Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

espetáculo

Espetáculos ‘A Mentira das Margaridas’ e ‘Coração do Mar’ estreiam neste sábado (3), em Fortaleza

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

01 de novembro de 2018

Peças fazem parte da conclusão do Curso de Iniciação Teatral Acontece, por meio do

I Edital Escolas da Cultura do Governo do Estado do Ceará

Estreiam neste sábado (3 de novembro), no Teatro Morro do Ouro, em Fortaleza, os espetáculos teatrais ‘A Mentira das Margaridas’ e ‘Coração do Mar’, resultados das conclusões das turmas 33ª e 34ª do Curso de Iniciação Teatral Acontece (CITA) – A Experiência no Pensar Criativo e Independente, que fazem parte do projeto I Edital Escolas da Cultura, lançado em 2016 pela Secretaria de Cultura do Estado do Ceará (Secult/CE), no qual a Cia. Teatral Acontece foi uma das contempladas para trabalhar durante três anos.

A peça ‘A Mentira das Margaridas’ será apresentada no Teatro Morro do Ouro, nos dias 3, 10 e 16 de novembro, sempre às 17h30. Nos mesmos dias e local, o espetáculo ‘Coração do Mar’ sobe ao palco às 19h. Já no dia 30 de novembro as apresentações acontecerão no Teatro Acontece: ‘A Mentira das Margaridas’ às 18h e ‘Coração do Mar’ às 19h30.

“A Cia. Teatral Acontece tem como seu maior legado a iniciação e vivência no teatro para pessoas que nunca tiveram a oportunidade de experimentar as sensações e emoções que só ele proporciona. Já estamos com inscrições abertas para mais cinco turmas que terá início em janeiro de 2019, sendo uma de teatro infantil”, explica Almeida Júnior, fundador e coordenador pedagógico da Cia. Teatral Acontece.

A Mentira das Margaridas

Encenada pela 33ª turma do CITA (Ana Nascimento, Andreá Souza, Demétrios Martins, Jean Carvalho e Johnata Oliveira) e com roteiro escrito por Almeida Júnior, Neto Sier e Renan Oliveira, O espetáculo acompanha as várias facetas do amor, encarnado em personagens diversos que conectam entre si a linha tênue das relações humanas, um artista performático e sua mãe emocionalmente vulnerável. Esse artista junto a seu amigo, um aspirante a escritor, formam um frágil porém latente triângulo amoroso com uma floriculturista, todas essas relações vêm abaixo com a chegada de um lord inglês de caráter duvidoso que colocará em cheque a força das ligações afetivas entre os personagens, desnudando assertivamente a fragilidade do ser humano em sua agonia romântica.

“Foi um período de autoconhecimento, vencer a mim mesma a cada dia foi o maior desafio. Depois lidar com as dificuldades externas. Descobri uma determinação, garra e força interior”, relata a aluna da 33ª turma, Andréa Souza.

Coração do Mar

Com roteiro do aluno-ator da 34ª turma, Karl William, e direção de Almeida Júnior e Felício da Silva, o espetáculo conta a narrativa da penúltima temporada do programa de auditório ‘Coração do Mar’, que recebe duas figuras muito carismáticas, Angeline e Dona Nita, ambas com um só propósito, que é o de ganhar o programa e realizar os seus sonhos. Dona Nita, há 20 anos foi abandonada pelo seu filho, e Angeline, rejeitada pela família por lutar pelo seu direito de ser quem ela sempre sonhou. E dentro dessa busca constante em concretizarem os seus desejos, elas vão se submeter a uma disputa que envolve drama e comédia, colocando até mesmo o futuro do programa em jogo. A 34ª turma do CITA é formada também por Erivelton Alves, Graziela Morais, Kaylane Souza, Leandro Santos, Lorrana Diniz, Kelyta Menezes, Marília Santos, Thalles Ferlim e Thay Park.

“O que mais me marcou dentro do CITA foi a experiência mútua de pesquisar o fazer teatral como uma forma de manifesto e ferramenta de transformação social, junto à oportunidade de subir aos palcos e me realizar enquanto artista. As Mostras CITA me deram os momentos mais concretos do processo, pois a partir das experiências com o público nós pudemos nos sentir confiantes para o processo de criação final, no qual terei a honra de ter um texto da minha autoria sendo interpretado com muita energia, assim como o meu corpo emana”, destaca Karl William.

Sobre o Edital Escolas da Cultura

O Edital de Escolas Livres de Formação Artística e Cultural é uma iniciativa da Secretaria Estadual da Cultura para apoiar instituições da sociedade civil que executam ações de formação e contam com pelo menos cinco anos de atividades no Ceará. Além de reconhecer e potencializar ações continuadas de formação artística e cultural desenvolvidas por instituições da sociedade civil, o edital tem como objetivo incentivar a criação de novas ações de formação, apostando em suas possibilidades de experimentação e contribuição para o circuito das artes e da cultura do Estado.

Sobre a Cia. Teatral Acontece

A Cia. Teatral Acontece (CTA) foi fundada em 16 de julho de 2002 com o objetivo de gerar oportunidade aos novos agentes culturais e formação de multiplicadores teatrais. Realiza várias atividades para a classe teatral e a comunidade em geral, por meio do Curso de Iniciação Teatral Acontece (CITA), festival de esquetes, espetáculos e outras ações de democratização da linguagem teatral. O Cita foi criado no mesmo ano de sua fundação e já formou 31 turmas de multiplicadores teatrais no Estado sendo  1 em Baturité,  1 em Pacajus,1 em Horizonte, 1 em Apuiarés, 1 em Pires Ferreira e 26 turmas somente em Fortaleza. Em 2003, a Companhia criou a Confraternização dos Artistas Cearenses (Conarce), que aconteceu até 2007, valorizando os artistas de todo o Estado. Em 2011, a CTA foi selecionada para participar do programa Teatro & Circunstância, na TV Sesc (SP), para a temporada do programa “A História se reinventa”. A Acontece foi considerada uma das companhias referência em iniciação teatral na região Nordeste. Entre os principais espetáculos da CTA estão ‘A gata borralheira’, ‘O camaleão e a liberdade’, ‘Não tem dois pais?’ e ‘Floresta dos lobos’ e ´Relato Final´. Em março de 2015 foi inaugurada a sua própria sede, o Teatro Acontece – Escola Livre de Teatro, no bairro Monte Castelo, onde realiza ações de formação, temporadas de espetáculos, encontros.

SERVIÇO – PROGRAMAÇÃO:

3, 10 e 16 de novembro no Teatro Morro do Ouro

Rua Liberato Barroso, 525, Praça José de Alencar, Centro

17h30 – A Mentira das Margaridas

19h – Coração do Mar

 

30 de novembro no Teatro Acontece

Rua João Tomé, 640, Monte Castelo

18h – A Mentira das Margaridas

19h30 – Coração do Mar

 

Entrada franca!

Censura Livre.

Publicidade

Musical inspirado na obra de Odair José chega a Fortaleza

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

02 de setembro de 2018

O espetáculo Eu vou tirar você deste lugar, com ingressos a R$ 20 (inteira), no Cineteatro São Luiz, de 14 a 15 de setembro

Eu vou tirar você deste lugar – As canções de Odair José costura vinte músicas do cantor goiano numa narrativa não biográfica com roteiro inédito e ficcional, assinado pelo baiano Sérgio Maggio. Odair José faz a supervisão musical. O espetáculo já foi visto por mais de 22 mil espectadores em 100 sessões por quatro capitais brasileiras – Brasília, Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro, além de três cidades do Distrito Federal – Taguatinga, Ceilândia e Gama.

Em Fortaleza, o musical, produzido pelo Criaturas Alaranjadas Núcleo de Criação Continuada, fará três apresentações no Cineteatro São Luiz. Serão duas no dia 14 de setembro, às 14h30 e 19 horas, e uma no dia 15 de setembro, às 19 horas. A sessão de estreia será gratuita para estudantes da rede de ensino público. As demais têm ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10(meia). O patrocínio é do Programa Petrobras Distribuidora de Cultura.

A partir de uma pesquisa sobre arquétipos que habitam as canções de Odair José, quase crônicas do cotidiano brasileiro, o musical se move numa trama que se inicia, em 1923, quando a cidade de São Paulo foi abalada por um escândalo moralista – o assassinato da cortesã Nenê Romano, morta por um jovem e renomado advogado, filho de família tradicional –  e segue para o ano de 1973, com o Brasil amordaçado no auge da ditadura militar. “É nesse contexto que surge a história de um jovem que enfrenta a força patriarcal para realizar o sonho de ser um cantor de rock´n´roll. Tensões políticas e jogos de costumes conduzem a narrativa de uma comédia musical formalmente inspirada em gêneros populares”, conta Sérgio Maggio, autor do livro Conversas de Cafetinas (Prêmio Jabuti 2010).

 O desafio de criação era compor uma montagem que fosse esteticamente popular como as mensagens das letras de Odair José, mas que guardasse em si um conteúdo de protesto e indignação social, que fez do cantor e compositor um dos mais censurados pela ditadura militar. Para isso, Sérgio Maggio mergulhou numa pesquisa sobre os gêneros populares, que, no Brasil, foram condenados pelo preconceito intelectual por alcançar a larga audiência, não iniciada em arte. Os pejorativamente acusados de popularesco.

“Hoje, a obra de Odair José passou por revisão crítica. Mas, nos anos 1970, ou foi ignorada ou escanteada por alcançar os quartos de fundos da classe média, onde habitavam as empregadas domésticas, e as casas de prostituição (daí ser chamado de brega). Odair José era cantor de rádio AM e o nosso desafio recaiu em criar um musical com o alcance do radinho de pilha. Por isso, fui beber nas chanchadas (cinema), nas novelas de Janete Clair (tevê), nas comédias ligeiras das companhias Eva Todor e Dulcina-Odilon, no escracho de Dercy Gonçalves, nas fotonovelas e radionovelas. Tudo que foi considerado menor, mas que hoje, com os olhos da contemporaneidade, é revisto criticamente”, destaca Maggio.

Com processo de criação compartilhada (com os atores propondo a criação das cenas no sistema de workshop), o musical leva o âmbito das canções de Odair José (melodicamente primorosas) para o rock, raiz e forte influência do compositor nos anos 1970, quando chegou a ser comparado à sonoridade de Bob Dylan.

O Programa Petrobras Distribuidora de Cultura é uma seleção pública que tem como objetivo contemplar projetos de circulação de espetáculos teatrais não inéditos, em parceria do Ministério da Cultura. No último edital foram investidos R$ 15 milhões. Ao todo, foram escolhidos 57 espetáculos, representantes de todas as regiões do País, com apresentações em todos os estados.

