8 passos essenciais para criar um plano de negócios

EMPREENDEDORISMO

8 passos essenciais para criar um plano de negócios

O plano de negócios é basicamente o planejamento essencial que vai mostrar se o modelo de negócios em que se pretende investir é realmente viável

Por Tribuna do Ceará em Cursos

23 de dezembro de 2018 às 07:00

Há 5 meses
Um plano de negócios é essencial para empreender (FOTO: Divulgação)

Um plano de negócios é essencial para empreender (FOTO: Divulgação)

Um bom plano de negócios é crucial para nortear os caminhos da empresa, mas muitos empreendedores, principalmente em início de jornada, encontram dificuldades para começar, por isso, saiba como criar um plano de negócios sem complicações. Talvez a sua dúvida inicial seja: ‘Por que preciso de um plano?’.

O consultor empresarial Adriano Nodari esclarece que o plano de negócios é basicamente o planejamento essencial que vai mostrar se o modelo de negócios em que se pretende investir é realmente viável; qual a situação do mercado em que a empresa está inserida; como será a gestão financeira, entre outros pontos.

Para aprender como criar um plano de negócios seja antes de abrir o seu negócio ou com o negócio já em andamento, entenda sobre os principais benefícios de utilizar essa importante ferramenta de gestão:

Confira abaixo um passo a passo que te ajudará a montar o seu plano sem complicações:

1. Sumário executivo: 

O plano de negócio simplificado deve contar com um sumário executivo. A ideia é que, ao ler, a pessoa já tenha um amplo panorama sobre o negócio. Por se tratar de um ‘resumo’ do plano de negócios, deve ser realizado por último.

Descrição do negócio;
Apresenta os diferenciais competitivos;
Missão da empresa;
Perfil do empreendedor;
Apresentação dos produtos e serviços;
Mercado de atuação;
Localização;
Valor do investimento;
Forma jurídica;
Enquadramento tributário.

Ao elaborar o sumário executivo, o empreendedor precisa ter simplicidade e objetividade, cada item deve ter, no máximo, três páginas, a escrita precisa despertar o interesse e transmitir o profissionalismo do negócio ou projeto.

2. Análise de Mercado:

Essa é considerada a parte mais importante no processo de como criar um plano de negócios. É nesse ponto que se conhece quem são os clientes, concorrentes e fornecedores, e é nesse item que também será explicado com mais detalhes sobre os produtos/serviços oferecidos.

Basicamente, os pontos que devem estar esclarecidos neste item, são:
Público-alvo do seu negócio;

Quem é o cliente? Onde ele está? Como é o comportamento dele? O que ele busca no mercado? – Essas são algumas das questões que precisam estar respondidas neste item no plano de negócios.

A metodologia utilizada para o levantamento de informações pode ser por meio de questionários, entrevistas e até mesmo em conversas com clientes em potencial.

Se o empreendedor encontrar dificuldades em obter essas informações, pode contratar a ajuda de institutos que tenham os recursos para este levantamento.

3. Plano de Marketing:

Resumidamente neste item do plano de negócios estarão descritos quais serão os meios de divulgação do negócio, produto/serviço. Basicamente, estes pontos abaixo precisam estar claros ao leitor:
É preciso ter detalhado o que a empresa vai vender;
Preços;
Quais serão as estratégias de promoção e para a divulgação;
Qual é a estrutura para a venda;
Onde se localiza o negócio.

4. Plano Operacional:

Nesse item, o empreendedor pode ter uma ideia na prática de como o negócio funcionará, de como será a estrutura física do negócio; da capacidade real de produção/prestação ou venda do produto/serviço; do quanto será necessário de recursos humanos, entre outras importantes informações.

5. Plano Financeiro:

Essa é a parte no plano de negócios que demonstra a viabilidade do negócio e as chances de expansão no mercado. São muitos os pontos que devem ser levados em conta neste item, alguns deles são:
Investimento total;
Capital de giro necessário;
Valor estimado de faturamento mensal;
Valor estimado do custo da matéria-prima por unidade;
Estimativa do valor para comercialização;
Demonstrativo de resultados;
Margem de lucratividade e rentabilidade, entre outros.

6. Simulação de cenários:

Essa é uma parte muito importante quando se pensa em como criar um plano de negócio. O empreendedor pode estimar respostas para situações diversas, como em um caso de vendas abaixo do volume esperado, em um cenário de crise econômica, etc.

7. Análise Estratégica:

Resumidamente, esse é um item no plano de negócios que pretende avaliar as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças, trata-se da análise SWOT, que em português é tratada como análise FOFA.

8. Avaliação do plano:

Essa é a parte final do plano de negócios em que o empreendedor pode responder a si mesmo se o seu negócio pode dar certo no mercado a curto e longo prazo.

“Se o empreendedor encontrar dificuldades no processo de coletar as informações para montar o plano de negócios, principalmente relacionadas às finanças, pode ser indicado procurar um especialista que tenha o conhecimento e possa ajudar com a organização dos indicadores financeiros”, conclui Nodari.

Publicidade

Dê sua opinião

EMPREENDEDORISMO

8 passos essenciais para criar um plano de negócios

O plano de negócios é basicamente o planejamento essencial que vai mostrar se o modelo de negócios em que se pretende investir é realmente viável

Por Tribuna do Ceará em Cursos

23 de dezembro de 2018 às 07:00

Há 5 meses
Um plano de negócios é essencial para empreender (FOTO: Divulgação)

Um plano de negócios é essencial para empreender (FOTO: Divulgação)

Um bom plano de negócios é crucial para nortear os caminhos da empresa, mas muitos empreendedores, principalmente em início de jornada, encontram dificuldades para começar, por isso, saiba como criar um plano de negócios sem complicações. Talvez a sua dúvida inicial seja: ‘Por que preciso de um plano?’.

O consultor empresarial Adriano Nodari esclarece que o plano de negócios é basicamente o planejamento essencial que vai mostrar se o modelo de negócios em que se pretende investir é realmente viável; qual a situação do mercado em que a empresa está inserida; como será a gestão financeira, entre outros pontos.

Para aprender como criar um plano de negócios seja antes de abrir o seu negócio ou com o negócio já em andamento, entenda sobre os principais benefícios de utilizar essa importante ferramenta de gestão:

Confira abaixo um passo a passo que te ajudará a montar o seu plano sem complicações:

1. Sumário executivo: 

O plano de negócio simplificado deve contar com um sumário executivo. A ideia é que, ao ler, a pessoa já tenha um amplo panorama sobre o negócio. Por se tratar de um ‘resumo’ do plano de negócios, deve ser realizado por último.

Descrição do negócio;
Apresenta os diferenciais competitivos;
Missão da empresa;
Perfil do empreendedor;
Apresentação dos produtos e serviços;
Mercado de atuação;
Localização;
Valor do investimento;
Forma jurídica;
Enquadramento tributário.

Ao elaborar o sumário executivo, o empreendedor precisa ter simplicidade e objetividade, cada item deve ter, no máximo, três páginas, a escrita precisa despertar o interesse e transmitir o profissionalismo do negócio ou projeto.

2. Análise de Mercado:

Essa é considerada a parte mais importante no processo de como criar um plano de negócios. É nesse ponto que se conhece quem são os clientes, concorrentes e fornecedores, e é nesse item que também será explicado com mais detalhes sobre os produtos/serviços oferecidos.

Basicamente, os pontos que devem estar esclarecidos neste item, são:
Público-alvo do seu negócio;

Quem é o cliente? Onde ele está? Como é o comportamento dele? O que ele busca no mercado? – Essas são algumas das questões que precisam estar respondidas neste item no plano de negócios.

A metodologia utilizada para o levantamento de informações pode ser por meio de questionários, entrevistas e até mesmo em conversas com clientes em potencial.

Se o empreendedor encontrar dificuldades em obter essas informações, pode contratar a ajuda de institutos que tenham os recursos para este levantamento.

3. Plano de Marketing:

Resumidamente neste item do plano de negócios estarão descritos quais serão os meios de divulgação do negócio, produto/serviço. Basicamente, estes pontos abaixo precisam estar claros ao leitor:
É preciso ter detalhado o que a empresa vai vender;
Preços;
Quais serão as estratégias de promoção e para a divulgação;
Qual é a estrutura para a venda;
Onde se localiza o negócio.

4. Plano Operacional:

Nesse item, o empreendedor pode ter uma ideia na prática de como o negócio funcionará, de como será a estrutura física do negócio; da capacidade real de produção/prestação ou venda do produto/serviço; do quanto será necessário de recursos humanos, entre outras importantes informações.

5. Plano Financeiro:

Essa é a parte no plano de negócios que demonstra a viabilidade do negócio e as chances de expansão no mercado. São muitos os pontos que devem ser levados em conta neste item, alguns deles são:
Investimento total;
Capital de giro necessário;
Valor estimado de faturamento mensal;
Valor estimado do custo da matéria-prima por unidade;
Estimativa do valor para comercialização;
Demonstrativo de resultados;
Margem de lucratividade e rentabilidade, entre outros.

6. Simulação de cenários:

Essa é uma parte muito importante quando se pensa em como criar um plano de negócio. O empreendedor pode estimar respostas para situações diversas, como em um caso de vendas abaixo do volume esperado, em um cenário de crise econômica, etc.

7. Análise Estratégica:

Resumidamente, esse é um item no plano de negócios que pretende avaliar as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças, trata-se da análise SWOT, que em português é tratada como análise FOFA.

8. Avaliação do plano:

Essa é a parte final do plano de negócios em que o empreendedor pode responder a si mesmo se o seu negócio pode dar certo no mercado a curto e longo prazo.

“Se o empreendedor encontrar dificuldades no processo de coletar as informações para montar o plano de negócios, principalmente relacionadas às finanças, pode ser indicado procurar um especialista que tenha o conhecimento e possa ajudar com a organização dos indicadores financeiros”, conclui Nodari.