Programa oferece proteção a testemunhas de crimes ameaçadas no Ceará

PROVITA

Programa oferece proteção a testemunhas de crimes que sofrem ameaças no Ceará

No Ceará, 16 pessoas estão incluídas no Provita. O tempo de proteção das testemunhas é de 2 anos, podendo ser prorrogado por mais 2 anos

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

8 de novembro de 2018 às 16:36

Há 1 mês
Autoridade policial pode acionar esse programação de proteção(FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Autoridade policial pode acionar esse programação de proteção(FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

No Ceará, um programa oferece proteção a testemunhas de crimes que sofrem ameaças. Dezesseis pessoas estão incluídas no Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas no Ceará.

“Durante esse processo, a própria autoridade policial pode acionar essa proteção. Essa equipe técnica vai fazer uma avaliação, desenhar um mapa de risco e promover a retirada da pessoa do local de ameaça”, explica a coordenadora do núcleo de assessoria dos programa de proteção, Rachel Leão.

O Provita é mantido pela Secretaria de Justiça do Ceará, em parceria com o Ministério dos Direitos Humanos e com organização da sociedade civil.

A família de um homem que foi morto e decapitado em outubro, em Fortaleza, foi inserida no Provita. Mulher e filhos testemunharam quando o homem foi retirado de casa para ser morto em outro local. O crime teria motivação política. 

O tempo de proteção das testemunhas é de 2 anos. Dependendo do caso, esse período pode ser prorrogado por mais dois anos. O Provita existe desde 2002. Em 16 anos, cerca de 250 pessoas já foram atendidas. “É importante a gente ressaltar que está dentro de uma rede nacional, tanto tem testemunhas e familiares do Ceará em outros estados, como no Ceará também acolhemos pessoas de outros estados”, diz Rachel.

Campanha

A Polícia Civil está com uma campanha para ajudar essa família mencionada na reportagem, que está sob proteção. Até agora, já foram arrecadados cerca de 100 quilos de alimentos, principalmente leite. Mas também é possível ajudar com doações em dinheiro.

Os depósitos devem ser feitos nessa conta bancária:
Agência: 2214-4
Conta: 0048280-3
Banco Bradesco
Titular: Eliseu Viana Carvalho

Outras informações no telefone (85) 98549 2229.

Confira todos os detalhes na reportagem do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT:

Publicidade

Dê sua opinião

PROVITA

Programa oferece proteção a testemunhas de crimes que sofrem ameaças no Ceará

No Ceará, 16 pessoas estão incluídas no Provita. O tempo de proteção das testemunhas é de 2 anos, podendo ser prorrogado por mais 2 anos

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

8 de novembro de 2018 às 16:36

Há 1 mês
Autoridade policial pode acionar esse programação de proteção(FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Autoridade policial pode acionar esse programação de proteção(FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

No Ceará, um programa oferece proteção a testemunhas de crimes que sofrem ameaças. Dezesseis pessoas estão incluídas no Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas no Ceará.

“Durante esse processo, a própria autoridade policial pode acionar essa proteção. Essa equipe técnica vai fazer uma avaliação, desenhar um mapa de risco e promover a retirada da pessoa do local de ameaça”, explica a coordenadora do núcleo de assessoria dos programa de proteção, Rachel Leão.

O Provita é mantido pela Secretaria de Justiça do Ceará, em parceria com o Ministério dos Direitos Humanos e com organização da sociedade civil.

A família de um homem que foi morto e decapitado em outubro, em Fortaleza, foi inserida no Provita. Mulher e filhos testemunharam quando o homem foi retirado de casa para ser morto em outro local. O crime teria motivação política. 

O tempo de proteção das testemunhas é de 2 anos. Dependendo do caso, esse período pode ser prorrogado por mais dois anos. O Provita existe desde 2002. Em 16 anos, cerca de 250 pessoas já foram atendidas. “É importante a gente ressaltar que está dentro de uma rede nacional, tanto tem testemunhas e familiares do Ceará em outros estados, como no Ceará também acolhemos pessoas de outros estados”, diz Rachel.

Campanha

A Polícia Civil está com uma campanha para ajudar essa família mencionada na reportagem, que está sob proteção. Até agora, já foram arrecadados cerca de 100 quilos de alimentos, principalmente leite. Mas também é possível ajudar com doações em dinheiro.

Os depósitos devem ser feitos nessa conta bancária:
Agência: 2214-4
Conta: 0048280-3
Banco Bradesco
Titular: Eliseu Viana Carvalho

Outras informações no telefone (85) 98549 2229.

Confira todos os detalhes na reportagem do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT: