Camisas do Macaé, que eliminou o Fortaleza, viram sucesso em camelôs da capital cearense


Camisas do Macaé, que eliminou o Fortaleza, viram sucesso em camelôs da capital cearense

Após a eliminação do Fortaleza na Série C, diante do Macaé, torcedores do Ceará encontraram uma forma curiosa para frescar com a torcida tricolor

Por Lucas Matos em Futebol

22 de novembro de 2014 às 10:00

Há 5 anos
Vendedor comercializa camisas do Macaé (Foto: Lucas Matos/Tribuna do Ceará)

Vendedor comercializa camisas do Macaé (Foto: Lucas Matos/Tribuna do Ceará)

É como diz a famosa frase: “A zoeira não tem limites”. Os torcedores dos maiores times da capital sempre tiram onda com os rivais. Seja na vitória ou derrota, quem acompanha o futebol tem sempre uma resposta na ponta da língua para o torcedor adversário.

Neste ano, alguns foram mais longe. Após a eliminação do Fortaleza na Série C do Campeonato Brasileiro, diante do Macaé, depois do empate em 1 a 1, os aficionados pelo time de Porangabuçu encontraram uma saída para frescar (termo cearense de zoação) com a torcida tricolor.

Três eliminações seguidas marcaram o Fortaleza: Oeste/SP (2012), Sampaio Corrêa/MA (2013) e Macaé/RJ (2014). Com isso, camisas são vendidas por R$ 30 em vários locais da cidade, sendo que as vestimentas não são uma simples qualquer. O uniforme do time carioca vem sendo vendido desde quando ocorreu a última eliminação do Leão, assim como uma curiosa camisa misturada, mostrando os escudos dos três times carrascos do Tricolor.

No cruzamento da avenida Washington Soares com Rua Vereador Pedro Paulo, um vendedor ambulante chama atenção. Cláudio Vieira, 40, vendedor ambulante, é um desses que comercializam as camisas. Logo após a eliminação do Leão, ele vendia cada peça a R$ 50, mas com o passar do tempo, hoje, cada peça custa R$ 20. “Não sou somente eu que vendo as camisas, porque já vi outros ambulantes comercializando. Não peguei para humilhar o Fortaleza, pelo contrário. Como é meu ‘ganha pão’, tive que vender”, disse.

Camisa dos três carrascos do Fortaleza também são vendidas (Foto: Lucas Matos/Tribuna do Ceará)

Camisa dos três carrascos do Fortaleza também são vendidas (Foto: Lucas Matos/Tribuna do Ceará)

Ainda de acordo com Vieira, a maioria dos que compram as camisas são torcedores do Ceará. Por conta da exposição das vestimentas, alguns torcedores do Leão reclamam. “Olha, já me xingaram de tudo que foi jeito. Eu não posso fazer nada, então eu fico calado. Infelizmente tem uns que não aguentam provocação de torcedores adversários. Tenho que aguentar”, afirma o vendedor.

Cláudio começou a ser ambulante aos 10 anos de idade, quando iniciou vendendo tartarugas para portas, depois passou para cofres em formato de porcos. Viu que não era tão lucrativo, então mudou para protetor de braço para motoqueiros, e foi aí que viu uma grande oportunidade. Eis que chegada a Copa do Mundo, ele passou a vender camisas da seleção brasileira. Mas nada como a volta do Campeonato Brasileiro para entusiasmar o torcedor local.

“Depois da Copa, já estou na 14ª remessa dessas camisas [Macaé], consigo vender muitas durante um dia, em torno de 20 a 30 peças. Mas não tenho somente essas do Macaé, também vendo do Ceará, Fortaleza, Flamengo, entre outros”, pontua.

Publicidade

Dê sua opinião

Camisas do Macaé, que eliminou o Fortaleza, viram sucesso em camelôs da capital cearense

Após a eliminação do Fortaleza na Série C, diante do Macaé, torcedores do Ceará encontraram uma forma curiosa para frescar com a torcida tricolor

Por Lucas Matos em Futebol

22 de novembro de 2014 às 10:00

Há 5 anos
Vendedor comercializa camisas do Macaé (Foto: Lucas Matos/Tribuna do Ceará)

Vendedor comercializa camisas do Macaé (Foto: Lucas Matos/Tribuna do Ceará)

É como diz a famosa frase: “A zoeira não tem limites”. Os torcedores dos maiores times da capital sempre tiram onda com os rivais. Seja na vitória ou derrota, quem acompanha o futebol tem sempre uma resposta na ponta da língua para o torcedor adversário.

Neste ano, alguns foram mais longe. Após a eliminação do Fortaleza na Série C do Campeonato Brasileiro, diante do Macaé, depois do empate em 1 a 1, os aficionados pelo time de Porangabuçu encontraram uma saída para frescar (termo cearense de zoação) com a torcida tricolor.

Três eliminações seguidas marcaram o Fortaleza: Oeste/SP (2012), Sampaio Corrêa/MA (2013) e Macaé/RJ (2014). Com isso, camisas são vendidas por R$ 30 em vários locais da cidade, sendo que as vestimentas não são uma simples qualquer. O uniforme do time carioca vem sendo vendido desde quando ocorreu a última eliminação do Leão, assim como uma curiosa camisa misturada, mostrando os escudos dos três times carrascos do Tricolor.

No cruzamento da avenida Washington Soares com Rua Vereador Pedro Paulo, um vendedor ambulante chama atenção. Cláudio Vieira, 40, vendedor ambulante, é um desses que comercializam as camisas. Logo após a eliminação do Leão, ele vendia cada peça a R$ 50, mas com o passar do tempo, hoje, cada peça custa R$ 20. “Não sou somente eu que vendo as camisas, porque já vi outros ambulantes comercializando. Não peguei para humilhar o Fortaleza, pelo contrário. Como é meu ‘ganha pão’, tive que vender”, disse.

Camisa dos três carrascos do Fortaleza também são vendidas (Foto: Lucas Matos/Tribuna do Ceará)

Camisa dos três carrascos do Fortaleza também são vendidas (Foto: Lucas Matos/Tribuna do Ceará)

Ainda de acordo com Vieira, a maioria dos que compram as camisas são torcedores do Ceará. Por conta da exposição das vestimentas, alguns torcedores do Leão reclamam. “Olha, já me xingaram de tudo que foi jeito. Eu não posso fazer nada, então eu fico calado. Infelizmente tem uns que não aguentam provocação de torcedores adversários. Tenho que aguentar”, afirma o vendedor.

Cláudio começou a ser ambulante aos 10 anos de idade, quando iniciou vendendo tartarugas para portas, depois passou para cofres em formato de porcos. Viu que não era tão lucrativo, então mudou para protetor de braço para motoqueiros, e foi aí que viu uma grande oportunidade. Eis que chegada a Copa do Mundo, ele passou a vender camisas da seleção brasileira. Mas nada como a volta do Campeonato Brasileiro para entusiasmar o torcedor local.

“Depois da Copa, já estou na 14ª remessa dessas camisas [Macaé], consigo vender muitas durante um dia, em torno de 20 a 30 peças. Mas não tenho somente essas do Macaé, também vendo do Ceará, Fortaleza, Flamengo, entre outros”, pontua.