Grávidas precisam adotar cuidados ao ter relações sexuais


Grávidas precisam adotar cuidados ao ter relações sexuais

Na 18ª matéria da série “Vida Saudável”, ginecologista explica que as gestantes podem manter relações sexuais normais até semanas antes do parto, mas com precauções

Por Lucas Matos em Bem-Estar

23 de abril de 2015 às 09:15

Há 4 anos
Casais devem ter cuidado ao praticar ato sexual (Foto: Divulgação)

Casais devem ter cuidado ao praticar ato sexual (Foto: Divulgação)

Durante a gestação, vários questionamentos são feitos pela futura mamãe. A mulher fica mais sensível e com certas dúvidas sobre mitos e verdades. E uma delas está ligada ao sexo na gravidez.

Para tirar as interrogações que ainda persistem nas mulheres – e também nos homens -, a ginecologista Isabela Carvalho, da rede de saúde Hapvida, responde alguns questionamentos daqueles que possuem incertezas.

Os riscos do sexo na gravidez são inexistentes quando a gestação for de baixo risco, saudável e sem intercorrências. A relação sexual pode ser realizada até bem próximo da fase final, não causando desconforto na mãe. Mas, caso ocorra problemas de sangramento por ameaça de aborto, descolamento de placenta, placenta prévia (baixa) ou ameaça de trabalho de parto prematuro, a prática sexual é contra indicada por um determinado período, ou por toda a gestação.

De acordo com Isabela Carvalho, alguns médicos indicam que até o primeiro trimestre possa evitar as relações sexuais. “A grávida está mais vulnerável a perdas gestacionais, segundo alguns profissionais. Porém, acredito que esta conduta deva ser individualizada, de acordo com o histórico de cada paciente”.

A prática sexual não só ajuda a manter a libido do casal, mas, também, auxilia em fazer o parto normal. Ainda segundo a ginecologista, quanto a concepção, ocorre o amolecimento do colo do útero causado pelas prostaglandinas presentes no sêmen.

Posições

Devido a um certo receio ou medo, algumas grávidas continuam a ter suas relações sexuais normalmente, porém, com certos cuidados, ocasionando uma proteção para o bebê. Ainda segundo Isabela, as posições devem mudar com o passar dos meses, sempre seguindo a sintonia do casal.

“No início da gestação, não há restrição. Conforme o útero vai aumentando, o parceiro deve procurar manter a mulher confortável, sem compressão forte sobre o bebê. Atenção também à coluna da mulher, que não deve ser forçada além da sobrecarga própria da gravidez”.

 

Acompanhe a série “Vida Saudável”:

1) Saiba como identificar se seu filho é mais uma vítima do consumismo infantil (24/2)

2) Uso excessivo de equipamentos eletrônicos prejudica visão. Confira cuidados (26/2)

3) Brincar é coisa séria, e precisa ser tarefa diária de toda criança (2/3)

4) Mulheres têm 7 vezes mais chances do que homens de apresentar disfunção hormonal (5/3)

5) Prática exagerada de exercícios físicos pode desencadear doença: a vigorexia (9/3)

6) Metade da população masculina apresenta calvície até chegar aos 50 anos (12/3)

7) Confira as causas do chulé e saiba como se livrar desse mau cheiro (16/3)

8) Aprenda receita de cozinha que ajuda no combate a osteoporose (19/3)

9) Pessoas com diabetes precisam cuidar da saúde dos pés, para evitar ferimentos (23/3)

10) Saiba como se alimentar direito antes, durante e depois de atividade física (26/3)

11) Saiba como tratar o estresse pós-traumático, resultado da violência urbana (30/3)

12) Melhor remédio contra enxaqueca é alimentação saudável (2/4)

13) Febre chikungunya é doença causada pelo mesmo mosquito da dengue (6/4)

14) Tratamento de dentes fora do lugar certo é mais eficaz quando iniciado na infância (9/4)

15) Atenção, mamães: a saúde bucal é essencial para uma gravidez sem riscos (13/4)

16) Fuja das dietas malucas que não atendem as necessidades diárias (16/4)

17) Parto normal apresenta menor risco de infecções para o bebê e para a mãe (20/4)

18) Grávidas precisam adotar cuidados ao ter relações sexuais (23/4)

19) Saiba como se alimentar direito durante a gestação (27/4)

20) Proteção é essencial para evitar a Aids (30/4)

