Paul McCartney no Recife: programa obrigatório para quem curte (e pode!) - Cinema Sinergia 
Publicidade

Cinema Sinergia

por Thiago Sampaio

Paul McCartney no Recife: programa obrigatório para quem curte (e pode!)

Por Thiago Sampaio em Música

06 de Abril de 2012

Paul McCartney se prepara para mais apresentações marcantes no Brasil – Foto: Marcos Hermes

Ainda não foi dessa vez que Fortaleza terá o prazer de receber um mega show de um ex-beatle. Mas nossos “vizinhos” do Recife foram contemplados com duas apresentações de Paul McCartney para os dias 21 e 22 de abril. Tive a oportunidade de ver um show do lendário artista em 2011, no estádio Engenhão, Rio de Janeiro, e posso lhes dizer com convicção: vale a pena gastar alguns trocados a mais, percorrer alguns quilômetros e presenciar esse momento memorável.

No palco, a presença não apenas de um músico de qualidade, e sim, uma lenda viva que participou do começo da História do rock nos anos 60, viu os amigos próximos e companheiros de banda partirem prematuramente, perdeu a esposa vítima de câncer, e hoje, beirando os 70 anos, mostra a energia de um menino. As canções vão além da sonoridade, pois são tocadas com o coração, com uma alegria rara de ser encontrada em um artista contemporâneo. Sempre substituindo instrumentos (baixo, violão, guitarras, bandolim, piano) e arriscando frases em português, Paul é um ser admirável.

A estrutura do show é de encher os olhos, com dois telões de 18 metros de altura e qualidade de imagem “de Blue-Ray”. Atrás do músico, um projetor de mais de 50 metros de comprimento com imagens diversas em 3D. E o espetáculo começa antes mesmo do astro entrar em cena: nada menos que 30 minutos de fotos de várias fases da vida de Paul, embalado com versões de suas canções por outros artistas. Já é suficiente para levar à emoção qualquer fã.

O show, são cerca de duas horas e meia de clássico dos tempos de “Paul McCartney & The Wings”, como “Band On The Run”, “Jet”, “Mrs. Vanderbilt” e “Let Me Roll It”, além, claro, de muito The Beatles. Pirotecnia, com direito a chuva de fogos em “Live and Let Die” e a energia evocada em “Hey Jude” são alguns dos momentos de ápice. Homenagens a John Lennon e Geroge Harrison, com “Here Today” e “Something”, respectivamente, estão no pacote. A melancolia agradável em “The Long and Widing Road”, “Blackbird”, “Yesterday”, “A Day in the Life”, o marcante riff introdutório de “Day Tripper”, o hard rock empolgante de “Helter Skelter”…enfim, são muitas emoções.

Agora em nova turnê, já que recentemente lançou o disco “Kisses on the Bottom”, as apresentações no estádio do Arruda, no Recife, prometem levar mais milhares de fãs ao estado de êxtase. E como é difícil encontrarmos momentos que ficam eternizados em nossas mentes, fica a dica. Vale cada centavo.

Relembre um dos melhores momento de um dos show no Rio:

http://www.youtube.com/watch?v=8RknfaJT-DE
Publicidade aqui

Paul McCartney no Recife: programa obrigatório para quem curte (e pode!)

Por Thiago Sampaio em Música

06 de Abril de 2012

Paul McCartney se prepara para mais apresentações marcantes no Brasil – Foto: Marcos Hermes

Ainda não foi dessa vez que Fortaleza terá o prazer de receber um mega show de um ex-beatle. Mas nossos “vizinhos” do Recife foram contemplados com duas apresentações de Paul McCartney para os dias 21 e 22 de abril. Tive a oportunidade de ver um show do lendário artista em 2011, no estádio Engenhão, Rio de Janeiro, e posso lhes dizer com convicção: vale a pena gastar alguns trocados a mais, percorrer alguns quilômetros e presenciar esse momento memorável.

No palco, a presença não apenas de um músico de qualidade, e sim, uma lenda viva que participou do começo da História do rock nos anos 60, viu os amigos próximos e companheiros de banda partirem prematuramente, perdeu a esposa vítima de câncer, e hoje, beirando os 70 anos, mostra a energia de um menino. As canções vão além da sonoridade, pois são tocadas com o coração, com uma alegria rara de ser encontrada em um artista contemporâneo. Sempre substituindo instrumentos (baixo, violão, guitarras, bandolim, piano) e arriscando frases em português, Paul é um ser admirável.

A estrutura do show é de encher os olhos, com dois telões de 18 metros de altura e qualidade de imagem “de Blue-Ray”. Atrás do músico, um projetor de mais de 50 metros de comprimento com imagens diversas em 3D. E o espetáculo começa antes mesmo do astro entrar em cena: nada menos que 30 minutos de fotos de várias fases da vida de Paul, embalado com versões de suas canções por outros artistas. Já é suficiente para levar à emoção qualquer fã.

O show, são cerca de duas horas e meia de clássico dos tempos de “Paul McCartney & The Wings”, como “Band On The Run”, “Jet”, “Mrs. Vanderbilt” e “Let Me Roll It”, além, claro, de muito The Beatles. Pirotecnia, com direito a chuva de fogos em “Live and Let Die” e a energia evocada em “Hey Jude” são alguns dos momentos de ápice. Homenagens a John Lennon e Geroge Harrison, com “Here Today” e “Something”, respectivamente, estão no pacote. A melancolia agradável em “The Long and Widing Road”, “Blackbird”, “Yesterday”, “A Day in the Life”, o marcante riff introdutório de “Day Tripper”, o hard rock empolgante de “Helter Skelter”…enfim, são muitas emoções.

Agora em nova turnê, já que recentemente lançou o disco “Kisses on the Bottom”, as apresentações no estádio do Arruda, no Recife, prometem levar mais milhares de fãs ao estado de êxtase. E como é difícil encontrarmos momentos que ficam eternizados em nossas mentes, fica a dica. Vale cada centavo.

Relembre um dos melhores momento de um dos show no Rio:

http://www.youtube.com/watch?v=8RknfaJT-DE