecimento, que colocam em risco a integridade física e as vidas dos internos, agentes penitenciários e policiais.

Publicidade

Dê sua opinião

Justiça do Ceará determina transferência 35 presos da Cadeia de Tauá

A medida atende à determinação do CNJ que, após visita à unidade, constatou a superlotação do estabelecimento

Por Tribuna do Ceará em Ceará

18 de setembro de 2013 às 19:43

Há 6 anos

O juiz Luciano Nunes Maia Freira, respondendo pela 1ª Vara da Comarca de Tauá, determinou a transferência de 35 internos da Cadeia Pública do município para a Penitenciária Industrial Regional do Cariri (PIRC), em Juazeiro do Norte, distante 535 quilômetros de Fortaleza.

A medida atende à determinação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que, após visita à unidade, constatou a superlotação do estabelecimento prisional e requereu a imediata transferência de detentos para outra unidade prisional.

A Cadeia Pública de Tauá, distante 410 quilômetros da capital, abriga atualmente 121 presos. A capacidade máxima do local, no entanto, é para 60 internos. O magistrado levou em consideração ainda as condições de insalubridade, as precárias instalações, bem como a falta de efetivo policial.

A determinação também considera os relatos de indisciplina como os principais problemas do estabelecimento, que colocam em risco a integridade física e as vidas dos internos, agentes penitenciários e policiais.