Ceará tem índice de aprovação de apenas 28% no exame da OAB


Ceará tem índice de aprovação de apenas 28% no exame da OAB

“Nós precisamos melhorar, e muito, o ensino jurídico”, afirma o presidente da OAB no Ceará, Valdetário Monteiro

Por Roberta Tavares em Ceará

30 de outubro de 2013 às 11:54

Há 6 anos

O Ceará teve índice de aprovação de 28% no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Os dados divulgados nesta terça-feira (29) são referentes ao X exame da Ordem realizado no primeiro semestre deste ano.

A lista traz a porcentagem de aprovação dos alunos de mais de 1.200 universidades, faculdades e centros universitários de todo o país. No Ceará, dos 2.983 inscritos, apenas 835 foram aprovados. O índice fica abaixo da média nacional, de 28,07%, que também é considerada baixa.

Maior aprovação

A Universidade Federal do Ceará (UFC) foi a instituição de ensino que teve maior índice de aprovação no estado. Dos 114 inscritos, 80 foram aprovados na segunda fase, representando 73,39%. Já a faculdade Christus (41,67%) e a Universidade Estadual do Vale do Acaraú (38,98%) ocupam o segundo e terceiro lugares da lista no Ceará, respectivamente.

De acordo com o diretor do curso de Direito da UFC, Cândido Albuquerque, a alta aprovação é decorrente da qualidade dos professores, alunos, e da estrutura da instituição. “Nossa aprovação sempre foi muito boa. O nosso ranking é nacional, afinal estamos entre os 10 melhores cursos do Brasil”, exalta.

Albuquerque comenta que a preparação para o exame é feita diariamente. “Diariamente e anualmente preparamos os alunos. Temos uma matriz curricular extremamente atualizada, com disciplinas como Direito do Petróleo, Biodireito e Direito Ambiental. Se o Ceará produz petróleo, precisamos estudar isso. Costumo dizer que a Faculdade de Direito é uma escola pública que deu certo“, afirma.

Qualidade do ensino

A Universidade Regional do Cariri (URCA), a Faculdade de Fortaleza (FAFOR) e a Universidade Estadual do Ceará (UECE) não registraram aprovações no exame.

De acordo com o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/CE), Valdetário Monteiro, o índice está em conformidade com a qualidade do ensino jurídico no país. “Nós precisamos melhorar, e muito, o ensino jurídico. Infelizmente temos um crescimento desenfreado na quantidade de cursos de Direito”, lamenta.

Segundo Monteiro, um levantamento realizado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) revela que o Brasil é o país que possui maior quantidade de estudantes de Direito. “Há 20 anos tínhamos apenas quatro cursos. Agora temos mais de 20”.

“É preciso capacitar esses mestres para abastecer o mercado. A preparação é essencial para que recuperemos a qualidade do ensino jurídico”, acrescenta.

Situação brasileira

De acordo com o Conselho Federal, 120.944 candidatos fizeram a primeira fase do exame e 33.954 foram aprovados na segunda fase no Brasil. Pela análise da OAB, a lista não revela surpresa, pois as instituições que mais aprovam são, em sua maioria, as mesmas que tiveram bom desempenho no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes, divulgada no início de outubro.

A taxa de aprovação do exame foi superior à da edição anterior, quando, dos 114.763 candidatos que prestaram a prova 11.820 foram aprovados, 10,3%. No início do ano, a OAB e o Ministério da Educação firmaram acordo para fazer novas regras para o ensino do Direito.

“Há uma convergência dos números do Enade com os do exame da Ordem”, afirmou Avelino, no comunicado no site da OAB. Marcus Vinícius reiterou que “as faculdades que não são bem avaliadas no Enade acabam também não tendo boa aprovação no exame da Ordem”.

O presidente da Comissão Nacional de Educação Jurídica da OAB, Eid Badr, lembrou, na nota, que o Conselho Federal da OAB trabalha junto com o Ministério da Educação em uma comissão “para estabelecer o novo marco regulatório do ensino jurídico no país”.

De acordo com a entidade, o resultado das instituições por área do direito deve sair até o fim do mês. Até o dia 31 também está prevista a divulgação da lista preliminar de bacharéis aprovados no XI exame da Ordem. A prova da segunda fase foi aplicada no último dia 6.

Próximo exame

A primeira fase do XII exame da OAB será realizada em dezembro deste ano. Podem se inscrever os estudantes do último ano do curso de graduação em Direito ou do 9º e 10º semestres. “Os alunos podem fazer quantas vezes quiserem. Não tem número de vagas, afinal o candidato concorre com ele próprio”, explica o presidente da OAB/CE. A aprovação garante ao candidato o direito de exercer a profissão de advogado.

