Chegada da chuva põe em risco cerca de 70 mil famílias no Ceará


Chegada da chuva põe em risco cerca de 70 mil famílias no Ceará

Somente em Fortaleza, são 99 áreas de risco e 1.035 famílias morando nesses locais

Por Rodrigo Cavalcante em Ceará

23 de janeiro de 2013 às 14:30

Há 6 anos
O Ceará pode registrar mais uma temporada de chuvas, causando efeitos positivos, mas também negativos, como alagamentos, deslizamentos e enchentes.

Em casos graves, é importante entrar em contato com a Defesa Civil (Foto: Divulgação)

Escasso ou não, um novo período de chuvas se aproxima no Ceará. As primeiras precipitações já são registradas neste mês de janeiro. Apesar de combater a seca, a chuva também pode causar danos.

De acordo com a Defesa Civil do Ceará, o estado tem 469 áreas de risco e 69.496 famílias residindo nesses locais. Os dados já são de 2013.

Segundo o gerente do Núcleo de Minimização de Desastres, tenente Aloísio Freitas, as medidas em relação aos desastres e aos danos à população devem ser tomadas por cada município. “A Defesa Civil identifica as áreas e vê quais órgãos podem minimizar esses riscos”, explica.

Áreas de risco em Fortaleza

Somente em Fortaleza, são 99 áreas de risco e 1.035 famílias morando nesses locais. Segundo a coordenadora de Assistência Social da Fundação de Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza (Habitafor), Andrea Cialdini, o Comitê da Quadra Chuvosa (integrado pela Habitafor, Defesa Civil e regionais) se prepara para garantir a execução dos trabalhos nos períodos chuvosos. “Vamos nos reunir na terça-feira, dia 29, para estabelecermos as ações necessárias a fim de retirar as famílias das áreas de risco”.

No momento, 496 famílias estão recebendo ‘aluguel social’ na capital. “A nossa ação nesta semana é verificar se todos da lista estão aptos a receber o benefício, para que na quadra chuvosa a gente possa incluir mais pessoas no programa”. O “aluguel social” é destinado aos moradores que perderam as moradias ou estão em áreas de risco iminente. Com uma a ajuda de até R$ 350 da prefeitura, as famílias desabrigadas podem pagar o aluguel de uma nova casa.

O que fazer?

Os desastres mais recorrentes são as enchentes e alagamentos tanto em Fortaleza quando nos municípios do interior. Caso as comunidades se sentam prejudicadas por enchentes ou deslizamentos, por exemplo, podem procurar as secretarias regionais com objetivo de acessar o orçamento participativo, elegendo um representante. Em casos graves, também é importante entrar em contato com a Defesa Civil, ligando para o 190.

Danos nas estradas

Em relação às rodovias estaduais do Ceará, o Departamento Estadual de Rodovias (DER) também realiza ações preventivas e estratégias para eventuais danos causados pelas chuvas nas estradas cearenses.

De acordo com o diretor de manutenção rodoviária do DER, Sylvio Egydio, as equipes estão fazendo a limpeza da drenagem superficial, a desobstrução dos bueiros, o trabalho de tapa buraco, a liberação das saídas d’águas e o roço mecanizado; além da recomposição de sarjetas e banquetas, remoção manual e mecanizada de barreiras.

Publicidade

Dê sua opinião

Chegada da chuva põe em risco cerca de 70 mil famílias no Ceará

Somente em Fortaleza, são 99 áreas de risco e 1.035 famílias morando nesses locais

Por Rodrigo Cavalcante em Ceará

23 de janeiro de 2013 às 14:30

Há 6 anos
O Ceará pode registrar mais uma temporada de chuvas, causando efeitos positivos, mas também negativos, como alagamentos, deslizamentos e enchentes.

Em casos graves, é importante entrar em contato com a Defesa Civil (Foto: Divulgação)

Escasso ou não, um novo período de chuvas se aproxima no Ceará. As primeiras precipitações já são registradas neste mês de janeiro. Apesar de combater a seca, a chuva também pode causar danos.

De acordo com a Defesa Civil do Ceará, o estado tem 469 áreas de risco e 69.496 famílias residindo nesses locais. Os dados já são de 2013.

Segundo o gerente do Núcleo de Minimização de Desastres, tenente Aloísio Freitas, as medidas em relação aos desastres e aos danos à população devem ser tomadas por cada município. “A Defesa Civil identifica as áreas e vê quais órgãos podem minimizar esses riscos”, explica.

Áreas de risco em Fortaleza

Somente em Fortaleza, são 99 áreas de risco e 1.035 famílias morando nesses locais. Segundo a coordenadora de Assistência Social da Fundação de Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza (Habitafor), Andrea Cialdini, o Comitê da Quadra Chuvosa (integrado pela Habitafor, Defesa Civil e regionais) se prepara para garantir a execução dos trabalhos nos períodos chuvosos. “Vamos nos reunir na terça-feira, dia 29, para estabelecermos as ações necessárias a fim de retirar as famílias das áreas de risco”.

No momento, 496 famílias estão recebendo ‘aluguel social’ na capital. “A nossa ação nesta semana é verificar se todos da lista estão aptos a receber o benefício, para que na quadra chuvosa a gente possa incluir mais pessoas no programa”. O “aluguel social” é destinado aos moradores que perderam as moradias ou estão em áreas de risco iminente. Com uma a ajuda de até R$ 350 da prefeitura, as famílias desabrigadas podem pagar o aluguel de uma nova casa.

O que fazer?

Os desastres mais recorrentes são as enchentes e alagamentos tanto em Fortaleza quando nos municípios do interior. Caso as comunidades se sentam prejudicadas por enchentes ou deslizamentos, por exemplo, podem procurar as secretarias regionais com objetivo de acessar o orçamento participativo, elegendo um representante. Em casos graves, também é importante entrar em contato com a Defesa Civil, ligando para o 190.

Danos nas estradas

Em relação às rodovias estaduais do Ceará, o Departamento Estadual de Rodovias (DER) também realiza ações preventivas e estratégias para eventuais danos causados pelas chuvas nas estradas cearenses.

De acordo com o diretor de manutenção rodoviária do DER, Sylvio Egydio, as equipes estão fazendo a limpeza da drenagem superficial, a desobstrução dos bueiros, o trabalho de tapa buraco, a liberação das saídas d’águas e o roço mecanizado; além da recomposição de sarjetas e banquetas, remoção manual e mecanizada de barreiras.