Em cena, estão intérpretes de três gerações de musicais brasileiros: Watusi (primeira brasileira e negra a estrelar um show no mítico Moulin Rouge, em Paris, e que por 12 anos estrelou “Golden Rio”, tendo Grande Othelo como patner), Jones Schneider (de “O Tocador da Viola Envenenada” e “O Coqueiro que Dá Coco”), Luiz Filipe Ferreira (“O Fole Roncou – Uma História do Forró! e “O Tocador da Viola Envenenada”), Camila Guerra (“OperAta”), Gabriela Corrêa (“L, O Musical”), Rodrigo Mármore (“Á Margem do Abrigo”), Tainá Baldez (“L, O Musical) e Renato Milan (do projeto “Garçons que Cantam”). Na banda, estão Guilherme Gê (teclados), Zé Krishna (guitarra) e André Togni (bateria). A direção musical é de Luís Filipe de Lima (“Sassaricando” e “L, O Musical”), enquanto a direção de movimento, de Márcia Duarte.

Durante a temporada de Fortaleza, haverá, em todas as sessões, acessibilidade para pessoas com surdez (libras), estimulo à coleta de lixo eletrônico. Após a sessão das 14h30 do dia 14 de setembro (sexta), artistas promovem o painel “Yes, nós temos musical brasileiro!”, além da oficina “Dramaturgia para Musical”, ministrada pelo autor e diretor Sérgio Maggio, que acontecerá gratuitamente no dia 15 de setembro (das 9h às 12h e das 13h às 16h).  “Chegar em Fortaleza, onde as canções de Odair José têm uma força natural é um sonho para toda a equipe”, comemora o diretor-dramaturgo Sérgio Maggio.

 

Prêmios

Sucesso de público e de crítica, Eu vou tirar você deste lugar – As canções de Odair José foi indicado como melhor espetáculo em voto popular ao Prêmio Bibi Ferreira 2015, o mais prestigiado do gênero no país. Venceu nas categorias Trilha Sonora (canções de Odair José) e Personalidade do Ano (Sérgio Maggio) no Prêmio Melhores do Teatro de 2014 do Portal R7 SP (ainda foi indicado à Atriz Revelação – Gabriela Correa). Em 2017, foi eleito pelo portal especializado Musical Cast (SP), como um dos 10 melhores musicais genuinamente brasileiros produzidos neste século.

 

Serviço

Eu Vou Tirar Você Deste Lugar – As canções de Odair José

Onde: Cineteatro São Luiz (rua Major Facundo, 500 – Centro)

Contato: 85. 3252.4138

Quanto: R$ 20 (inteira) / R$ 10 (meia)

Classificação etária: 12 anos
Duração: 90 minutos

*Em todas as sessões, haverá intérprete de libras

Quando:

14/9

14h30: sessão gratuita pra estudantes, idosos, portadores de necessidades especiais

Painel de debate “Yes, Nós Temos Musical Brasileiro” após a sessão

19h: sessão aberta ao público mediante ingresso

15/9

19h: sessão aberta ao público mediante ingresso

A produção pede que os espectadores doem lixo eletrônico

 

Oficina Dramaturgia para Musicais Brasileiros, com Sérgio Maggio

Quando: 15/9 (9h às 12h e das 13h às 16h)

Onde: Cineteatro São Luiz

Público-alvo: intérpretes, diretores, dramaturgos, jornalistas e amantes do teatro

Inscrição: oficina.criaturas@gmail.com

Intercâmbio com grupo de teatro

Coletivo do Curso Livre do CPBT do Theatro José de Alencar

Quando: 15/9, das 16 às 18 horas

Onde: Theatro José de Alencar

Publicidade

Espetáculo “3 Donzelas, uma comédia” será apresentado no Shopping Parangaba

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

20 de agosto de 2018

Nesta terça-feira (21), acontecerá a apresentação do espetáculo de humor “3 Donzelas, uma comédia”, no Shopping Parangaba.  A atração é gratuita e tem início às 19h, na praça de alimentação, piso L3.

O espetáculo conta com a participação da personagem Raimundinha, Luana do Crato e Ramon Oliveira, que garantem a gargalhada do público. A apresentação faz parte do projeto do “Parangaba é Show”, que traz opções de entretenimento, com muito bom humor às terças-feiras e com atrações infantis aos domingos.

Parangaba é Show

Data: 21 de Agosto de 2018

Horário: 19h

Local: Shopping Parangaba – Piso L3

Endereço: Rua Germano Franck, 300

Telefone: 3308.3555

Publicidade

CAIXA CULTURAL FORTALEZA APRESENTA ESPETÁCULO “ABC DO BRAGUINHA”

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

28 de junho de 2018

 

Musical infantil conta a história de João de Barro, pseudônimo do cantor e compositor, embalado pelo som de clássicos como Chapeuzinho Vermelho e Festa no Céu

Entre os dias 28 de junho e 1º de julho, o teatro da CAIXA Cultural Fortaleza recebe o espetáculo musical “ABC do Braguinha – A história de Braguinha através de seus personagens e canções”. Idealizado pela cantora e atriz Anna Bello, o grupo do Rio de Janeiro se apresenta pela primeira vez em Fortaleza.

O musical conta a história do compositor carioca de forma lúdica, misturando fatos e personagens reais da sua vida, como sua avó Isaura, com que ele gostava de tocar piano, com personagens presentes nas suas músicas, como Chapeuzinho Vermelho, Dona Baratinha, Pirata da Perna de Pau, entre outros.

