Pichações com ameaças a bandidos e população se espalham por muros no Ceará
AMEAÇAS

Pichações com ameaças a bandidos e população se espalham por muros no Ceará

A presença desse tipo de mensagem nos muros da Grande Fortaleza se torna mais frequente em um momento crítico para a Segurança Pública do Ceará

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

12 de julho de 2017 às 16:03

Há 2 meses
Pichações ameaçam população (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Pichações ameaçam população (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Vários pontos de Fortaleza e Região Metropolitana têm sido alvo de intimidação por parte de grupos criminosos. As mensagens são pichadas em muros e dão ordens para a população sob pena de punição em caso de descumprimento.

O aviso é claro, apesar do português incorreto. Uma das pichações diz que quem roubar perto do cruzamento das Ruas Beni de Carvalho e Leonardo Mota, no bairro Dionisio Torres, por exemplo, vai morrer.

A mensagem, pichada há cerca de três meses, é assinada pela sigla GDE [Guardiões do Estado], o que remete à facções criminosas. A população fica assustada.

Na Rua Pedro Segundo, na Parangaba, a ameaça no muro dizia: “Atenção. Proibido reuniões de equipes e grupos na praça. Assinado: o crime. Não duvide.” Depois de grande repercussão nas redes sociais, a pichação foi apagada nesta terça-feira(11).

Em junho, a TV Jangadeiro mostrou que várias mensagens intimidadoras foram pichadas em Horizonte, próximo ao local onde aconteceu uma chacina de cinco pessoas durante uma festa. As inscrições remetiam a facções criminosas. Algumas delas chegavam a ordenar que os moradores mantivessem silêncio sobre o crime.

A presença desse tipo de mensagem nos muros da Grande Fortaleza se torna mais frequente em um momento crítico para a Segurança Pública do Ceará. Só na capital, o número de homicídios aumentou 217% no mês de junho em comparação com o mesmo período do ano passado. Foram 197 mortes violentas, muitas relacionadas ao crime organizado.

O Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) afirma que a falta de investimento na polícia investigativa colabora para o fortalecimento das facções.

Veja todo os detalhes no vídeo do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT:

Veja outros vídeos do Jornal Jangadeiro.

Publicidade

Dê sua opinião

AMEAÇAS

Pichações com ameaças a bandidos e população se espalham por muros no Ceará

A presença desse tipo de mensagem nos muros da Grande Fortaleza se torna mais frequente em um momento crítico para a Segurança Pública do Ceará

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

12 de julho de 2017 às 16:03

Há 2 meses
Pichações ameaçam população (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Pichações ameaçam população (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Vários pontos de Fortaleza e Região Metropolitana têm sido alvo de intimidação por parte de grupos criminosos. As mensagens são pichadas em muros e dão ordens para a população sob pena de punição em caso de descumprimento.

O aviso é claro, apesar do português incorreto. Uma das pichações diz que quem roubar perto do cruzamento das Ruas Beni de Carvalho e Leonardo Mota, no bairro Dionisio Torres, por exemplo, vai morrer.

A mensagem, pichada há cerca de três meses, é assinada pela sigla GDE [Guardiões do Estado], o que remete à facções criminosas. A população fica assustada.

Na Rua Pedro Segundo, na Parangaba, a ameaça no muro dizia: “Atenção. Proibido reuniões de equipes e grupos na praça. Assinado: o crime. Não duvide.” Depois de grande repercussão nas redes sociais, a pichação foi apagada nesta terça-feira(11).

Em junho, a TV Jangadeiro mostrou que várias mensagens intimidadoras foram pichadas em Horizonte, próximo ao local onde aconteceu uma chacina de cinco pessoas durante uma festa. As inscrições remetiam a facções criminosas. Algumas delas chegavam a ordenar que os moradores mantivessem silêncio sobre o crime.

A presença desse tipo de mensagem nos muros da Grande Fortaleza se torna mais frequente em um momento crítico para a Segurança Pública do Ceará. Só na capital, o número de homicídios aumentou 217% no mês de junho em comparação com o mesmo período do ano passado. Foram 197 mortes violentas, muitas relacionadas ao crime organizado.

O Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) afirma que a falta de investimento na polícia investigativa colabora para o fortalecimento das facções.

Veja todo os detalhes no vídeo do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT:

Veja outros vídeos do Jornal Jangadeiro.