Número de mulheres em presídios triplicou nos últimos 10 anos no Ceará

TRÁFICO DE DROGAS

Número de mulheres em presídios triplicou nos últimos 10 anos no Ceará

Em 2008, 399 mulheres foram presas. Até agosto de 2017, já foram presas 1.411 mulheres. Os crimes cometidos por elas também mudaram

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

12 de setembro de 2017 às 07:00

Há 3 meses

Mais de 800 mulheres estão presas no Ceará (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

O número de mulheres presas no estado do Ceará vem aumentando ano após ano. Segundo dados da Secretaria de Justiça, os números apontam que em 10 anos a população carcerária feminina triplicou.

Em 2008, 399 mulheres foram presas. Até agosto de 2017, já foram presas 1.411 mulheres. Os crimes cometidos por elas também mudaram.

Antes, a maioria dos delitos envolviam roubos, furtos e estelionato. Hoje, a ligação com o tráfico de drogas e facções criminosas já é uma realidade.

“Aquele papel mais secundário auxiliar da mulher vai sendo substituído por ações mais ativas, com uso violência, com ordens para matar”, conta Cláudio Justa, presidente do Conselho Penitenciário.

O sistema carcerário já sente a mudança dos últimos anos. O reflexo é a lotação do presídio Auri Moura Costa, que é o único a abrigar mulheres em todo o Ceará. A unidade tem capacidade para 374 detentas, mas atualmente possui mais de 800.

Veja todos os detalhes no vídeo do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT:

Publicidade

Dê sua opinião

TRÁFICO DE DROGAS

Número de mulheres em presídios triplicou nos últimos 10 anos no Ceará

Em 2008, 399 mulheres foram presas. Até agosto de 2017, já foram presas 1.411 mulheres. Os crimes cometidos por elas também mudaram

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

12 de setembro de 2017 às 07:00

Há 3 meses

Mais de 800 mulheres estão presas no Ceará (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

O número de mulheres presas no estado do Ceará vem aumentando ano após ano. Segundo dados da Secretaria de Justiça, os números apontam que em 10 anos a população carcerária feminina triplicou.

Em 2008, 399 mulheres foram presas. Até agosto de 2017, já foram presas 1.411 mulheres. Os crimes cometidos por elas também mudaram.

Antes, a maioria dos delitos envolviam roubos, furtos e estelionato. Hoje, a ligação com o tráfico de drogas e facções criminosas já é uma realidade.

“Aquele papel mais secundário auxiliar da mulher vai sendo substituído por ações mais ativas, com uso violência, com ordens para matar”, conta Cláudio Justa, presidente do Conselho Penitenciário.

O sistema carcerário já sente a mudança dos últimos anos. O reflexo é a lotação do presídio Auri Moura Costa, que é o único a abrigar mulheres em todo o Ceará. A unidade tem capacidade para 374 detentas, mas atualmente possui mais de 800.

Veja todos os detalhes no vídeo do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT: