Icasa é liberado para voltar a mandar seus jogos no estádio Romeirão


Icasa é liberado para voltar a mandar seus jogos no estádio Romeirão

O Icasa conseguiu no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) diminuir a punição de quatro jogos de perda de mando de campo para apenas um, além de diminuir o valor da multa de R$ 10 mil para R$ 3 mil. Como já cumpriu um jogo em que era mandante fora dos seus domínios (jogou contra o Santa Cruz no estádio Agenorzão, em Iguatu), o Verdão do Cariri está liberado para voltar a mandar suas partidas no estádio Romeirão, em Juazeiro do Norte

Por Felipe Lima em Futebol cearense

11 de outubro de 2012 às 09:15

Há 7 anos

Icasa pode voltar a mandar jogos no Romeirão

O Icasa conseguiu no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) diminuir a punição de quatro jogos de perda de mando de campo para apenas um, além de diminuir o valor da multa de R$ 10 mil para R$ 3 mil. Como já cumpriu um jogo em que era mandante fora dos seus domínios (jogou contra o Santa Cruz no estádio Agenorzão, em Iguatu), o Verdão do Cariri está liberado para voltar a mandar suas partidas no estádio Romeirão, em Juazeiro do Norte.

O time, que atualmente ocupa a sexta posição do Grupo A da Série C do Campeonato Brasileiro, já poderia enfrentar o Salgueiro neste domingo (14) no Romeirão, mas, como não há tempo hábil para a transferência, a partida deve ser mesmo realizada no estádio Agenorzão, onde está previamente agendado.

O Icasa foi julgado no dia 19 de setembro por confusões no jogo contra o Fortaleza. O árbitro Avelar Rodrigo da Silva, responsável pelo jogo, relatou na súmula que, no intervalo da partida, houve o arremesso de uma pedra quando a equipe de arbitragem se dirigia ao vestiário, e esta atingiu a arma que um policial militar empunhava, gerando o risco de um disparo acidental. Como não houve a detenção do responsável pelo arremesso, o clube mandante, o Icasa, acabou denunciado.

Neste segundo julgamento, sob a defesa do advogado Renato Brito, foi destacado que foi feito um Boletim de Ocorrência com a identificação do torcedor que fez o arremesso do objeto. Dessa forma, entende que isso já eximiria o clube denunciado da aplicação de punição. Em seguida, ele fez uma comparação com a perda de mandos de campo do Cruzeiro, por conta de uma série de problemas no estádio Independência. “Um fato menos relevante, como no caso do Icasa, tem igual decisão ao caso do Cruzeiro, muito mais grave”.

Por entenderem que o fato foi mesmo de menor gravidade, os auditores reduziram a aplicação da perda de mando de campo, de quatro para um jogo – já cumprido. E ainda foram além para reduzir a multa para R$ 3 mil, levando em consideração que se trata de um clube de Série C.

Publicidade

Dê sua opinião

Icasa é liberado para voltar a mandar seus jogos no estádio Romeirão

O Icasa conseguiu no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) diminuir a punição de quatro jogos de perda de mando de campo para apenas um, além de diminuir o valor da multa de R$ 10 mil para R$ 3 mil. Como já cumpriu um jogo em que era mandante fora dos seus domínios (jogou contra o Santa Cruz no estádio Agenorzão, em Iguatu), o Verdão do Cariri está liberado para voltar a mandar suas partidas no estádio Romeirão, em Juazeiro do Norte

Por Felipe Lima em Futebol cearense

11 de outubro de 2012 às 09:15

Há 7 anos

Icasa pode voltar a mandar jogos no Romeirão

O Icasa conseguiu no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) diminuir a punição de quatro jogos de perda de mando de campo para apenas um, além de diminuir o valor da multa de R$ 10 mil para R$ 3 mil. Como já cumpriu um jogo em que era mandante fora dos seus domínios (jogou contra o Santa Cruz no estádio Agenorzão, em Iguatu), o Verdão do Cariri está liberado para voltar a mandar suas partidas no estádio Romeirão, em Juazeiro do Norte.

O time, que atualmente ocupa a sexta posição do Grupo A da Série C do Campeonato Brasileiro, já poderia enfrentar o Salgueiro neste domingo (14) no Romeirão, mas, como não há tempo hábil para a transferência, a partida deve ser mesmo realizada no estádio Agenorzão, onde está previamente agendado.

O Icasa foi julgado no dia 19 de setembro por confusões no jogo contra o Fortaleza. O árbitro Avelar Rodrigo da Silva, responsável pelo jogo, relatou na súmula que, no intervalo da partida, houve o arremesso de uma pedra quando a equipe de arbitragem se dirigia ao vestiário, e esta atingiu a arma que um policial militar empunhava, gerando o risco de um disparo acidental. Como não houve a detenção do responsável pelo arremesso, o clube mandante, o Icasa, acabou denunciado.

Neste segundo julgamento, sob a defesa do advogado Renato Brito, foi destacado que foi feito um Boletim de Ocorrência com a identificação do torcedor que fez o arremesso do objeto. Dessa forma, entende que isso já eximiria o clube denunciado da aplicação de punição. Em seguida, ele fez uma comparação com a perda de mandos de campo do Cruzeiro, por conta de uma série de problemas no estádio Independência. “Um fato menos relevante, como no caso do Icasa, tem igual decisão ao caso do Cruzeiro, muito mais grave”.

Por entenderem que o fato foi mesmo de menor gravidade, os auditores reduziram a aplicação da perda de mando de campo, de quatro para um jogo – já cumprido. E ainda foram além para reduzir a multa para R$ 3 mil, levando em consideração que se trata de um clube de Série C.