Publicidade

Dê sua opinião

Ceará tem índice de aprovação de apenas 28% no exame da OAB

“Nós precisamos melhorar, e muito, o ensino jurídico”, afirma o presidente da OAB no Ceará, Valdetário Monteiro

Por Roberta Tavares em Ceará

30 de outubro de 2013 às 11:54

Há 6 anos

O Ceará teve índice de aprovação de 28% no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Os dados divulgados nesta terça-feira (29) são referentes ao X exame da Ordem realizado no primeiro semestre deste ano.

A lista traz a porcentagem de aprovação dos alunos de mais de 1.200 universidades, faculdades e centros universitários de todo o país. No Ceará, dos 2.983 inscritos, apenas 835 foram aprovados. O índice fica abaixo da média nacional, de 28,07%, que também é considerada baixa.

Maior aprovação

A Universidade Federal do Ceará (UFC) foi a instituição de ensino que teve maior índice de aprovação no estado. Dos 114 inscritos, 80 foram aprovados na segunda fase, representando 73,39%. Já a faculdade Christus (41,67%) e a Universidade Estadual do Vale do Acaraú (38,98%) ocupam o segundo e terceiro lugares da lista no Ceará, respectivamente.

De acordo com o diretor do curso de Direito da UFC, Cândido Albuquerque, a alta aprovação é decorrente da qualidade dos professores, alunos, e da estrutura da instituição. “Nossa aprovação sempre foi muito boa. O nosso ranking é nacional, afinal estamos entre os 10 melhores cursos do Brasil”, exalta.

Albuquerque comenta que a preparação para o exame é feita diariamente. “Diariamente e anualmente preparamos os alunos. Temos uma matriz curricular extremamente atualizada, com disciplinas como Direito do Petróleo, Biodireito e Direito Ambiental. Se o Ceará produz petróleo, precisamos estudar isso. Costumo dizer que a Faculdade de Direito é uma escola pública que deu certo“, afirma.

Qualidade do ensino

A Universidade Regional do Cariri (URCA), a Faculdade de Fortaleza (FAFOR) e a Universidade Estadual do Ceará (UECE) não registraram aprovações no exame.

De acordo com o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/CE), Valdetário Monteiro, o índice está em conformidade com a qualidade do ensino jurídico no país. “Nós precisamos melhorar, e muito, o ensino jurídico. Infelizmente temos um crescimento desenfreado na quantidade de cursos de Direito”, lamenta.

Segundo Monteiro, um levantamento realizado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) revela que o Brasil é o país que possui maior quantidade de estudantes de Direito. “Há 20 anos tínhamos apenas quatro cursos. Agora temos mais de 20”.

“É preciso capacitar esses mestres para abastecer o mercado. A preparação é essencial para que recuperemos a qualidade do ensino jurídico”, acrescenta.

Situação brasileira

De acordo com o Conselho Federal, 120.944 candidatos fizeram a primeira fase do exame e 33.954 foram aprovados na segunda fase no Brasil. Pela análise da OAB, a lista não revela surpresa, pois as instituições que mais aprovam são, em sua maioria, as mesmas que tiveram bom desempenho no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes, divulgada no início de outubro.

A taxa de aprovação do exame foi superior à da edição anterior, quando, dos 114.763 candidatos que prestaram a prova 11.820 foram aprovados, 10,3%. No início do ano, a OAB e o Ministério da Educação firmaram acordo para fazer novas regras para o ensino do Direito.

“Há uma convergência dos números do Enade com os do exame da Ordem”, afirmou Avelino, no comunicado no site da OAB. Marcus Vinícius reiterou que “as faculdades que não são bem avaliadas no Enade acabam também não tendo boa aprovação no exame da Ordem”.

O presidente da Comissão Nacional de Educação Jurídica da OAB, Eid Badr, lembrou, na nota, que o Conselho Federal da OAB trabalha junto com o Ministério da Educação em uma comissão “para estabelecer o novo marco regulatório do ensino jurídico no país”.

De acordo com a entidade, o resultado das instituições por área do direito deve sair até o fim do mês. Até o dia 31 também está prevista a divulgação da lista preliminar de bacharéis aprovados no XI exame da Ordem. A prova da segunda fase foi aplicada no último dia 6.

Próximo exame

A primeira fase do XII exame da OAB será realizada em dezembro deste ano. Podem se inscrever os estudantes do último ano do curso de graduação em Direito ou do 9º e 10º semestres. “Os alunos podem fazer quantas vezes quiserem. Não tem número de vagas, afinal o candidato concorre com ele próprio”, explica o presidente da OAB/CE. A aprovação garante ao candidato o direito de exercer a profissão de advogado.