Com passagens por grandes clubes, ex-volante Cleison revela já ter sido vítima de racismo


Com passagens por grandes clubes, ex-volante Cleison revela já ter sido vítima de racismo

A exemplo do que aconteceu com o Tinga, o ex-volante Cleison, que passou por Ceará e Fortaleza, já foi vítima de racismo em um jogo de Libertadores

Por Caio Costa em Futebol

17 de fevereiro de 2014 às 16:46

Há 5 anos
Cleison demonstrou revolta com o preconceito sofrido por Tinga e revelou ter sido vítima de racismo no passado Foto: Reprodução/TV Jangadeiro

Cleison demonstrou revolta com o preconceito sofrido por Tinga e revelou ter sido vítima de racismo no passado Foto: Reprodução/TV Jangadeiro

Desde a última quarta-feira (12), o futebol brasileiro passou a mover uma verdadeira cruzada contra o racismo nos estádios. O estopim para isso foi a reação dos torcedores do Real Garcilasso, do Peru, em cima do meia Tinga, do Cruzeiro, em jogo válido pela Taça Libertadores da América.

Para ofender o jogador brasileiro, os torcedores peruanos emitiam sons, como imitando um macaco, em todo o momento em que o cruzeirense tocava na bola.

A ação causou uma verdadeira comoção nacional e desde então o atleta tem recebido várias mensagem de apoio, tanto na mídia, quanto nas redes social, como a hashtag #FechadoComOTinga.

O ex-volante de Ceará e Fortaleza, Cleison, falou em entrevista a rádio Tribuna Band News FM a sua raiva com o ocorrido: “fiquei muito chateado, para não dizer que revoltado com a situação”, disse.

>LEIA MAIS

Revelado pelo Cruzeiro e com passagens por grandes clubes do futebol brasileiro como Flamengo e Atlético-MG, o ex-jogador comentou que também já foi vítima de racismo em jogos de futebol. “Passei opor isso uns 15 anos atrás, em uma Libretadores, na Argentina”.

Cleison acredita que se medida enérgicas fossem tomadas contra o preconceito na época em que atuava profissionalmente, atualmente a situação poderia ser diferente. “Se tivesse punição, se pessoas tivessem sido presas, hoje não teria isso”, comentou.

Amizade com Tinga

Cleisson fez questão de elogiar o volante cruzeirense, vítima da situação. “Eu tive o prazer de jogar com o Tinga no Grêmio, recentemente estive com ele em Belo Horizonte, um ser humano sensacional”, finalizou.

 

Publicidade

Dê sua opinião

Com passagens por grandes clubes, ex-volante Cleison revela já ter sido vítima de racismo

A exemplo do que aconteceu com o Tinga, o ex-volante Cleison, que passou por Ceará e Fortaleza, já foi vítima de racismo em um jogo de Libertadores

Por Caio Costa em Futebol

17 de fevereiro de 2014 às 16:46

Há 5 anos
Cleison demonstrou revolta com o preconceito sofrido por Tinga e revelou ter sido vítima de racismo no passado Foto: Reprodução/TV Jangadeiro

Cleison demonstrou revolta com o preconceito sofrido por Tinga e revelou ter sido vítima de racismo no passado Foto: Reprodução/TV Jangadeiro

Desde a última quarta-feira (12), o futebol brasileiro passou a mover uma verdadeira cruzada contra o racismo nos estádios. O estopim para isso foi a reação dos torcedores do Real Garcilasso, do Peru, em cima do meia Tinga, do Cruzeiro, em jogo válido pela Taça Libertadores da América.

Para ofender o jogador brasileiro, os torcedores peruanos emitiam sons, como imitando um macaco, em todo o momento em que o cruzeirense tocava na bola.

A ação causou uma verdadeira comoção nacional e desde então o atleta tem recebido várias mensagem de apoio, tanto na mídia, quanto nas redes social, como a hashtag #FechadoComOTinga.

O ex-volante de Ceará e Fortaleza, Cleison, falou em entrevista a rádio Tribuna Band News FM a sua raiva com o ocorrido: “fiquei muito chateado, para não dizer que revoltado com a situação”, disse.

>LEIA MAIS

Revelado pelo Cruzeiro e com passagens por grandes clubes do futebol brasileiro como Flamengo e Atlético-MG, o ex-jogador comentou que também já foi vítima de racismo em jogos de futebol. “Passei opor isso uns 15 anos atrás, em uma Libretadores, na Argentina”.

Cleison acredita que se medida enérgicas fossem tomadas contra o preconceito na época em que atuava profissionalmente, atualmente a situação poderia ser diferente. “Se tivesse punição, se pessoas tivessem sido presas, hoje não teria isso”, comentou.

Amizade com Tinga

Cleisson fez questão de elogiar o volante cruzeirense, vítima da situação. “Eu tive o prazer de jogar com o Tinga no Grêmio, recentemente estive com ele em Belo Horizonte, um ser humano sensacional”, finalizou.