Jake Gyllenhaal Archives - Cinema Sinergia 
Publicidade

Cinema Sinergia

por Thiago Sampaio

Jake Gyllenhaal

Crítica: “Vida” é uma ficção/terror que fica à sombra das suas influências

Por Thiago Sampaio em Crítica

25 de Abril de 2017

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Não é das missões mais fáceis nos dias atuais tentar emplacar uma franquia de ficção científica totalmente original, sem pegar gancho como adaptação de algum anime ou série de TV, obra literária conhecida ou, principalmente, alguma saga consolidada ao longo dos anos (“Star Wars” e “Star Trek” estão aí até hoje). Por isso, “Vida” (Life, 2017) surge como um produto ousado, principalmente por partir para a vertente do horror, nem tão fácil de comercializar. Acontece que a influência de outras obras é tão nítida que fica difícil vê-lo como algo novo, soando mais como uma releitura.

Na trama, seis astronautas de diferentes nacionalidades estão em uma estação espacial, cujo objetivo maior é estudar amostras coletadas no solo de Marte por um satélite. Dentre elas está um ser unicelular que é despertado através dos equipamentos da própria estação. Tal descoberta – que ganha o nome de Calvin através de um concurso escolar – é intensamente celebrada por ser a primeira forma de vida encontrada fora da Terra. Só que, surpreendentemente, este ser se desenvolve de forma bastante rápida, ganhando novas células e uma capacidade destrutiva.

Leia mais

Publicidade

Crítica: Com Jake Gyllenhaal em destaque, “Nocaute” honra os filmes sobre boxe

Por Thiago Sampaio em Crítica

02 de outubro de 2015

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Filmes que têm o boxe como pano de fundo já são um subgênero do universo cinematográfico. Mais do que abordar o esporte em si, o tema rendeu clássicos e personagens marcantes como a franquia “Rocky”, com seis longas-metragens e o primeiro faturando o Oscar de Melhor Filme de 1977, e “Touro Indomável”, indicado ao principal prêmio da Academia em 1981. Em pleno 2015, perdendo espaço na mídia para as Artes Marciais Mistas, a “nobre arte” tem o agradável sabor de nostalgia  para os apreciadores. E assim, sem tentar inovar em nenhum quesito, “Nocaute” (Southpaw, 2015) é lançado com o chamariz de emplacar prêmios ao seu protagonista, honrando as produções que o inspiraram, apesar de o produto final ser uma produção esquecível.

Sinopse

O longa narra a fictícia história de  Billy “The Great” Hope (Jake Gyllenhaal), campeão da categoria Peso Médio Junior, famoso pelo estilo pouco ortodoxo. No auge da carreira e da vida pessoal, bem casado com Maureen (Rachel McAdams) e pai da menina Leila (Oona Laurence), o atleta sofre um terrível golpe do destino ao perder a esposa. Entregue à bebida e banido do mundo das lutas por indisciplina, Billy tem sua filha levada pelo Serviço Social. Mas com a ajuda de um ex-lutador de boxe, Tick Wills (Forest Whitaker), ele busca a reinvenção na carreira e na vida pessoal.

Leia mais

Publicidade

Crítica: Com Jake Gyllenhaal em destaque, “Nocaute” honra os filmes sobre boxe

Por Thiago Sampaio em Crítica

02 de outubro de 2015

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Filmes que têm o boxe como pano de fundo já são um subgênero do universo cinematográfico. Mais do que abordar o esporte em si, o tema rendeu clássicos e personagens marcantes como a franquia “Rocky”, com seis longas-metragens e o primeiro faturando o Oscar de Melhor Filme de 1977, e “Touro Indomável”, indicado ao principal prêmio da Academia em 1981. Em pleno 2015, perdendo espaço na mídia para as Artes Marciais Mistas, a “nobre arte” tem o agradável sabor de nostalgia  para os apreciadores. E assim, sem tentar inovar em nenhum quesito, “Nocaute” (Southpaw, 2015) é lançado com o chamariz de emplacar prêmios ao seu protagonista, honrando as produções que o inspiraram, apesar de o produto final ser uma produção esquecível.

Sinopse

O longa narra a fictícia história de  Billy “The Great” Hope (Jake Gyllenhaal), campeão da categoria Peso Médio Junior, famoso pelo estilo pouco ortodoxo. No auge da carreira e da vida pessoal, bem casado com Maureen (Rachel McAdams) e pai da menina Leila (Oona Laurence), o atleta sofre um terrível golpe do destino ao perder a esposa. Entregue à bebida e banido do mundo das lutas por indisciplina, Billy tem sua filha levada pelo Serviço Social. Mas com a ajuda de um ex-lutador de boxe, Tick Wills (Forest Whitaker), ele busca a reinvenção na carreira e na vida pessoal.

(mais…)