Pessoas com diabetes precisam cuidar da saúde dos pés, para evitar ferimentos


Pessoas com diabetes precisam cuidar da saúde dos pés, para evitar ferimentos

Na 9ª matéria da série “Vida Saudável”, ortopedista alerta sobre o perigo do pé diabético, que costuma ocorrer em pessoas que têm diabetes durante 10 ou 20 anos

Por Rosana Romão em Bem-Estar

23 de março de 2015 às 11:00

Há 4 anos
Deve-se verificar a existência de frieiras, cortes, calos, rachaduras, feridas ou alterações de cor e avisar de imediato ao médico. (FOTO:Flickr/ Creative Commons/ Amanda Braide)

Deve-se verificar a existência de frieiras, cortes, calos, rachaduras, feridas ou alterações de cor e avisar de imediato ao médico. (FOTO:Flickr/ Creative Commons/ Amanda Braide)

O pé diabético é uma complicação crônica do diabetes mellitus, caracterizando-se por infecção, ulceração e ou destruição dos tecidos profundos associados a anormalidades neurológicas e vários graus de doença vascular periférica nos membros inferiores. Costuma ocorrer em pessoas que têm diabetes durante 10 ou 20 anos e começam a apresentar diminuição da circulação arterial, redução da sensibilidade dolorosa e térmica nos membros.

As taxas aumentadas de glicose no sangue por longo período de tempo podem causar esta neuropatia, que é sentida através de formigamento, agulhadas, dor, dormência, queimação ou fraqueza nos membros. Diferente do que acontece com problemas circulatórios, que dão dores na panturrilha ou nas coxas quando as pessoas se movimentam e melhoram com o repouso, os sintomas da neuropatia são piores à noite, ao deitar.

A prevenção é a maneira mais eficaz de evitar a complicação. Entre as principais medidas de prevenção estão: manter os níveis da glicemia controlados; evitar tabagismo, exame visual diário dos pés e avaliação médica periódica. Quem tem diabetes há vários anos precisa ter em mente que a perda de sensibilidade nos membros pode levar ao aparecimento de ferimentos sem que a pessoa perceba. “Em caso de ferimentos ou acidentes nos pés ou pernas, faça um tratamento imediato. Não espere para ‘ver se vai melhorar’. Este tempo perdido pode gerar complicações como infecções e dificuldade de cicatrização das feridas”, explica o ortopedista Bruno Botelho, da rede de saúde Hapvida.

Ao notar um ferimento, os primeiros cuidados a serem tomados são: lavar o local com água limpa e sabão neutro, cobrir com gaze estéril e enfaixar sem apertar. Em seguida, procure um médico. Essas alterações podem causar úlceras nos pés em aproximadamente 85% dos casos, infecção em 20 a 50% dos pacientes e gangrena em 50 a 70% dos casos. Na maioria das situações, a amputação teve de ser realizada devido à combinação da infecção profunda e da isquemia. As indicações mais comuns para amputação descritas na literatura são gangrena, infecção e úlcera não cicatrizada.

Cuidados especiais

 De acordo com o ortopedista Bruno Botelho, é preciso manter os pés sempre limpos, e usar sempre água morna, e nunca quente, para evitar queimaduras. A toalha deve ser macia. É melhor não esfregar a pele. Mantenha a pele hidratada, mas sem passar creme entre os dedos ou ao redor das unhas. Use meias sem costura. O tecido deve ser algodão ou lã. O ideal é evitar sintéticos, como nylon. Antes de cortar as unhas, o paciente precisa lavá-las e secá-las bem.

Para cortar, usar um alicate apropriado, ou uma tesoura de ponta arredondada. O corte deve ser quadrado, com as laterais levemente arredondadas, e sem tirar a cutícula. Recomenda-se evitar idas a manicures ou pedicures, dando preferência a um profissional treinado, o qual deve ser avisado do diabetes. O ideal é não cortar os calos, nem usar abrasivos. É melhor conversar com o médico sobre a possível causa do aparecimento dos calos.

