Ciência sem Fronteiras: mais de 1,5 mil estudantes do Ceará já foram beneficiados com bolsas de estudo


Ciência sem Fronteiras: mais de 1,5 mil estudantes do Ceará já foram beneficiados com bolsas de estudo

Universidade Federal do Ceará foi a 9ª instituição que mais recebeu bolsas, com 998 alunos contemplados

Por Roberta Tavares em Ceará

14 de agosto de 2013 às 08:11

Há 6 anos

O Programa Ciência sem Fronteiras concedeu 1.578 bolsas em graduação, doutorado-sanduíche, pós-doutorado, doutorado pleno e bolsa Jovens Talentos e Pesquisador Visitante, desde julho de 2011, quando foi lançado.

O balanço foi divulgado nesta terça-feira (13) pelo Ministério da Educação (MEC). Com o número, o Ceará ocupa a 9ª posição dentre os estados brasileiros. São Paulo (9.132), Minas Gerais (7.391) e Rio de Janeiro (3.922) são os principais estados de origem.

Em todo o Brasil, foram concedidas 43.609 bolsas de estudo (FOTO: Instituto Federal de Goiás)

Em todo o Brasil, foram concedidas 43.609 bolsas de estudo (FOTO: Instituto Federal de Goiás)

Em todo o Brasil, foram concedidas 43.609 bolsas de estudo. A meta do programa é oferecer, em quatro anos, 101 mil bolsas. Dessas, 26 mil são financiadas pela iniciativa privada.

Universidades

A Universidade Federal do Ceará (UFC) é a 9ª instituição que mais recebeu bolsas do Programa Ciência sem Fronteiras, com 998 estudantes beneficiados. A Universidade de São Paulo (2.444), Universidade Federal de Minas Gerais (1.630) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (1.403) foram as instituições mais contempladas.

Países

O país com o maior número de bolsistas é os Estados Unidos, com 9.788. Em seguida, está a França, com 4.725; e o Canadá, com 4.428. Portugal, cujas bolsas foram suspensas no começo do ano e a procura era superior à dos demais países, está em sexto lugar, com 3.103 bolsas.

Ciência sem Fronteiras

Um dos objetivos é que os estudantes aprendam uma segunda língua. Para que possam participar dos editais, que exigem proficiência em inglês, o MEC lançou o Programa Inglês sem Fronteiras, que oferece aulas online e presenciais, além da aplicação de testes para verificar o nível de inglês dos universitários brasileiros.

De acordo com o MEC, são 453.804 alunos cadastrados no módulo online. Foram enviadas 395.647 senhas. Estão ativos 348.988 alunos. A meta é entregar 2 milhões de senhas até 2014. No módulo presencial, são atendidos mais de 20 mil alunos.

O Ciência sem Fronteiras visa a promover a mobilidade internacional de alunos e pesquisadores e incentivar a visita de jovens pesquisadores qualificados e professores experientes ao Brasil. As áreas prioritárias são: ciências exatas (matemática e química), engenharias, tecnologias e ciências da saúde. O programa mantém parcerias em 35 países.

Publicidade

Dê sua opinião

Ciência sem Fronteiras: mais de 1,5 mil estudantes do Ceará já foram beneficiados com bolsas de estudo

Universidade Federal do Ceará foi a 9ª instituição que mais recebeu bolsas, com 998 alunos contemplados

Por Roberta Tavares em Ceará

14 de agosto de 2013 às 08:11

Há 6 anos

O Programa Ciência sem Fronteiras concedeu 1.578 bolsas em graduação, doutorado-sanduíche, pós-doutorado, doutorado pleno e bolsa Jovens Talentos e Pesquisador Visitante, desde julho de 2011, quando foi lançado.

O balanço foi divulgado nesta terça-feira (13) pelo Ministério da Educação (MEC). Com o número, o Ceará ocupa a 9ª posição dentre os estados brasileiros. São Paulo (9.132), Minas Gerais (7.391) e Rio de Janeiro (3.922) são os principais estados de origem.

Em todo o Brasil, foram concedidas 43.609 bolsas de estudo (FOTO: Instituto Federal de Goiás)

Em todo o Brasil, foram concedidas 43.609 bolsas de estudo (FOTO: Instituto Federal de Goiás)

Em todo o Brasil, foram concedidas 43.609 bolsas de estudo. A meta do programa é oferecer, em quatro anos, 101 mil bolsas. Dessas, 26 mil são financiadas pela iniciativa privada.

Universidades

A Universidade Federal do Ceará (UFC) é a 9ª instituição que mais recebeu bolsas do Programa Ciência sem Fronteiras, com 998 estudantes beneficiados. A Universidade de São Paulo (2.444), Universidade Federal de Minas Gerais (1.630) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (1.403) foram as instituições mais contempladas.

Países

O país com o maior número de bolsistas é os Estados Unidos, com 9.788. Em seguida, está a França, com 4.725; e o Canadá, com 4.428. Portugal, cujas bolsas foram suspensas no começo do ano e a procura era superior à dos demais países, está em sexto lugar, com 3.103 bolsas.

Ciência sem Fronteiras

Um dos objetivos é que os estudantes aprendam uma segunda língua. Para que possam participar dos editais, que exigem proficiência em inglês, o MEC lançou o Programa Inglês sem Fronteiras, que oferece aulas online e presenciais, além da aplicação de testes para verificar o nível de inglês dos universitários brasileiros.

De acordo com o MEC, são 453.804 alunos cadastrados no módulo online. Foram enviadas 395.647 senhas. Estão ativos 348.988 alunos. A meta é entregar 2 milhões de senhas até 2014. No módulo presencial, são atendidos mais de 20 mil alunos.

O Ciência sem Fronteiras visa a promover a mobilidade internacional de alunos e pesquisadores e incentivar a visita de jovens pesquisadores qualificados e professores experientes ao Brasil. As áreas prioritárias são: ciências exatas (matemática e química), engenharias, tecnologias e ciências da saúde. O programa mantém parcerias em 35 países.