É preciso aumentar o repertório para ir bem na redação; até memes ajudam

VESTIBULAR

É preciso aumentar o repertório para ir bem na redação; até memes ajudam

Assistir a filmes e ouvir música também são opções interessantes, mas se informar em veículos de credibilidade, na imprensa, é essencial

Por Tribuna do Ceará em Vestibular

13 de outubro de 2016 às 06:50

Há 3 anos
redacao-enem

Até memes podem ajudar na elaboração da redação (FOTO: Divulgação)

Em tempos de redes sociais, o volume de informações recebidas é muito alto. São veículos de comunicação, empresas, amigos e familiares compartilhando as mais diferentes notícias, postando fotos, vídeos e interagindo entre si e com as publicações. Apesar de a internet aumentar o acesso à informação, é preciso saber lidar com o fluxo intenso para sair da superficialidade.

Esta é a principal dica para ir bem nas redações do Enem e dos grandes vestibulares. Thiago Braga, professor do Sistema pH, explica que filtrar as informações e aprofundá-las é essencial para adquirir repertório. “O aluno precisa analisar o que serve para ele no período de preparação, e deve sair do raso. Muitos leem apenas títulos no feed de notícias e acham que estão preparados”, diz.

Com tantas alternativas na rede, o conselho é buscar os veículos de imprensa tradicionais. “Há muita informação falsa, então é melhor se informar através de fontes que tenham credibilidade”, afirma Braga. É importante também que o vestibulando busque vários canais de informação sobre um mesmo tema, a fim de perceber os diferentes discursos e formar sua própria opinião.

Mas como o aluno pode saber que já se informou o suficiente? Para o professor, não há uma fórmula pronta, o aluno deve perceber se compreendeu todos os aspectos que envolvem o assunto. “Se o tema é a cassação de um deputado, por exemplo, ele tem que saber quais foram os motivos, como ocorreu o processo e quais são as suas consequências”, orienta. Escrever uma redação, conversar com o professor ou com outras pessoas mais gabaritadas sobre o assunto em questão pode ajudar o candidato nessa percepção.

Além da leitura, filmes, séries e música são boas fontes para aquisição de repertório. A dica é buscar obras que trabalhem questões filosóficas, sociais e políticas. “Em Meia-noite em Paris, de Woody Allen, ao mesmo tempo em que o diretor apresenta artistas do século XX, ele reflete o anseio humano do passado. Esse tipo de obra nos ajuda a construir conexões.”

“Meme é a nova charge”

E até os memes, imagens ou vídeos que viralizam na internet podem contribuir na aquisição de repertório. “Hoje em dia nada escapa dos memes, que é a linguagem do dia a dia dos vestibulandos mais jovens. Neles há assuntos políticos, históricos e filosóficos que podem ajudar a iniciar uma discussão”, explica. “É a nova charge”, completa.

Publicidade

Dê sua opinião

VESTIBULAR

É preciso aumentar o repertório para ir bem na redação; até memes ajudam

Assistir a filmes e ouvir música também são opções interessantes, mas se informar em veículos de credibilidade, na imprensa, é essencial

Por Tribuna do Ceará em Vestibular

13 de outubro de 2016 às 06:50

Há 3 anos
redacao-enem

Até memes podem ajudar na elaboração da redação (FOTO: Divulgação)

Em tempos de redes sociais, o volume de informações recebidas é muito alto. São veículos de comunicação, empresas, amigos e familiares compartilhando as mais diferentes notícias, postando fotos, vídeos e interagindo entre si e com as publicações. Apesar de a internet aumentar o acesso à informação, é preciso saber lidar com o fluxo intenso para sair da superficialidade.

Esta é a principal dica para ir bem nas redações do Enem e dos grandes vestibulares. Thiago Braga, professor do Sistema pH, explica que filtrar as informações e aprofundá-las é essencial para adquirir repertório. “O aluno precisa analisar o que serve para ele no período de preparação, e deve sair do raso. Muitos leem apenas títulos no feed de notícias e acham que estão preparados”, diz.

Com tantas alternativas na rede, o conselho é buscar os veículos de imprensa tradicionais. “Há muita informação falsa, então é melhor se informar através de fontes que tenham credibilidade”, afirma Braga. É importante também que o vestibulando busque vários canais de informação sobre um mesmo tema, a fim de perceber os diferentes discursos e formar sua própria opinião.

Mas como o aluno pode saber que já se informou o suficiente? Para o professor, não há uma fórmula pronta, o aluno deve perceber se compreendeu todos os aspectos que envolvem o assunto. “Se o tema é a cassação de um deputado, por exemplo, ele tem que saber quais foram os motivos, como ocorreu o processo e quais são as suas consequências”, orienta. Escrever uma redação, conversar com o professor ou com outras pessoas mais gabaritadas sobre o assunto em questão pode ajudar o candidato nessa percepção.

Além da leitura, filmes, séries e música são boas fontes para aquisição de repertório. A dica é buscar obras que trabalhem questões filosóficas, sociais e políticas. “Em Meia-noite em Paris, de Woody Allen, ao mesmo tempo em que o diretor apresenta artistas do século XX, ele reflete o anseio humano do passado. Esse tipo de obra nos ajuda a construir conexões.”

“Meme é a nova charge”

E até os memes, imagens ou vídeos que viralizam na internet podem contribuir na aquisição de repertório. “Hoje em dia nada escapa dos memes, que é a linguagem do dia a dia dos vestibulandos mais jovens. Neles há assuntos políticos, históricos e filosóficos que podem ajudar a iniciar uma discussão”, explica. “É a nova charge”, completa.