Companhia de dança traz oportunidades às crianças e adolescentes do Quintino Cunha

CIA DE DANÇA RELUZ

Companhia de dança traz oportunidades às crianças e adolescentes do Quintino Cunha

O grupo de dança Reluz apresenta, aos jovens do bairro Quintino Cunha, o mundo da arte por meio da dança e proporcionar novas perspectivas de vida

Por Daniel Rocha em Comportamento

28 de outubro de 2017 às 06:39

Há 2 anos

O grupo de dança é formado por cerca de 40 crianças e adolescentes do bairro (FOTO: Reprodução/Instyagram)

Crianças e adolescentes da Companhia de Dança Reluz, no bairro Quintino Cunha, são destaque pelas apresentações e performances que realizam nas escolas. Os ensaios semanais apresentam aos mais jovens do bairro a arte e as novas perspectivas de vida que pode oferecê-las. Além disso, o professor de dança da Cia, Alexsandro Diogo, acrescenta que a dança tem contribuído para a socialização das crianças da comunidade.

“O nosso trabalho é tentar trazer as crianças e adolescente para o mundo da arte. Buscamos trazer as que só vivem em ambiente familiar e escolar. Só tem uma animação dentro de casa”, ressalta Alexsandro. Para ele, a iniciativa tem oferecido aos jovens novas experiências, contribuindo para uma nova visão de mundo.

“Uma aluna nossa, por exemplo, ganhou uma bolsa em uma escola de dança em Fortaleza. Infelizmente, por conta da distância e por outras responsabilidades, ela pôde conhecer novas realidades”, pontuou o professor sobre a conquista da aluna.

As coreografias e figurinos oferecem o lúdico aos espectadores por meio de seus traços circenses. As roupas são coloridas assim como a maquiagem dos dançarinos. “Trazemos a magia do circo”, diz Alexsandro.

A Cia surgiu em 2013 por meio da Organização Não-Governamental (ONG) Espaço de Convivência Reluz. De lá para cá, o grupo não parou. Chegaram a realizar uma média de 300 apresentações. Apesar de não contar com patrocinadores, os jovens conseguiram realizar vários espetáculos e apresentações no bairro.

“A gente produz o nosso figurino e lutamos para criar as nossas apresentações. Não recebemos patrocinadores. Os recursos vêm de voluntários ”, cita o professor as dificuldades.  Entretanto, aos poucos, o grupo tem conquistado reconhecimento. Segundo Alexsandro, artistas de grandes circos, como Cirque du Solei, estão acompanhando o trabalho do grupo por meio das redes sociais. “Para a gente, é uma conquista”, ressalta.

Os ensaios acontecem duas vezes pro semana e têm duração média de uma hora. Nas terças, o grupo de reuni a partir das 9h30 enquanto nas quintas o ensaio é dividido em dois momentos: pela manhã das 9h30 às 10h40 e pela tarde das 14h às 16h.

Caso tenha o interesse de ajudar com doações o grupo, basta acessar a página da Cia de dança Reluz no instragam ou entrar em contato com o professor Alexsandro por meio do telefone (85) 9 8764-4503.

Publicidade

Dê sua opinião

CIA DE DANÇA RELUZ

Companhia de dança traz oportunidades às crianças e adolescentes do Quintino Cunha

O grupo de dança Reluz apresenta, aos jovens do bairro Quintino Cunha, o mundo da arte por meio da dança e proporcionar novas perspectivas de vida

Por Daniel Rocha em Comportamento

28 de outubro de 2017 às 06:39

Há 2 anos

O grupo de dança é formado por cerca de 40 crianças e adolescentes do bairro (FOTO: Reprodução/Instyagram)

Crianças e adolescentes da Companhia de Dança Reluz, no bairro Quintino Cunha, são destaque pelas apresentações e performances que realizam nas escolas. Os ensaios semanais apresentam aos mais jovens do bairro a arte e as novas perspectivas de vida que pode oferecê-las. Além disso, o professor de dança da Cia, Alexsandro Diogo, acrescenta que a dança tem contribuído para a socialização das crianças da comunidade.

“O nosso trabalho é tentar trazer as crianças e adolescente para o mundo da arte. Buscamos trazer as que só vivem em ambiente familiar e escolar. Só tem uma animação dentro de casa”, ressalta Alexsandro. Para ele, a iniciativa tem oferecido aos jovens novas experiências, contribuindo para uma nova visão de mundo.

“Uma aluna nossa, por exemplo, ganhou uma bolsa em uma escola de dança em Fortaleza. Infelizmente, por conta da distância e por outras responsabilidades, ela pôde conhecer novas realidades”, pontuou o professor sobre a conquista da aluna.

As coreografias e figurinos oferecem o lúdico aos espectadores por meio de seus traços circenses. As roupas são coloridas assim como a maquiagem dos dançarinos. “Trazemos a magia do circo”, diz Alexsandro.

A Cia surgiu em 2013 por meio da Organização Não-Governamental (ONG) Espaço de Convivência Reluz. De lá para cá, o grupo não parou. Chegaram a realizar uma média de 300 apresentações. Apesar de não contar com patrocinadores, os jovens conseguiram realizar vários espetáculos e apresentações no bairro.

“A gente produz o nosso figurino e lutamos para criar as nossas apresentações. Não recebemos patrocinadores. Os recursos vêm de voluntários ”, cita o professor as dificuldades.  Entretanto, aos poucos, o grupo tem conquistado reconhecimento. Segundo Alexsandro, artistas de grandes circos, como Cirque du Solei, estão acompanhando o trabalho do grupo por meio das redes sociais. “Para a gente, é uma conquista”, ressalta.

Os ensaios acontecem duas vezes pro semana e têm duração média de uma hora. Nas terças, o grupo de reuni a partir das 9h30 enquanto nas quintas o ensaio é dividido em dois momentos: pela manhã das 9h30 às 10h40 e pela tarde das 14h às 16h.

Caso tenha o interesse de ajudar com doações o grupo, basta acessar a página da Cia de dança Reluz no instragam ou entrar em contato com o professor Alexsandro por meio do telefone (85) 9 8764-4503.