Série "Pequenos Gigantes" conta histórias emocionantes de pessoas com acondroplasia
AMOR DE DIFERENTES TAMANHOS

Série “Pequenos Gigantes” conta histórias emocionantes de pessoas com acondroplasia

Segundo estimativa, existem – no Brasil – cerca de 20 mil pessoas com altura variando entre 70 centímetros e 1,40 m

Por Nordestv em Pode Contar

7 de fevereiro de 2017 às 16:16

Há 8 meses
Um amor com diferentes tamanhos (FOTO: Reprodução Nordestv)

Um amor com diferentes tamanhos (FOTO: Reprodução Nordestv)

O Pode Contar, da Nordestv/Band, vai iniciar nesta segunda-feira (6) a série de reportagens intitulada “Pequenos Gigantes”.

Eles são pequenos e para realizar as atividades do dia a dia é bem complicado. Mas superam os limites e se tornam verdadeiros gigantes.

Segundo estimativa, existem no Brasil aproximadamente 20 mil pessoas com altura variando entre 70 centímetros e 1,40 m. Popularmente, são chamadas de “anões”.

Mas, de acordo com a endocrinologista, Eveline Fontenele, é errado referenciar dessa forma. “O termo nanismo, que era usado antigamente, tende a ser evitado, porque dá caráter pejorativo. O termo mais utilizado é baixa estatura mesmo”.

Há um conjunto de fatores que caracterizam a baixa estatura. Uma das mais conhecida é a acondroplasia, um tipo de deficiência genética.

Roberto Maciel, de 34 anos, tem acondroplasia e conheceu Edna Mendes em uma festa. Eles começaram a namorar, casaram e, hoje, têm uma filha com mais de um ano. A pequena herdou a acondroplasia do pai. Mas, para Edna, não existe preconceito. “Preconceito não tá com nada. Você tem que ver o que a pessoa é. Não pelo tamanho e nem a cor, você tem que amar do jeito que ele é”, ensina Edna.

Veja todo os detalhe da matéria no vídeo, do Pode Contar, da Nordestv/Band:

Veja outros vídeos do Pode Contar.

Publicidade

Dê sua opinião

AMOR DE DIFERENTES TAMANHOS

Série “Pequenos Gigantes” conta histórias emocionantes de pessoas com acondroplasia

Segundo estimativa, existem – no Brasil – cerca de 20 mil pessoas com altura variando entre 70 centímetros e 1,40 m

Por Nordestv em Pode Contar

7 de fevereiro de 2017 às 16:16

Há 8 meses
Um amor com diferentes tamanhos (FOTO: Reprodução Nordestv)

Um amor com diferentes tamanhos (FOTO: Reprodução Nordestv)

O Pode Contar, da Nordestv/Band, vai iniciar nesta segunda-feira (6) a série de reportagens intitulada “Pequenos Gigantes”.

Eles são pequenos e para realizar as atividades do dia a dia é bem complicado. Mas superam os limites e se tornam verdadeiros gigantes.

Segundo estimativa, existem no Brasil aproximadamente 20 mil pessoas com altura variando entre 70 centímetros e 1,40 m. Popularmente, são chamadas de “anões”.

Mas, de acordo com a endocrinologista, Eveline Fontenele, é errado referenciar dessa forma. “O termo nanismo, que era usado antigamente, tende a ser evitado, porque dá caráter pejorativo. O termo mais utilizado é baixa estatura mesmo”.

Há um conjunto de fatores que caracterizam a baixa estatura. Uma das mais conhecida é a acondroplasia, um tipo de deficiência genética.

Roberto Maciel, de 34 anos, tem acondroplasia e conheceu Edna Mendes em uma festa. Eles começaram a namorar, casaram e, hoje, têm uma filha com mais de um ano. A pequena herdou a acondroplasia do pai. Mas, para Edna, não existe preconceito. “Preconceito não tá com nada. Você tem que ver o que a pessoa é. Não pelo tamanho e nem a cor, você tem que amar do jeito que ele é”, ensina Edna.

Veja todo os detalhe da matéria no vídeo, do Pode Contar, da Nordestv/Band:

Veja outros vídeos do Pode Contar.