Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

UNICESUMAR

Estudantes da EAD vencem o primeiro reality universitário de Gastronomia do Brasil

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

07 de Março de 2018

Equipe Manjericão vence o Mão na Massa e ganha bolsa integral para graduação e pós-graduação, kit de facas Century e assinatura anual da revista Prazeres da Mesa
A equipe Manjericão foi a grande vencedora do Mão na Massa, primeiro reality universitário de Gastronomia do Brasil, realizado pela Unicesumar de 26 de fevereiro a 2 de março, em Maringá (PR). Formada pelo cozinheiro Alex Sandro Cobo, de Adamantina (SP), pela corretora de seguros Eliana Gomes Santana, de Cruz das Almas (BA), pelo cozinheiro Roberto Belini Costa dos Santos, de Boa Vista (RR), e pela técnica de enfermagem Sandra Bispo de Melo, de Formosa (GO), todos estudantes da Educação a Distância (EAD) da Unicesumar, a Manjericão conquistou 2.759 pontos na competição. Os quatro integrantes da equipe ganharam bolsa integral até o final da graduação e de uma pós-graduação na área – Gastronomia Funcional e Natural ou Gestão Estratégica em Negócios Gastronômicos –, além de um kit de facas Century e um ano de assinatura gratuita da revista Prazeres da Mesa.
“Não tenho palavras para agradecer a Unicesumar por esse evento. Com certeza, essa vitória me motiva a buscar mais conhecimento e me aprimorar ainda mais”, afirmou Alex Cobo. “Já atuo há oito anos na Gastronomia, mas isso não me satisfazia. Eu queria ter a formação e, agora, já garanti até a pós-graduação”, comemorou Bellini. “Ganhar esse prêmio é uma sensação indescritível! É um grande estímulo para eu buscar mais experiência na Gastronomia”, afirmou Sandra. “Vou me formar no meio deste ano e esse prêmio me mostrou que posso ser boa na Gastronomia.  Para mim, isso é um incentivo para continuar melhorando cada dia mais”, destacou Eliana.
O Mão na Massa foi disputado por 24 estudantes de Gastronomia da Unicesumar, representantes dos polos de EAD de 12 Estados brasileiros e do Distrito Federal, além de acadêmicos de dois dos quatro campi da instituição no Paraná (Maringá e Ponta Grossa). A equipe Manjericão conquistou o primeiro lugar, com 2.759 pontos, seguida das equipes Capim Santo (2.733 pontos) e Pimenta (2.729 pontos).
Os integrantes da equipe Capim Santo, segunda colocada geral na competição e vencedora da prova do Prato Autoral / Melhor PF, eleita por voto popular, ganharam um kit de facas Premium e um ano de assinatura gratuita da revista Prazeres da Mesa. “Foi uma semana tensa e intensa. Valeu muito a pena participar do reality”, garantiu Kathia Nani Chiuchetta, de Maringá (PR). “Foi uma experiência muito gratificante! A gente apostou na instituição e ela alimentou nosso sonho. Saio muito feliz! A EAD prova que para o conhecimento não há distâncias”, afirmou Hanisson Felipe, de Barreiras (BA). “Aprendemos muito com todas as pessoas que passaram por aqui! Estou muito feliz com essa experiência e com a segunda colocação”, destacou Maria Luiza Hacke, de São Bento do Sul (SC). “Cada desafio colocado durante o reality desenvolveu uma habilidade em nós. Foi fantástico participar do Mão na Massa”, concluiu Felippe Mathews, de Itabuna (BA).
Os integrantes da equipe Pimenta, terceira colocada na competição, ganharam troféus e kits intermediários de facas. “A organização do reality foi impecável. Todas as tarefas planejadas foram muito bem estruturadas. Estamos muito felizes com a premiação. Saio muito satisfeito com o terceiro lugar”, garantiu Alcyr Alves Viana Neto, de Goioânia (GO). “Realmente, estou muito emocionada porque a Unicesumar me surpreendeu com essa iniciativa e motivou todas as pessoas que têm o sonho e paixão pela Gastronomia”, afirmou Lesly Fernandes dos Reis, do Rio de Janeiro (RJ). “O reality foi sensacional! A Unicesumar foi formidável em organizar tudo isso aqui. Estou realizada”, comemorou Suelen Pereira de Mendonça, de Formosa (GO). “O reality superou minhas expectativas. Conhecer de perto a estrutura da instituição foi formidável, nunca vi nada parecido! Estou muito feliz”, concluiu Jaqueline de Souza Luís Silva, de Dracena (SP).
Durante a competição, os participantes enfrentaram cinco provas: prato autoral (voto popular), harmonização de massas com vinho, hambúrguer, comida de boteco com reaproveitamento de alimentos, confeitaria e menu degustação, com jantar completo.
Na grande final, disputada na noite da última sexta-feira (02), as seis equipes tiveram que preparar um menu degustação com 25 porções de três pratos: entrada, prato principal e sobremesa.
O cardápio da equipe Manjericão foi composto de entrada de Camarão à baiana, prato principal de nhoque de banana da terra com ragu de javali e sobremesa de pudim de tucupi negro com chantilly de camuru e tuile de castanhas do Brasil.
A Capim Santo preparou entrada de bisque de moqueca baiana ao peixe-cavala e camarão sete barbas, prato principal de carré de cordeiro ao aligot com beiju de tapioca e molho cítrico de maracujá e sobremesa de pavlova ao custard de abacaxi com crocante de buriti.
A equipe Pimenta, terceira colocada, criou um cardápio de panceta confitada com mix de geleias para entrada, filé de tilápia com court-bouillon e espaguete de pupunha ao pesto de rúcula como prato principal e panna cotta com geleia de pitaya e crumble de castanhas de sobremesa.
A equipe Alecrim criou um cardápio com sopa de melancia com especiarias e farofa cítrica de entrada de entrada, Matula dos Bandeirantes (pele de frango recheada com carne seca, mandioca e jus do próprio suco) de prato principal e Bocados de Raiz (sorvete de inhame com queijo canastra, coco e redução de café) de sobremesa.
A equipe Açaí preparou entrada de ovinho de tapioca com geleia de cebola roxa, prato principal de filhote ao molho de bacuri e sobremesa de arroz doce brülée.
A equipe Flor de Sal combinou um gaspacho de tomate de entrara, raviolini recheado com mozarela de búfala e ricota com ragu de cogumelos e crispy de parmesão de prato principal e pavlova de limão siciliano, manga e tomilho.
O jornalista Ricardo Castilho, diretor de Redação da revista Prazeres da Mesa, foi um dos jurados da prova final e presenteou as equipes vencedoras do reality e da prova do voto popular com uma assinatura anual gratuita da revista. “Foi uma experiência muito válida. Os alunos fugiram do simples e ousaram nas receitas. O pudim de tucupi negro e a matula de pele de frango recheada com carne seca foram os pratos mais deliciosos que já experimentei neste ano. Vimos erros e acertos, mas todos os participantes relevaram o dom para a Gastronomia. A universidade está de parabéns pela estrutura e pela qualidade da formação, pois os grandes vencedores dessa noite são da educação a distância. Isso comprova o sucesso desse modelo de ensino”, avaliou.
Estou muito grato e muito orgulhoso dos alunos. Essa final foi muito emocionante. A Gastronomia é uma causa, pois envolve muito amor e exige muita dedicação. Agradeço a Deus e a todos que trabalharam para realizar esse reality, que exigiu dedicação de uma equipe grande. Para o nosso curso, o reality é um divisor de águas, especialmente para a EAD, que comprovou sua capacidade de formar profissionais de qualidade para o mercado de trabalho. Vamos começar a organizar a segunda edição do Mão na Massa”, concluiu o professor Vinícius Pires, coordenador do curso de Gastronomia da Unicesumar e do Mão na Massa.
Publicidade

Aula inaugural vai destacar inovação na formação de engenheiros em Fortaleza

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

03 de Março de 2018

Metodologia diferenciada da Unicesumar tem o desafio de melhorar a qualificação profissional e impulsionar a inovação nacional. Aula inaugural para alunos matriculados vai mostrar essa inovação em Fortaleza

Fortaleza será uma das primeiras cidades brasileiras a receber a metodologia diferenciada da Unicesumar. A instituição inovou e lançou o curso em Engenharias EAD. A iniciativa já é apontada por especialistas como uma das maiores inovações do ensino superior no país. A aula inaugural para os alunos cearenses está marcada a próxima terça-feira (6), com a diretora pedagógica Kátia Solange Coelho.

Os alunos do curso em Engenharias EAD receberão todo o material didático, produzido por alguns dos melhores especialistas na área do país, além de ter à sua disposição uma biblioteca virtual com mais de 6.000 volumes e poder solicitar empréstimo de livros de um acervo de mais de 400.000 títulos.

A diretora pedagógica explica que a aula inaugural marca a abertura do ano letivo, com o objetivo de estabelecer vínculos e demonstrar a metodologia, que possui dinâmica muito própria. “No primeiro dia os alunos vão para o Espaço de Aprendizagem do polo e serão convidados a conhecer o modelo de sala de aula invertida, em que o aluno é autor do processo e o professor atua como tutor-facilitador”.

A semana de aulas da metodologia ativa está estruturada para seis dias de atividades, sendo três dias de auto estudo, um dia de aula ao vivo (transmitidas via ambiente on-line), um dia de encontro presencial no polo e/ou de prática laboratorial, também no polo. A sala de aula é invertida. Antes das aulas, o aluno prepara-se sobre o tema. Durante as aulas, o aluno pratica os conceitos aprendidos. Depois das aulas, o aluno revisa o conteúdo e estende seu aprendizado.

