Descubra os benefícios e malefícios do chocolate


Descubra os benefícios e malefícios do chocolate

O chocolate têm diversas propriedades benéficas, contando com o cacau, o ingrediente principal do alimento.

Por Lucas Matos em Bem-Estar

8 de junho de 2015 às 07:00

Há 4 anos
O consumo de chocolate deve ser moderado, diante de diversos tipos (Foto: Divulgação)

O consumo de chocolate deve ser moderado, diante de diversos tipos (Foto: Divulgação)

Chocolate é bom. Os chocólatras que o digam. Existem diversas variações do produto, onde é sinônimo de lembrança, carinho e afeto, além de haver uma possível relação entre a guloseima e mulheres em dia de tensão pré-menstrual.

Mesmo sendo bom, o chocolate deve ser consumido com moderação, de acordo com Tanara Ferreira, nutricionista da rede de saúde Hapvida.

“O primeiro ponto é o excesso de qualquer tipo de alimento gera acumulo de gordura corporal, que pode trazer consequências para a saúde. E o segundo ponto é escolher adequadamente o tipo de chocolate. Os chocolates com maiores teores de cacau são as melhores escolhas (meio amargo e amargo)”, afirmou.

Diante deste quadro, mesmo usufruindo com prudência, o chocolate têm diversas propriedades benéficas, contando com o cacau, o ingrediente principal do alimento. O mesmo reduz a adesão plaquetária, controlando a pressão arterial e diminuindo os riscos de doenças cardiovasculares; ação antioxidante; e aumenta os níveis de serotonina, neurotransmissor relacionado ao bem-estar.

Tipos de chocolate

Chocolate branco, ao leite, meio amargo, amargo e diet são tipos de chocolates encontrados nos mercados. Cada um tem benefícios e malefícios. Com isso, Tanara Ferreira identificou algumas características importantes em cada um.

Chocolate branco: contém somente 4% de cacau, é composto praticamente somente por manteiga de cacau. A manteiga de cacau uma gordura monoinssaturada e uma gordura saturada. Essas, quando metabolizada no organismo, tornam-se ácido oléico, portanto, não tem efeito prejudicial nos níveis de colesterol. Contudo, também tem em sua composição o ácido palmítico, que é uma gordura saturada e, sendo consumida em excesso, pode aumentar os riscos de doenças cardiovasculares.

Chocolate ao leite: apresenta em sua composição aproximadamente 30% de cacau, tem maiores quantidades de outros ingredientes, entre eles o açúcar. Seu consumo está relacionado ao excesso de peso, diabetes, hipertensão, câncer e outras doenças.

Chocolate meio amargo: possui em média 40% a 50% de cacau em sua composição. É mais benéfico do que os outros chocolates citados anteriormente.

Chocolate amargo: principal ingrediente é o cacau, em média 70%. Garante maiores benefícios a saúde.

Chocolate diet: opção para os indivíduos que tem restrição ao açúcar. O termo “diet” não significa sem açúcar. Na verdade significa a retirada total de algum nutriente/ingrediente. No caso dos chocolates o ingrediente retirado é o açúcar, e para manter o sabor e consistência, é adicionado adoçantes que em geral são os artificiais e gordura saturada, portanto deve ser consumido com muito controle.

Camila Viveiros (à esq.) e Rebeca Queiroz (à dir.) não deixam de lado o chocolate branco e ao leite (Foto: Arquivo Pessoal)

Camila Viveiros (à esq.) e Rebeca Queiroz (à dir.) não deixam de lado o chocolate branco e ao leite (Foto: Arquivo Pessoal)

Mesmo com tanta variedade, a universitária Camila Viveiros, chocólatra assumida, não dispensa seu chocolate branco, principalmente quando viaja ao exterior. “Quando viajo, sempre tenho que experimentar. Fico um bom tempo à frente das gôndolas pra analisar as variedades. Acho esse tipo de chocolate mais denso”, avaliou.

Para Rebeca Queiroz, também universitária, não importa qual tipo seja, o cheiro do chocolate a atrai. “Prefiro o chocolate ao leite. Sinto que tenho uma satisfação ao comer. Como todos os dias, porém, em pequenas quantidades”, finalizou.