Braguinha, que na infância era conhecido por Carlinhos, adotou o pseudônimo de João de Barro para atuar na música devido aos preconceitos que marcavam a época. Na narrativa de Anna Bello, o personagem principal é o pássaro João de Barro, que vira amigo do menino Carlinhos e conta para ele tudo que vê e ouve nas suas revoadas pelo Rio de Janeiro e pelo mundo. Carlinhos transforma tudo que João conta em lindas canções.

Com direção musical de Tássio Ramos, o espetáculo faz uso de uma instrumentação-base com violão, baixo, bateria e sopros, associados a instrumentos inusitados, como kazoo, apito de pássaro, sinos e xilofones, que trazem uma sonoridade divertida para colorir as canções.

O musical “O ABC do Braguinha” é patrocinado pela CAIXA e pelo Governo Federal. Na quinta (28) e sexta-feira (29), duas escolas públicas da região participarão do espetáculo como formação de plateia, totalizando 140 alunos convidados a conhecer a história deste artista brasileiro. O elenco fará ainda um bate-papo em formato de palestra ao final das apresentações, aproximando ainda mais os alunos da história contada.

Sobre Braguinha

Braguinha foi um compositor de inúmeras facetas. Compôs desde canções de carnaval de muito sucesso a músicas juninas, sendo sua musicografia uma das mais prolíficas da Música Popular Brasileira. Possuía uma paixão especial pelas estórias infantis, tanto que escreveu, adaptou e musicou diversas historinhas, como Os Três Porquinhos, Festa no Céu e Chapeuzinho Vermelho, dentre tantas outras que marcaram a infância de milhões de brasileiros.

O artista também foi roteirista e assistente de direção no cinema. Em 1938, foi um dos responsáveis pela dublagem brasileira de Branca de Neve e os Sete Anões, de Walt Disney, o primeiro desenho animado em longa metragem da história do cinema. Também participou das versões brasileiras de Pinóquio (1940), Dumbo (1941), Bambi (1942), dentre muitos outros. O ABC do Braguinha traz para as crianças um pouco do repertório desse compositor que fez parte do imaginário de tantas gerações e ainda hoje vive nos clássicos infantis.

FICHA TÉCNICA

Patrocínio – CAIXA Econômica Federal e Governo Federal

Voz –Anna Bello

Voz e violão –Renato Frazão

Baixo – Tássio Ramos

Sopros – Alexandre Caldi

Bateria – Gabriel Guenther

Cenário – Suzane Queiroz

Figurino –Patrícia Lima

Realização –Doravante Produções Artísticas / Júlia Menna Barreto Produções Culturais

Duração – 45 minutos

Produção Local – Direção das Artes

SERVIÇO:

Musical ABC do Braguinha

Local: CAIXA Cultural Fortaleza

Endereço: Av. Pessoa Anta, 287 – Praia de Iracema

Data: 28 de junho a 1º de julho de 2018

Horário: quinta e sexta, às 16h; sábado e domingo, às 17 h

Entradas: R$ 10(inteira) e R$ 5(meia)

Vendas: 02h antes de cada espetáculo.

Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais
Serviço de manobrista (somente no final de semana) gratuito no local

Classificação indicativa: Livre

Paraciclo disponível no pátio interno

Informações gerais | Bilheteria CAIXA Cultural Fortaleza:

(85) 3453-2770

Publicidade

Últimas semana do espetáculo “Entre Vassouradas e Espanadores” no Dragão do Mar

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

19 de junho de 2018

O espetáculo “Entre Vassouradas e Espanadores”, em cartaz no Teatro Dragão do Mar, está encantando crianças e adultos. A apresentação estreia o Mágico Jeffy no papel de um zelador que resolve bisbilhotar o camarim do grande mágico que acaba de chegar na cidade e promete causar várias confusões.  O espetáculo,  promovido pelo Instituto Dragão do Mar, está em cartaz desde o dia 6 de junho e segue com mais duas apresentações, nos dias 20 e 27 deste mês.

Além das clássicas apresentações de mágica, Jeffy inova nessa performance, trazendo muito mais magia e encanto para o palco: “Neste show, nós vamos muito além da mágica. Foi um período intenso de estudo para elaborar um espetáculo rico, com técnicas circenses, acrobacias e o melhor da palhaçaria para oferecer um entretenimento de qualidade para toda a família”, explica.

 

Sobre o Mágico Jeffy

 

Jeffersson Alves, o Mágico Jeffy, atua na profissão há oito anos e já se apresentou em diversas cidades do Ceará.  Com foco no público infantil, o mágico utiliza o clown – técnicas de palhaço – para criar atividades com participação ativa dos espectadores e arrancar gargalhadas. “Eu gosto de interagir, estar mais próximo do público. A mágica atrelada aos métodos de clown faz isso ser possível. Dá para fazer uma brincadeira ou outra e sentir de perto a energia da plateia”, explica Jeffy.

