Investigação pode revelar desaparecimento de munições de fuzis com alcance de 1.800 metros

CRIME ORGANIZADO

Investigação pode revelar desaparecimento de munições de fuzis com alcance de 1.800 metros

Uma investigação pode revelar esquema de desvio de armamento para abastecer o crime organizado no Ceará

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

12 de Janeiro de 2018 às 17:34

Há 6 meses
Desaparecimento de munições, pode revelar um esquema de desvio de armamento  (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Desaparecimento de munições pode revelar um esquema de desvio de armamento (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Uma investigação sigilosa vem sendo feita dentro de uma unidade militar no Ceará. O trabalho, que começou após um possível desaparecimento de munições, pode revelar um esquema de desvio de armamento para abastecer o crime organizado no Ceará.

Além de descobrir como esse estoque sumiu e em que mãos foi parar, o Exército e a Secretaria da Segurança querem saber que tipo de ação pode estar nos planos do crime organizado com esse armamento.

TV Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT, apurou que devem ser investigados não somente os lotes de munição que estavam na unidade e aqueles que desapareceram, mas também cargas antigas. Munições têm prazo de validade e devem ser inutilizadas quando vencidas. Há a suspeita de que cargas nessas condições podem ter sido desviadas em vez de serem destruídas. Balas fora do prazo de validade ainda podem ser disparadas, mas o exército faz o descarte por questão de segurança.

Dois soldados foram presos e estão no 23º Batalhão de Caçadores. A informação não é confirmada pelo Exército. Em nota, a 10ª Região diz que não fala sobre o assunto para permitir o andamento da investigação. A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social, que trabalha com o serviço de inteligência, também adotou o silêncio.

As munições que sumiram seriam de fuzil calibre 762. Esse tipo de armamento foi desenvolvido em 1908, para a Primeira Guerra Mundial, mas até hoje é usado. Segundo especialistas, o projétil tem um diferencial. É pontiagudo. Ou seja, além do impacto, causa grande perfuração. É capaz de atravessar 15 homens em fila, assim como qualquer colete a prova de bala e parte das blindagens de carro forte. Um tiro é fatal até 1.800 metros. Para se ter ideia da distância, um disparo efetuado na Avenida Beira Mar, em frente ao espigão do Náutico, é letal pelo menos até o Mercado dos Peixes.

Além de descobrir as circunstâncias do desaparecimento, a inteligência da Segurança Pública deve investigar o objetivo do crime organizado em relação a esse estoque de munição pesada. Uma das evidências é o controle de territórios na guerra do tráfico de drogas da Grande Fortaleza. Em áreas como Sapiranga, Barra do Ceará e na Aerolândia, as facções criminosas vivem em constante disputa.

Veja todos os detalhes no vídeo do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT:

Veja outros vídeos do Jornal Jangadeiro.

Publicidade

Dê sua opinião

CRIME ORGANIZADO

Investigação pode revelar desaparecimento de munições de fuzis com alcance de 1.800 metros

Uma investigação pode revelar esquema de desvio de armamento para abastecer o crime organizado no Ceará

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

12 de Janeiro de 2018 às 17:34

Há 6 meses
Desaparecimento de munições, pode revelar um esquema de desvio de armamento  (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Desaparecimento de munições pode revelar um esquema de desvio de armamento (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Uma investigação sigilosa vem sendo feita dentro de uma unidade militar no Ceará. O trabalho, que começou após um possível desaparecimento de munições, pode revelar um esquema de desvio de armamento para abastecer o crime organizado no Ceará.

Além de descobrir como esse estoque sumiu e em que mãos foi parar, o Exército e a Secretaria da Segurança querem saber que tipo de ação pode estar nos planos do crime organizado com esse armamento.

TV Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT, apurou que devem ser investigados não somente os lotes de munição que estavam na unidade e aqueles que desapareceram, mas também cargas antigas. Munições têm prazo de validade e devem ser inutilizadas quando vencidas. Há a suspeita de que cargas nessas condições podem ter sido desviadas em vez de serem destruídas. Balas fora do prazo de validade ainda podem ser disparadas, mas o exército faz o descarte por questão de segurança.

Dois soldados foram presos e estão no 23º Batalhão de Caçadores. A informação não é confirmada pelo Exército. Em nota, a 10ª Região diz que não fala sobre o assunto para permitir o andamento da investigação. A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social, que trabalha com o serviço de inteligência, também adotou o silêncio.

As munições que sumiram seriam de fuzil calibre 762. Esse tipo de armamento foi desenvolvido em 1908, para a Primeira Guerra Mundial, mas até hoje é usado. Segundo especialistas, o projétil tem um diferencial. É pontiagudo. Ou seja, além do impacto, causa grande perfuração. É capaz de atravessar 15 homens em fila, assim como qualquer colete a prova de bala e parte das blindagens de carro forte. Um tiro é fatal até 1.800 metros. Para se ter ideia da distância, um disparo efetuado na Avenida Beira Mar, em frente ao espigão do Náutico, é letal pelo menos até o Mercado dos Peixes.

Além de descobrir as circunstâncias do desaparecimento, a inteligência da Segurança Pública deve investigar o objetivo do crime organizado em relação a esse estoque de munição pesada. Uma das evidências é o controle de territórios na guerra do tráfico de drogas da Grande Fortaleza. Em áreas como Sapiranga, Barra do Ceará e na Aerolândia, as facções criminosas vivem em constante disputa.

Veja todos os detalhes no vídeo do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT:

Veja outros vídeos do Jornal Jangadeiro.