Calçado ideal

Os calçados ideais são os fechados, macios, confortáveis e com solados rígidos, que ofereçam firmeza. As mulheres devem dar preferência a saltos quadrados, que tenham, no máximo, 3 cm de altura. Guarde os sapatos em ambiente arejado e lave-os sempre que necessário. Para os exercícios físicos, você deve escolher um tênis confortável, com sistema de amortecimento de impactos. Reserve um tênis apenas para a prática de esportes.

Acompanhe a série “Vida Saudável”:

1) Saiba como identificar se seu filho é mais uma vítima do consumismo infantil (24/2)

2) Uso excessivo de equipamentos eletrônicos prejudica visão (26/2)

3) Brincar é coisa séria, e precisa ser tarefa diária de toda criança (2/3)

4) Mulheres têm 7 vezes mais chances do que homens de apresentar disfunção hormonal (5/3)

5) Prática exagerada de exercícios físicos pode desencadear doença: a vigorexia (9/3)

6) Metade da população masculina apresenta calvície até chegar aos 50 anos (12/3)

7) Confira as causas do chulé e saiba como se livrar desse mau cheiro (16/3)

8) Aprenda receita de cozinha que ajuda no combate a osteoporose (19/3)

9) Pessoas com diabetes precisam cuidar da saúde dos pés, para evitar ferimentos (23/3)

10) O que comer antes e após a atividade física (26/3)

11) Saiba como trabalhar o estresse pós-traumático (30/3)

12) Enxaqueca tem cura (2/4)

13) Conheça os sintomas da febre Chikungunya (6/4)

14) O que é mordida cruzada? (9/4)

15) Saúde bucal é essencial para uma boa gestação (13/4)

16) Dietas malucas: fuja delas (16/4)

17) Conheça as vantagens do parto normal (20/4)

18) O tabu do sexo na gravidez (23/4)

19) Saiba como se alimentar direito durante a gestação (27/4)

20) Proteção é essencial para evitar a Aids (30/4)

Publicidade

Dê sua opinião

Pessoas com diabetes precisam cuidar da saúde dos pés, para evitar ferimentos

Na 9ª matéria da série “Vida Saudável”, ortopedista alerta sobre o perigo do pé diabético, que costuma ocorrer em pessoas que têm diabetes durante 10 ou 20 anos

Por Rosana Romão em Bem-Estar

23 de março de 2015 às 11:00

Há 4 anos
Deve-se verificar a existência de frieiras, cortes, calos, rachaduras, feridas ou alterações de cor e avisar de imediato ao médico. (FOTO:Flickr/ Creative Commons/ Amanda Braide)

Deve-se verificar a existência de frieiras, cortes, calos, rachaduras, feridas ou alterações de cor e avisar de imediato ao médico. (FOTO:Flickr/ Creative Commons/ Amanda Braide)

O pé diabético é uma complicação crônica do diabetes mellitus, caracterizando-se por infecção, ulceração e ou destruição dos tecidos profundos associados a anormalidades neurológicas e vários graus de doença vascular periférica nos membros inferiores. Costuma ocorrer em pessoas que têm diabetes durante 10 ou 20 anos e começam a apresentar diminuição da circulação arterial, redução da sensibilidade dolorosa e térmica nos membros.

As taxas aumentadas de glicose no sangue por longo período de tempo podem causar esta neuropatia, que é sentida através de formigamento, agulhadas, dor, dormência, queimação ou fraqueza nos membros. Diferente do que acontece com problemas circulatórios, que dão dores na panturrilha ou nas coxas quando as pessoas se movimentam e melhoram com o repouso, os sintomas da neuropatia são piores à noite, ao deitar.

