Confira as causas do chulé e saiba como se livrar desse mau cheiro


Confira as causas do chulé e saiba como se livrar desse mau cheiro

Na 7ª matéria da série “Vida Saudável”, dermatologista alerta para os perigos que o chulé pode causar e formas de prevenção desse mau cheiro nos pés

Por Rosana Romão em Bem-Estar

16 de março de 2015 às 11:00

Há 4 anos
Colocar os sapatos no Sol ajuda na eliminação de bactérias pois diminui a umidade. (FOTO: Flickr/ Creative Commons/ Ailton Bedani)

Colocar os sapatos no Sol ajuda na eliminação de bactérias pois diminui a umidade. (FOTO: Flickr/ Creative Commons/ Ailton Bedani)

Algumas pessoas não se sentem bem em tirar os sapatos em locais públicos, devido a um problema muito comum: o chulé. Seja para entrar em um restaurante japonês, provar um calçado em uma loja ou mesmo aliviar os pés dos sapatos durante o trabalho, a pessoa que tem chulé não aceita ficar descalço na frente de outras pessoas em virtude do incômodo que o mau cheiro causa.

A principal fonte das bactérias está na má higienização dos pés. Os espaços entre os dedos devem ser lavados e secos após o banho. Se a assepsia não for feita corretamente, as bactérias podem se acumular nesses espaços e gerar o chulé. Outro motivo é o uso de sapatos fechados, que beneficiam o crescimento bacteriano. Materiais sintéticos como plástico e borracha estimulam a sudorese, pois retêm a umidade.

Uma preocupação para quem possui chulé é o aparecimento de micoses. “Quando há suor excessivo, cria-se um ambiente propício para a permanência de fungos, principalmente os que causam o chamado pé de atleta, tendo predileção por áreas mais fechadas como o espaço entre os dedos”, aponta a dermatologista Samanta Meneguzzi, da rede de saúde Hapvida. De acordo com a médica, os homens têm maior probabilidade de ter chulé, porque tendem a passar o dia inteiro com os mesmos sapatos, que geralmente são fechados.

Até as pessoas que limpam os pés com mais frequência podem ser vítimas do chulé, devido ao aparecimento de frieiras nos dedos e micoses nas unhas. Se isso ocorrer, os fungos e bactérias só desaparecerão com a eliminação das infecções. Por isso, durante o tratamento, é comum que haja mau cheiro.

Para controlar a bromohidrose, excesso de transpiração (chulé), é importante limpar e secar bem a pele após o banho. Ao secar os pés, o ideal é usar papel toalha ou papel higiênico, pois a toalha não absorve a água por completo. Trocar os sapatos e meias diariamente, dando preferência às meias de algodão e calçados abertos, é uma medida importante na higienização dos pés. E colocar os sapatos no sol ajuda na eliminação de bactérias pois diminui a umidade.

Acompanhe a série “Vida Saudável”:

1) Saiba como identificar se seu filho é mais uma vítima do consumismo infantil (24/2)

2) Uso excessivo de equipamentos eletrônicos prejudica visão (26/2)

3) Brincar é coisa séria, e precisa ser tarefa diária de toda criança (2/3)

4) Mulheres têm 7 vezes mais chances do que homens de apresentar disfunção hormonal (5/3)

5) Prática exagerada de exercícios físicos pode desencadear doença: a vigorexia (9/3)

6) Metade da população masculina apresenta calvície até chegar aos 50 anos (12/3)

7) Confira dicas para evitar chulé (16/3)

8) Alimentação adequada é remédio contra a osteoporose (19/3)

9) O que é pé diabético? (23/3)

10) O que comer antes e após a atividade física (26/3)

11) Saiba como trabalhar o estresse pós-traumático (30/3)

12) Enxaqueca tem cura (2/4)

13) Conheça os sintomas da febre Chikungunya (6/4)

14) O que é mordida cruzada? (9/4)

15) Saúde bucal é essencial para uma boa gestação (13/4)

16) Dietas malucas: fuja delas (16/4)

17) Conheça as vantagens do parto normal (20/4)

18) O tabu do sexo na gravidez (23/4)

19) Saiba como se alimentar direito durante a gestação (27/4)

20) Proteção é essencial para evitar a Aids (30/4)

Publicidade

Dê sua opinião

Confira as causas do chulé e saiba como se livrar desse mau cheiro

Na 7ª matéria da série “Vida Saudável”, dermatologista alerta para os perigos que o chulé pode causar e formas de prevenção desse mau cheiro nos pés

Por Rosana Romão em Bem-Estar

16 de março de 2015 às 11:00

Há 4 anos
Colocar os sapatos no Sol ajuda na eliminação de bactérias pois diminui a umidade. (FOTO: Flickr/ Creative Commons/ Ailton Bedani)

Colocar os sapatos no Sol ajuda na eliminação de bactérias pois diminui a umidade. (FOTO: Flickr/ Creative Commons/ Ailton Bedani)

Algumas pessoas não se sentem bem em tirar os sapatos em locais públicos, devido a um problema muito comum: o chulé. Seja para entrar em um restaurante japonês, provar um calçado em uma loja ou mesmo aliviar os pés dos sapatos durante o trabalho, a pessoa que tem chulé não aceita ficar descalço na frente de outras pessoas em virtude do incômodo que o mau cheiro causa.

A principal fonte das bactérias está na má higienização dos pés. Os espaços entre os dedos devem ser lavados e secos após o banho. Se a assepsia não for feita corretamente, as bactérias podem se acumular nesses espaços e gerar o chulé. Outro motivo é o uso de sapatos fechados, que beneficiam o crescimento bacteriano. Materiais sintéticos como plástico e borracha estimulam a sudorese, pois retêm a umidade.

Uma preocupação para quem possui chulé é o aparecimento de micoses. “Quando há suor excessivo, cria-se um ambiente propício para a permanência de fungos, principalmente os que causam o chamado pé de atleta, tendo predileção por áreas mais fechadas como o espaço entre os dedos”, aponta a dermatologista Samanta Meneguzzi, da rede de saúde Hapvida. De acordo com a médica, os homens têm maior probabilidade de ter chulé, porque tendem a passar o dia inteiro com os mesmos sapatos, que geralmente são fechados.

Até as pessoas que limpam os pés com mais frequência podem ser vítimas do chulé, devido ao aparecimento de frieiras nos dedos e micoses nas unhas. Se isso ocorrer, os fungos e bactérias só desaparecerão com a eliminação das infecções. Por isso, durante o tratamento, é comum que haja mau cheiro.

Para controlar a bromohidrose, excesso de transpiração (chulé), é importante limpar e secar bem a pele após o banho. Ao secar os pés, o ideal é usar papel toalha ou papel higiênico, pois a toalha não absorve a água por completo. Trocar os sapatos e meias diariamente, dando preferência às meias de algodão e calçados abertos, é uma medida importante na higienização dos pés. E colocar os sapatos no sol ajuda na eliminação de bactérias pois diminui a umidade.

Acompanhe a série “Vida Saudável”:

1) Saiba como identificar se seu filho é mais uma vítima do consumismo infantil (24/2)

2) Uso excessivo de equipamentos eletrônicos prejudica visão (26/2)

3) Brincar é coisa séria, e precisa ser tarefa diária de toda criança (2/3)

4) Mulheres têm 7 vezes mais chances do que homens de apresentar disfunção hormonal (5/3)

5) Prática exagerada de exercícios físicos pode desencadear doença: a vigorexia (9/3)

6) Metade da população masculina apresenta calvície até chegar aos 50 anos (12/3)

7) Confira dicas para evitar chulé (16/3)

8) Alimentação adequada é remédio contra a osteoporose (19/3)

9) O que é pé diabético? (23/3)

10) O que comer antes e após a atividade física (26/3)

11) Saiba como trabalhar o estresse pós-traumático (30/3)

12) Enxaqueca tem cura (2/4)

13) Conheça os sintomas da febre Chikungunya (6/4)

14) O que é mordida cruzada? (9/4)

15) Saúde bucal é essencial para uma boa gestação (13/4)

16) Dietas malucas: fuja delas (16/4)

17) Conheça as vantagens do parto normal (20/4)

18) O tabu do sexo na gravidez (23/4)

19) Saiba como se alimentar direito durante a gestação (27/4)

20) Proteção é essencial para evitar a Aids (30/4)