(Arte: Tiago Leite)

(Arte: Tiago Leite)

Acompanhe a série “Vida Saudável”:

1) Saiba como identificar se seu filho é mais uma vítima do consumismo infantil (24/2)

2) Uso excessivo de equipamentos eletrônicos prejudica visão. Confira cuidados (26/2)

3) Brincar é coisa séria, e precisa ser tarefa diária de toda criança (2/3)

4) Mulheres têm 7 vezes mais chances do que homens de apresentar disfunção hormonal (5/3)

5) Prática exagerada de exercícios físicos pode desencadear doença: a vigorexia (9/3)

6) Metade da população masculina apresenta calvície até chegar aos 50 anos (12/3)

7) Confira as causas do chulé e saiba como se livrar desse mau cheiro (16/3)

8) Aprenda receita de cozinha que ajuda no combate a osteoporose (19/3)

9) Pessoas com diabetes precisam cuidar da saúde dos pés, para evitar ferimentos (23/3)

10) Saiba como se alimentar direito antes, durante e depois de atividade física (26/3)

11) Saiba como tratar o estresse pós-traumático, resultado da violência urbana (30/3)

12) Melhor remédio contra enxaqueca é alimentação saudável (2/4)

13) Entenda o que é febre chikungunya, doença causada pelo mesmo mosquito da dengue (6/4)

14) Tratamento de dentes fora do lugar certo é mais eficaz quando iniciado na infância (9/4)

15) Atenção, mamães: a saúde bucal é essencial para uma gravidez sem riscos (13/4)

16) Fuja das dietas malucas que não atendem as necessidades diárias (16/4)

17) Parto normal apresenta menor risco de infecções para o bebê e para a mãe (20/4)

18) Grávidas precisam adotar cuidados ao ter relações sexuais (23/4)

19) Gestante precisa beber três litros de água para garantir a saúde do bebê (27/4)

20) Uso da camisinha ainda é o método mais eficaz contra DSTs (30/4)

21) Sinais do autismo podem ser identificados na infância, permitindo tratamento precoce (21/5)

22) Você está com dor nos dentes do fundo da boca? Talvez seja problema no siso (25/5)

23) Não confunda: smoothies não é milk shake, mas também é uma boa pedida para o lanche (28/5)

24) Beber dois litros de água por dia é essencial para cuida da voz (01/6)

25) Mau hálito pode ser combatido com higiene da língua (04/6)

Publicidade

Dê sua opinião

Descubra os benefícios e malefícios do chocolate

O chocolate têm diversas propriedades benéficas, contando com o cacau, o ingrediente principal do alimento.

Por Lucas Matos em Bem-Estar

8 de junho de 2015 às 07:00

Há 4 anos
O consumo de chocolate deve ser moderado, diante de diversos tipos (Foto: Divulgação)

O consumo de chocolate deve ser moderado, diante de diversos tipos (Foto: Divulgação)

Chocolate é bom. Os chocólatras que o digam. Existem diversas variações do produto, onde é sinônimo de lembrança, carinho e afeto, além de haver uma possível relação entre a guloseima e mulheres em dia de tensão pré-menstrual.

Mesmo sendo bom, o chocolate deve ser consumido com moderação, de acordo com Tanara Ferreira, nutricionista da rede de saúde Hapvida.

“O primeiro ponto é o excesso de qualquer tipo de alimento gera acumulo de gordura corporal, que pode trazer consequências para a saúde. E o segundo ponto é escolher adequadamente o tipo de chocolate. Os chocolates com maiores teores de cacau são as melhores escolhas (meio amargo e amargo)”, afirmou.

Diante deste quadro, mesmo usufruindo com prudência, o chocolate têm diversas propriedades benéficas, contando com o cacau, o ingrediente principal do alimento. O mesmo reduz a adesão plaquetária, controlando a pressão arterial e diminuindo os riscos de doenças cardiovasculares; ação antioxidante; e aumenta os níveis de serotonina, neurotransmissor relacionado ao bem-estar.

Tipos de chocolate

Chocolate branco, ao leite, meio amargo, amargo e diet são tipos de chocolates encontrados nos mercados. Cada um tem benefícios e malefícios. Com isso, Tanara Ferreira identificou algumas características importantes em cada um.

Chocolate branco: contém somente 4% de cacau, é composto praticamente somente por manteiga de cacau. A manteiga de cacau uma gordura monoinssaturada e uma gordura saturada. Essas, quando metabolizada no organismo, tornam-se ácido oléico, portanto, não tem efeito prejudicial nos níveis de colesterol. Contudo, também tem em sua composição o ácido palmítico, que é uma gordura saturada e, sendo consumida em excesso, pode aumentar os riscos de doenças cardiovasculares.

Chocolate ao leite: apresenta em sua composição aproximadamente 30% de cacau, tem maiores quantidades de outros ingredientes, entre eles o açúcar. Seu consumo está relacionado ao excesso de peso, diabetes, hipertensão, câncer e outras doenças.

Chocolate meio amargo: possui em média 40% a 50% de cacau em sua composição. É mais benéfico do que os outros chocolates citados anteriormente.

Chocolate amargo: principal ingrediente é o cacau, em média 70%. Garante maiores benefícios a saúde.

Chocolate diet: opção para os indivíduos que tem restrição ao açúcar. O termo “diet” não significa sem açúcar. Na verdade significa a retirada total de algum nutriente/ingrediente. No caso dos chocolates o ingrediente retirado é o açúcar, e para manter o sabor e consistência, é adicionado adoçantes que em geral são os artificiais e gordura saturada, portanto deve ser consumido com muito controle.

Camila Viveiros (à esq.) e Rebeca Queiroz (à dir.) não deixam de lado o chocolate branco e ao leite (Foto: Arquivo Pessoal)

Camila Viveiros (à esq.) e Rebeca Queiroz (à dir.) não deixam de lado o chocolate branco e ao leite (Foto: Arquivo Pessoal)

Mesmo com tanta variedade, a universitária Camila Viveiros, chocólatra assumida, não dispensa seu chocolate branco, principalmente quando viaja ao exterior. “Quando viajo, sempre tenho que experimentar. Fico um bom tempo à frente das gôndolas pra analisar as variedades. Acho esse tipo de chocolate mais denso”, avaliou.

Para Rebeca Queiroz, também universitária, não importa qual tipo seja, o cheiro do chocolate a atrai. “Prefiro o chocolate ao leite. Sinto que tenho uma satisfação ao comer. Como todos os dias, porém, em pequenas quantidades”, finalizou.

(Arte: Tiago Leite)

(Arte: Tiago Leite)

Acompanhe a série “Vida Saudável”:

1) Saiba como identificar se seu filho é mais uma vítima do consumismo infantil (24/2)

2) Uso excessivo de equipamentos eletrônicos prejudica visão. Confira cuidados (26/2)

3) Brincar é coisa séria, e precisa ser tarefa diária de toda criança (2/3)

4) Mulheres têm 7 vezes mais chances do que homens de apresentar disfunção hormonal (5/3)

5) Prática exagerada de exercícios físicos pode desencadear doença: a vigorexia (9/3)

6) Metade da população masculina apresenta calvície até chegar aos 50 anos (12/3)

7) Confira as causas do chulé e saiba como se livrar desse mau cheiro (16/3)

8) Aprenda receita de cozinha que ajuda no combate a osteoporose (19/3)

9) Pessoas com diabetes precisam cuidar da saúde dos pés, para evitar ferimentos (23/3)

10) Saiba como se alimentar direito antes, durante e depois de atividade física (26/3)

11) Saiba como tratar o estresse pós-traumático, resultado da violência urbana (30/3)

12) Melhor remédio contra enxaqueca é alimentação saudável (2/4)

13) Entenda o que é febre chikungunya, doença causada pelo mesmo mosquito da dengue (6/4)

14) Tratamento de dentes fora do lugar certo é mais eficaz quando iniciado na infância (9/4)

15) Atenção, mamães: a saúde bucal é essencial para uma gravidez sem riscos (13/4)

16) Fuja das dietas malucas que não atendem as necessidades diárias (16/4)

17) Parto normal apresenta menor risco de infecções para o bebê e para a mãe (20/4)

18) Grávidas precisam adotar cuidados ao ter relações sexuais (23/4)

19) Gestante precisa beber três litros de água para garantir a saúde do bebê (27/4)

20) Uso da camisinha ainda é o método mais eficaz contra DSTs (30/4)

21) Sinais do autismo podem ser identificados na infância, permitindo tratamento precoce (21/5)

22) Você está com dor nos dentes do fundo da boca? Talvez seja problema no siso (25/5)

23) Não confunda: smoothies não é milk shake, mas também é uma boa pedida para o lanche (28/5)

24) Beber dois litros de água por dia é essencial para cuida da voz (01/6)

25) Mau hálito pode ser combatido com higiene da língua (04/6)