Metas brasileiras de biodiversidade para 2020 (parte 1) - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

Metas brasileiras de biodiversidade para 2020 (parte 1)

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

03 de Janeiro de 2014

     Considerando a meta global da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB), deliberada na COP 10 (Conferencia das Partes – 10) de Aichi, em Nagoia-Japão; o governo brasileiro tem discutido as metas nacionais para a construção das estratégias nacionais e consequentemente para a elaboração do Plano de Ação brasileiro para Conservação e Uso Sustentável da Diversidade Biológica.

          No Workshop Regional para a América Latina sobre a Preparação do 5º. Relatório Nacional e Indicadores, da CDB, que ocorreu em Cochabamba/Bolívia, no período de 2 a 6 de dezembro/2013, o Brasil apresentou os avanços na construção das estratégias nacionais, considerando o Plano Estratégico 2011-2020. Conforme o 4º. Relatório Nacional, de 2010,encaminhado a CDB o processo de fixação de metas brasileiras para 2010 não foram suficientemente participativos; assim o governo brasileiro tem contado com a participação de diferentes atores na construção das estratégias nacionais, no sentido de preencher essa lacuna da participação social no processo de discussão e efetivação de políticas públicas de biodiversidade.

    O Ministério do Meio Ambiente, por meio da Secretaria de Biodiversidade e Florestas, realizou os “Diálogos sobre Biodiversidade: construindo a estratégia brasileira para 2020”, nos quais participaram 280 instituições e cerca de 400 pessoas, numa discussão de metas nacionais que durou cerca de dois anos (agosto/2011-setembro/2013), com custos totais de US$407,000.00 (MMA, 2013).

     As metas nacionais de biodiversidade, num total de 20, foram aprovadas pela Comissão Brasileira de Biodiversidade (CONABIO) em setembro/2013. Conforme MMA (2013), as consultas setoriais ocorreram de agosto a setembro2011, com os seguintes atores sociais: governo, sociedade civil, Academia, setor privado e populações tradicionais e indígenas. Numa fase seguinte, a de consulta pública, ficou aberta a todos os setores de dezembro/2011 a janeiro/2012. Houve ampla divulgação em Juno de 2012, durante a realização da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a chamada Rio+20.

 Fonte: MMA. La construcción de la estratégia brasileña para 2020. MMA/Secretaria de Biodiversidade e Florestas. Dez/2013.

Publicidade aqui

Metas brasileiras de biodiversidade para 2020 (parte 1)

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

03 de Janeiro de 2014

     Considerando a meta global da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB), deliberada na COP 10 (Conferencia das Partes – 10) de Aichi, em Nagoia-Japão; o governo brasileiro tem discutido as metas nacionais para a construção das estratégias nacionais e consequentemente para a elaboração do Plano de Ação brasileiro para Conservação e Uso Sustentável da Diversidade Biológica.

          No Workshop Regional para a América Latina sobre a Preparação do 5º. Relatório Nacional e Indicadores, da CDB, que ocorreu em Cochabamba/Bolívia, no período de 2 a 6 de dezembro/2013, o Brasil apresentou os avanços na construção das estratégias nacionais, considerando o Plano Estratégico 2011-2020. Conforme o 4º. Relatório Nacional, de 2010,encaminhado a CDB o processo de fixação de metas brasileiras para 2010 não foram suficientemente participativos; assim o governo brasileiro tem contado com a participação de diferentes atores na construção das estratégias nacionais, no sentido de preencher essa lacuna da participação social no processo de discussão e efetivação de políticas públicas de biodiversidade.

    O Ministério do Meio Ambiente, por meio da Secretaria de Biodiversidade e Florestas, realizou os “Diálogos sobre Biodiversidade: construindo a estratégia brasileira para 2020”, nos quais participaram 280 instituições e cerca de 400 pessoas, numa discussão de metas nacionais que durou cerca de dois anos (agosto/2011-setembro/2013), com custos totais de US$407,000.00 (MMA, 2013).

     As metas nacionais de biodiversidade, num total de 20, foram aprovadas pela Comissão Brasileira de Biodiversidade (CONABIO) em setembro/2013. Conforme MMA (2013), as consultas setoriais ocorreram de agosto a setembro2011, com os seguintes atores sociais: governo, sociedade civil, Academia, setor privado e populações tradicionais e indígenas. Numa fase seguinte, a de consulta pública, ficou aberta a todos os setores de dezembro/2011 a janeiro/2012. Houve ampla divulgação em Juno de 2012, durante a realização da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a chamada Rio+20.

 Fonte: MMA. La construcción de la estratégia brasileña para 2020. MMA/Secretaria de Biodiversidade e Florestas. Dez/2013.