Reciclagem e coleta seletiva fazem parte da rotina de moradores

NOVOS HÁBITOS

Reciclagem e coleta seletiva fazem parte da rotina de moradores no Pirambu

A sociedade comunitária de reciclagem de lixo do Pirambu arrecada cerca de 40 toneladas de lixo por mês. O que serve como renda extra para os moradores

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

2 de Março de 2018 às 15:27

Há 7 meses
Reciclagem

Reciclagem e coleta seletiva ajudam na limpeza da cidade (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Plástico, papel, metal, alumínio, artigos eletrônicos velhos e óleo de cozinha poderiam ter como destino a lata de lixo. Entretanto, no bairro Pirambu, os moradores estão mudando os seus hábitos.

A sociedade comunitária de reciclagem de lixo do Pirambu (SOCRELP) arrecada 40 toneladas de lixo por mês. O que, além de ajudar o meio ambiente, serve como renda extra para os moradores.

“As pessoa fazem um cadastro e marcam um dia para a gente coletar, nós vamos lá e coletamos. Já outros deixam aqui devido à quantidade”, conta Janete Cabral, presidente da SOCRELP.

Já em Maracanaú uma empresa compra papel e papelão de associações menores como a SOCRELP. Lá os resíduos passam por uma triagem bem mais criteriosa e são separados até pela cor antes de serem triturados em uma máquina. Josenildo Rodrigues, coordenador de produção e logística, conta um pouco do processo. “Esse material às vezes vem misturado, aqui as pessoas são treinadas pra fazer essa separação”, relata.

Confira mais detalhes na matéria do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro:

Publicidade

Dê sua opinião

NOVOS HÁBITOS

Reciclagem e coleta seletiva fazem parte da rotina de moradores no Pirambu

A sociedade comunitária de reciclagem de lixo do Pirambu arrecada cerca de 40 toneladas de lixo por mês. O que serve como renda extra para os moradores

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

2 de Março de 2018 às 15:27

Há 7 meses
Reciclagem

Reciclagem e coleta seletiva ajudam na limpeza da cidade (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Plástico, papel, metal, alumínio, artigos eletrônicos velhos e óleo de cozinha poderiam ter como destino a lata de lixo. Entretanto, no bairro Pirambu, os moradores estão mudando os seus hábitos.

A sociedade comunitária de reciclagem de lixo do Pirambu (SOCRELP) arrecada 40 toneladas de lixo por mês. O que, além de ajudar o meio ambiente, serve como renda extra para os moradores.

“As pessoa fazem um cadastro e marcam um dia para a gente coletar, nós vamos lá e coletamos. Já outros deixam aqui devido à quantidade”, conta Janete Cabral, presidente da SOCRELP.

Já em Maracanaú uma empresa compra papel e papelão de associações menores como a SOCRELP. Lá os resíduos passam por uma triagem bem mais criteriosa e são separados até pela cor antes de serem triturados em uma máquina. Josenildo Rodrigues, coordenador de produção e logística, conta um pouco do processo. “Esse material às vezes vem misturado, aqui as pessoas são treinadas pra fazer essa separação”, relata.

Confira mais detalhes na matéria do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro: