O pequeno príncipe cativa e mostra a importância da verdadeira essência


Crítica: “O Pequeno Príncipe” cativa e mostra a importância da verdadeira essência

Nova versão do clássico livro do autor francês Antoine de Saint-Exupéry estreia nos cinemas e valoriza a amizade verdadeira

Por Lyvia Rocha em Cinema

20 de agosto de 2015 às 07:00

Há 4 anos
O filme retrata bem a essência do livro (Foto: Divulgação)

O filme retrata bem a essência do livro (Foto: Divulgação)

A adaptação de um livro para o cinema sempre traz ansiedade. E, quando a publicação no caso é um clássico como “O Pequeno Príncipe” (The Little Prince, 2015) isso é ainda maior. Adaptado do livro do francês Antoine de Saint-Exupéry, o diretor Mark Osborne trouxe na narrativa o tom certo para emocionar o público.

Uma mãe metódica e a filha que segue os passos da genitora. Com a vida toda planejada e com objetivos traçados para se tornar uma excelente aluna, a Menina estudiosa e inteligente logo percebeu que não podia agir como uma máquina. A vida dela se transforma após encontrar o Aviador. Um senhor atrapalhado, simpático e com o espírito infantil.

A vida de ambos muda após o atrapalhado senhor tentar decolar com seu avião e atingir a casa vizinha, justamente a da Menina e sua mãe neurótica. Tentando um pedido de desculpas, o Aviador envia uma carta para a Menina. A princípio, ela se esquiva mas acaba cedendo e lendo a primeira parte de uma linda história de um pequeno príncipe.

Ao mergulhar na história do menino que mora no asteroide B-612 que se encontrou com o Aviador no deserto e que se encantou com uma rosa, a Menina descobre um mundo muito além do que a sua mãe a tinha mostrado. Na sua aventura, o pequeno príncipe viaja e encontra a raposa que ensina uma das grandes lições e uma das frases mais conhecidas do livro: “Tu te tornas responsável para sempre por aquilo que cativas”.

"Tu te tornas responsável para sempre por aquilo que cativas" (Foto: Reprodução)

“Tu te tornas responsável para sempre por aquilo que cativas” (Foto: Reprodução)

O simbolismo da citação é traduzida na amizade entre a Menina e o Aviador. Ao se deparar com a importância daquela amizade e do medo de perder aquela pessoa que o tanta a faz bem, ela resolve ir atrás do Pequeno Príncipe. Esse é o momento de maior aventura do filme. Ao lado de sua raposa, a Menina esquece dos livros, planejamentos realizados pela mãe e parte a procura do garoto.

A narrativa segue com uma trilha impecável e essencial para o sentimentalismo e tom que o filme adota. Uma película excelente para assistir em qualquer ocasião e ao lado de toda a família. Vale muito a pena reviver os momentos do livro que certamente você deve ter lido ainda criança. “O Pequeno Príncipe” cativa e nos faz ressalta a verdadeira essência da vida. Para curtir a experiência, o filme está em cartaz nos cinemas.

/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/5/2015/08/termo vetor segunda versão deitada 85

 

Publicidade

Dê sua opinião

Crítica: “O Pequeno Príncipe” cativa e mostra a importância da verdadeira essência

Nova versão do clássico livro do autor francês Antoine de Saint-Exupéry estreia nos cinemas e valoriza a amizade verdadeira

Por Lyvia Rocha em Cinema

20 de agosto de 2015 às 07:00

Há 4 anos
O filme retrata bem a essência do livro (Foto: Divulgação)

O filme retrata bem a essência do livro (Foto: Divulgação)

A adaptação de um livro para o cinema sempre traz ansiedade. E, quando a publicação no caso é um clássico como “O Pequeno Príncipe” (The Little Prince, 2015) isso é ainda maior. Adaptado do livro do francês Antoine de Saint-Exupéry, o diretor Mark Osborne trouxe na narrativa o tom certo para emocionar o público.

Uma mãe metódica e a filha que segue os passos da genitora. Com a vida toda planejada e com objetivos traçados para se tornar uma excelente aluna, a Menina estudiosa e inteligente logo percebeu que não podia agir como uma máquina. A vida dela se transforma após encontrar o Aviador. Um senhor atrapalhado, simpático e com o espírito infantil.

A vida de ambos muda após o atrapalhado senhor tentar decolar com seu avião e atingir a casa vizinha, justamente a da Menina e sua mãe neurótica. Tentando um pedido de desculpas, o Aviador envia uma carta para a Menina. A princípio, ela se esquiva mas acaba cedendo e lendo a primeira parte de uma linda história de um pequeno príncipe.

Ao mergulhar na história do menino que mora no asteroide B-612 que se encontrou com o Aviador no deserto e que se encantou com uma rosa, a Menina descobre um mundo muito além do que a sua mãe a tinha mostrado. Na sua aventura, o pequeno príncipe viaja e encontra a raposa que ensina uma das grandes lições e uma das frases mais conhecidas do livro: “Tu te tornas responsável para sempre por aquilo que cativas”.

"Tu te tornas responsável para sempre por aquilo que cativas" (Foto: Reprodução)

“Tu te tornas responsável para sempre por aquilo que cativas” (Foto: Reprodução)

O simbolismo da citação é traduzida na amizade entre a Menina e o Aviador. Ao se deparar com a importância daquela amizade e do medo de perder aquela pessoa que o tanta a faz bem, ela resolve ir atrás do Pequeno Príncipe. Esse é o momento de maior aventura do filme. Ao lado de sua raposa, a Menina esquece dos livros, planejamentos realizados pela mãe e parte a procura do garoto.

A narrativa segue com uma trilha impecável e essencial para o sentimentalismo e tom que o filme adota. Uma película excelente para assistir em qualquer ocasião e ao lado de toda a família. Vale muito a pena reviver os momentos do livro que certamente você deve ter lido ainda criança. “O Pequeno Príncipe” cativa e nos faz ressalta a verdadeira essência da vida. Para curtir a experiência, o filme está em cartaz nos cinemas.

/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/5/2015/08/termo vetor segunda versão deitada 85