Ferroviário

Fortaleza e Ferroviário empatam sem gols na Arena Castelão

Com um futebol pouco inspirado, as equipes de Ceni e Vilar não balançaram as redes

Edinho foi o mais acionado pelo lado leonino. (FOTO: Xandy Rodrigues)
Edinho foi o mais acionado pelo lado leonino. (FOTO: Xandy Rodrigues)

O Clássico das Cores terminou com um zero a zero fruto do futebol desbotado tanto de Fortaleza quanto de Ferroviário. O jogo disputado na noite desta quinta-feira (21), na Arena Castelão, marcou a abertura da quarta rodada da segunda fase do Campeonato Cearense. Os times agora somam sete pontos cada. Os jogadores deixaram o campo sob forte vaia.

Mais pressionado pelo resultado, o time leonino se atirou ao campo ofensivo. Esbarrou, porem, na forte marcação da equipe coral. Esse panorama predominou o terço inicial do primeiro tempo de jogo. O atacante Junior Santos desperdiçou, aos 13 minutos, a melhor chance nesse trecho da disputa.

Mas se a postura defensiva do Peixe se deu de forma efetiva, as tentativas de contra ataque eram escassas e sem muita consistência. A primeira jogada mais incisiva do Tubarão só aconteceu aos 21 minutos. E foi depois de uma saída errada do Leão. Felipe deixou Enercino roubar a bola, que acionou Cariús. O Artilheiro do campeonato arriscou para a defesa de Felipe Alves.

O Tricolor do Pici seguiu com mais posse de bola. Mas com pouca inspiração, começou a errar passes. Os 30 minutos foram marcados por uma cobrança de falta coral indeferida pela zaga leonina. Enercino tentou levantar na área, mas em vão.

O primeiro tempo terminou com as investidas do Fortaleza através do rápido Edinho. Time tentava explorar a velocidade do atacante pelos lados do campo. O último lance foi uma cobrança de escanteio batida pelo camisa sete.

O segundo tempo deu reinício ao duelo da mesma maneira como terminou o primeiro, com o Tricolor do Pici tomando a iniciativa ofensiva. O técnico Rogério Ceni colocou Dodô no jogo ainda no intervalo. O time ficou mais rápido ainda com a leveza do meia atacante.

Nada de novo se viu em campo até os quinze minutos. Insatisfeito, o treinador leonino acionou Marcinho. O comandante tiro o volante Gabriel Dias e apenas Felipe ficou na contenção. Vilar respondeu colocando Kall e Lucas Mendes no jogo para melhorar o fôlego da equipe coral.

Mesmo as novidades das peças não mudaram o futebol apresentado pelos dois times. Apenas o atacante Ederson teve uma oportunidade de abrir o placar antes de completar os trinta minutos.

Já perto do árbitro finalizar a partida, o lateral direito Tinga subiu ao ataque e quase resolveu ao finalizar e ainda conseguir um escanteio. Também com um tiro de canto veio a tentativa coral num arremate de Mazinho, mas defendido pelo arqueiro do Fortaleza. Já nos acréscimos, Edson Cariús perdeu a melhor chance do Ferroviário mas não acertou o alvo.

Fortaleza
Felipe Alves, Tinga, Quintero, Patrik, Bruno Melo, Felipe, Gabriel Dias, Marlon, Edinho, Ederson e Júnior Santos. Técnico: Rogério Ceni.
Ferroviário
Remerson, Gustavo, Luis Fernando, Da Silva, Fernandes, Leanderson, Mazinho, Janeudo, Enercino, Klenisson e Edson Cariús. Técnico: Marcelo Vilar.

Arbitragem
Árbitro: Wladyerisson Oliveira
Ass1: Mardônio Ribeiro
Ass2: Alden Christian
Quarto Árbitro: Joanilson Scarcella

Público e Renda
Público pagante: 11.388
Não pagante: 193
Público total: 11.581
Renda: R$ 50.768,00

Tags
Clássico das Cores Ferroviário Fortaleza