Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Caged

Trabalhos formais e informais crescem no Ceará, segundo pesquisas

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

28 de Fevereiro de 2019

Crescimento dos dois mercados cria uma expectativa positiva para este ano

O ano de 2019 tem oferecido novas expectativas para o mercado trabalhista no Ceará. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), no fim de janeiro deste ano, foram gerados mais de 23.081 vagas de emprego no Estado e os setores de serviços, indústria de transformação e comércio são os responsáveis por essa expansão.

Mesmo com a possibilidade de aumento do trabalho formal, ou seja, aquele em que o trabalhador tem a carteira assinada, os trabalhos informais ainda estão em alta e são responsáveis pela renda de muitos brasileiros. Segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no quarto trimestre do ano de 2018, o número de trabalhadores sem carteira assinada ou por conta própria alcançou o número de 35,3 milhões de pessoas, enquanto o de trabalhadores formais era de 33 milhões.

Para o consultor Marcos Sá o trabalho informal foi uma forma encontrada por muitos para ultrapassarem a crise financeira que o país viveu e segundo ele esse ramo do setor trabalhista pode ser promissor. ‘’ Muitos dos cearenses desempregados aderiam ao trabalho informal e o tiveram como única saída para a obtenção de renda. Ainda que o trabalho por conta própria não ofereça tanta estabilidade, esse tipo de trabalho pode ser um bom negócio’’. A reforma na lei trabalhista é um exemplo, segundo o consultor, que estimula o trabalho informal.

Especialistas apontam que o crescimento em ambas áreas do setor trabalhista, formal e informal, traz inúmeros benefícios para o Estado, a começar pela geração de emprego e renda, e consequente diminuição da taxa de desemprego. O contador Marcos Sá reforça essa ideia e pontua que podem ser encontradas vantagens e desvantagens em ambos tipos de trabalho, mas que independentemente do tipo de atividade ofertada ou possível de ser executada o mais importante é estar inserido no mercado de trabalho.

Publicidade

Nordeste ocupa terceiro lugar no ranking de regiões que mais geraram empregos formais em julho

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

25 de agosto de 2018

Segundo dados divulgados pela Caged, houve a criação de mais 7.163 vagas formais na região nordeste, mas Ceará se destaca por contratação em regime de tempo parcial.
Ficando atrás apenas da região Sudeste e Centro-Oeste, segundo os dados divulgados hoje pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), o Nordeste aparece em terceiro lugar no ranking das regiões que mais geraram empregos formais em julho, que, ao todo, somam a criação de 7.163 vagas formalizadas. Por outro lado, o Ceará se destaca por contratação em regime de tempo parcial. Em julho desse ano, o estado gerou 103 contratados nesse formato.
Para o contador e consultor financeiro, Marcos Sá, o cenário demonstra que agosto poderá manter esse ritmo de geração de emprego. “Tivemos um saldo positivo de contratações que nos deixam esperançosos para que esse ritmo crescente continue nos próximos meses. O Ceará tem apostado na contratação por regime de tempo parcial, aquele cuja duração não exceda a vinte e cinco horas semanais, ficando atrás apenas do Rio de Janeiro e São Paulo nesse caso”, explicou.
Brasil
O Brasil encerrou o mês de julho com a abertura de 47.319 vagas de emprego com carteira assinada, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Esse foi o melhor resultado para o mês de julho desde 2012, quando foram abertas 142 mil vagas.
Publicidade

Maracanaú registra crescimento no mercado de trabalho no mês de julho

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

15 de agosto de 2017

Maracanaú registrou, pelo segundo mês consecutivo, expansão no mercado de trabalho, dando sinais claros de superação da crise econômica. Em julho, 144 novos empregos com carteira assinada foram abertos no Município, o quarto melhor resultado no Ceará, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – Caged do Ministério do Trabalho e Emprego – TEM. Os setores da economia que mais contribuíram para o aumento do emprego formal em Maracanaú foram a indústria de transformação e a construção civil. (Oswaldo Scaliotti)

leia tudo sobre

Publicidade

Maracanaú registra crescimento no mercado de trabalho no mês de julho

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

15 de agosto de 2017

Maracanaú registrou, pelo segundo mês consecutivo, expansão no mercado de trabalho, dando sinais claros de superação da crise econômica. Em julho, 144 novos empregos com carteira assinada foram abertos no Município, o quarto melhor resultado no Ceará, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – Caged do Ministério do Trabalho e Emprego – TEM. Os setores da economia que mais contribuíram para o aumento do emprego formal em Maracanaú foram a indústria de transformação e a construção civil. (Oswaldo Scaliotti)