A prevenção é a maneira mais eficaz de evitar a complicação. Entre as principais medidas de prevenção estão: manter os níveis da glicemia controlados; evitar tabagismo, exame visual diário dos pés e avaliação médica periódica. Quem tem diabetes há vários anos precisa ter em mente que a perda de sensibilidade nos membros pode levar ao aparecimento de ferimentos sem que a pessoa perceba. “Em caso de ferimentos ou acidentes nos pés ou pernas, faça um tratamento imediato. Não espere para ‘ver se vai melhorar’. Este tempo perdido pode gerar complicações como infecções e dificuldade de cicatrização das feridas”, explica o ortopedista Bruno Botelho, da rede de saúde Hapvida.

Ao notar um ferimento, os primeiros cuidados a serem tomados são: lavar o local com água limpa e sabão neutro, cobrir com gaze estéril e enfaixar sem apertar. Em seguida, procure um médico. Essas alterações podem causar úlceras nos pés em aproximadamente 85% dos casos, infecção em 20 a 50% dos pacientes e gangrena em 50 a 70% dos casos. Na maioria das situações, a amputação teve de ser realizada devido à combinação da infecção profunda e da isquemia. As indicações mais comuns para amputação descritas na literatura são gangrena, infecção e úlcera não cicatrizada.

Cuidados especiais

 De acordo com o ortopedista Bruno Botelho, é preciso manter os pés sempre limpos, e usar sempre água morna, e nunca quente, para evitar queimaduras. A toalha deve ser macia. É melhor não esfregar a pele. Mantenha a pele hidratada, mas sem passar creme entre os dedos ou ao redor das unhas. Use meias sem costura. O tecido deve ser algodão ou lã. O ideal é evitar sintéticos, como nylon. Antes de cortar as unhas, o paciente precisa lavá-las e secá-las bem.

Para cortar, usar um alicate apropriado, ou uma tesoura de ponta arredondada. O corte deve ser quadrado, com as laterais levemente arredondadas, e sem tirar a cutícula. Recomenda-se evitar idas a manicures ou pedicures, dando preferência a um profissional treinado, o qual deve ser avisado do diabetes. O ideal é não cortar os calos, nem usar abrasivos. É melhor conversar com o médico sobre a possível causa do aparecimento dos calos.

Calçado ideal

Os calçados ideais são os fechados, macios, confortáveis e com solados rígidos, que ofereçam firmeza. As mulheres devem dar preferência a saltos quadrados, que tenham, no máximo, 3 cm de altura. Guarde os sapatos em ambiente arejado e lave-os sempre que necessário. Para os exercícios físicos, você deve escolher um tênis confortável, com sistema de amortecimento de impactos. Reserve um tênis apenas para a prática de esportes.

Acompanhe a série “Vida Saudável”:

1) Saiba como identificar se seu filho é mais uma vítima do consumismo infantil (24/2)

2) Uso excessivo de equipamentos eletrônicos prejudica visão (26/2)

3) Brincar é coisa séria, e precisa ser tarefa diária de toda criança (2/3)

4) Mulheres têm 7 vezes mais chances do que homens de apresentar disfunção hormonal (5/3)

5) Prática exagerada de exercícios físicos pode desencadear doença: a vigorexia (9/3)

6) Metade da população masculina apresenta calvície até chegar aos 50 anos (12/3)

7) Confira as causas do chulé e saiba como se livrar desse mau cheiro (16/3)

8) Aprenda receita de cozinha que ajuda no combate a osteoporose (19/3)

9) Pessoas com diabetes precisam cuidar da saúde dos pés, para evitar ferimentos (23/3)

10) O que comer antes e após a atividade física (26/3)

11) Saiba como trabalhar o estresse pós-traumático (30/3)

12) Enxaqueca tem cura (2/4)

13) Conheça os sintomas da febre Chikungunya (6/4)

14) O que é mordida cruzada? (9/4)

15) Saúde bucal é essencial para uma boa gestação (13/4)

16) Dietas malucas: fuja delas (16/4)

17) Conheça as vantagens do parto normal (20/4)

18) O tabu do sexo na gravidez (23/4)

19) Saiba como se alimentar direito durante a gestação (27/4)

20) Proteção é essencial para evitar a Aids (30/4)