Metodologia ativa

A metodologia nasceu da troca de experiências de professores renomados de Engenharia no Brasil que, juntos, descobriram um novo significado para o ensino oferecido até hoje no país. “Nossa inquietação inicial foi a alta evasão escolar, a má qualidade da maioria dos cursos existentes – uma calamidade – a baixa empregabilidade dos recém-formados e o comprometimento da indústria nacional num futuro bem próximo”, conta o professor Aécio Lira, coordenador do projeto.

De acordo com o pró-reitor de EAD da Unicesumar, William de Matos Silva, a metodologia diferenciada da Unicesumar é inovadora e oferece “qualidade de ensino, tecnologia educacional de ponta, material didático próprio e estrutura física que oferecerão salas de aulas modernas e laboratórios físicos e virtuais, com recursos em realidade aumentada e práticas programadas”, ressalta.

O reitor da Unicesumar, Wilson Matos da Silva, afirma que este é um investimento no futuro do Brasil, especialmente nos setores que mais demandam por profissionais qualificados para o desenvolvimento do país: energia, telecomunicações e tecnologia. “Reinventamos a forma de ensinar Engenharia porque temos tradição em educação e qualidade de ensino”, destaca.

Mais informações no site www.unicesumar.edu.br

Sobre a Unicesumar: Idealizada em 1990 para oferecer ensino de qualidade, a Unicesumar vem ampliando a estrutura física e aperfeiçoando a qualidade no atendimento. Em 2018, são 100 mil alunos, cerca de dois mil funcionários e mais de 800 professores, sendo 80% do corpo docente formado por mestres e/ou doutores. A Unicesumar obteve nota 4 no Índice Geral de Cursos (IGC) pelo sétimo ano consecutivo, em uma escala de avaliação de 1 a 5. No ranking dos 149 melhores centros universitários públicos e privados do Brasil, a Unicesumar está na 7ª posição. A instituição também está entre as 10 maiores instituições de ensino privadas do país.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Aula inaugural vai destacar inovação na formação de engenheiros em Fortaleza

Por Oswaldo Scaliotti em Qualificação

02 de Março de 2018

Metodologia diferenciada da Unicesumar tem o desafio de melhorar a qualificação profissional e impulsionar a inovação nacional. Aula inaugural para alunos matriculados vai mostrar essa inovação em Fortaleza

Fortaleza será uma das primeiras cidades brasileiras a receber a metodologia diferenciada da Unicesumar. A instituição inovou e lançou o curso em Engenharias EAD. A iniciativa já é apontada por especialistas como uma das maiores inovações do ensino superior no país. A aula inaugural para os alunos cearenses está marcada a próxima terça-feira (6), com a diretora pedagógica Kátia Solange Coelho.

Os alunos do curso em Engenharias EAD receberão todo o material didático, produzido por alguns dos melhores especialistas na área do país, além de ter à sua disposição uma biblioteca virtual com mais de 6.000 volumes e poder solicitar empréstimo de livros de um acervo de mais de 400.000 títulos.

A diretora pedagógica explica que a aula inaugural marca a abertura do ano letivo, com o objetivo de estabelecer vínculos e demonstrar a metodologia, que possui dinâmica muito própria. “No primeiro dia os alunos vão para o Espaço de Aprendizagem do polo e serão convidados a conhecer o modelo de sala de aula invertida, em que o aluno é autor do processo e o professor atua como tutor-facilitador”.

A semana de aulas da metodologia ativa está estruturada para seis dias de atividades, sendo três dias de auto estudo, um dia de aula ao vivo (transmitidas via ambiente on-line), um dia de encontro presencial no polo e/ou de prática laboratorial, também no polo. A sala de aula é invertida. Antes das aulas, o aluno prepara-se sobre o tema. Durante as aulas, o aluno pratica os conceitos aprendidos. Depois das aulas, o aluno revisa o conteúdo e estende seu aprendizado.

Metodologia ativa

A metodologia nasceu da troca de experiências de professores renomados de Engenharia no Brasil que, juntos, descobriram um novo significado para o ensino oferecido até hoje no país. “Nossa inquietação inicial foi a alta evasão escolar, a má qualidade da maioria dos cursos existentes – uma calamidade – a baixa empregabilidade dos recém-formados e o comprometimento da indústria nacional num futuro bem próximo”, conta o professor Aécio Lira, coordenador do projeto.

De acordo com o pró-reitor de EAD da Unicesumar, William de Matos Silva, a metodologia diferenciada da Unicesumar é inovadora e oferece “qualidade de ensino, tecnologia educacional de ponta, material didático próprio e estrutura física que oferecerão salas de aulas modernas e laboratórios físicos e virtuais, com recursos em realidade aumentada e práticas programadas”, ressalta.

O reitor da Unicesumar, Wilson Matos da Silva, afirma que este é um investimento no futuro do Brasil, especialmente nos setores que mais demandam por profissionais qualificados para o desenvolvimento do país: energia, telecomunicações e tecnologia. “Reinventamos a forma de ensinar Engenharia porque temos tradição em educação e qualidade de ensino”, destaca.

Mais informações no site www.unicesumar.edu.br

Sobre a Unicesumar: Idealizada em 1990 para oferecer ensino de qualidade, a Unicesumar vem ampliando a estrutura física e aperfeiçoando a qualidade no atendimento. Em 2018, são 100 mil alunos, cerca de dois mil funcionários e mais de 800 professores, sendo 80% do corpo docente formado por mestres e/ou doutores. A Unicesumar obteve nota 4 no Índice Geral de Cursos (IGC) pelo sétimo ano consecutivo, em uma escala de avaliação de 1 a 5. No ranking dos 149 melhores centros universitários públicos e privados do Brasil, a Unicesumar está na 7ª posição. A instituição também está entre as 10 maiores instituições de ensino privadas do país.

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Unicesumar oferece bolsa para curso de Engenharia EAD

Por Oswaldo Scaliotti em Qualificação

27 de Fevereiro de 2018

 

Metodologia diferenciada da Unicesumar tem o desafio de melhorar a qualificação profissional e impulsionar a inovação nacional.

No próximo dia 05 de março, Fortaleza será uma das primeiras cidades brasileiras a receber a metodologia diferenciada da Unicesumar. A instituição inovou e lançou o curso em Engenharias EAD. A iniciativa já é apontada por especialistas como uma das maiores inovações do ensino superior no país. A turma está formada, mas ainda restam as últimas vagas. Os interessados podem procurar a instituição e fazer o vestibular. Para isso, podem ligar para (85) 3037-5070 ou se dirigir à sede da instituição na capital cearense (Av. Washington Soares, 3636 – Parque Manibura). O primeiro colocado na seleção ganhará uma bolsa integral do curso.

Os alunos do curso em Engenharias EAD receberão todo o material didático, produzido por alguns dos melhores especialistas na área do país, além de ter à sua disposição uma biblioteca virtual com mais de 6.000 volumes e poder solicitar empréstimo de livros de um acervo de mais de 400.000 títulos.

A aula inaugural para os alunos cearenses está marcada a próxima terça-feira (6), com a diretora pedagógica Kátia Solange Coelho. A diretora pedagógica explica que a aula inaugural marca a abertura do ano letivo, com o objetivo de estabelecer vínculos e demonstrar a metodologia, que possui dinâmica muito própria. “No primeiro dia os alunos vão para o Espaço de Aprendizagem do polo e serão convidados a conhecer o modelo de sala de aula invertida, em que o aluno é autor do processo e o professor atua como tutor-facilitador”.

A semana de aulas da metodologia ativa está estruturada para seis dias de atividades, sendo três dias de auto estudo, um dia de aula ao vivo (transmitidas via ambiente on-line), um dia de encontro presencial no polo e/ou de prática laboratorial, também no polo. A sala de aula é invertida. Antes das aulas, o aluno prepara-se sobre o tema. Durante as aulas, o aluno pratica os conceitos aprendidos. Depois das aulas, o aluno revisa o conteúdo e estende seu aprendizado.

Metodologia ativa

A metodologia nasceu da troca de experiências de professores renomados de Engenharia no Brasil que, juntos, descobriram um novo significado para o ensino oferecido até hoje no país. “Nossa inquietação inicial foi a alta evasão escolar, a má qualidade da maioria dos cursos existentes – uma calamidade – a baixa empregabilidade dos recém-formados e o comprometimento da indústria nacional num futuro bem próximo”, conta o professor Aécio Lira, coordenador do projeto.

De acordo com o pró-reitor de EAD da Unicesumar, William de Matos Silva, a metodologia diferenciada da Unicesumar é inovadora e oferece “qualidade de ensino, tecnologia educacional de ponta, material didático próprio e estrutura física que oferecerão salas de aulas modernas e laboratórios físicos e virtuais, com recursos em realidade aumentada e práticas programadas”, ressalta.

O reitor da Unicesumar, Wilson Matos da Silva, afirma que este é um investimento no futuro do Brasil, especialmente nos setores que mais demandam por profissionais qualificados para o desenvolvimento do país: energia, telecomunicações e tecnologia. “Reinventamos a forma de ensinar Engenharia porque temos tradição em educação e qualidade de ensino”, destaca. Mais informações no sitewww.unicesumar.edu.br

 

Publicidade

Reality “Mão na Massa” começa na próxima segunda-feira

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

22 de Fevereiro de 2018

Reality de Gastronomia da Unicesumar será disputado por 24 alunos

 

Vinte e quatro estudantes de Gastronomia da Unicesumar vão disputar o reality “Mão na Massa”. Os competidores são alunos dos polos de Educação a Distância (EAD) de 12 Estados brasileiros e do Distrito Federal, além de acadêmicos dos quatro campi da instituição no Paraná. O reality será realizado de 26 de fevereiro a 2 de março, no campus sede da Unicesumar, em Maringá (PR), e contará com participações especiais de grandes nomes da gastronomia brasileira, como o chefLucas Corazza.

Os 24 competidores foram escolhidos entre 100 candidatos que participaram da prova de seleção: preparar um Bife Wellington, bife de filé revestido com patê e duxelles, envolto em massa folhada e assado. Os vídeos dos candidatos, com o passo a passo da receita, foram avaliados por um júri de professores do curso de Gastronomia da Unicesumar.

A Unicesumar iniciou suas atividades em educação a distância em 2006. Desde novembro já está atuando em Fortaleza, com 45 cursos superiores de Graduação, dentre eles Gastronomia, e 80 cursos de pós-graduação, além de 400 cursos livres de curta duração. Está lançando ainda, cursos superiores na modalidade híbrida, o primeiro do país para Engenharias e Arquitetura, com o melhor do EAD e a prática do presencial, contando com laboratórios dos mais modernos do país, e professores (engenheiros e arquitetos) presentes no polo, tornando um curso de engenharia e arquitetura da mais alta qualidade e com preços mais acessíveis, a partir de 599,00.

A disputa

Durante o “Mão na Massa”, os competidores participarão de provas diárias e serão testados no preparo de um prato assinatura, massas artesanais, bolo em camadas, caixa surpresa e hambúrguer artesanal. Para a prova final, quando terão que preparar um jantar completo, com entrada, prato principal e sobremesa, os participantes serão divididos em seis equipes. Os integrantes das três melhores equipes receberão kits especiais de utensílios de cozinha. Além desses presentes, os membros da equipe campeã ganharão bolsa integral para um dos dois cursos de pós-graduação em Gastronomia da Unicesumar: Gastronomia Funcional e Natural ou Gestão estratégica em Negócios Gastronômicos.

Antes de cada prova, os competidores participarão de aulas especiais sobre vinhos, massas artesanais e harmonização, confeitaria, cozinha contemporânea, cozinha clássica, carnes e hambúrgueres. Após as aulas, todos irão para a cozinha preparar a prova do dia. Cada prova será avaliada por um júri diferente, formado por professores e chefs convidados de acordo com a habilidade testada. Um deles será o chef confeiteiro Lucas Corazza, jurado do programa de tevê “Que seja Doce”, que dará a aula de confeitaria e avaliará a prova do bolo em camadas.

Segundo o professor Vinícius Pires Martins, coordenador do “Mão na Massa”, a participação no reality será importante para os currículos dos participantes. Ele, que já participou do concurso de Melhor Hambúrguer do Brasil do programa Mais Você, da apresentadora Ana Maria Braga, na Rede Globo, afirma que essas competições revelam novos talentos ao mercado da gastronomia. “Quem consegue passar pela seleção para essas competições já possui competências diferenciadas, que o reality ajuda a mostrar. Trata-se de uma grande vitrine”, destaca.

Para o diretor de Planejamento de Ensino da Unicesumar, Frabrício Lazilha, o “Mão na Massa” valoriza a prática acadêmica. “O fazer é essencial para uma formação de qualidade”, afirma. Ele também destaca a interação com outros alunos, de diferentes partes do Brasil, como outro atributo importante do reality.

A Unicesumar lançou o curso de Gastronomia EAD em 2015 e já possui 2.500 alunos em 208 diferentes polos de EAD. A graduação tem duração de dois anos. Criado para atender à crescente demanda do mercado de trabalho por profissionais dessa área em todo o Brasil, este é um dos cursos que mais cresce dentro da instituição.

Este será o segundo reality show promovido pela Unicesumar como prática pedagógica. O primeiro foi o Reality Fashion, realizado em julho do ano passado, que foi disputado por 30 alunos de Design de Moda de 15 Estados brasileiros. “O reality de moda foi um sucesso absoluto e nos inspirou a realizar o de gastronomia. Nenhuma outra instituição de ensino superior do Brasil promove realities como forma de ensinar. Isso é inovação pedagógica, que faz parte do nosso DNA”, destaca o pró-reitor de EAD da Unicesumar, William de Matos Silva.

 

 

Conheça os 24 participantes do reality “Mão na Massa” da Unicesumar.

Alcyr Alves Viana Neto, 51, DF (polo EAD de Brasília)

Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG), com mestrado e doutorado em Educação, Alcyr possui um currículo profissional extenso, que logo será complementado com mais uma formação: Gastronomia. Apesar da rotina acadêmica, sempre arruma tempo para realizar eventos gastronômicos para familiares e amigos, quando aprimora suas técnicas e práticas culinárias. “Sempre gostei de cozinhar em casa. Aos 20 anos, como militar, trabalhei no restaurante em uma unidade do Exército e conheci o dia a dia de uma operação dessas”, explica. Para o futuro, quer fazer outros cursos no Brasil e no exterior.

Alex Sandro Cobo, 36, SP (polo EAD Adamantina)

Trabalhar com alimentação está em suas raízes. Aos dez anos, Alex era feirante com os seus pais; aos 20, abriu um minimercado; a partir daí, foi gerente de supermercado, distribuidor de chope e abriu um restaurante, no qual trabalha atualmente com sua família. Suas melhores habilidades como cozinheiro são comidas regionais, bolos, tortas e doces. “Sou persistente, guerreiro, gosto de desafios e não desisto dos meus sonhos”, afirma Alex.

Claudia Emilia Santos, 37, PR (campus de Ponta Grossa)

Para quem sempre cozinhou para a família, transformar a atividade em uma fonte de renda acabou sendo um caminho natural. Em busca de novos conhecimentos e aperfeiçoamento técnico, decidiu ingressar no curso de Gastronomia e é fã confessa da Cozinha Clássica. Para o futuro, sonha em abrir o próprio negócio. Cláudia acredita que sua participação no reality Mão na Massa ajudará a acelerar a concretização desse sonho, pois lhe dará reconhecimento no mercado gastronômico.

Claudia Ferreira Borges de Salles Passarelli, 55, MG (polo EAD Itajubá)

Ficar no apoio da cozinha, picando ingredientes e lavando a louça, era a função da Claudia nas reuniões de família, pois não sabia cozinhar muito bem ou, pelo menos, achava isso. Após um grave problema pessoal, decidiu virar o jogo e começou a fazer cupcakes para vender. Foi assim que a Gastronomia entrou na sua vida, quando percebeu que seus bolos faziam as pessoas felizes. Aos 55 anos, professora de inglês, resolveu fazer o curso de Gastronomia para ampliar seus horizontes e aprimorar o trabalho na confeitaria, sua verdadeira paixão. Para a competição, promete perseverança e dedicação. “Quero ser um exemplo para que as pessoas entendam que não tem idade para encarar novos desafios e sonhar”, afirma Claudia.

Edivam Gomes Dantas, 40, PA (polo EAD Castanhal)

Uma necessidade que se transformou em amor. Resumidamente, essa é a relação de Edivam com a cozinha. Aos 11 anos, após um grave acidente sofrido por sua mãe, o então cozinheiro assumiu a responsabilidade de fazer as refeições da família. A partir daí, não parou mais. “A gastronomia me move, me acompanha e está no centro da minha trajetória de vida”, reflete Edivam. Com 20 anos, começou a trabalhar em um restaurante. Na sequência, passou por padarias, confeitarias, doçarias, churrascarias, buffets e outros restaurantes. Mesmo com tanta experiência, não deixou de se profissionalizar e buscou o curso de Gastronomia da Unicesumar para enriquecer seu currículo e adquirir novos conhecimentos, pois, para ele, “a arte de cozinhar é transformar uma receita em uma experiência inigualável de sabores”.

Eliana Gomes Santana, 43, BA (polo EAD Cruz das Almas)

Proprietária de uma corretora de seguros, Eliana não estava completa profissionalmente e sentia falta de algo que lhe trouxesse emoção. Apoiada pelo marido, iniciou o curso de Gastronomia da Unicesumar. “Queria obter um aprendizado completo e profundo. Não queria apenas aprender a cozinhar, mas sim desbravar o mundo da alta cozinha”, afirma a estudante. Em sua casa, sempre buscou fazer mais do que a comida do dia a dia, surpreendendo a família e amigos com pratos criativos. Participar do reality é um sonho que está sendo realizado. Acredita que o contato com pessoas de diferentes lugares e profissionais da Gastronomia contribuirá muito com sua formação.

Fabiana Dias Listo Santos, 40, ES (polo EAD Cachoeiro de Itapemirim)

Por gostar de cozinhar, há cinco anos Fabiana resolveu transformar esse talento em negócio e abriu uma creperia. Com o tempo, sentiu a necessidade de entender mais sobre o ramo e adquirir novos conhecimentos na cozinha. Foi então que descobriu o curso de Gastronomia da Unicesumar. “Venho de uma cozinha simples e de raiz. Com o curso, meu objetivo é inovar e melhorar a gestão do meu negócio”, explica. Além de confiar no seu tempero simples e rico em sabores, acredita que terá um bom desempenho na competição por ser uma pessoa alegre, comunicativa e saber trabalhar em equipe.

Fellipe Mathews Silva Santos, 26, BA (polo EAD Itabuna)

Desde criança, o analista de sistemas sempre gostou de cozinhar. Era o companheiro de sua mãe no preparo de boas receitas. Ao acompanhar reality shows na TV, teve a certeza que essa era sua área e decidiu cursar Gastronomia. Seus sonhos profissionais são trabalhar com grandes chefs, atuar como consultor gastronômico e ter seu próprio programa de Gastronomia, que já tem até nome: Food Network. Na competição, pretende valorizar o trabalho em equipe. Mas deixa claro: “sou guerreiro e não gosto de encarar as coisas para perder”.

Hannison Felipe Loiola da Silva, 28, BA (polo EAD Barreiras)

Hannison é funcionário público, trabalha com buffets para eventos e ainda ajuda nas atividades gastronômicas dos pais. Seu pai tem uma tapiocaria e sua mãe produz doces e tortas finas. Com essa herança, apaixonou-se pela área. “Sempre tive o sonho de fazer um curso de Gastronomia, mas não tinha condições de ir para um grande centro estudar. Quando a Unicesumar inaugurou em Barreiras, corri e fiz minha inscrição. Fui um dos primeiros alunos aqui da cidade”, conta. De personalidade tranquila, sabe trabalhar sob pressão e acha que esse será um diferencial competitivo no reality.

Izailda Maria Calvis Reis, 56, MS (polo EAD Campo Grande)

Produtora rural na atividade pecuária, Izailda é adepta da Gastronomia funcional, orgânica e sustentável. Há cinco anos, após passar por uma grave doença, estuda e vive este estilo de vida. “Não consumo nada que venha da indústria. Acredito que quanto mais você se afasta da natureza mais você adoece”, afirma. Hoje, é Técnica em Alimentos Funcionais e em Nutrição Funcional. Começou a estudar Gastronomia devido à necessidade de profissionalização, pois dá aulas de culinária funcional e lowcarb. Seu principal objetivo é compartilhar suas experiências e divulgar a Gastronomia de sua região, que ela define como “simples, porém, sofisticada”.

Jaqueline de Souza Luis Silva, 23, SP (polo EAD Dracena)

A intimidade com a cozinha é algo que Jaqueline vem construindo há pouco mais de cinco anos, quando se casou. Até então, não conhecia essa paixão pela Gastronomia que a fez buscar mais conhecimento. Recepcionista de um laboratório de análises clínicas, a estudante aproveita suas horas vagas para fazer bolos e doces, sua especialidade. “Para o futuro, quero abrir meu próprio negócio no ramo alimentício, um bistrô ou um food truck”, revela. Seu principal interesse pelo “Mão na Massa” é aprender muito, com os chefs e com os outros participantes.

Kathia Nani Chiuchetta, 50, PR (campus de Maringá)

Das telas do YouTube para o “Mão na Massa”. Essa é a trajetória de Kathia, recém-formada em Gastronomia pela Unicesumar e que há três meses possui um canal no YouTube. Aos 50 anos, Kathia revela paixão pela cozinha quente e pela confeitaria. De descendência italiana, ela atribui à genética o gosto pela Gastronomia e aposta na experiência para se dar bem na competição. “Nunca participei de um reality, mas sempre participei de muitos concursos. Foco, determinação e muita adrenalina me fizeram aceitar esse desafio”.

Lesly Fernandes dos Reis, 43, RJ (polo EAD Rio de Janeiro)

De altos cargos gerenciais para a cozinha. Com MBA em Administração de Empresas, Lesly iniciou na carreira executiva muito cedo, deixando de lado um grande sonho, fazer Gastronomia. Em 2016, resolveu dar uma reviravolta em sua vida, desligou-se da empresa que trabalhava e se inscreveu em um curso de confeitaria. A partir daí, não parou mais. No ano seguinte, iniciou o curso de Gastronomia na Unicesumar e paralelamente um curso de Chef Executivo. “Gosto de estudar, pesquisar e testar novos sabores. As infinitas possibilidades de criações na Gastronomia me fascinam e essa relação com a cozinha só cresce”, afirma Lesly. Acredita que observação e foco são qualidades que lhe ajudarão na competição.

Maria Luiza Hacke, 19, RS (polo EAD São Bento do Sul)

Uma jovem cozinheira que antes de se decidir definitivamente pela profissão, tentou outros caminhos, chegando até cursar um semestre de Comércio Exterior. Porém, a paixão pela cozinha falou mais alto. Atualmente, Maria Luiza trabalha em um restaurante japonês, mas confessa que é apaixonada pela comida italiana. “Eu amo cozinhar e esse amor teve início na minha casa, pois aprendi com a minha mãe que também é cozinheira”, explica. Com o reality, acredita que poderá crescer não só profissionalmente, mas também como pessoa. Pensando no futuro, tem grandes objetivos: fazer um intercâmbio e abrir seu próprio restaurante.

Mateus Corete da Silva, PR, 24 (de Sarandi, campus de Maringá)

Uma paixão que começou na infância e aumenta a cada dia. É assim que Mateus define sua relação com a cozinha. Com duas graduações pela Unicesumar – Técnico em Cozinha e Gastronomia –, ele atua na área mesmo antes da formação. “Quando fui em busca do primeiro emprego, não tive dúvidas que seria em um restaurante”. Trabalhando atualmente em duas cozinhas, Mateus diz não imaginar os desafios que terá pela frente, mas garante que tem uma carta na manga.

Murilo De Peder Zandoná, 25, PR (campus de Maringá)

A paixão pela cozinha vem de família. Cresceu vendo o pai cozinhar e desde adolescente acompanhava e auxiliava a mãe na realização de jantares, o que o aproximou de diversos cozinheiros e despertou o interesse pela arte. Passou a cozinhar em eventos, mesmo durante a graduação no curso de Direito. Aos 25 anos, Murilo se diz especialista em Cozinha Italiana e Panificação e espera que o reality seja uma possibilidade de mostrar que pode mais, que a Gastronomia não é uma segunda opção e que sonhar nunca é demais.

Regina Batista de Oliveira, 45, MG (polo EAD Pouso Alegre)

“Precisamos buscar sempre os nossos sonhos para que estes aconteçam, pois somos capazes”. Essa é a frase que inspira Regina, empresária na área de produtos para higienização de empresas, que cozinha desde menina por paixão. Aprendeu essa arte com a mãe, que fazia salgados e chocolates artesanais para vender, e agora a ensina às filhas Rebecca (12) e Rhany (7). Gosta muito de preparar massas frescas e tem planos de fazer uma pós-graduação em Gastronomia Funcional e Natural, montar uma cozinha industrial de massas frescas e molhos, empreender em uma escola de culinária e lecionar em faculdades. “Também quero viajar para Itália, França e Portugal com foco na Gastronomia regional”, conta.

Roberto Bellini Costa dos Santos, 43, RR (polo EAD Boa Vista)

Culinária norte-brasileira é a sua especialidade. Há seis anos, comanda um restaurante e acredita que o sucesso na cozinha se dá com o trabalho em equipe e em saber cumprir e delegar tarefas. O interesse pela Gastronomia vem de infância, quando sua família o ensinou a trabalhar a partir de três premissas: união, amor e sabor. Porém, a busca incessante pelo conhecimento e aprimoramento, o levou ao curso de Gastronomia da Unicesumar. Acredita que o reality é uma oportunidade para interagir e aprender com profissionais de diferentes culturas e lugares do Brasil. Seu sonho é colocar o estado de Roraima em destaque no cenário gastronômico nacional.

Sandra Bispo de Melo, 41, GO (polo EAD Formosa)

Entre tantas coisas que Sandra gosta de fazer, cozinhar está no topo da lista. Por isso, decidiu fazer Gastronomia. Para ela, adquirir novos conhecimentos é motivador. Nas reuniões em família, segue à frente no comando da cozinha, sempre inventando pratos diferentes. Seus dois filhos, Heitor (6) e Rómulo (9), sempre curiosos para saber o que a mãe está testando, parecem ter herdado o talento na cozinha. Quando questionada sobre o futuro, deixa claro que prefere viver um dia de cada vez. Porém, tem planos de abrir seu próprio negócio na praia.

Suelen Pereira de Mendonça, 33, MG (polo EAD Formosa)

Além da paixão por cozinhar, o que mais motivou Suelen a buscar a Gastronomia como profissão, foi sua mãe. Como trabalhava fora, quem cuidava do almoço da família diariamente era Suelen, que sempre surpreendia com pratos criativos. Muitas vezes, em suas aventuras, servia algo além do ponto ou muito salgado, porém, sempre obteve a admiração e incentivo de sua mãe. Confeitaria é a sua grande paixão e onde pretende se especializar. Acredita que o Mão na Massa vai lhe trazer boas experiências, novos aprendizados e lhe testar em um ambiente de competição.

Suzana Flor Reinaldo de Andrades, 41, RS (polo EAD Osório)

Irmã mais velha de cinco filhos, Suzana aprendeu a cozinhar muito cedo, pois tinha a responsabilidade de cuidar dos seus irmãos. Assim, fez da cozinha sua profissão. Trabalhou em restaurantes, casas de família, vendeu salgados na rua e hoje é merendeira em uma escola pública. Nas horas vagas é salgadeira, atividade que complementa sua renda e paga seus estudos. “Fazer Gastronomia é um sonho sendo realizado. Pra mim, cozinhar é algo prazeroso, que não consigo expressar em palavras. Me desligo de tudo e não sinto cansaço, é algo inexplicável”, comenta Suzana. Para o “Mão na Massa”, promete 100% de foco e absorver o máximo de conhecimento.

Viviane P. Costa, 54, SP (polo EAD São Paulo)

Para Viviane, a cozinha é um mundo encantado, onde viaja por diferentes países sem sair do lugar. O envolvimento com a cozinha começou aos nove anos, ajudando sua mãe no preparo das refeições. Interessada em aprender mais, começou a ler livros de culinária, estudar e pesquisar. Quando se deu conta, já era uma ótima cozinheira. “Cozinho quando estou feliz, quando estou triste. Na comida, coloco toda a minha emoção e meu carinho. Cozinhar é mágico, é transformador, me fascina e me inspira”, destaca. Apesar de gostar de todas as áreas da Gastronomia, fazer pães é a sua especialidade. Também artista plástica vidreira, planeja criar uma linha de pães artesanais, embalados em suas artes.

Waleska de Figueiredo Maciel Silveira, 41, MG (polo EAD Belo Horizonte)

Waleska cresceu rodeada de excelentes cozinheiras: avó materna, tias e mãe. Curiosa, adorava vê-las preparar a comida do dia a dia e das datas especiais. Até seguia sua mãe em aulas de culinária e ficava encantada com o que aprendia. O tempo passou, ela se formou em Direito – sua principal atividade atual –, mas nunca deixou de lado seus dotes culinários. Hoje, a Gastronomia é uma segunda fonte de renda, ministrando aulas informalmente para grupos de amigos, preparando pratos por encomenda e atendendo pequenos eventos. Resolveu fazer um curso superior, pois sentiu a necessidade de aprimorar suas habilidades e técnicas, além de aprofundar os conhecimentos. “Tenho o projeto de migrar profissionalmente para a Gastronomia. Hoje, realizo todas as atividades em minha casa, mas adoraria ter um espaço só para isso”, revela.

Wiviane Machado, 41, Go (Polo EAD Uraçu)

A Gastronomia é um hobby que Wiviane resolveu levar a sério. Microempresária no ramo de móveis, eletrodomésticos e eletrônicos, ela se diverte na cozinha nos finais de semana, reunindo a família e amigos para provarem seus pratos. “Sempre admirei a Gastronomia e isso me despertou o desejo de aprender técnicas e combinações de sabores. Como moro em uma cidade do interior, nunca tive a oportunidade de me especializar. Mas quando fiquei sabendo da Unicesumar, não tive dúvida, me matriculei”, explica. Durante o reality, quer aproveitar ao máximo as dicas dos chefs para aprimorar seus conhecimentos e voltar para casa vencedora, “quem sabe”?

 

Publicidade

Tendências e cenário da Educação das Engenharias, Arquiteturas e Urbanismo serão discutidos no próximo dia 24  

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

19 de Janeiro de 2018

Promovido pela Unicesumar, evento terá palestra de Aécio Lira, Ph.D. em Engenharia Civil pela UFMG e professor visitante da Universidade de Illinois 

O mercado de trabalho vem passando por inúmeras mudanças nos últimos anos. Isso também impacta nas grades curriculares dos cursos de ensino superior. Há profissões ameaçadas de extinção, outras que vêm ganhando novas configurações e algumas surgindo. Duas das áreas que vem ganhando novos contornos são a engenharia e a arquitetura e urbanismo. Pensando nisso, o Centro Universitário Unicesumar traz a Fortaleza o prof. Aécio Lira, Ph.D. (Engenheiro Civil /EE.UFMG, Mestre em Estruturas  /Coppe-UFRJ,  Doutor em Estruturas/M.S.U/USA, . Pos-Doutor em Estruturas/M.I.T./USA,  Professor visitante da University of Illinois at Urbana-Champaign) para falar sobre tema “Tendências e Cenário da Educação das Engenharias, Arquitetura e Urbanismo”. O evento é gratuito e acontece na quarta-feira (24), às 19h30, no Auditório da Unicesumar (Av. Washington Soares, 3636 – Parque Manibura, Fortaleza). O evento tem apoio da Apodi e AD2M Engenharia de Comunicação.

A oferta de cursos de Engenharia presenciais aumentou significativamente nos últimos anos. No setor privado, as vagas passaram de 125.173 ingressantes em 2010 para 259.811 em 2015, um crescimento de mais de 100%. Já nas faculdades públicas, o crescimento no mesmo período foi de 28% – passando de 55.614 para 71.514 vagas. Esse crescimento, entretanto, não vem acompanhado necessariamente pela qualidade. “Mais de 80% dos cursos de engenharia do país são de má qualidade”, ressalta o professor Aécio Lira, embasado por indicadores do Ministério da Educação (MEC). “Além disso, há outros problemas como alta evasão escolar, a baixa empregabilidade dos recém-formados e o comprometimento da indústria nacional num futuro bem próximo”, complementa.

Modelo híbrido 

A Unicesumar lançou, em setembro de 2017, o primeiro modelo híbrido de ensino de Engenharias e Arquitetura e Urbanismo do Brasil. O Híbrido foi apontado por especialistas como uma das maiores inovações do ensino superior no país. Desenvolvido ao longo de dois anos, o novo modelo nasceu da troca de experiências de professores renomados de Engenharia no Brasil que, juntos, descobriram um novo significado para o ensino oferecido até hoje no país, seja no modelo presencial, como na educação a distância.  O projeto é coordenado pelo professor Aécio Lira. 

Depois de 30 anos como professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), onde ocupou a diretoria da Escola de Engenharia, e 13 anos de atuação no ensino privado, Lira constatou uma “crise nacional” na formação de engenheiros no Brasil. “A cada ano, cerca de 300 mil novos alunos ingressam nas centenas de faculdades de Engenharia no país. De cada 100 alunos que entram na faculdade, apenas 35 concluem o curso. E dos cinco mil cursos de Engenharia existentes no Brasil, apenas 19% têm nota 4 ou 5 no Enade, contra 51% que têm notas 1 e 2. O ensino de Engenharia no Brasil só cresce em quantidade, mas não em qualidade; um verdadeiro caos”, explica.

Diante dessa realidade, Lira começou a buscar parceiros para criar um novo modelo de formação de engenheiros no Brasil e encontrou as condições necessárias na Unicesumar. “A partir daí, conhecemos profundamente os modelos híbridos existentes  nos Estados Unidos, no MIT, Stanford, Berkeley, Olin College, Purdue, Illinois/Urbana, Iowa State University e Northeastern University, e nos Institutos Indianos de Tecnologia, na Índia, que estão muito avançados nessa área, e reunimos os melhores profissionais das melhores instituições federais e públicas de ensino de São Paulo. Depois, validamos o modelo híbrido junto às principais entidades do setor”, conta o coordenador do projeto.

O Híbrido Unicesumar utiliza técnicas pedagógicas presenciais e a distância. É uma metodologia inovadora que oferece qualidade de ensino, tecnologia educacional de ponta, garantia de aprendizagem, material didático próprio e estrutura física nos polos, que oferecerão salas de aulas modernas e laboratórios físicos e virtuais, com recursos em realidade aumentada e práticas programadas. O modelo Híbrido oferece cursos de Engenharia Elétrica, Engenharia Civil, Engenharia Mecatrônica, Engenharia Mecânica, Engenharia de Produção e Arquitetura e Urbanismo, todos com cinco anos de formação.

O ano letivo será dividido em quatro módulos, com duração de dez semanas cada e duas disciplinas por módulo. A semana de aula está estruturada para seis dias de atividades, sendo três dias de auto estudo, um dia de aula ao vivo (transmitidas via streaming live), dois dias de encontro presencial no polo e/ou de prática laboratorial, também no polo. Todas as atividades presenciais terão controle de frequência de no mínimo 60% de presença.

O Híbrido Unicesumar foi estruturado a partir de metodologias ativas, com aprendizagem baseada na reflexão sobre a experiência, em projetos e solução de problemas e em timing. A metodologia reúne, ainda o ensino dirigido e por pesquisa, estudos de caso, gamificação e peer instruction (instrução entre pares). A sala de aula no modelo Híbrido é invertida. Antes das aulas, o aluno prepara-se sobre o tema. Durante as aulas, o aluno pratica os conceitos aprendidos. Depois das aulas, o aluno revisa o conteúdo e estende seu aprendizado. No início de cada disciplina, o aluno conhece a sua trilha de aprendizagem, visualizando onde está e onde vai chegar. Trata-se de um mapa mental que ajuda a orientar as dez semanas de estudos.

Sobre a Unicesumar  

A Unicesumar iniciou suas atividades em educação a distância em 2006. Desde novembro já está atuando em Fortaleza, com 45 cursos superiores de Graduação, e 80 cursos de pós-graduação, além de 400 cursos livres de curta duração. Está lançando ainda, cursos superiores na modalidade híbrida, o primeiro do país para Engenharias e Arquitetura, com o melhor do EAD e a prática do presencial, contando com laboratórios dos mais modernos do país, e professores (engenheiros e arquitetos) presentes no polo, tornando um curso de engenharia e arquitetura da mais alta qualidade e com preços mais acessíveis, a partir de 599,00.

Seu corpo docente é formado por 80% de mestres e/ou doutores, enquanto que a exigência do MEC é de apenas 30%. A Unicesumar obteve nota 4 no Índice Geral de Cursos (IGC) pelo sétimo ano consecutivo, em uma escala de avaliação de 1 a 5. No ranking dos 149 centros universitários públicos e privados do Brasil, ocupa a 7ª posição. Segundo o Guia do Estudante, da Editora Abril, a Unicesumar está entre as três melhores instituições em número de cursos indicados entre os melhores do Brasil, se comparada a outras instituições inclusive presenciais com sede em Fortaleza.  

Publicidade

Tendências e cenário da Educação das Engenharias, Arquiteturas e Urbanismo serão discutidos no próximo dia 24  

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

17 de Janeiro de 2018

Promovido pela Unicesumar, evento terá palestra de Aécio Lira, Ph.D. em Engenharia Civil pela UFMG e professor visitante da Universidade de Illinois 

O mercado de trabalho vem passando por inúmeras mudanças nos últimos anos. Isso também impacta nas grades curriculares dos cursos de ensino superior. Há profissões ameaçadas de extinção, outras que vêm ganhando novas configurações e algumas surgindo. Duas das áreas que vem ganhando novos contornos são a engenharia e a arquitetura e urbanismo. Pensando nisso, o Centro Universitário Unicesumar traz a Fortaleza o prof. Aécio Lira, Ph.D. (Engenheiro Civil /EE.UFMG, Mestre em Estruturas  /Coppe-UFRJ,  Doutor em Estruturas/M.S.U/USA, . Pos-Doutor em Estruturas/M.I.T./USA,  Professor visitante da University of Illinois at Urbana-Champaign) para falar sobre tema “Tendências e Cenário da Educação das Engenharias, Arquitetura e Urbanismo”. O evento é gratuito e acontece na quarta-feira (24), às 19h30, no Auditório da Unicesumar (Av. Washington Soares, 3636 – Parque Manibura, Fortaleza).

A oferta de cursos de Engenharia presenciais aumentou significativamente nos últimos anos. No setor privado, as vagas passaram de 125.173 ingressantes em 2010 para 259.811 em 2015, um crescimento de mais de 100%. Já nas faculdades públicas, o crescimento no mesmo período foi de 28% – passando de 55.614 para 71.514 vagas. Esse crescimento, entretanto, não vem acompanhado necessariamente pela qualidade. “Mais de 80% dos cursos de engenharia do país são de má qualidade”, ressalta o professor Aécio Lira, embasado por indicadores do Ministério da Educação (MEC). “Além disso, há outros problemas como alta evasão escolar, a baixa empregabilidade dos recém-formados e o comprometimento da indústria nacional num futuro bem próximo”, complementa.

Modelo híbrido 

A Unicesumar lançou, em setembro de 2017, o primeiro modelo híbrido de ensino de Engenharias e Arquitetura e Urbanismo do Brasil. O Híbrido foi apontado por especialistas como uma das maiores inovações do ensino superior no país. Desenvolvido ao longo de dois anos, o novo modelo nasceu da troca de experiências de professores renomados de Engenharia no Brasil que, juntos, descobriram um novo significado para o ensino oferecido até hoje no país, seja no modelo presencial, como na educação a distância.  O projeto é coordenado pelo professor Aécio Lira.

Depois de 30 anos como professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), onde ocupou a diretoria da Escola de Engenharia, e 13 anos de atuação no ensino privado, Lira constatou uma “crise nacional” na formação de engenheiros no Brasil. “A cada ano, cerca de 300 mil novos alunos ingressam nas centenas de faculdades de Engenharia no país. De cada 100 alunos que entram na faculdade, apenas 35 concluem o curso. E dos cinco mil cursos de Engenharia existentes no Brasil, apenas 19% têm nota 4 ou 5 no Enade, contra 51% que têm notas 1 e 2. O ensino de Engenharia no Brasil só cresce em quantidade, mas não em qualidade; um verdadeiro caos”, explica.

Diante dessa realidade, Lira começou a buscar parceiros para criar um novo modelo de formação de engenheiros no Brasil e encontrou as condições necessárias na Unicesumar. “A partir daí, conhecemos profundamente os modelos híbridos existentes  nos Estados Unidos, no MIT, Stanford, Berkeley, Olin College, Purdue, Illinois/Urbana, Iowa State University e Northeastern University, e nos Institutos Indianos de Tecnologia, na Índia, que estão muito avançados nessa área, e reunimos os melhores profissionais das melhores instituições federais e públicas de ensino de São Paulo. Depois, validamos o modelo híbrido junto às principais entidades do setor”, conta o coordenador do projeto.

O Híbrido Unicesumar utiliza técnicas pedagógicas presenciais e a distância. É uma metodologia inovadora que oferece qualidade de ensino, tecnologia educacional de ponta, garantia de aprendizagem, material didático próprio e estrutura física nos polos, que oferecerão salas de aulas modernas e laboratórios físicos e virtuais, com recursos em realidade aumentada e práticas programadas. O modelo Híbrido oferece cursos de Engenharia Elétrica, Engenharia Civil, Engenharia Mecatrônica, Engenharia Mecânica, Engenharia de Produção e Arquitetura e Urbanismo, todos com cinco anos de formação.

O ano letivo será dividido em quatro módulos, com duração de dez semanas cada e duas disciplinas por módulo. A semana de aula está estruturada para seis dias de atividades, sendo três dias de auto estudo, um dia de aula ao vivo (transmitidas via streaming live), dois dias de encontro presencial no polo e/ou de prática laboratorial, também no polo. Todas as atividades presenciais terão controle de frequência de no mínimo 60% de presença.

O Híbrido Unicesumar foi estruturado a partir de metodologias ativas, com aprendizagem baseada na reflexão sobre a experiência, em projetos e solução de problemas e em timing. A metodologia reúne, ainda o ensino dirigido e por pesquisa, estudos de caso, gamificação e peer instruction (instrução entre pares). A sala de aula no modelo Híbrido é invertida. Antes das aulas, o aluno prepara-se sobre o tema. Durante as aulas, o aluno pratica os conceitos aprendidos. Depois das aulas, o aluno revisa o conteúdo e estende seu aprendizado. No início de cada disciplina, o aluno conhece a sua trilha de aprendizagem, visualizando onde está e onde vai chegar. Trata-se de um mapa mental que ajuda a orientar as dez semanas de estudos.

Sobre a Unicesumar  

A Unicesumar iniciou suas atividades em educação a distância em 2006. Desde novembro já está atuando em Fortaleza, com 45 cursos superiores de Graduação, e 80 cursos de pós-graduação, além de 400 cursos livres de curta duração. Está lançando ainda, cursos superiores na modalidade híbrida, o primeiro do país para Engenharias e Arquitetura, com o melhor do EAD e a prática do presencial, contando com laboratórios dos mais modernos do país, e professores (engenheiros e arquitetos) presentes no polo, tornando um curso de engenharia e arquitetura da mais alta qualidade e com preços mais acessíveis, a partir de 599,00.

Seu corpo docente é formado por 80% de mestres e/ou doutores, enquanto que a exigência do MEC é de apenas 30%. A Unicesumar obteve nota 4 no Índice Geral de Cursos (IGC) pelo sétimo ano consecutivo, em uma escala de avaliação de 1 a 5. No ranking dos 149 centros universitários públicos e privados do Brasil, ocupa a 7ª posição. Segundo o Guia do Estudante, da Editora Abril, a Unicesumar está entre as três melhores instituições em número de cursos indicados entre os melhores do Brasil, se comparada a outras instituições inclusive presenciais com sede em Fortaleza.

 

Publicidade

Dicas do que vestir nas festas de final de ano 

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

22 de dezembro de 2017

Professora do curso de moda da Unicesumar ajuda para não errar na roupa 

O que vestir nas festas de final de ano? Muita gente fica em dúvida entre quais roupas, calçados e acessórios são mais adequados para usar nas comemorações de Natal e Ano Novo. Para não errar, a coordenadora do curso de moda da Unicesumar, Sandra Franchini* elencou dicas que vão do clássico às tendências da estação. Selecionamos três momentos diferentes: praia, clube com amigos e em casa com a família. Confira as dicas para cada ocasião e as justificativas das opções sugeridas.

Para a praia

A sugestão para as mulheres é abusar de vestidos rendados, cores claras, saias e vestidos longos. Adereços na cabeça (flores, presilhas), estampas floridas e cores tropicais como amarelo, laranja e o branco para o Reveillon são boas opções. Os quimonos estão em alta, complementando a produção com um toque confortável e, ao mesmo tempo, sofisticado. Na areia, as opções são mais livres, vale até improvisar com uma saída de praia, por exemplo.

Uma dica importante é apostar nos acessórios que destacam o bronzeado. Não se esqueça de optar por calçados confortáveis, como rasteirinhas e sandálias de tiras. Lembrando que vai ficar mais fácil de tirar, caso queira pular “as 7 ondinhas”.

Para os homens, a produção pode ser bem mais descontraída, com camisas de tecido leve e batas, ambas em cores claras. No pé, chinelo, mocassim ou sapatênis sem meias. E para destacar o look, fica interessante usar colares e pulseiras feitas de semente ou de couro.

No clube com os amigos

Vale apostar na formalidade, podendo optar desde um vestido longo mais solto até os curtos, tecidos mais leves, como crepe e seda. O destaque vai para as cores vermelho e dourado e também para acessórios mais finos. Aqui vale abusar do salto alto e usar aquela make marcante.

Os homens podem optar por ternos e calças mais sociais, ou até pela sarja. Tons de azul escuro estão em alta. Nude e caqui são opções clássicas e sempre bem-vindas. Para esses locais, é importante escolher sapatos adequados, considerando que a festa pode ser no salão ou próximo à piscina.

Festa tradicional em casa 

Mesmo que a festa não seja na sua casa, ambientes residenciais são uma abertura para usar roupas confortáveis, porém elegantes. Escolha o que te cai bem, que valoriza o corpo, mas te permite abaixar para abrir os presentes com as crianças ou até ajudar nos afazeres domésticos. Sem erro, pode apostar no básico, mas com detalhes que chamem a atenção, já que é uma ocasião em que são feitas muitas fotografias, que vão ficar de recordação para a família.

Homens podem optar por vestir desde o jeans tradicional e camiseta polo, até uma produção mais elaborada, com calça social e camisa (só não vale gravata).

Em todos os casos, lembre-se de escolher bolsas adequadas, que serão muito úteis para carregar as chaves, celulares, carteiras e o batom, pra retocar quando precisar.

*Sandra Franchini é coordenadora do curso de Moda da Unicesumar há 10 anos e há um ano coordena o primeiro curso do Brasil de Ensino à Distância (EAD) de Design e Moda. Sandra é pedagoga, bacharel em Design de Moda, pós graduada em Moda e Negócios e mestre em Design de Moda pela Faculdade Anhembi Morumbi.

Sobre a Unicesumar  

A Unicesumar iniciou suas atividades em educação a distância em 2006, com apenas três cursos de Graduação. A partir de novembro já estará atuando na cidade, com 40 cursos superiores de Graduação, e 80 cursos de pós-graduação, além de 400 cursos livres de curta duração. Está lançando ainda, cursos superiores na modalidade híbrida, o primeiro do país para Engenharias e Arquitetura, com o melhor do EAD e a prática do presencial, contando com laboratórios dos mais modernos do país, e professores (engenheiros e arquitetos) presentes no polo, tornando um curso de engenharia e arquitetura da mais alta qualidade e com preços mais acessíveis, a partir de 599,00.

Seu corpo docente é formado por 80% de mestres e/ou doutores, enquanto que a exigência do MEC é de apenas 30%. A Unicesumar obteve nota 4 no Índice Geral de Cursos (IGC) pelo sexto ano consecutivo, em uma escala de avaliação de 1 a 5. No ranking dos 149 centros universitários públicos e privados do Brasil, ocupa a 7ª posição. Segundo o Guia do Estudante, da Editora Abril, a Unicesumar está entre as três melhores instituições em número de cursos indicados entre os melhores do Brasil, se comparada a outras instituições com sede em Fortaleza.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

MEC atribui Conceito Institucional (CI) máximo para Unicesumar 

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

05 de dezembro de 2017

Nota permite que a Unicesumar abra mais unidades no país.

Com polo inaugurado no mês de novembro em Fortaleza, a Unicesumar comemora bons resultados, segundo indicadores dos resultados do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) referentes a 2016 foram divulgados nesta semana e apontam a manutenção da excelência da instituição. Pelo sétimo ano consecutivo, a Unicesumar obteve nota 4 no IGC (Índice Geral de Cursos), em uma escala de 1 a 5, o que a posiciona entre 4% das melhores instituições de ensino superior do Brasil.

O MEC também confirmou em seu site a nota máxima da Unicesumar no Conceito Institucional (CI), no caso 5.  O CI consiste em uma avaliação in loco feita pelos especialistas do MEC, onde avaliam os principais aspectos de funcionamento, infraestrutura, corpo docente e administrativo, além da qualidade da educação oferecida. Com ele, a instituição tem sua autorização de funcionamento renovada e fortalece seu projeto de expansão que consiste na meta abertura de 300 novos polos de EAD até o fim deste ano e pelo menos 250 em 2018.

O processo avaliativo do MEC é feito por meio do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), que avalia o resultado do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), Conceito Prelimitar de Cursos (CPC), Índice de Desenvolvimento Discente (IDD) e o Índice Geral de Cursos (IGC). Todos estes dados se tornam subsídios para a nova definitiva dada por meio do Conceito Institucional (CI).

O corpo docente da Unicesumar é composto por 80% dos professores sendo mestre e/ou doutores e infraestrutura moderna, e atende mais de 100 mil alunos no Ensino Presencial e EAD. Com tudo isso, a Unicesumar se tornou um dos dez maiores grupos educacionais do Brasil.

Sobre a Unicesumar 

A Unicesumar iniciou suas atividades em educação a distância em 2006, com apenas três cursos de Graduação. A partir de novembro já estará atuando na cidade, com 40 cursos superiores de Graduação, e 80 cursos de pós-graduação, além de 400 cursos livres de curta duração. Está lançando ainda, cursos superiores na modalidade híbrida, o primeiro do país para Engenharias e Arquitetura, com o melhor do EAD e a prática do presencial, contando com laboratórios dos mais modernos do país, e professores (engenheiros e arquitetos) presentes no polo, tornando um curso de engenharia e arquitetura da mais alta qualidade e com preços mais acessíveis, a partir de 599,00.

Seu corpo docente é formado por 80% de mestres e/ou doutores, enquanto que a exigência do MEC é de apenas 30%. A Unicesumar obteve nota 4 no Índice Geral de Cursos (IGC) pelo sexto ano consecutivo, em uma escala de avaliação de 1 a 5. No ranking dos 149 centros universitários públicos e privados do Brasil, ocupa a 7ª posição. Segundo o Guia do Estudante, da Editora Abril, a Unicesumar está entre as três melhores instituições em número de cursos indicados entre os melhores do Brasil, se comparada a outras instituições com sede em Fortaleza.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

MEC divulga as melhores instituições para estudar no Brasil

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

27 de novembro de 2017

Unicesumar mantém nota 4 e permanece, pelo sétimo ano consecutivo, entre as melhores instituições de ensino superior do país e entre as seis melhores de Fortaleza (CE)

O Ministério da Educação (MEC) divulgou em seu site oficial hoje pela manhã (27/11) o Índice Geral de Cursos (IGC), considerada a mais importante avaliação de ensino. O índice avalia todas as instituições de ensino superior no País, tanto as públicas quanto as privadas, com base na média ponderada das notas dos cursos de graduação e de pós-graduação de cada uma delas. “É uma ferramenta poderosa que o aluno tem a seu dispor para avaliar em qual universidade irá fazer o curso escolhido”, diz o diretor da Unicesumar, da unidade de Fortaleza, Adriano Albano.

O IGC é divulgado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), órgão vinculado ao MEC, sintetizando em um único indicador a qualidade de todos os cursos de graduação (presenciais e a distância), mestrado e doutorado da mesma instituição de ensino. O cálculo do IGC é realizado anualmente e considera a média dos dados do Conceito Preliminar de Curso (CPC) do último triênio. Também são consideradas as médias dos conceitos de avaliação dos programas de pós-graduação stricto sensu, a partir de dados da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), e a distribuição dos estudantes entre os diferentes níveis de ensino, graduação ou pós-graduação stricto sensu. Esse último critério se baseia em dados do censo da educação superior e da Capes. Em 2016, 0,4% das instituições de ensino superior obtiveram conceito 1; 14% ,conceito 2; 66,7%, conceito 3; 17,4%, conceito 4 e 1,5%, conceito 5, em todo o Brasil.

Sendo que, entre as mais de 60 instituições de ensino superior, graduação e pós-graduação, presencial ou a distância, particular ou pública, de Fortaleza, apenas 11 delas obtiveram a nota 4. E a nota máxima, 5, apenas a Faculdade São Leopoldo. Lembrando que a nota do IGC varia de 1 a 5, sendo que 4 e 5 são considerados resultados excelentes. “Este é o sétimo ano que a Unicesumar se mantém com esse índice de excelência”, enfatiza Albano.

Nenhuma instituição de ensino superior do Brasil que oferece EAD conseguiu, por tantos anos consecutivos, manter-se nesse nível de excelência. “A Unicesumar está entre as 10 melhores do Brasil, e a qualidade é mantida em todas as cidades em que está presente. Tanto que, mesmo sendo exigido pelo MEC que apenas 30% do corpo docente seja formado por mestres ou doutores, a Unicesumar tem 80% de mestres e doutores, bem além do que seria obrigada. Este é apenas um índice, entre tantos que comprovam a preocupação da instituição com a qualidade do ensino”, avalia Albano.

Unicesumar

A  Unicesumar possui 250 polos de EAD, 90 mil alunos, 3 mil colaboradores e presença em todos os estados brasileiros. Atualmente, são 45 cursos de Graduação (Bacharelado, Licenciatura e Tecnólogo) e 80 cursos de Pós-Graduação, além de 400 cursos livres e cursos desenvolvidos sob demanda para empresas. Possui quatro campi de ensino presencial nas cidades de Maringá, Curitiba, Londrina e Ponta Grossa, no Paraná. Seu corpo docente é formado por mais de mais de 800 professores, sendo 80% mestres e/ou doutores.

Confira os resultados de Fortaleza/CE:

INSTITUIÇÃO IGC CONT IGC
1 FAC SÃO LEOPOLDO MANDIC 4,4715 5
2 UFC – UNIV FED CEARÁ 3,7928 4
3 FAC PADRE DOURADO FACPED 3,5690 4
4 UNICHRISTUS 3,5390 4
5 FAC ATENEU 3,4177 4
6 UNICESUMAR 3,2721 4
7 FACULDADE FARIAS BRITO 3,2711 4
8 ESTÁCIO DE SÁ – UNESA 3,1251 4
9 FAMETRO 3,0317 4
10 FATECI 3,0001 4
11 FA7 – SETE DE SETEMBRO 2,9599 4
12 CLARETIANO 2,9581 4
13 SENAC SP 2,8764 3
14 SÃO CAMILO 2,8743 3
15 FGF – FAC INTEGRADA FORTALEZA 2,8724 3
16 UECE – UNIV ESTAD. CEARÁ 2,8667 3
17 FANOR – FAC NORDESTE 2,8614 3
18 UNIP 2,8504 3
19 FCF – FAC CATÓLICA FORTALEZA 2,8466 3
20 ESTÁCIO DO CE 2,8153 3
21 UCB – UN CATOLICA BRASILIA 2,8129 3
22 UMESP – UNIV METODISTA SP 2,7900 3
23 UMESP – UNIV METODISTA SP 2,7900 3
24 CRUZEIRO DO SUL 2,7818 3
25 FAC CDL 2,7698 3
26 UNIVIP 2,7545 3
27 UNP – UNIV POTIGUAR 2,7542 3
28 FAM – FAC DAS AMERICAS 2,7496 3
29 UNIFRAN 2,7494 3
30 ENIAC 2,7491 3
31 IFCE – INST FED CIENC TEC CEARÁ 2,7084 3
32 UNISUL 2,7069 3
33 UNISUL 2,7069 3
34 UNA 2,6689 3
35 UNIFOR 2,6578 3
36 UNIFACS LAUREATE 2,6529 3
37 UNIASSELVI 2,6401 3
38 ESAB 2,6352 3
39 UNINTER 2,5998 3
40 UNINASSAU 2,5967 3
41 FECET – FAC TEC EVOLUÇÃO 2,5877 3
42 ULBRA 2,5836 3
43 UNOPAR 2,5834 3
44 UNINASSAU FORTALEZA 2,5788 3
45 INES 2,5150 3
46 FAECE – FAC ENS CULTURA CEARA 2,5099 3
47 UNIPLAN 2,4978 3
48 FATENE – FAC TECN NORDESTE 2,4778 3
49 FAEL – FAC EDUC DA LAPA 2,4734 3
50 AIEC 2,4699 3
51 UCB – CASTELO BRANCO 2,4237 3
52 FAFOR – FAC FORTALEZA 2,4137 3
53 IESF – INS ENS SUP FORTALEZA 2,3921 3
54 ANHANGUERA UNIDERP 2,3766 3
55 RATIO 2,3724 3
56 UVA – UNIV EST VALE ACARAU 2,2848 3
57 FATEFIG 2,2474 3
58 FLATED – FAC LATINO AMER EDUC 2,2165 3
59 FLF – FAC LOURENÇO FILHO 2,1866 3
60 FAC CEARENSE 2,1275 3
61 FATEC FLF 2,0095 3

Fonte: MEC

Para conhecer todos os resultadoshttp://portal.inep.gov.br/indice-geral-de-cursos-igc-

Publicidade

MEC divulga as melhores instituições para estudar no Brasil

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

27 de novembro de 2017

Unicesumar mantém nota 4 e permanece, pelo sétimo ano consecutivo, entre as melhores instituições de ensino superior do país e entre as seis melhores de Fortaleza (CE)

O Ministério da Educação (MEC) divulgou em seu site oficial hoje pela manhã (27/11) o Índice Geral de Cursos (IGC), considerada a mais importante avaliação de ensino. O índice avalia todas as instituições de ensino superior no País, tanto as públicas quanto as privadas, com base na média ponderada das notas dos cursos de graduação e de pós-graduação de cada uma delas. “É uma ferramenta poderosa que o aluno tem a seu dispor para avaliar em qual universidade irá fazer o curso escolhido”, diz o diretor da Unicesumar, da unidade de Fortaleza, Adriano Albano.

O IGC é divulgado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), órgão vinculado ao MEC, sintetizando em um único indicador a qualidade de todos os cursos de graduação (presenciais e a distância), mestrado e doutorado da mesma instituição de ensino. O cálculo do IGC é realizado anualmente e considera a média dos dados do Conceito Preliminar de Curso (CPC) do último triênio. Também são consideradas as médias dos conceitos de avaliação dos programas de pós-graduação stricto sensu, a partir de dados da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), e a distribuição dos estudantes entre os diferentes níveis de ensino, graduação ou pós-graduação stricto sensu. Esse último critério se baseia em dados do censo da educação superior e da Capes. Em 2016, 0,4% das instituições de ensino superior obtiveram conceito 1; 14% ,conceito 2; 66,7%, conceito 3; 17,4%, conceito 4 e 1,5%, conceito 5, em todo o Brasil.

Sendo que, entre as mais de 60 instituições de ensino superior, graduação e pós-graduação, presencial ou a distância, particular ou pública, de Fortaleza, apenas 11 delas obtiveram a nota 4. E a nota máxima, 5, apenas a Faculdade São Leopoldo. Lembrando que a nota do IGC varia de 1 a 5, sendo que 4 e 5 são considerados resultados excelentes. “Este é o sétimo ano que a Unicesumar se mantém com esse índice de excelência”, enfatiza Albano.

Nenhuma instituição de ensino superior do Brasil que oferece EAD conseguiu, por tantos anos consecutivos, manter-se nesse nível de excelência. “A Unicesumar está entre as 10 melhores do Brasil, e a qualidade é mantida em todas as cidades em que está presente. Tanto que, mesmo sendo exigido pelo MEC que apenas 30% do corpo docente seja formado por mestres ou doutores, a Unicesumar tem 80% de mestres e doutores, bem além do que seria obrigada. Este é apenas um índice, entre tantos que comprovam a preocupação da instituição com a qualidade do ensino”, avalia Albano.

Unicesumar

A  Unicesumar possui 250 polos de EAD, 90 mil alunos, 3 mil colaboradores e presença em todos os estados brasileiros. Atualmente, são 45 cursos de Graduação (Bacharelado, Licenciatura e Tecnólogo) e 80 cursos de Pós-Graduação, além de 400 cursos livres e cursos desenvolvidos sob demanda para empresas. Possui quatro campi de ensino presencial nas cidades de Maringá, Curitiba, Londrina e Ponta Grossa, no Paraná. Seu corpo docente é formado por mais de mais de 800 professores, sendo 80% mestres e/ou doutores.

Confira os resultados de Fortaleza/CE:

INSTITUIÇÃO IGC CONT IGC
1 FAC SÃO LEOPOLDO MANDIC 4,4715 5
2 UFC – UNIV FED CEARÁ 3,7928 4
3 FAC PADRE DOURADO FACPED 3,5690 4
4 UNICHRISTUS 3,5390 4
5 FAC ATENEU 3,4177 4
6 UNICESUMAR 3,2721 4
7 FACULDADE FARIAS BRITO 3,2711 4
8 ESTÁCIO DE SÁ – UNESA 3,1251 4
9 FAMETRO 3,0317 4
10 FATECI 3,0001 4
11 FA7 – SETE DE SETEMBRO 2,9599 4
12 CLARETIANO 2,9581 4
13 SENAC SP 2,8764 3
14 SÃO CAMILO 2,8743 3
15 FGF – FAC INTEGRADA FORTALEZA 2,8724 3
16 UECE – UNIV ESTAD. CEARÁ 2,8667 3
17 FANOR – FAC NORDESTE 2,8614 3
18 UNIP 2,8504 3
19 FCF – FAC CATÓLICA FORTALEZA 2,8466 3
20 ESTÁCIO DO CE 2,8153 3
21 UCB – UN CATOLICA BRASILIA 2,8129 3
22 UMESP – UNIV METODISTA SP 2,7900 3
23 UMESP – UNIV METODISTA SP 2,7900 3
24 CRUZEIRO DO SUL 2,7818 3
25 FAC CDL 2,7698 3
26 UNIVIP 2,7545 3
27 UNP – UNIV POTIGUAR 2,7542 3
28 FAM – FAC DAS AMERICAS 2,7496 3
29 UNIFRAN 2,7494 3
30 ENIAC 2,7491 3
31 IFCE – INST FED CIENC TEC CEARÁ 2,7084 3
32 UNISUL 2,7069 3
33 UNISUL 2,7069 3
34 UNA 2,6689 3
35 UNIFOR 2,6578 3
36 UNIFACS LAUREATE 2,6529 3
37 UNIASSELVI 2,6401 3
38 ESAB 2,6352 3
39 UNINTER 2,5998 3
40 UNINASSAU 2,5967 3
41 FECET – FAC TEC EVOLUÇÃO 2,5877 3
42 ULBRA 2,5836 3
43 UNOPAR 2,5834 3
44 UNINASSAU FORTALEZA 2,5788 3
45 INES 2,5150 3
46 FAECE – FAC ENS CULTURA CEARA 2,5099 3
47 UNIPLAN 2,4978 3
48 FATENE – FAC TECN NORDESTE 2,4778 3
49 FAEL – FAC EDUC DA LAPA 2,4734 3
50 AIEC 2,4699 3
51 UCB – CASTELO BRANCO 2,4237 3
52 FAFOR – FAC FORTALEZA 2,4137 3
53 IESF – INS ENS SUP FORTALEZA 2,3921 3
54 ANHANGUERA UNIDERP 2,3766 3
55 RATIO 2,3724 3
56 UVA – UNIV EST VALE ACARAU 2,2848 3
57 FATEFIG 2,2474 3
58 FLATED – FAC LATINO AMER EDUC 2,2165 3
59 FLF – FAC LOURENÇO FILHO 2,1866 3
60 FAC CEARENSE 2,1275 3
61 FATEC FLF 2,0095 3

Fonte: MEC

Para conhecer todos os resultadoshttp://portal.inep.gov.br/indice-geral-de-cursos-igc-