Uso de remédios para evitar dor durante o parto não traz danos para mãe e bebê


Uso de remédios para evitar dor durante o parto não traz danos para mãe e bebê

Em mais uma matéria da série “Vida Saudável”, médico alerta que não há evidências que demonstrem que a dor do parto seja benéfica

Por Lucas Matos em Bem-Estar

18 de junho de 2015 às 07:00

Há 4 anos
Gestante deve ser avisado pelo médico sobre a anestesia (Foto: Divulgação)

Gestante deve ser avisado pelo médico sobre a anestesia (Foto: Divulgação)

A analgesia é a supressão da dor obtida por meio de métodos não farmacológicos ou alternativos que incluem procedimentos como eletroanalgesia, acupuntura, psicoprofilático, banhos quentes, massagens, hipnose, entre outros. Nas farmacológicas, usa-se opióides e diazepínicos e até mesmo a anestesia geral, bloqueios regionais, bloqueio paracervical, bloqueio do nervo pudendo, raquianestesia, analgesia combinada raqui-peridural e analgesia peridural contínua.

O efeito da analgesia no corpo da mulher, segundo o médico obstetra Lourivaldo Rodrigues, da rede de saúde Hapvida, é a redução da dor, não tendo nenhuma consequência na mãe e no filho.

“Esta forma de atenção ao parto faz com que o mesmo transcorra dentro de uma normalidade, permitindo inclusive algumas manobras ou mesmo intervenções sem agredir a parturiente”, afirmou.

Vantagens e desvantagens

Ainda de acordo com o obstétrico, não há evidências que demonstrem que a dor do parto seja benéfica. Para ele, por outro lado, a dor pode ter repercussões na homeostasia materna e provocar efeitos nocivos sobre a grávida e o feto, assim como afetar a normal evolução do trabalho de parto.

Ao se utilizar das substâncias analgésicas, deve-se lembrar que elas atravessam a placenta e podem ter efeitos nocivos no feto. Estes dependem da dose do fármaco, da via utilizada e do intervalo de tempo decorrido entre a administração e o nascimento. Outrossim, a dor do parto pode provocar hiperventilação, reduzindo a pCO2 e a consequente elevação do pH sanguíneo materno levando a alcalose respiratória.

(Arte: Tiago Leite)

(Arte: Tiago Leite)

Acompanhe a série “Vida Saudável”:

1) Saiba como identificar se seu filho é mais uma vítima do consumismo infantil (24/2)

2) Uso excessivo de equipamentos eletrônicos prejudica visão. Confira cuidados (26/2)

3) Brincar é coisa séria, e precisa ser tarefa diária de toda criança (2/3)

4) Mulheres têm 7 vezes mais chances do que homens de apresentar disfunção hormonal (5/3)

5) Prática exagerada de exercícios físicos pode desencadear doença: a vigorexia (9/3)

6) Metade da população masculina apresenta calvície até chegar aos 50 anos (12/3)

7) Confira as causas do chulé e saiba como se livrar desse mau cheiro (16/3)

8) Aprenda receita de cozinha que ajuda no combate a osteoporose (19/3)

9) Pessoas com diabetes precisam cuidar da saúde dos pés, para evitar ferimentos (23/3)

10) Saiba como se alimentar direito antes, durante e depois de atividade física (26/3)

11) Saiba como tratar o estresse pós-traumático, resultado da violência urbana (30/3)

12) Melhor remédio contra enxaqueca é alimentação saudável (2/4)

13) Entenda o que é febre chikungunya, doença causada pelo mesmo mosquito da dengue (6/4)

14) Tratamento de dentes fora do lugar certo é mais eficaz quando iniciado na infância (9/4)

15) Atenção, mamães: a saúde bucal é essencial para uma gravidez sem riscos (13/4)

16) Fuja das dietas malucas que não atendem as necessidades diárias (16/4)

17) Parto normal apresenta menor risco de infecções para o bebê e para a mãe (20/4)

18) Grávidas precisam adotar cuidados ao ter relações sexuais (23/4)

19) Gestante precisa beber três litros de água para garantir a saúde do bebê (27/4)

20) Uso da camisinha ainda é o método mais eficaz contra DSTs (30/4)

21) Sinais do autismo podem ser identificados na infância, permitindo tratamento precoce (21/5)

22) Você está com dor nos dentes do fundo da boca? Talvez seja problema no siso (25/5)

23) Não confunda: smoothies não é milk shake, mas também é uma boa pedida para o lanche (28/5)

24) Beber dois litros de água por dia é essencial para cuida da voz (01/6)

25) Mau hálito pode ser combatido com higiene da língua (04/6)

26) Descubra os benefícios e malefícios do chocolate (08/6)

27) Dores na região da bochecha podem significar ATM. Saiba o que é isso (11/6)

28) Gestantes devem ter cuidado com pressão arterial, especialmente após a 20ª semana (15/6)

Publicidade

Dê sua opinião

Uso de remédios para evitar dor durante o parto não traz danos para mãe e bebê

Em mais uma matéria da série “Vida Saudável”, médico alerta que não há evidências que demonstrem que a dor do parto seja benéfica

Por Lucas Matos em Bem-Estar

18 de junho de 2015 às 07:00

Há 4 anos
Gestante deve ser avisado pelo médico sobre a anestesia (Foto: Divulgação)

Gestante deve ser avisado pelo médico sobre a anestesia (Foto: Divulgação)

A analgesia é a supressão da dor obtida por meio de métodos não farmacológicos ou alternativos que incluem procedimentos como eletroanalgesia, acupuntura, psicoprofilático, banhos quentes, massagens, hipnose, entre outros. Nas farmacológicas, usa-se opióides e diazepínicos e até mesmo a anestesia geral, bloqueios regionais, bloqueio paracervical, bloqueio do nervo pudendo, raquianestesia, analgesia combinada raqui-peridural e analgesia peridural contínua.

O efeito da analgesia no corpo da mulher, segundo o médico obstetra Lourivaldo Rodrigues, da rede de saúde Hapvida, é a redução da dor, não tendo nenhuma consequência na mãe e no filho.

“Esta forma de atenção ao parto faz com que o mesmo transcorra dentro de uma normalidade, permitindo inclusive algumas manobras ou mesmo intervenções sem agredir a parturiente”, afirmou.

Vantagens e desvantagens

Ainda de acordo com o obstétrico, não há evidências que demonstrem que a dor do parto seja benéfica. Para ele, por outro lado, a dor pode ter repercussões na homeostasia materna e provocar efeitos nocivos sobre a grávida e o feto, assim como afetar a normal evolução do trabalho de parto.

Ao se utilizar das substâncias analgésicas, deve-se lembrar que elas atravessam a placenta e podem ter efeitos nocivos no feto. Estes dependem da dose do fármaco, da via utilizada e do intervalo de tempo decorrido entre a administração e o nascimento. Outrossim, a dor do parto pode provocar hiperventilação, reduzindo a pCO2 e a consequente elevação do pH sanguíneo materno levando a alcalose respiratória.

(Arte: Tiago Leite)

(Arte: Tiago Leite)

Acompanhe a série “Vida Saudável”:

1) Saiba como identificar se seu filho é mais uma vítima do consumismo infantil (24/2)

2) Uso excessivo de equipamentos eletrônicos prejudica visão. Confira cuidados (26/2)

3) Brincar é coisa séria, e precisa ser tarefa diária de toda criança (2/3)

4) Mulheres têm 7 vezes mais chances do que homens de apresentar disfunção hormonal (5/3)

5) Prática exagerada de exercícios físicos pode desencadear doença: a vigorexia (9/3)

6) Metade da população masculina apresenta calvície até chegar aos 50 anos (12/3)

7) Confira as causas do chulé e saiba como se livrar desse mau cheiro (16/3)

8) Aprenda receita de cozinha que ajuda no combate a osteoporose (19/3)

9) Pessoas com diabetes precisam cuidar da saúde dos pés, para evitar ferimentos (23/3)

10) Saiba como se alimentar direito antes, durante e depois de atividade física (26/3)

11) Saiba como tratar o estresse pós-traumático, resultado da violência urbana (30/3)

12) Melhor remédio contra enxaqueca é alimentação saudável (2/4)

13) Entenda o que é febre chikungunya, doença causada pelo mesmo mosquito da dengue (6/4)

14) Tratamento de dentes fora do lugar certo é mais eficaz quando iniciado na infância (9/4)

15) Atenção, mamães: a saúde bucal é essencial para uma gravidez sem riscos (13/4)

16) Fuja das dietas malucas que não atendem as necessidades diárias (16/4)

17) Parto normal apresenta menor risco de infecções para o bebê e para a mãe (20/4)

18) Grávidas precisam adotar cuidados ao ter relações sexuais (23/4)

19) Gestante precisa beber três litros de água para garantir a saúde do bebê (27/4)

20) Uso da camisinha ainda é o método mais eficaz contra DSTs (30/4)

21) Sinais do autismo podem ser identificados na infância, permitindo tratamento precoce (21/5)

22) Você está com dor nos dentes do fundo da boca? Talvez seja problema no siso (25/5)

23) Não confunda: smoothies não é milk shake, mas também é uma boa pedida para o lanche (28/5)

24) Beber dois litros de água por dia é essencial para cuida da voz (01/6)

25) Mau hálito pode ser combatido com higiene da língua (04/6)

26) Descubra os benefícios e malefícios do chocolate (08/6)

27) Dores na região da bochecha podem significar ATM. Saiba o que é isso (11/6)

28) Gestantes devem ter cuidado com pressão arterial, especialmente após a 20ª semana (15/6)