5 dicas para combater a obesidade infantil


5 dicas para combater a obesidade infantil

Crianças que não fazem exercícios, tampouco mantêm uma alimentação saudável, estão sujeitas ao sobrepeso e á obesidade infantil

Por Lucas Matos em Bem-Estar

26 de junho de 2015 às 06:00

Há 4 anos
Obesidade é motivo de preocupação do Ministério da Saúde e da OMS (Foto: Divulgação)

Obesidade é motivo de preocupação do Ministério da Saúde e da OMS (Foto: Divulgação)

A obesidade infantil vem aumentando de uma forma que preocupa a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, uma em cada três crianças sofrem com o sobrepeso e obesidade. Segundos dados da organização, até 2025 a doença pode atingir 75 milhões de pessoas, caso não seja realizadas campanhas incentivado a vida saudável.

Com o passar dos anos, a alimentação das crianças e os hábitos de vida mudaram drasticamente, principalmente se tratando de alimentação rápida, utilizando os alimentos industrializados, segundo Daniel Gentil, médico especialista em gestão de saúde da plataforma Abvita.

Seguindo a linha da OMS, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) realizou um estudo em parceria com o Ministério da Saúde, indicando que uma em cada três crianças de cinco a nove anos permanece acima do peso, tendo 16,6% nos meninos e 11,8% nas meninas. O estudo compara diversas pesquisas de anos anteriores. Desde 1974, o valor mais do que triplicou.

Para combater a obesidade, atos simples são necessários:

1. Dormir bem é fundamental: uma noite de sono mal dormida afeta o cérebro e aumenta o apetite das pessoas
2. Diminuir o tempo gasto com vídeo game e celular: quando a criança passa muitas horas do dia em atividades sedentárias, que não preveem o gasto de calorias, deixa de participar de atividades que consomem mais energia, como praticar esportes e brincar ao ar livre.
3. Alimentação saudável fazendo uso de pratos coloridos: um prato que traga ao menos cinco cores diferentes precisa, necessariamente, incluir frutas, legumes e verduras. A refeição irá combinar os benefícios dos nutrientes presentes em alimentos naturais e calorias reduzidas.
4. Evitar distrações durante as refeições, pois afeta a mastigação: o momento da alimentação deve prever tranquilidade, para que a criança não coma mais do que o necessário.
5. Praticar exercícios físicos. É sempre importante manter o corpo em atividade. pode ser um futebol com os amigos, a natação, andar de bicicleta nos finais de semana e/ou outras brincadeiras.

Publicidade

Dê sua opinião

5 dicas para combater a obesidade infantil

Crianças que não fazem exercícios, tampouco mantêm uma alimentação saudável, estão sujeitas ao sobrepeso e á obesidade infantil

Por Lucas Matos em Bem-Estar

26 de junho de 2015 às 06:00

Há 4 anos
Obesidade é motivo de preocupação do Ministério da Saúde e da OMS (Foto: Divulgação)

Obesidade é motivo de preocupação do Ministério da Saúde e da OMS (Foto: Divulgação)

A obesidade infantil vem aumentando de uma forma que preocupa a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, uma em cada três crianças sofrem com o sobrepeso e obesidade. Segundos dados da organização, até 2025 a doença pode atingir 75 milhões de pessoas, caso não seja realizadas campanhas incentivado a vida saudável.

Com o passar dos anos, a alimentação das crianças e os hábitos de vida mudaram drasticamente, principalmente se tratando de alimentação rápida, utilizando os alimentos industrializados, segundo Daniel Gentil, médico especialista em gestão de saúde da plataforma Abvita.

Seguindo a linha da OMS, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) realizou um estudo em parceria com o Ministério da Saúde, indicando que uma em cada três crianças de cinco a nove anos permanece acima do peso, tendo 16,6% nos meninos e 11,8% nas meninas. O estudo compara diversas pesquisas de anos anteriores. Desde 1974, o valor mais do que triplicou.

Para combater a obesidade, atos simples são necessários:

1. Dormir bem é fundamental: uma noite de sono mal dormida afeta o cérebro e aumenta o apetite das pessoas
2. Diminuir o tempo gasto com vídeo game e celular: quando a criança passa muitas horas do dia em atividades sedentárias, que não preveem o gasto de calorias, deixa de participar de atividades que consomem mais energia, como praticar esportes e brincar ao ar livre.
3. Alimentação saudável fazendo uso de pratos coloridos: um prato que traga ao menos cinco cores diferentes precisa, necessariamente, incluir frutas, legumes e verduras. A refeição irá combinar os benefícios dos nutrientes presentes em alimentos naturais e calorias reduzidas.
4. Evitar distrações durante as refeições, pois afeta a mastigação: o momento da alimentação deve prever tranquilidade, para que a criança não coma mais do que o necessário.
5. Praticar exercícios físicos. É sempre importante manter o corpo em atividade. pode ser um futebol com os amigos, a natação, andar de bicicleta nos finais de semana e/ou outras brincadeiras.