 

SERVIÇO

Espetáculo “Entre Vassouradas e Espanadores”

Data: 20 e 27 de junho

Horário: 20h

Local: Teatro Dragão do Mar

Informações: 3488-8608

Valor: R$ 10,00 inteira | R$ 5,00 meia

 

FICHA TÉCNICA

Duração: 50 minutos

Classificação: livre

Concepção: Jeffersson Alves e Samantha Macedo

Consultoria Artística: Companhia Circo Lúdico Experimental

Elenco: Jeffersson Alves e Milene Fernandes

Trilha Sonora: Jefferson Juan

Luz: Fábio Silva

Figurino: Ruth Aragão

Site: www.magicojeffy.com

E-mail: contato@magicojeffy.com

Publicidade

Fio a Fio tece a poesia do envelhecer

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

15 de Fevereiro de 2018

Fio a Fio, espetáculo brasiliense de teatro-dança, de Giselle Rodrigues e Édi Oliveira, que aborda poeticamente o envelhecer, fica em cartaz em Fortaleza, no Teatro Dragão do Mar, nos dias 2, 3 e 4 de março de 2018

Envelhecer é paradoxal. Se a experiência lança um vigor, o curso dos anos impõe limites ao corpo. O espetáculo Fio a Fio – em cartaz no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura entre os dias 2 a 4 de março – é sobre este movimento do tempo, de acúmulos e perdas. Em cena, Giselle Rodrigues e Édi Oliveira, criadores e intérpretes.

A temática nasceu durante sessões de improvisação abertas que os artistas vinham realizando como parte de uma pesquisa sobre processo de criação. Foi surgindo nos dois o desejo de falar sobre como e quando se começa a envelhecer, quando o corpo começa a não realizar atividades que antes eram simples. “Meu próprio corpo é reflexo disso. Voltar a dançar, após vinte anos fora dos palcos, período em que atuei como diretora e coreógrafa, foi uma redescoberta e um aprendizado sobre esse novo corpo, que também envelhece a cada dia”, explica a coreógrafa e pesquisadora Giselle Rodrigues, que dirige a companhia BaSiraH, em Brasília.

No palco, elementos do teatro e da dança se fundem resultando numa dança contemporânea mais dramática e teatral. A coreografia ampliada pela oralidade. O verbo em corpo mais potente. “Desde o princípio do processo, buscamos dar ênfase a uma composição que primasse pelo detalhe, pela sutileza e pela abordagem poética de pontos difíceis e até tabus sobre o processo de envelhecer. Como contraponto, procuramos dar uma poeticidade surgida de um trabalho com a palavra que nasceu do improviso, gerando textos presentes no espetáculo”, afirma Édi Oliveira.

Fio a Fio estreou em outubro de 2015 no Teatro SESC Garagem, em Brasília. Em 2016 participou de dois festivais no Brasil: Festival Brasileiro de Teatro – XVIII Edição (RJ) e o Cena Contemporânea – Festival Internacional de Teatro de Brasília (DF). Participou, ainda em 2016, da Mostra Prêmio SESC do Teatro Candango, na qual foi premiado em 6 categorias: melhor espetáculo, melhor direção e melhor atriz, entre outras. Em agosto de 2017, participou, como convidado, da XVI Edição do Festival de Danza Contemporânea de Costa Rica e do Festival do Teatro Brasileiro em Belo Horizonte (MG). Selecionado pelo Programa Petrobras Distribuidora de Cultura 2017/2018, o trabalho será apresentado em Palmas (TO), Niterói (RJ) e Fortaleza (CE).

Na capital cearense serão duas apresentações para o público em geral, no sábado e domingo, dias 3 e 4 de março, às 20 horas, com bilheteria a preços populares: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Na sexta-feira, 2, o projeto é voltado para a formação de platéia, sob a mediação do arte-educador brasiliense Glauber Coradesqui. Esta sessão será gratuita e direcionada a alunos de escolas e universidades públicas, grupos de idosos e de pessoas surdas. Todas as apresentações serão seguidas de um bate-papo com os artistas. Está previsto ainda, no sábado pela manhã, um encontro dos diretores e intérpretes do espetáculo, Giselle Rodrigues e Édi Oliveira, com artistas locais possibilitando uma troca de experiências. Todas as atividades contam com uma intérprete em libras, ampliando e viabilizando o acesso de surdos.

Giselle Rodrigues

Coreógrafa e bailarina, mestre em Artes pela UnB – Universidade de Brasília, foi bailarina do Endança nas décadas de 1980/1990. Fundadora do Basirah Núcleo de Pesquisa em Dança Contemporânea em 1997, dirigiu o grupo por 15 anos. Atualmente é professora do Departamento de Artes Cênicas da UnB e transita nas áreas de dança e teatro como diretora, coreógrafa, provocadora e preparadora corporal. Em 2014 foi selecionada pelo edital Rumos Itaú com o projeto AISTHESIS.

Édi Oliveira 

Graduado e Mestrando em Artes Cênicas pela Universidade de Brasília, ator, bailarino, coreógrafo, professor de dança e fundador e diretor artístico do dançapequena – Grupo de Dança Contemporânea desde 2000. Dançou na Anti Satus Quo Cia. de Dança, de 1996 a 1998, e integrou o BaSiraH – Núcleo de Pesquisa em Dança Contemporânea, a partir de 1999.

