Sem receber correspondências, jovens criam alternativa de entrega de cartas e boletos

COMUNIDADE ROSALINA

Sem receber correspondências, jovens criam alternativa de entrega de cartas e boletos

O trabalho é desenvolvido por quatro adolescentes da comunidade, que ganham uma ajuda de custo de R$ 350 pelo serviço prestado. Ao receber a correspondência, o morador assina termo que comprova a entrega

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

9 de agosto de 2018 às 16:44

Há 2 semanas
Jovens fazem entregas de correspondências na comunidade da Rosalina (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Jovens fazem entregas de correspondências na comunidade da Rosalina (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Receber correspondências com atraso é um problema comum em Fortaleza. Sem os boletos, muita gente tem dificuldade para pagar as contas. Dona Lucineide Pereira gosta de deixar tudo em dia. Atrasar pagamento é uma realidade difícil de acontecer.

Ela mora numa área situada ao lado do bairro Parque Dois Irmãos. Perto do antigo presídio IPPOO I e da UECE, no Itaperi, do Banco do Nordeste, que fica no Passaré, e da Arena Castelão. É a comunidade conhecida como Rosalina.

Na Comunidade da Rosalina, local tradicionalmente conhecido pelo histórico de insegurança, todo mundo já sabe que – quando o assunto é o recebimento de cartas ou boletos através dos Correios – tudo fica mais complicado. Cansados desse problema que não tinha fim, a associação dos moradores criou a própria estratégia para entrega das correspondências.

O processo é simples, mas dá resultado. Todas as correspondências chegam à associação. No local é feita uma triagem, as cartas são separadas por ruas e, a partir daí, é realizada a entrega.

O trabalho é desenvolvido por quatro adolescentes da comunidade, que ganham uma ajuda de custo de R$ 350 pelo serviço prestado. Ao receber a correspondência, o morador assina termo que comprova a entrega. Ao todo já foram contabilizadas mais de 22 mil assinaturas.

Veja mais detalhes no vídeo do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT: 

Veja outros vídeos do Jornal Jangadeiro.

Publicidade

Dê sua opinião

COMUNIDADE ROSALINA

Sem receber correspondências, jovens criam alternativa de entrega de cartas e boletos

O trabalho é desenvolvido por quatro adolescentes da comunidade, que ganham uma ajuda de custo de R$ 350 pelo serviço prestado. Ao receber a correspondência, o morador assina termo que comprova a entrega

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

9 de agosto de 2018 às 16:44

Há 2 semanas
Jovens fazem entregas de correspondências na comunidade da Rosalina (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Jovens fazem entregas de correspondências na comunidade da Rosalina (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Receber correspondências com atraso é um problema comum em Fortaleza. Sem os boletos, muita gente tem dificuldade para pagar as contas. Dona Lucineide Pereira gosta de deixar tudo em dia. Atrasar pagamento é uma realidade difícil de acontecer.

Ela mora numa área situada ao lado do bairro Parque Dois Irmãos. Perto do antigo presídio IPPOO I e da UECE, no Itaperi, do Banco do Nordeste, que fica no Passaré, e da Arena Castelão. É a comunidade conhecida como Rosalina.

Na Comunidade da Rosalina, local tradicionalmente conhecido pelo histórico de insegurança, todo mundo já sabe que – quando o assunto é o recebimento de cartas ou boletos através dos Correios – tudo fica mais complicado. Cansados desse problema que não tinha fim, a associação dos moradores criou a própria estratégia para entrega das correspondências.

O processo é simples, mas dá resultado. Todas as correspondências chegam à associação. No local é feita uma triagem, as cartas são separadas por ruas e, a partir daí, é realizada a entrega.

O trabalho é desenvolvido por quatro adolescentes da comunidade, que ganham uma ajuda de custo de R$ 350 pelo serviço prestado. Ao receber a correspondência, o morador assina termo que comprova a entrega. Ao todo já foram contabilizadas mais de 22 mil assinaturas.

Veja mais detalhes no vídeo do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT: 

Veja outros vídeos do Jornal Jangadeiro.