Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Tarcísio Holanda

O gerenciamento de pessoas como estratégia de negócios

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

11 de Maio de 2018

 

Em um cenário onde a Economia Criativa é um diferencial, investir no capital humano vira tendência no mercado

O mundo não é mais o mesmo. As mudanças são constantes e bastantes fáceis de serem notadas, principalmente quando o assunto é mercado. Nota-se uma mudança na consciência empreendedora: algumas empresas perceberam a importância de mudar sua forma de se posicionar, investindo na chamada Economia Criativa, além de inverter as prioridades, privilegiando a gestão de pessoas para estimular a produção.

O conceito de Economia Criativa vem sendo utilizado desde o final dos anos 90 e consiste em utilizar a criatividade como meio a ser necessário poucos recursos para gerar grandes ideias. Uma das formas de fazer isso, é promovendo a integração entre cultura, conhecimento, criatividade, tecnologia e serviços.

“Gerenciar pessoas é trabalhar o treinamento, desenvolvimento, capacitação, clima, ambiente e comportamento, de forma a fazer com que a equipe seja aprimorada e, assim, fazerem a empresa a atingir os resultados esperados”, explica Tarcísio Holanda, diretor executivo da MUV Gestão, agência de Consultoria Organizacional focada em resultados.

Ter uma equipe criativa significa ter profissionais com o foco em criatividade e inovação, além de pessoas com um alto grau de Q.F. (Quociente de Felicidade) – equilíbrio entre a vida profissional e pessoal. Para isso, muitas práticas estão sendo  incentivadas para motivar os empregados e fazer do capital humano da empresa um diferencial entre os concorrentes. De acordo com o estudo Future of Work (Futuro do Trabalho), realizado pela ADP (Automatic Data Processing) e o site Glassdoor, um dos maiores portais de carreira do mundo, algumas das principais tendências na gestão de pessoas são:

  1. Mobilidade no trabalho, que inclui o home-office e a contratação de freelancers ou profissionais autônomos.

  1. Trabalho pelo propósito, quando os colaboradores aceitam o trabalho oportunidades com base no propósito, seja da ação ou da empresa, e não mais prioritariamente pelo cargo ou benefícios.

  1. Employer branding, que desperta o colaborador a “vestir a camisa da empresa”, buscando seu estimular seu engajamento e o desejo de fazer parte da organização.

  1. Planejamento de carreira em “W”, na qual o funcionário tem três caminhos de direcionamento: carreira gerencial, técnica ou gestor de projetos.

  1. Job rotation, prática que permite o colaborador a se movimentar dentro da empresa e consiga aprender sobre o negócio com mais profundidade.

Sobre Tarcísio Holanda

Apaixonado por desenvolvimento humano, Tarcísio Holanda é diretor executivo da MUV Gestão, agência de Consultoria Organizacional focada em resultados. Especialista em alta performance e com vasta experiência na área comercial, é leader coach reconhecido pela International Association of Coaching (IAC) e Corporate Coach U, e certificado pela Sociedade Latino Americana de Coaching (SLAC).

SERVIÇO

MUV Gestão Organizacional

Endereço: Rua Monsenhor Bruno 2510, Sala 10 – Aldeota

Telefone: (85) 9 8665.5556 / WhatsApp: (85) 9 8190.6002

Site: muvgestao.com.br

Instagram: @muvgestao

Publicidade

Tarcísio Holanda inova em técnicas de desenvolvimento pessoal

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

11 de Abril de 2018

Método garante bons resultados empresariais, priorizando a humanização da empresa

 

É natural que em pequenas ou grandes empresas existam dificuldades organizacionais, sobretudo no momento atual de instabilidade econômica. Entretanto, uma boa consultoria é fundamental para que a produtividade cresça e os bons resultados sejam rotineiros. Em uma lógica empresarial, existem três pilares que influenciam o crescimento, o método dos “3Ps”: pessoas, processos e produtos. Entretanto, o primeiro, o recurso humano, acaba sendo deixado de lado em detrimento dos dois últimos. A inversão dessa prioridade é a proposta de sucesso sugerida pelo consultor Tarcísio Holanda.

 

Com vasta experiência na área comercial, o consultor, junto à MUV Gestão Organizacional, aposta na gestão com foco em pessoas como forma de otimizar capital humano dentro da empresa e, assim, alcançar melhores resultados. A empresa é especializada na alta performance e tem como missão desenvolver equipes e líderes. A consultoria proposta busca treinar, desenvolver e capacitar os profissionais em quaisquer áreas empresariais.

 

Faz parte da metodologia da MUV o mapeamento de perfis de líderes e liderados, para rastrear as principais competências e capacidades da equipe para, assim, fazer uso dessas habilidades para o crescimento da empresa. “Trabalhamos com as premissas do coaching, buscando incentivar o nosso cliente a não apenas ‘pensar fora da caixa’, mas a quebrá-la. Essa ‘caixa’ são as crenças limitantes e padrões que não nos permitem inovar e avançar. Passada essa etapa, construímos juntos um plano de ação e acompanhamos de perto as dificuldades e evolução de toda equipe”, explica Tarcísio.

 

Sobre Tarcísio Holanda

 

Apaixonado por desenvolvimento humano e resultados, Tarcísio Holanda é diretor executivo da MUV Gestão, agência de Consultoria Organizacional focada em resultados. Especialista em alta performance e com vasta experiência na área comercial, é leader coach reconhecido pela International Association of Coaching (IAC) e Corporate Coach U, e certificado pela Sociedade Latino Americana de Coaching (SLAC).

 

SERVIÇO

 

MUV Gestão Organizacional

Endereço: Rua Monsenhor Bruno 2510, Sala 10 – Aldeota

Telefone: (85) 9 8665.5556 / WhatsApp: (85) 9 8190.6002

Site: muvgestao.com.br

Instagram: @muvgestao

 

leia tudo sobre

Publicidade

Tarcísio Holanda: o desemprego como percursor de novos caminhos

Por Oswaldo Scaliotti em Análise

29 de agosto de 2017

 

A crise econômica dos últimos anos fez com que muitos perdessem o emprego ou a condição de manter um negócio próprio. No Ceará, segundo dados do Instituto de Pesquisa Aplicada (Ipea), nos três primeiros meses de 2017, a taxa de desemprego no estado atingiu 14,25% da população.

O cenário negativo não é exclusividade do Ceará.  Segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), essa foi a maior taxa de desocupação, iniciada em 2012. No 1º trimestre, o Brasil tinha 14,2 milhões de desempregados, recorde histórico.

O mercado de trabalho não está bem na foto. É nesse cenário que muitos encontram uma oportunidade para mudar de carreira e ingressar em um caminho profissional completamente novo. O consultor vocacional Tarcísio Holanda, especialista em desenvolver um método de Carreira de Alta Performance (CAP), desenvolve sessões para quem está às vésperas da escolha que pode mudar suas vidas: a escolha de uma nova carreira.

O consultor explica porque a crise pode ser um motivo para tentar o novo. “Há a tendência de ter medo de trocar o certo pelo incerto, mas a crise proporciona que as pessoas se sintam um pouco mais encorajadas em tentar novas possibilidades de carreira”, explica Tarcísio Holanda.

O método desenvolvido pelo consultor aperfeiçoa os pontos fortes, oferecendo uma perspectiva sobre qual caminho trilhar. O objetivo do CAP é intervir de forma estruturada para que quem busca o método faça uso das habilidades que já possui e desenvolva outras, adquirindo mais segurança e equilíbrio. “Meu foco é ajudar quem precisa lidar com os principais desafios dessa fase de transição”, afirma.

Para Tarcísio, mudar de carreira é uma tendência. A jornada pode ser mais demorada, mas é possível elaborar novos caminhos com prazer e dedicação, garante o especialista em carreiras, que está sendo mais procurado agora na crise por profissionais querendo mudar.

Tarcísio Holanda

Tarcísio Holanda, antes de mais nada, é um jovem, que quando adolescente também teve várias dúvidas sobre sua carreira profissional. Descobriu-se na área vocacional, alcançando a graduação de um dos maiores Institutos de Análise Comportamental do país, o SLAC – Sociedade Latino Americana de Coaching. Também tem Certificação internacional reconhecida e aprovada pela IAC – International Association of Coaching e pela Corporate Coach U, além de ser Membro da Sociedade Latina Americana de Coaching.

Publicidade

Na era digital escolha da profissão é posta em cheque

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

26 de julho de 2017

Vivemos a era da tecnologia, no qual a informação é o carro-chefe para a criação de novas ideias de negócios. Parte disso se deve ao lançamento do iPhone, que completa em 2017, 10 anos desde que seu criador, Steve Jobs – fundador da Apple -, o lançou para o mundo.
Com a chegada do gadget tudo mudou. As pessoas passaram a ser onipresentes, trabalhando em todos os locais, a qualquer hora do dia e da noite apenas conectadas com a Internet.
Com essa mudança de comportamento advindo do pequeno telefone móvel capaz de facilitar a vida de todos, muitos jovens se vêm hoje mais focados em desenvolver seu próprio negócio. Trabalhar para si é uma opção. Por isso, a ideia de novas startups serem tão faladas atualmente.
Além do mais, a chegada da tecnologia na vida das pessoas vem transformando hábitos e diminuindo as distâncias, o que permite que algumas profissões se transformem, outras desapareçam e novas surjam. Como o caso do papel do Digital Influencer, do Youtuber e do blogueiros, que apenas com um smartphone conectado à internet são capazes de divulgar empresas ou falar sobre mais diferentes assuntos.
O consultor vocacional Tarcísio Holanda, especialista em desenvolver um método de Carreira de Alta Performance, desenvolve sessões para alunos que estão às vésperas da escolha que pode mudar suas vidas: a escolha de uma carreira, sendo, atualmente, mais forte a necessidade de desenvolver uma carreira que transmita quem verdadeiramente é, que consiga com a ideia de negócio trazer significado ao mundo, além de mudar a vida das pessoas de forma positiva.
O método desenvolvido pelo consultor aperfeiçoa os pontos fortes, oferecendo uma perspectiva sobre qual caminho trilhar. “No método CAP, a abordagem funciona a partir de seis princípios”, revela Tarcísio Holanda, que foi até Brasília para se capacitar em um dos maiores Institutos de análise comportamental do país, a SLAC – Sociedade Latina Americana de Coaching. Entre eles, foco no futuro, construção específica dos objetivos, “não julgamento” o e a ausência de imposição sobre o quê o adolescente precisa fazer.
“A primeira pergunta que faço é: qual profissão faria brilhar seus olhos? A escolha profissional de uma pessoa pode ser diferente de outra por vários aspectos e, por isso, a aplicação do método deve ser personalizado, respeitando os limites de cada um”, avalia Tarcísio.
Tarcísio Holanda
Tarcísio Holanda, antes de mais nada, é um jovem, que quando adolescente também teve várias dúvidas sobre sua carreira profissional. Já passou por pelo menos duas faculdades e hoje descobriu-se na área vocacional, alcançando a graduação de um dos maiores Institutos de Análise Comportamental do país, o SLAC – Sociedade Latino Americana de Coaching. Também tem Certificação internacional reconhecida e aprovada pela IAC – International Association of Coaching e Membro da Sociedade Latina Americana de Coaching.
O consultor da área vocacional desenvolveu o Método CAP – Carreira de Alta Performance que vem despertando adolescentes e jovens para a descoberta dos seus rumos profissionais.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

​Método CAP – Carreira de Alta Performance

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

09 de junho de 2017

 

 

Cearense desenvolve método inédito para ajudar adolescentes, jovens e adultos a decidirem por sua carreira profissional

 

O autoconhecimento é algo que pode ser visto como um desafio por muitas pessoas. E na fase da adolescência, muitos são os questionamentos enfrentados. Diante deste cenário, Tarcísio Holanda, especialista na área vocacional e empreendedor com experiência na área comercial, criou o Método CAP – Carreira de Alta Performance. “A metodologia tem o objetivo de ajudar adolescentes a se conhecerem melhor e a desenvolverem suas habilidades de forma natural para, assim, traçarem uma meta que vai ao encontro dos seus objetivos”, declara Holanda.

 

“No método CAP, a abordagem funciona a partir de seis princípios”, revela o criador, que foi até Brasília para se capacitar em um dos maiores Institutos de análise comportamental do país, a SLAC – Sociedade Latina Americana de Coaching. Entre eles, foco no futuro, construção específica dos objetivos, “não julgamento” o e a ausência de imposição sobre o quê o adolescente precisa fazer.

 

“A primeira pergunta que faço é: qual profissão faria brilhar seus olhos? A escolha profissional de uma pessoa pode ser diferente de outra por vários aspectos e, por isso, a aplicação do método deve ser personalizado, respeitando os limites de cada um”, avalia. E são vários os fatores motivacionais e de tomada de decisão, “como o dinheiro, as influências externas e internas, o papel dos pais, entre outros. Quero desmitificar essas causas para fazer com que, ainda no ensino médio, o jovem faça o que gosta e não por obrigação”, explica.

 

Além dos princípios utilizados, a metodologia CAP recorre a “pontes” estratégicas distribuídas em cinco fases, entre elas, a passagem por um período didático e intenso de autoconhecimento com foco em sua atuação, uma pesquisa de análise do cenário atual da faculdade escolhida e uma análise geral de todo o processo em que esteve envolvido. “Apesar do método ter sido criado para adolescentes de 16 a 19 anos, pessoas que não se sentem felizes em suas atividades profissionais também podem usufruir da experiência”, afirma o especialista.

 

80% estão insatisfeitos

Em pesquisa realizada pelo ISMA – International Stress Management Association, associação sem fins lucrativos e a única de caráter internacional voltada para pesquisa e desenvolvimento da prevenção e tratamento do estress no mundo, diagnosticou que, no Brasil, cerca de 80% dos profissionais ativos no trabalho estão insatisfeitos. Já em outra pesquisa realizada pelo Instituto Gallup, apontou que apenas 13% da população mundial está satisfeita com o que faz na vida profissional.

 

 

Tarcísio Holanda

Tarcísio Holanda, antes de mais nada, é um jovem, que quando adolescente também teve várias dúvidas sobre sua carreira profissional. Já passou por pelo menos duas faculdades e hoje descobriu-se na área vocacional, alcançando a graduação de um dos maiores Institutos de Análise Comportamental do país, o SLAC – Sociedade Latino Americana de Coaching. Também tem Certificação internacional reconhecida e aprovada pela IAC – International Association of Coaching e Membro da Sociedade Latina Americana de Coaching.

O consultor da área vocacional desenvolveu o Método CAP – Carreira de Alta Performance que vem despertando adolescentes e jovens para a descoberta dos seus rumos profissionais. ​

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Guia Online local – Made in Fortaleza

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

16 de novembro de 2016

 

Tarcísio Holanda e Mateus Souza

Os empreendedores cearenses, Mateus Souza e Tarcísio Holanda, lançaram o Busca Fortaleza (www.buscafortaleza.com.br), mídia alternativa online para pequenas e médias empresas. A plataforma fez tanto sucesso que o modelo de negócio já está sendo procurado para instalação de franquias por outras capitais nordestinas, como Teresina e Salvador, e até mesmo por outros países. Divido em cinco categorias (entretenimento, produtos e serviços, gastronomia, saúde e beleza, hotéis e viagens) o grande catálogo digital, conta em Fortaleza com mais de 70 empresas locais cadastradas. Ao acessar a plataforma, o consumidor pode buscar o produto ou serviço desejado por bairro ou categoria. O objetivo é alavancar a imagem e as vendas de negócios locais na cidade.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Guia Online local – Made in Fortaleza

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

16 de novembro de 2016

 

Tarcísio Holanda e Mateus Souza

Os empreendedores cearenses, Mateus Souza e Tarcísio Holanda, lançaram o Busca Fortaleza (www.buscafortaleza.com.br), mídia alternativa online para pequenas e médias empresas. A plataforma fez tanto sucesso que o modelo de negócio já está sendo procurado para instalação de franquias por outras capitais nordestinas, como Teresina e Salvador, e até mesmo por outros países. Divido em cinco categorias (entretenimento, produtos e serviços, gastronomia, saúde e beleza, hotéis e viagens) o grande catálogo digital, conta em Fortaleza com mais de 70 empresas locais cadastradas. Ao acessar a plataforma, o consumidor pode buscar o produto ou serviço desejado por bairro ou categoria. O objetivo é alavancar a imagem e as vendas de negócios locais na cidade.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti