Greve da Chesf aumenta risco de problemas


Manutenção da rede elétrica pode ser prejudicada com greve de funcionários da Chesf

Trabalhadores reivindicam melhorias no Plano de Cargos e Remuneração, abono salarial, ganho real de 3% e renovação do Acordo Coletivo de Trabalho para atuais e futuros empregados

Por Jackson Pereira em Ceará

16 de julho de 2013 às 16:00

Há 6 anos
Serviços de manutenção da rede podem ser prejudicados (Foto: google maps)

Serviços de manutenção da rede podem ser prejudicados (FOTO: Google Mpas)

Os funcionários da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) entraram em greve nesta terça-feira (16) por tem indeterminado. A paralisação se estende por todo o Nordeste. O movimento nacional integra outras empresas de energia brasileiras. No Ceará a empresa possui 380 funcionários, em todo o Nordeste são 5,8 mil.

O presidente do Sindicato dos Eletricitários do Ceará (Sindeletro), Fernando Avelino, afirmou ao portal Tribuna do Ceará que todas as áreas da empresa tem funcionários que aderiram a greve, mas que o serviço ao público não deve ser prejudicado, apesar do aumento de risco de problemas na distribuição do serviço. “A intenção não é prejudicar o consumidor final, mas a manutenção preventiva não está sendo realizada, o que aumenta o risco de problemas”.

Os trabalhadores reivindicam melhorias no Plano de Cargos e Remuneração, abono salarial, ganho real de 3% e renovação do Acordo Coletivo de Trabalho para atuais e futuros empregados. Os empregados continuam com as atividades paralisadas por tempo indeterminado e esperam posicionamento da Chesf e do Governo Federal.

Publicidade

Dê sua opinião

Manutenção da rede elétrica pode ser prejudicada com greve de funcionários da Chesf

Trabalhadores reivindicam melhorias no Plano de Cargos e Remuneração, abono salarial, ganho real de 3% e renovação do Acordo Coletivo de Trabalho para atuais e futuros empregados

Por Jackson Pereira em Ceará

16 de julho de 2013 às 16:00

Há 6 anos
Serviços de manutenção da rede podem ser prejudicados (Foto: google maps)

Serviços de manutenção da rede podem ser prejudicados (FOTO: Google Mpas)

Os funcionários da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) entraram em greve nesta terça-feira (16) por tem indeterminado. A paralisação se estende por todo o Nordeste. O movimento nacional integra outras empresas de energia brasileiras. No Ceará a empresa possui 380 funcionários, em todo o Nordeste são 5,8 mil.

O presidente do Sindicato dos Eletricitários do Ceará (Sindeletro), Fernando Avelino, afirmou ao portal Tribuna do Ceará que todas as áreas da empresa tem funcionários que aderiram a greve, mas que o serviço ao público não deve ser prejudicado, apesar do aumento de risco de problemas na distribuição do serviço. “A intenção não é prejudicar o consumidor final, mas a manutenção preventiva não está sendo realizada, o que aumenta o risco de problemas”.

Os trabalhadores reivindicam melhorias no Plano de Cargos e Remuneração, abono salarial, ganho real de 3% e renovação do Acordo Coletivo de Trabalho para atuais e futuros empregados. Os empregados continuam com as atividades paralisadas por tempo indeterminado e esperam posicionamento da Chesf e do Governo Federal.