Serviço

Fio a Fio – Espetáculo de teatro-dança, com Giselle Rodrigues e Édi Oliveira
Onde: Teatro Dragão do Mar (Rua Dragão do Mar, 81, Praia de Iracema)
Quando: Dia 2/3*, às 16 horas – Sessão gratuita de formação de platéia (*para público específico)
Dias 3 e 4/3, às 20 horas Quanto: R$ 10 (inteira) / R$ 5 (meia)
Classificação indicativa: 12 anos
Ingressos: na bilheteria do teatro
Fotografia: Diego Bresani

Ficha técnica

Concepção, direção coreografia e interpretação – Giselle Rodrigues e Édi Oliveira
Colaboração artística – Kênia Dias e Marcelo José
Desenho de Luz – Dalton Camargos e Moisez Vasconcellos
Cenário e figurino – Roustang Carrilho
Trilha Sonora – Tomás Seferin
Design Gráfico – Maíra Zannon / Ilha Design
Arte-educador – Glauber Coradesqui
Interprete em Libras – Isah Messias
Produção executiva – Naná Maris Produções Culturais
Produção local –D* Projetos Culturais
Cobertura fotográfica local – Robson Melo

Publicidade

Museu da Fotografia Fortaleza (MFF) traz o espetáculo “A Mulher Mais Forte do Mundo”

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

16 de Janeiro de 2018

 

Dentro do universo circense, o enredo busca recriar o show dos chamados super-humanos

 

Neste domingo (21), o público do MFF terá a oportunidade de reviver um dos clássicos apresentados no século XX nas tradicionais lonas circenses: o homem mais forte do mundo! Entretanto, tratamos aqui de algo ainda mais impressionante para a época, a mulher mais forte do mundo não somente existiu como fez sucesso em grandes circos. Isto sem falar que a arte clownesca aborda uma série de linguagens além da palavra, como a expressão corporal, o olhar, os sentimentos e as sensações. Ou seja, um espetáculo que promete sensibilizar toda a família.

Quem apresenta o número é a atriz, bailarina e palhaça Sâmia Bittencourt.  “Sandwína, A mulher mais forte do mundo”, foi uma figura muito importante para o circo e principalmente para as mulheres que fazem parte da realidade circense. Uma mulher que diante do machismo evidente durante a época de 1890 e 1900, desafiou homens fortes e os venceu.

Sobre Sâmia Bittencourt

Graduada no Curso Superior em Artes Cênicas-CEFET-CE, já atuou em mais de 20 espetáculos e desde 1993 tem seu trabalho artístico voltado para a pesquisa do corpo em cena com bases na Cultura Popular e na Antropologia Teatral. Foi responsável pelo trabalho corporal da Companhia de Brincantes Boca Rica (1995), com direção de Oswald Barroso, durante dez anos, atuando como atriz em diferentes espetáculos. Há vinte anos faz parte da Companhia da Arte Andanças- dirigida por Andréa Bardawil, onde é intérprete-criadora nos processos de pesquisa coreográfica. Já ganhou quatro prêmios com sua palhaça Nada no espetáculo Nada, Nenhum e Ninguém (1997). Atualmente, dirige a Companhia CLE- Circo Lúdico Experimental, com pesquisa na acrobacia cênica e na palhaçaria.

Sobre o Museu

Compreendendo sua função social para além do espaço expositivo, o Museu da Fotografia realiza uma série de ações que têm como objetivo a divulgação de novos talentos e a promoção da fotografia contemporânea a partir da realização de cursos e visitas guiadas para a terceira idade e de oficinas e workshops voltados a artistas, estudantes e educadores – resultado, inclusive, da proximidade da instituição junto às Secretarias de Cultura (Secult) e de Educação do Estado (Seduc) e às Secretarias Municipais da Educação (SME) e de Cultura de Fortaleza (Secultfor). O MFF tem também uma equipe de monitoria formada pelos alunos dos cursos de Comunicação Social da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade de Fortaleza (Unifor), Pedagogia da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), Artes Visuais do Instituto Federal do Ceará (IFCE) e do curso de Fotografia do Porto Iracema das Artes.

Serviço:

A Mulher Mais Forte do Mundo: Domingo, 21 de janeiro

Local de realização: Museu da Fotografia Fortaleza

Endereço: Rua Frederico Borges, 545 – Varjota

Horário: 14h

Duração do espetáculo: 45 min

Faixa etária: Livre

Inscrições: Gratuitas, pelo site sympla.com.br

Mais informações: (85) 3017-3661

 

Publicidade

PEÇA “HISTÓRIAS COMPARTILHADAS” FAZ APRESENTAÇÃO GRATUITA SEXTA-FEIRA NO DRAGÃO DO MAR

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

10 de novembro de 2017

O espetáculo faz parte da programação do 11º For Rainbow. Além da apresentação, o Grupo vai promover um Encontro com realizadores de cultura LGBT na segunda-feira

 
 
Crédito: Eden Barbosa
 
Outro Grupo de Teatro apresenta a peça “Histórias Compartilhadas” no Teatro Dragão do Mar, sexta-feira (10), às 19h, com entrada gratuita. O monólogo traz Ari Areia em cena com direção de Eduardo Bruno aprofundando uma discussão sobre transexualidade masculina. A apresentação acontece com apoio da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) por meio do Edital Cultura LGBT 2016. Não recomendado para menores de 18 anos. 

A peça está em cartaz desde 2015, o processo de pesquisa e montagem do espetáculo durou cerca de um ano, quando foi feito levantamento bibliográfico sobre o assunto e entrevistas. Alguns desses relatos estão na encenação, como é o caso de João W Nery (RJ), o primeiro homem transexual a fazer adequação corporal no Brasil, e Otávio Queiroz garoto residente em Caucaia (CE). Também são compartilhadas histórias de Tiago Uchoa (BA) e dos americanos Riley Moscatel  e Buck Angel.

Histórias Compartilhadas é o terceiro espetáculo do Outro Grupo de Teatro, que em agosto completou seis anos de atividade. O repertório do grupo é composto pela comédia “Comer Querer Ver” (2012) e o drama “Caio e Léo” (2014), “Histórias Compartilhadas” (2015) e “Nós Tr3s. Ninguém” com estreia prevista para 2018.

Sinopse:

Corpo, Mídia, Gênero, Pênis, Mulher, Vagina, Homem, “Disforia”. Fragmentos do Cotidiano e vozes misturadas. O eu como uma construção. O Gênero não como meritocracia das genitálias. Corpos que, na tentativa de coexistir, rompem os limites da resistência e fazem da presença um símbolo de luta. Para não se afogar em silêncio todos os dias e cada dia mais um pouco, a gente tem que gritar: Todos os corpos são certos.

> ARTE E RESISTÊNCIA LGBT 

O Outro Grupo de Teatro vai promover, também durante o For Rainbow, uma roda de conversa sobre “A arte como ferramenta de resistência cultural e política”. A atividade acontece segunda-feira (13), às 16h, no auditório do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (1ª Andar) como programação do Encontro Cearense de Realizadores de Cultura LGBT. Esta iniciativa faz parte do cronograma do projeto de manutenção do Outro Grupo, contemplado pelo Edital Ceará de Incentivo às Artes 2015 da Secult. A roda de conversa vai contar com provocações da escritora Fernanda Meireles, do pesquisador Kaciano Gadelha, do secretário estadual da cultura Fabiano dos Santos e mediação do ator Ari Areia.

// SERVIÇO
Histórias Compartilhadas (Apresentação Gratuita)
Sexta-feira (10), 19h
Teatro Dragão do Mar
Gratuito | 18 anos

Encontro Cearense com Realizadores de Cultura LGBT
Segunda-feira (13), 16h
Auditório Dragão do Mar
Gratuito | Livre Acesso.

Mais informações 85 9 88357619 (Ari Areia, ator)
Organização do Encontro Cearense com Realizadores de Cultura LGBT

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Mágico e humorista Gabriel Louchard se apresenta em Fortaleza

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

12 de junho de 2017

Sucesso em Rock Story, o artista apresenta espetáculo “Como É Que Pode?”, com direção de Leandro Hassum, neste domingo (18), no Theatro Via Sul

 

 

Sucesso de público, o espetáculo “Como É Que Pode?” une stand up comedy, esquetes de humor, vídeos e números de mágica no palco do Theatro Via Sul Fortaleza, dia 18 de junho. A peça brinca com diversas situações que nos deparamos todos os dias. Como é que pode o meu filho nascer japonês? Como é que pode este trânsito? Um misto de surpresa, curiosidade e fascinação brota dessa expressão popular que serve de inspiração para o espetáculo de Gabriel Louchard.

A peça, vencedora do prêmio FITA 2013 categoria melhor espetáculo de comédia, mostra a versatilidade de Gabriel, explorando as muitas facetas do artista como ator, comediante e mágico. Durante o espetáculo, dirigido por Leandro Hassum e escrito em parceria com Mauricio Rizzo – roteirista de “A Grande Família” – Louchard realiza esquetes brincando com as situações cômicas que mágicos enfrentam durante o trabalho em uma festa infantil, convoca a platéia para participar de truques e realiza números impressionantes de mágica, sempre aliados ao bom humor de seu texto.

Um dos pontos altos do espetáculo é o número da guilhotina, que é bem real e ganha uma boa dose de improviso, pois é apresentado com um convidado da platéia. “A participação da platéia, ocorre de forma espontânea e natural, tornando o show muito mais quente e próximo do público”, explica Gabriel.

 

Sobre Gabriel Louchard

 

Como ator e comediante, Gabriel Louchard participou de seriados como “Vai que Cola” e “Secretária do Presidente” (Multishow), integrou o elenco humorístico dos programas “Zorra Total” e “Domingão do Faustão”; além de ter protagonizado o quadro de humor “Câmera Kids” no Fantástico. Atualmente integra o elenco da novela “Rock Story” da Rede Globo e apresenta o programa “Truque de Humor” do Multishow. No teatro, está em cartaz há 6 anos com o espetáculo solo de humor “Como é que pode?”.

 

Serviço:

Espetáculo Gabriel Louchard  “Como é que pode?”

Local: Theatro Via Sul Fortaleza

Data: 18 de junho (domingo)

Horário: 20h

Ingressos: Plateia inferior: R$ 60 e meia entrada: R$ 30,  Superior Inteira: R$ 60 e meia entrada: R$ 30

Pontos de venda: Bilheteria do Theatro Via Sul e no site ingresso rápido (www.ingressorapido.com.br)

Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 14 anos

Vídeos: https://www.youtube.com/watch?v=_4sCZzq-ApQ

https://www.youtube.com/watch?v=7c_37x9XVbw

Publicidade

Márvio Lúcio, o “Carioca”, apresenta “Dilma Ducheff Saudando a Mandioca”  

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

03 de Abril de 2016

 

Espetáculo ] A apresentação será no dia 09 de abril (sábado), às 21:30h, no Siara Hall

Dilma-Ducheffe-12-09-por-AllisonValentim-45

Foto de Allison Valentim

Está na hora do impeachment do mau humor! Após o grande sucesso na televisão, e fenômeno no Facebook. Chegou a vez de brilhar nos palcos. Direto do programa Pânico na Band, Dilma Ducheff “Saudando a Mandioca” é o espetáculo de humor que marca a estreia de Márvio Lúcio, o Carioca do Pânico, no teatro. Dilma Ducheff, a notória personagem criada pelo humorista, comandará um show com muita irreverência e tiradas cômicas. Imitando a figura mais ilustre no cenário político brasileiro, Carioca pretende testar os limites da paródia, oferecendo à plateia uma comédia de proporções democráticas. Mostrando para todos o outro lado da moeda, como deve ser a vida da Presidente? Será que os brasileiros sabem realmente o que estão falando? Será um encontro único com a Presidenta mais maluca do Brasil!

