Cachorra é jogada em lixão e fica tetraplégica após dona ser ameaçada
COMPANHEIRA

Cachorra é jogada em lixão e fica tetraplégica após dona ser ameaçada

A mulher foi proibida de continuar na casa em que vivia, tudo porque não queria abandonar a cadela

Por Nordestv em Pode Contar

27 de setembro de 2017 às 17:47

Há 4 semanas

Pretinha vive sob os cuidados da dona (FOTO: Reprodução Nordestv)

Belas histórias podem ser contadas a partir da relação de parceria entre pessoas e seus cachorrinhos de estimação. Lúcia de Fátima, 61 anos, é conhecida como “cigana”.

O apelido veio pela maneira de se vestir. Após a perda do filho, Lúcia se viu sozinha. Sua única companheira é a cadela Pretinha com quem compartilhou momentos difíceis e vivem juntas até hoje.

O assassinato do seu filho não foi o único momento complicado que enfrentou. Pouco tempo depois, Cigana foi proibida de continuar na casa em que vivia, tudo porque não queria abandonar a cadela. Por não ir embora, “Pretinha” foi jogada em um lixão e ficou tetraplégica.

Dona Lúcia não desistiu da sua parceira e foi resgatá-la. Hoje, Pretinha vive sob os cuidados da dona que leva a para passear em um carrinho de bebê.

Confira mais detalhes na matéria do programa Pode Contar, da Nordetv/BAND:

Publicidade

Dê sua opinião

COMPANHEIRA

Cachorra é jogada em lixão e fica tetraplégica após dona ser ameaçada

A mulher foi proibida de continuar na casa em que vivia, tudo porque não queria abandonar a cadela

Por Nordestv em Pode Contar

27 de setembro de 2017 às 17:47

Há 4 semanas

Pretinha vive sob os cuidados da dona (FOTO: Reprodução Nordestv)

Belas histórias podem ser contadas a partir da relação de parceria entre pessoas e seus cachorrinhos de estimação. Lúcia de Fátima, 61 anos, é conhecida como “cigana”.

O apelido veio pela maneira de se vestir. Após a perda do filho, Lúcia se viu sozinha. Sua única companheira é a cadela Pretinha com quem compartilhou momentos difíceis e vivem juntas até hoje.

O assassinato do seu filho não foi o único momento complicado que enfrentou. Pouco tempo depois, Cigana foi proibida de continuar na casa em que vivia, tudo porque não queria abandonar a cadela. Por não ir embora, “Pretinha” foi jogada em um lixão e ficou tetraplégica.

Dona Lúcia não desistiu da sua parceira e foi resgatá-la. Hoje, Pretinha vive sob os cuidados da dona que leva a para passear em um carrinho de bebê.

Confira mais detalhes na matéria do programa Pode Contar, da Nordetv/BAND: