Você está com dor nos dentes do fundo da boca? Talvez seja problema no siso


Você está com dor nos dentes do fundo da boca? Talvez seja problema no siso

Na 22ª matéria da série “Vida Saudável”, dentista indica cuidados na cirurgia de retirada do siso, o “dente que não serve para nada”

Por Lucas Matos em Bem-Estar

25 de maio de 2015 às 06:00

Há 4 anos
Os sisos são os últimos molares de cada lado dos maxilares (FOTO: Divulgação)

Os sisos são os últimos molares de cada lado dos maxilares (FOTO: Divulgação)

Dizem que eles não “servem para nada”, mas causam um desconforto enorme. Na família, entre os amigos, sempre haverá uma pessoa que já retirou os sisos. Ao sentir dor, a primeira medida a ser tomada é procurar um dentista para a extração do dente, que pode durar de uma a duas horas de cirurgia.

Os sisos são os últimos molares de cada lado dos maxilares. Além de serem os últimos a nascer, consequentemente, não acham espaço para o nascimento na boca. Diante do problema, às vezes, os dentes podem não aparecer, ou por ele está na posição horizontal; ou por conta do ‘germe do dente’, quando ele nunca se forma; ou pelo fato de não haver espaço na arcada dentária.

Após a retirada dos sisos, a recuperação se dá naturalmente. De acordo com a dentista Roberta Leal, da rede de saúde Hapvida, no momento do pós-operatório, o paciente pode sentir sangramentos na região dos maxilares e edemas faciais.

“É normal que aconteça isso. No caso de sangramento, a indicação é colocar um pedaço de gaze limpa sobre a área do dente retirado e, se voltar a sangrar, tente mordê-la firmemente até sentir que a área foi estancada. Se persistir o incômodo, comunique seu dentista”, afirmou.

Estudante afirma que hora de comer foi a mais complicada (Foto: Arquivo Pessoal)

Estudante afirma que hora de comer foi a mais complicada (Foto: Arquivo Pessoal)

Complicações e cuidados

Como em qualquer procedimento cirúrgico, o paciente não está inerente às infecções. Ainda de acordo com Roberta Leal, pode acontecer alveolite, parestesia e trismo.

Mesmo com a possibilidade, antes da operação, o ideal é fazer uma boa higiene oral, não fumar e não beber nas 12 horas que antecedem a intervenção.

Para o universitário Pedro Brasil, o pós-operatório foi difícil. Diante de muita na região bucal, a alimentação foi restrita, ingerindo somente alimentos pastosos.

“Nas primeiras horas fiquei com bastante dor na língua. O ruim foi na hora de comer, pois só ficava no sorvete, milkshake, marujinho e sopa”, avaliou.

Após a retirada dos sisos, mesmo utilizando anti-inflamatório, no momento da escovação a leveza era necessária, por conta dos pontos levados na área, devido a dor intensa. Nos incisivos, o estudante colocava um pouco mais de força, enquanto no molares e pré-molares, como estavam sensíveis, passava a escova de leve.

(Arte: Tiago Leite)

(Arte: Tiago Leite)

Acompanhe a série “Vida Saudável”:

1) Saiba como identificar se seu filho é mais uma vítima do consumismo infantil (24/2)

2) Uso excessivo de equipamentos eletrônicos prejudica visão. Confira cuidados (26/2)

3) Brincar é coisa séria, e precisa ser tarefa diária de toda criança (2/3)

4) Mulheres têm 7 vezes mais chances do que homens de apresentar disfunção hormonal (5/3)

5) Prática exagerada de exercícios físicos pode desencadear doença: a vigorexia (9/3)

6) Metade da população masculina apresenta calvície até chegar aos 50 anos (12/3)

7) Confira as causas do chulé e saiba como se livrar desse mau cheiro (16/3)

8) Aprenda receita de cozinha que ajuda no combate a osteoporose (19/3)

9) Pessoas com diabetes precisam cuidar da saúde dos pés, para evitar ferimentos (23/3)

10) Saiba como se alimentar direito antes, durante e depois de atividade física (26/3)

11) Saiba como tratar o estresse pós-traumático, resultado da violência urbana (30/3)

12) Melhor remédio contra enxaqueca é alimentação saudável (2/4)

13) Entenda o que é febre chikungunya, doença causada pelo mesmo mosquito da dengue (6/4)

14) Tratamento de dentes fora do lugar certo é mais eficaz quando iniciado na infância (9/4)

15) Atenção, mamães: a saúde bucal é essencial para uma gravidez sem riscos (13/4)

16) Fuja das dietas malucas que não atendem as necessidades diárias (16/4)

17) Parto normal apresenta menor risco de infecções para o bebê e para a mãe (20/4)

18) Grávidas precisam adotar cuidados ao ter relações sexuais (23/4)

19) Gestante precisa beber três litros de água para garantir a saúde do bebê (27/4)

20) Uso da camisinha ainda é o método mais eficaz contra DSTs (30/4)

21) Autismo atinge cerca de 70 milhões de pessoas (21/5)

Publicidade

Dê sua opinião

Você está com dor nos dentes do fundo da boca? Talvez seja problema no siso

Na 22ª matéria da série “Vida Saudável”, dentista indica cuidados na cirurgia de retirada do siso, o “dente que não serve para nada”

Por Lucas Matos em Bem-Estar

25 de maio de 2015 às 06:00

Há 4 anos
Os sisos são os últimos molares de cada lado dos maxilares (FOTO: Divulgação)

Os sisos são os últimos molares de cada lado dos maxilares (FOTO: Divulgação)

Dizem que eles não “servem para nada”, mas causam um desconforto enorme. Na família, entre os amigos, sempre haverá uma pessoa que já retirou os sisos. Ao sentir dor, a primeira medida a ser tomada é procurar um dentista para a extração do dente, que pode durar de uma a duas horas de cirurgia.

Os sisos são os últimos molares de cada lado dos maxilares. Além de serem os últimos a nascer, consequentemente, não acham espaço para o nascimento na boca. Diante do problema, às vezes, os dentes podem não aparecer, ou por ele está na posição horizontal; ou por conta do ‘germe do dente’, quando ele nunca se forma; ou pelo fato de não haver espaço na arcada dentária.

Após a retirada dos sisos, a recuperação se dá naturalmente. De acordo com a dentista Roberta Leal, da rede de saúde Hapvida, no momento do pós-operatório, o paciente pode sentir sangramentos na região dos maxilares e edemas faciais.

“É normal que aconteça isso. No caso de sangramento, a indicação é colocar um pedaço de gaze limpa sobre a área do dente retirado e, se voltar a sangrar, tente mordê-la firmemente até sentir que a área foi estancada. Se persistir o incômodo, comunique seu dentista”, afirmou.

Estudante afirma que hora de comer foi a mais complicada (Foto: Arquivo Pessoal)

Estudante afirma que hora de comer foi a mais complicada (Foto: Arquivo Pessoal)

Complicações e cuidados

Como em qualquer procedimento cirúrgico, o paciente não está inerente às infecções. Ainda de acordo com Roberta Leal, pode acontecer alveolite, parestesia e trismo.

Mesmo com a possibilidade, antes da operação, o ideal é fazer uma boa higiene oral, não fumar e não beber nas 12 horas que antecedem a intervenção.

Para o universitário Pedro Brasil, o pós-operatório foi difícil. Diante de muita na região bucal, a alimentação foi restrita, ingerindo somente alimentos pastosos.

“Nas primeiras horas fiquei com bastante dor na língua. O ruim foi na hora de comer, pois só ficava no sorvete, milkshake, marujinho e sopa”, avaliou.

Após a retirada dos sisos, mesmo utilizando anti-inflamatório, no momento da escovação a leveza era necessária, por conta dos pontos levados na área, devido a dor intensa. Nos incisivos, o estudante colocava um pouco mais de força, enquanto no molares e pré-molares, como estavam sensíveis, passava a escova de leve.

(Arte: Tiago Leite)

(Arte: Tiago Leite)

Acompanhe a série “Vida Saudável”:

1) Saiba como identificar se seu filho é mais uma vítima do consumismo infantil (24/2)

2) Uso excessivo de equipamentos eletrônicos prejudica visão. Confira cuidados (26/2)

3) Brincar é coisa séria, e precisa ser tarefa diária de toda criança (2/3)

4) Mulheres têm 7 vezes mais chances do que homens de apresentar disfunção hormonal (5/3)

5) Prática exagerada de exercícios físicos pode desencadear doença: a vigorexia (9/3)

6) Metade da população masculina apresenta calvície até chegar aos 50 anos (12/3)

7) Confira as causas do chulé e saiba como se livrar desse mau cheiro (16/3)

8) Aprenda receita de cozinha que ajuda no combate a osteoporose (19/3)

9) Pessoas com diabetes precisam cuidar da saúde dos pés, para evitar ferimentos (23/3)

10) Saiba como se alimentar direito antes, durante e depois de atividade física (26/3)

11) Saiba como tratar o estresse pós-traumático, resultado da violência urbana (30/3)

12) Melhor remédio contra enxaqueca é alimentação saudável (2/4)

13) Entenda o que é febre chikungunya, doença causada pelo mesmo mosquito da dengue (6/4)

14) Tratamento de dentes fora do lugar certo é mais eficaz quando iniciado na infância (9/4)

15) Atenção, mamães: a saúde bucal é essencial para uma gravidez sem riscos (13/4)

16) Fuja das dietas malucas que não atendem as necessidades diárias (16/4)

17) Parto normal apresenta menor risco de infecções para o bebê e para a mãe (20/4)

18) Grávidas precisam adotar cuidados ao ter relações sexuais (23/4)

19) Gestante precisa beber três litros de água para garantir a saúde do bebê (27/4)

20) Uso da camisinha ainda é o método mais eficaz contra DSTs (30/4)

21) Autismo atinge cerca de 70 milhões de pessoas (21/5)