Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Exportações do setor metalmecânico aumentam 53,8%

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

26 de Fevereiro de 2018

O setor metalmecânico apresentou grande desenvolvimento com a ampliação das atividades da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), é o que aponta os dados do estudo Ceará em Comex elaborado pelo Centro Internacional de Negócios da FIEC. As exportações passaram de US$ 63,7 milhões em 2017 para US$ 97,9 milhões em 2018 – alta de 53,8%. O segmento é responsável por mais da metade (54,2%) das vendas externas do Ceará. Com isso, o Ceará passou a ocupar a 8ª colocação no ranking dos principais estados exportadores do setor, uma acima da que terminou 2017. 

Já as importações caíram 21% de 2017 para 2018, chegando a US$ 31,4 milhões. Tal queda impactou consideravelmente no saldo da balança comercial, que apresentou um superávit de US$ 66,5 milhões.

O México, principal comprador dos produtos do setor em 2017, ainda não realizou compras em 2018, o ranking dos principais destinos das exportações de metalmecânico é liderado pela Alemanha, que junto com Coreia do Sul e os Estados Unidos compram mais de 75% dos produtos de aço. A China se mantem como principal fornecedor do Ceará, apesar da queda de 37,2%.

Confira AQUI o estudo completo. 

Publicidade

Dia das Mães deve movimentar R$ 243 milhões no comércio de Fortaleza

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

04 de Maio de 2016

Este resultado representa redução de 8,0% em relação com 2015.

A pesquisa sobre o Potencial de Consumo do Fortalezense para o Dia das Mães, realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Ceará revela que os consumidores de Fortaleza irão movimentar cerca de R$ 243 milhões no comércio local com a compra de presentes, significando uma redução de 8,0% sobre o resultado de 2015, quando o resultado foi de 263 milhões.

Dando prioridade aos artigos de vestuário, perfumaria, calçados e bolsas, flores e aparelhos de telefonia celular, a maioria dos consumidores irá às compras – 60,3% dos entrevistados confirmaram essa intenção. O percentual é ligeiramente superior ao observado na mesma data no ano passado, quando 59,5% dos consumidores compraram presentes. Com este resultado, o Dia das Mães* permanece como a segunda melhor data comemorativa para o comércio em termos de faturamento.

 

Vestuário lidera preferência do consumidor

A preferência dos consumidores mostra-se concentrada em cinco produtos principais que, juntos, correspondem a 84,1% da intenção de compra, com preponderância dos bens de uso pessoal:

Os artigos de vestuário: citados por 35,8% dos entrevistados, é o principal produto de ambos os sexos (34,9% dos consumidores do sexo masculino e 36,7% dos consumidores do sexo feminino). O produto terá procura mais intensa entre os consumidores mais jovens (38,8% do grupo etário com até 20 anos) e de renda média (38,3% do grupo com renda familiar entre três e seis salários mínimos);

Os itens de perfumaria: com 26,3% de intenção de compra, tem como perfil do consumidor típico do sexo feminino (27,4% das respostas) e do estrato com idade acima de 36 anos (29,3%). A existência de produtos sofisticados e populares faz com que os perfumes se destaquem tanto na preferência do grupo com renda mais elevada (45,0% do estrato com renda superior a seis salários mínimos), quanto do grupo de renda média (29,2% da faixa com renda familiar entre três e seis salários mínimos);

Sapatos, cintos e bolsas: com 8,8% de intenção de compra, serão mais procurados por consumidores do sexo masculino (10,1%), dos grupos etários mais jovens (10,3% com idade até 20 anos e 10,0% com idade entre 21 e 35 anos) e renda superior a seis salários mínimos (17,5%);

Flores: com 7,2% de intenção de compra, serão mais procurados por consumidores do sexo masculino (9,9%), do estrato com idade superior a 35 anos (10,8%) e com renda familiar inferior a três salários mínimos (7,7% das respostas);

Aparelhos de telefonia celular: é o único eletrônico dentre os principais presentes. Serão mais procurados pelos consumidores do sexo masculino (6,7%), do grupo com idade de até 20 anos (8,0%) e com renda familiar de até três salários mínimos (6,6%).

 

Compra de presentes movimentará R$ 243 milhões

O faturamento previsto com a compra de presentes para o dia das mães é de R$ 243 milhões, reforçando a importância econômica dessa data comemorativa, que anima importantes segmentos do comércio varejista. O consumo médio com a compra de presentes é estimado em R$ 229. Como alguns consumidores compram mais de um presente, o gasto por presente será de R$ 160.

Diferente dos anos anteriores, quando o consumidor preferiu pagar suas compras à vista, neste ano a oferta de crédito pode ser um fator decisivo para a compra, pois 64,6% dos consumidores pretendem utilizar alguma forma de financiamento e apenas 33,9% irão utilizar o pagamento à vista. Além da possibilidade de financiamento, o consumidor estará em busca de promoções (50,9%), fará pesquisa de preços (39,6%) e estará atendo à qualidade dos produtos (24,8%).

A pesquisa também aponta que 66,5% dos consumidores pretendem comemorar o evento, sendo que 80,7% o farão em suas casas e 9,3% nas casas de parentes. Diferente do último ano, quando 7,2% dos consumidores revelaram a pretensão de comemorar em restaurantes, em 2016 apenas 1,9% o farão, com queda até mesmo no estrato de renda mais elevada (em 2015 29,9% dos consumidores com renda acima de seis salários mínimos revelaram essa intenção e apenas 6,6% do mesmo estrato confirmaram neste ano).

 

Compras se concentrarão nos finais de semana

O consumidor irá privilegiar a comodidade em suas compras, preferindo o sábado como dia mais provável para realizar a compra dos presentes (36,9%).

Os shopping centers e os centros comerciais deverão ter movimento intenso de consumidores, tendo sido citados por 33,2% e 24,0% dos consumidores, respectivamente, como locais preferenciais para as compras. O Centro da cidade e os principais corredores comerciais também mantêm sua importância, com 28,9% das respostas.

*A lista completa inclui o Natal, em primeiro lugar, seguido do Dia das Mães, Dia das Crianças, Dia dos Namorados e Dia dos Pais.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Dia das Mães deve movimentar R$ 243 milhões no comércio de Fortaleza

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

04 de Maio de 2016

Este resultado representa redução de 8,0% em relação com 2015.

A pesquisa sobre o Potencial de Consumo do Fortalezense para o Dia das Mães, realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Ceará revela que os consumidores de Fortaleza irão movimentar cerca de R$ 243 milhões no comércio local com a compra de presentes, significando uma redução de 8,0% sobre o resultado de 2015, quando o resultado foi de 263 milhões.

Dando prioridade aos artigos de vestuário, perfumaria, calçados e bolsas, flores e aparelhos de telefonia celular, a maioria dos consumidores irá às compras – 60,3% dos entrevistados confirmaram essa intenção. O percentual é ligeiramente superior ao observado na mesma data no ano passado, quando 59,5% dos consumidores compraram presentes. Com este resultado, o Dia das Mães* permanece como a segunda melhor data comemorativa para o comércio em termos de faturamento.

 

Vestuário lidera preferência do consumidor

A preferência dos consumidores mostra-se concentrada em cinco produtos principais que, juntos, correspondem a 84,1% da intenção de compra, com preponderância dos bens de uso pessoal:

Os artigos de vestuário: citados por 35,8% dos entrevistados, é o principal produto de ambos os sexos (34,9% dos consumidores do sexo masculino e 36,7% dos consumidores do sexo feminino). O produto terá procura mais intensa entre os consumidores mais jovens (38,8% do grupo etário com até 20 anos) e de renda média (38,3% do grupo com renda familiar entre três e seis salários mínimos);

Os itens de perfumaria: com 26,3% de intenção de compra, tem como perfil do consumidor típico do sexo feminino (27,4% das respostas) e do estrato com idade acima de 36 anos (29,3%). A existência de produtos sofisticados e populares faz com que os perfumes se destaquem tanto na preferência do grupo com renda mais elevada (45,0% do estrato com renda superior a seis salários mínimos), quanto do grupo de renda média (29,2% da faixa com renda familiar entre três e seis salários mínimos);

Sapatos, cintos e bolsas: com 8,8% de intenção de compra, serão mais procurados por consumidores do sexo masculino (10,1%), dos grupos etários mais jovens (10,3% com idade até 20 anos e 10,0% com idade entre 21 e 35 anos) e renda superior a seis salários mínimos (17,5%);

Flores: com 7,2% de intenção de compra, serão mais procurados por consumidores do sexo masculino (9,9%), do estrato com idade superior a 35 anos (10,8%) e com renda familiar inferior a três salários mínimos (7,7% das respostas);

Aparelhos de telefonia celular: é o único eletrônico dentre os principais presentes. Serão mais procurados pelos consumidores do sexo masculino (6,7%), do grupo com idade de até 20 anos (8,0%) e com renda familiar de até três salários mínimos (6,6%).

 

Compra de presentes movimentará R$ 243 milhões

O faturamento previsto com a compra de presentes para o dia das mães é de R$ 243 milhões, reforçando a importância econômica dessa data comemorativa, que anima importantes segmentos do comércio varejista. O consumo médio com a compra de presentes é estimado em R$ 229. Como alguns consumidores compram mais de um presente, o gasto por presente será de R$ 160.

Diferente dos anos anteriores, quando o consumidor preferiu pagar suas compras à vista, neste ano a oferta de crédito pode ser um fator decisivo para a compra, pois 64,6% dos consumidores pretendem utilizar alguma forma de financiamento e apenas 33,9% irão utilizar o pagamento à vista. Além da possibilidade de financiamento, o consumidor estará em busca de promoções (50,9%), fará pesquisa de preços (39,6%) e estará atendo à qualidade dos produtos (24,8%).

A pesquisa também aponta que 66,5% dos consumidores pretendem comemorar o evento, sendo que 80,7% o farão em suas casas e 9,3% nas casas de parentes. Diferente do último ano, quando 7,2% dos consumidores revelaram a pretensão de comemorar em restaurantes, em 2016 apenas 1,9% o farão, com queda até mesmo no estrato de renda mais elevada (em 2015 29,9% dos consumidores com renda acima de seis salários mínimos revelaram essa intenção e apenas 6,6% do mesmo estrato confirmaram neste ano).

 

Compras se concentrarão nos finais de semana

O consumidor irá privilegiar a comodidade em suas compras, preferindo o sábado como dia mais provável para realizar a compra dos presentes (36,9%).

Os shopping centers e os centros comerciais deverão ter movimento intenso de consumidores, tendo sido citados por 33,2% e 24,0% dos consumidores, respectivamente, como locais preferenciais para as compras. O Centro da cidade e os principais corredores comerciais também mantêm sua importância, com 28,9% das respostas.

*A lista completa inclui o Natal, em primeiro lugar, seguido do Dia das Mães, Dia das Crianças, Dia dos Namorados e Dia dos Pais.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti