Dicas para trazer vivência do idioma ao cotidiano na fase adulta

FERRAMENTAS

Dicas para trazer vivência do idioma ao cotidiano na fase adulta

É recomendável investir em ferramentas como o CouchSurfing, rede social onde pessoas locais se disponibilizam para mostrar a cidade a viajantes de outros países e trocam experiências

Por Tribuna do Ceará em Carreira

16 de novembro de 2018 às 07:15

Há 5 meses
Falar inglês é resultado de prática e estudos. (Foto: Pexels)

Falar inglês é resultado de prática e estudos. (Foto: Pexels)

Pré-requisito em entrevistas de emprego, indispensável para conhecer diferentes países ao redor do mundo e código de comunicação universal, o inglês é uma importante ferramenta de desenvolvimento pessoal e profissional.

Quem está aprendendo na fase adulta, no entanto, pode ter dificuldade em inserir a prática do idioma no dia a dia, em meio a longas horas de trabalho, manutenção do lar e dedicação a familiares e amigos. Por outro lado, é possível aproveitar as atividades corriqueiras com o objetivo de praticar e se divertir enquanto aprimora a língua.

É possível trazer experiências similares às de uma viagem internacional com atividades extracurriculares, que expandem o conhecimento e fixam o conteúdo aprendido nas aulas de maneira efetiva e duradoura.

É recomendável investir em ferramentas como o CouchSurfing, rede social onde pessoas locais se disponibilizam para mostrar a cidade a viajantes de outros países e trocam experiências; entrar em grupos de discussão estrangeiros no Facebook para treinar a escrita e a leitura; e até combinar um jantar temático com os amigos do curso, para praticar diferentes sotaques – se o tema for a Inglaterra, por exemplo, dá para aperfeiçoar o sotaque britânico e ainda se esbaldar no fish and chips.

Supondo que tanto os filhos quanto os pais estão aprendendo inglês ao mesmo tempo. Como grande parte da rotina dos adultos inclui os pequenos, “trocar figurinhas” com eles também é um jeito de ambos treinarem. Um simples “o que você viu na aula hoje?” durante a semana já dá início a uma conversa que trará conhecimento sobre o idioma, como verbos e expressões que não fazem parte do cotidiano e são importantes de gravar na memória.

No caso dos adolescentes, vale a pena acompanhar com eles uma série que gostem ou, até mesmo, ouvir junto algum jovem ídolo estrangeiro ao longo do dia. Além de aprimorar as habilidades, é uma maneira de estreitar os laços com eles.

Publicidade

Dê sua opinião

FERRAMENTAS

Dicas para trazer vivência do idioma ao cotidiano na fase adulta

É recomendável investir em ferramentas como o CouchSurfing, rede social onde pessoas locais se disponibilizam para mostrar a cidade a viajantes de outros países e trocam experiências

Por Tribuna do Ceará em Carreira

16 de novembro de 2018 às 07:15

Há 5 meses
Falar inglês é resultado de prática e estudos. (Foto: Pexels)

Falar inglês é resultado de prática e estudos. (Foto: Pexels)

Pré-requisito em entrevistas de emprego, indispensável para conhecer diferentes países ao redor do mundo e código de comunicação universal, o inglês é uma importante ferramenta de desenvolvimento pessoal e profissional.

Quem está aprendendo na fase adulta, no entanto, pode ter dificuldade em inserir a prática do idioma no dia a dia, em meio a longas horas de trabalho, manutenção do lar e dedicação a familiares e amigos. Por outro lado, é possível aproveitar as atividades corriqueiras com o objetivo de praticar e se divertir enquanto aprimora a língua.

É possível trazer experiências similares às de uma viagem internacional com atividades extracurriculares, que expandem o conhecimento e fixam o conteúdo aprendido nas aulas de maneira efetiva e duradoura.

É recomendável investir em ferramentas como o CouchSurfing, rede social onde pessoas locais se disponibilizam para mostrar a cidade a viajantes de outros países e trocam experiências; entrar em grupos de discussão estrangeiros no Facebook para treinar a escrita e a leitura; e até combinar um jantar temático com os amigos do curso, para praticar diferentes sotaques – se o tema for a Inglaterra, por exemplo, dá para aperfeiçoar o sotaque britânico e ainda se esbaldar no fish and chips.

Supondo que tanto os filhos quanto os pais estão aprendendo inglês ao mesmo tempo. Como grande parte da rotina dos adultos inclui os pequenos, “trocar figurinhas” com eles também é um jeito de ambos treinarem. Um simples “o que você viu na aula hoje?” durante a semana já dá início a uma conversa que trará conhecimento sobre o idioma, como verbos e expressões que não fazem parte do cotidiano e são importantes de gravar na memória.

No caso dos adolescentes, vale a pena acompanhar com eles uma série que gostem ou, até mesmo, ouvir junto algum jovem ídolo estrangeiro ao longo do dia. Além de aprimorar as habilidades, é uma maneira de estreitar os laços com eles.