Ceará adere ao programa "Crack, é possível vencer"


Ceará adere ao programa “Crack, é possível vencer”

O Estado do Ceará anunciou a adesão ao programa “Crack, é possível vencer”, na tarde desta terça-feira (31). Por meio de uma videoconferência, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, participou do evento, em que o vice-governador do Estado, Domingos Filho esteve à frente.

Por Jackson Cruz em Ceará

31 de julho de 2012 às 18:06

Há 7 anos

O Estado do Ceará anunciou a adesão ao programa “Crack, é possível vencer”, na tarde desta terça-feira (31). Por meio de uma videoconferência, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, participou do evento, em que o vice-governador do Estado, Domingos Filho esteve à frente.

Serão R$ 111,8 milhões destinados a uma estrutura que deve ser construída até o ano de 2014. A parceria será do Governo Federal com Prefeitura e Governo do Estado.

O Ceará é o 12º estado a assinar a adesão ao programa federal. Além dele, também fazem parte os estados de Pernambuco, Alagoas, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Acre, Santa Catarina, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Piauí e Paraná.

O programa

De acordo com o Governo Federal, o “Crack, é possível vencer” consiste numa ampliação e inovação do Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack. Os objetivos são aumentar a oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários, enfrentar o tráfico de drogas e as organizações criminosas e ampliar atividades de prevenção por meio da educação, informação e capacitação. Os eixos de atuação são cuidado (saúde), autoridade (segurança pública) e prevenção.

Outras medidas

No dia 24 de maio, o Ministério Público do Ceará (MPCE) lançou Comitê Estadual de Enfrentamento às Drogas. O projeto tem como base a experiência do estado de Pernambuco, com o “Pernambuco contra o crack”, que atua há cerca de um ano e já conta com 67,5% dos usuários que deixaram de consumir o crack.

Publicidade

Dê sua opinião

Ceará adere ao programa “Crack, é possível vencer”

O Estado do Ceará anunciou a adesão ao programa “Crack, é possível vencer”, na tarde desta terça-feira (31). Por meio de uma videoconferência, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, participou do evento, em que o vice-governador do Estado, Domingos Filho esteve à frente.

Por Jackson Cruz em Ceará

31 de julho de 2012 às 18:06

Há 7 anos

O Estado do Ceará anunciou a adesão ao programa “Crack, é possível vencer”, na tarde desta terça-feira (31). Por meio de uma videoconferência, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, participou do evento, em que o vice-governador do Estado, Domingos Filho esteve à frente.

Serão R$ 111,8 milhões destinados a uma estrutura que deve ser construída até o ano de 2014. A parceria será do Governo Federal com Prefeitura e Governo do Estado.

O Ceará é o 12º estado a assinar a adesão ao programa federal. Além dele, também fazem parte os estados de Pernambuco, Alagoas, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Acre, Santa Catarina, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Piauí e Paraná.

O programa

De acordo com o Governo Federal, o “Crack, é possível vencer” consiste numa ampliação e inovação do Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack. Os objetivos são aumentar a oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários, enfrentar o tráfico de drogas e as organizações criminosas e ampliar atividades de prevenção por meio da educação, informação e capacitação. Os eixos de atuação são cuidado (saúde), autoridade (segurança pública) e prevenção.

Outras medidas

No dia 24 de maio, o Ministério Público do Ceará (MPCE) lançou Comitê Estadual de Enfrentamento às Drogas. O projeto tem como base a experiência do estado de Pernambuco, com o “Pernambuco contra o crack”, que atua há cerca de um ano e já conta com 67,5% dos usuários que deixaram de consumir o crack.