Márvio Lúcio, mais conhecido como Carioca, é humorista, radialista e repórter brasileiro que trabalha na rede Jovem Pan, no programa Pânico e na Rede Bandeirantes no programa Pânico na Band. É conhecido por suas inúmeras e emblemáticas imitações. Entre elas dá pra destacar, além da Presidente Dilma ,tipos como : Lulu Santos, Raul Gil, Boris Casoy, Amaury Jr ,  Jo Soares , Ney Latorraca, Lula, Felipão, Dr. Rey, Zeca Camargo, Edir MacedoMiguel Falabella, Marcelo Rezende e Ricardo Boechat. Uma das melhores imitações recentes de Márvio foi o personagem Jô Suado, uma sátira do apresentador global Jô Soares, recebendo diversos convidados no seu programa. Com a chegada do Pânico na Rede Bandeirantes, Márvio imita o jornalista Bóris Casoy, no Jornal do Bóris, um dos quadros de mais bem  sucedidos. Posteriormente, vieram Didi Maiscedo e Marcelo Sem Dente, que ao lado de Eduardo Sterblitch e Gui Santana, protagonizam o quadro de maior audiência do programa. Hoje, faz também o Chef Jacão na paródia do Masterchef,  Eletrocutados e Aguinaldo Te Mostro Show.

Gênero: Comédia

Classificação: 12 anos

 

Serviço:

Show: Carioca do Pânico com espetáculo “Dilma Ducheff – Saudando a Mandioca”

Dia: 09 de abril (sábado)

Horário: 21:30h

Local: Siara Hall

Convites:

Premium: R$ 90,00

Pista: R$70,00 (inteira) / R$ 35,00 (meia)

Camarote: R$ 60,00 (inteira) / R$ 30,00 (meia)

Realização: Free Lancer Producções

Mais Informações:

Fone: 85.32610665

www.freelancerproduccoes.com.br

https://www.facebook.com/freelancerproduccoes

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Márvio Lúcio, o “Carioca”, apresenta “Dilma Ducheff Saudando a Mandioca”  

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

03 de Abril de 2016

 

Espetáculo ] A apresentação será no dia 09 de abril (sábado), às 21:30h, no Siara Hall

Dilma-Ducheffe-12-09-por-AllisonValentim-45

Foto de Allison Valentim

Está na hora do impeachment do mau humor! Após o grande sucesso na televisão, e fenômeno no Facebook. Chegou a vez de brilhar nos palcos. Direto do programa Pânico na Band, Dilma Ducheff “Saudando a Mandioca” é o espetáculo de humor que marca a estreia de Márvio Lúcio, o Carioca do Pânico, no teatro. Dilma Ducheff, a notória personagem criada pelo humorista, comandará um show com muita irreverência e tiradas cômicas. Imitando a figura mais ilustre no cenário político brasileiro, Carioca pretende testar os limites da paródia, oferecendo à plateia uma comédia de proporções democráticas. Mostrando para todos o outro lado da moeda, como deve ser a vida da Presidente? Será que os brasileiros sabem realmente o que estão falando? Será um encontro único com a Presidenta mais maluca do Brasil!

Márvio Lúcio, mais conhecido como Carioca, é humorista, radialista e repórter brasileiro que trabalha na rede Jovem Pan, no programa Pânico e na Rede Bandeirantes no programa Pânico na Band. É conhecido por suas inúmeras e emblemáticas imitações. Entre elas dá pra destacar, além da Presidente Dilma ,tipos como : Lulu Santos, Raul Gil, Boris Casoy, Amaury Jr ,  Jo Soares , Ney Latorraca, Lula, Felipão, Dr. Rey, Zeca Camargo, Edir MacedoMiguel Falabella, Marcelo Rezende e Ricardo Boechat. Uma das melhores imitações recentes de Márvio foi o personagem Jô Suado, uma sátira do apresentador global Jô Soares, recebendo diversos convidados no seu programa. Com a chegada do Pânico na Rede Bandeirantes, Márvio imita o jornalista Bóris Casoy, no Jornal do Bóris, um dos quadros de mais bem  sucedidos. Posteriormente, vieram Didi Maiscedo e Marcelo Sem Dente, que ao lado de Eduardo Sterblitch e Gui Santana, protagonizam o quadro de maior audiência do programa. Hoje, faz também o Chef Jacão na paródia do Masterchef,  Eletrocutados e Aguinaldo Te Mostro Show.

Gênero: Comédia

Classificação: 12 anos

 

Serviço:

Show: Carioca do Pânico com espetáculo “Dilma Ducheff – Saudando a Mandioca”

Dia: 09 de abril (sábado)

Horário: 21:30h

Local: Siara Hall

Convites:

Premium: R$ 90,00

Pista: R$70,00 (inteira) / R$ 35,00 (meia)

Camarote: R$ 60,00 (inteira) / R$ 30,00 (meia)

Realização: Free Lancer Producções

Mais Informações:

Fone: 85.32610665

www.freelancerproduccoes.com.br

https://www.facebook.com/freelancerproduccoes

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti