Após nova derrota, atos de vandalismo dentro do Castelão são menores

PREJUÍZO

Após nova derrota, atos de vandalismo dentro da Arena Castelão são menores

Polícia agiu rápido contra alguns torcedores que quebraram cadeiras e arremessaram contra o gramado após Fortaleza não conseguir acesso

Por Tribuna do Ceará em Fortaleza

9 de outubro de 2016 às 22:00

Há 3 anos
Menos cadeiras foram quebradas. (Foto: Lyvua Rocha/Tribuna do Ceará)

Menos cadeiras foram quebradas. (Foto: Lyvua Rocha/Tribuna do Ceará)

Os atos de vandalismo registrados dentro da Arena Castelão após o jogo decisivo entre Fortaleza e Juventude foram em menor proporção em comparação com os estragos causados em anos anteriores.

Após a derrota do Fortaleza, que amargará o oitavo ano na Série C, alguns torcedores quebraram cadeiras da Arena e arremessaram contra o gramado. No entanto, a Polícia agiu rápido, com bombas de gás lacrimogênio e tiros de efeito moral, para dispersar as pessoas em atos de vandalismo.

De acordo com o delegado Jefferson Lopes, da Delegacia do Torcedor, foram registrados dois Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO) por desacato de autoridade, quatro roubos, além da apreensão de 32 ingressos falsos.

Em 2015, a Arena Castelão teve um prejuízo constatado de 965 cadeiras danificadas após o término da partida entre Fortaleza e Brasil de Pelotas. Durante a final do Campeonato Cearense, o ato de vandalismo já havia acontecido e mais de 1.000 cadeiras foram quebradas por torcedores alvinegros  e tricolores. Na ocasião, o prejuízo chegou a $500 mil para os dois times.

Partida
Com mais de 63 mil torcedores, o Fortaleza Esporte Clube, mais uma vez, decepcionou e segue na Série C em 2017. A equipe tricolor empatou em 1 a 1 com o Juventude e não conseguiu o acesso a Série B.

Os gols marcados aconteceram na segunda etapa da partida. Pará, do Juventude, com apenas dois minutos de jogo, balançou as redes do goleiro Ricardo Berna e deixou o time de Caxias do Sul na frente.

Pelo Fortaleza, Pio marcou o gol aos 21 minutos. Contudo, o tento não foi suficiente para classificar o tricolor.

A equipe tricolor foi rebaixada em 2009 e desde então tentar retornar à segundona. No próximo ano, o Fortaleza chegará a seu oitavo ano consecutivo na terceira divisão.

Publicidade

Dê sua opinião

PREJUÍZO

Após nova derrota, atos de vandalismo dentro da Arena Castelão são menores

Polícia agiu rápido contra alguns torcedores que quebraram cadeiras e arremessaram contra o gramado após Fortaleza não conseguir acesso

Por Tribuna do Ceará em Fortaleza

9 de outubro de 2016 às 22:00

Há 3 anos
Menos cadeiras foram quebradas. (Foto: Lyvua Rocha/Tribuna do Ceará)

Menos cadeiras foram quebradas. (Foto: Lyvua Rocha/Tribuna do Ceará)

Os atos de vandalismo registrados dentro da Arena Castelão após o jogo decisivo entre Fortaleza e Juventude foram em menor proporção em comparação com os estragos causados em anos anteriores.

Após a derrota do Fortaleza, que amargará o oitavo ano na Série C, alguns torcedores quebraram cadeiras da Arena e arremessaram contra o gramado. No entanto, a Polícia agiu rápido, com bombas de gás lacrimogênio e tiros de efeito moral, para dispersar as pessoas em atos de vandalismo.

De acordo com o delegado Jefferson Lopes, da Delegacia do Torcedor, foram registrados dois Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO) por desacato de autoridade, quatro roubos, além da apreensão de 32 ingressos falsos.

Em 2015, a Arena Castelão teve um prejuízo constatado de 965 cadeiras danificadas após o término da partida entre Fortaleza e Brasil de Pelotas. Durante a final do Campeonato Cearense, o ato de vandalismo já havia acontecido e mais de 1.000 cadeiras foram quebradas por torcedores alvinegros  e tricolores. Na ocasião, o prejuízo chegou a $500 mil para os dois times.

Partida
Com mais de 63 mil torcedores, o Fortaleza Esporte Clube, mais uma vez, decepcionou e segue na Série C em 2017. A equipe tricolor empatou em 1 a 1 com o Juventude e não conseguiu o acesso a Série B.

Os gols marcados aconteceram na segunda etapa da partida. Pará, do Juventude, com apenas dois minutos de jogo, balançou as redes do goleiro Ricardo Berna e deixou o time de Caxias do Sul na frente.

Pelo Fortaleza, Pio marcou o gol aos 21 minutos. Contudo, o tento não foi suficiente para classificar o tricolor.

A equipe tricolor foi rebaixada em 2009 e desde então tentar retornar à segundona. No próximo ano, o Fortaleza chegará a seu oitavo ano consecutivo na terceira divisão.