Publicidade

Dê sua opinião

Grávidas precisam adotar cuidados ao ter relações sexuais

Na 18ª matéria da série “Vida Saudável”, ginecologista explica que as gestantes podem manter relações sexuais normais até semanas antes do parto, mas com precauções

Por Lucas Matos em Bem-Estar

23 de abril de 2015 às 09:15

Há 4 anos
Casais devem ter cuidado ao praticar ato sexual (Foto: Divulgação)

Casais devem ter cuidado ao praticar ato sexual (Foto: Divulgação)

Durante a gestação, vários questionamentos são feitos pela futura mamãe. A mulher fica mais sensível e com certas dúvidas sobre mitos e verdades. E uma delas está ligada ao sexo na gravidez.

Para tirar as interrogações que ainda persistem nas mulheres – e também nos homens -, a ginecologista Isabela Carvalho, da rede de saúde Hapvida, responde alguns questionamentos daqueles que possuem incertezas.

Os riscos do sexo na gravidez são inexistentes quando a gestação for de baixo risco, saudável e sem intercorrências. A relação sexual pode ser realizada até bem próximo da fase final, não causando desconforto na mãe. Mas, caso ocorra problemas de sangramento por ameaça de aborto, descolamento de placenta, placenta prévia (baixa) ou ameaça de trabalho de parto prematuro, a prática sexual é contra indicada por um determinado período, ou por toda a gestação.

De acordo com Isabela Carvalho, alguns médicos indicam que até o primeiro trimestre possa evitar as relações sexuais. “A grávida está mais vulnerável a perdas gestacionais, segundo alguns profissionais. Porém, acredito que esta conduta deva ser individualizada, de acordo com o histórico de cada paciente”.

A prática sexual não só ajuda a manter a libido do casal, mas, também, auxilia em fazer o parto normal. Ainda segundo a ginecologista, quanto a concepção, ocorre o amolecimento do colo do útero causado pelas prostaglandinas presentes no sêmen.

Posições

Devido a um certo receio ou medo, algumas grávidas continuam a ter suas relações sexuais normalmente, porém, com certos cuidados, ocasionando uma proteção para o bebê. Ainda segundo Isabela, as posições devem mudar com o passar dos meses, sempre seguindo a sintonia do casal.

“No início da gestação, não há restrição. Conforme o útero vai aumentando, o parceiro deve procurar manter a mulher confortável, sem compressão forte sobre o bebê. Atenção também à coluna da mulher, que não deve ser forçada além da sobrecarga própria da gravidez”.

 

Acompanhe a série “Vida Saudável”:

1) Saiba como identificar se seu filho é mais uma vítima do consumismo infantil (24/2)

2) Uso excessivo de equipamentos eletrônicos prejudica visão. Confira cuidados (26/2)

3) Brincar é coisa séria, e precisa ser tarefa diária de toda criança (2/3)

4) Mulheres têm 7 vezes mais chances do que homens de apresentar disfunção hormonal (5/3)

5) Prática exagerada de exercícios físicos pode desencadear doença: a vigorexia (9/3)

6) Metade da população masculina apresenta calvície até chegar aos 50 anos (12/3)

7) Confira as causas do chulé e saiba como se livrar desse mau cheiro (16/3)

8) Aprenda receita de cozinha que ajuda no combate a osteoporose (19/3)

9) Pessoas com diabetes precisam cuidar da saúde dos pés, para evitar ferimentos (23/3)

10) Saiba como se alimentar direito antes, durante e depois de atividade física (26/3)

11) Saiba como tratar o estresse pós-traumático, resultado da violência urbana (30/3)

12) Melhor remédio contra enxaqueca é alimentação saudável (2/4)

13) Febre chikungunya é doença causada pelo mesmo mosquito da dengue (6/4)

14) Tratamento de dentes fora do lugar certo é mais eficaz quando iniciado na infância (9/4)

15) Atenção, mamães: a saúde bucal é essencial para uma gravidez sem riscos (13/4)

16) Fuja das dietas malucas que não atendem as necessidades diárias (16/4)

17) Parto normal apresenta menor risco de infecções para o bebê e para a mãe (20/4)

18) Grávidas precisam adotar cuidados ao ter relações sexuais (23/4)

19) Saiba como se alimentar direito durante a gestação (27/4)

20) Proteção é essencial para evitar a Aids (30/4)